Terça-Feira, 27 de Junho

14/08/2014 - Copyleft

A direita quer que Marina seja sua tábua de salvação

A direita quer que Marina a tire do aperto em que se meteu, com dois candidatos que, no máximo, poderiam levar a disputa para o segundo turno.

por Emir Sader em 14/08/2014 às 10:47



Emir Sader


 A campanha eleitoral transcorria modorrenta, com resignação por parte da oposição. Tinha esgotado os graus de manipulação dos resultados de pesquisa, conseguindo, no máximo, passar a ideia de que os escândalos não tinham feito baixar o apoio ao Aécio.

As acusações ao governo ja chegavam ao nível patético do caso da Wikipedia, não sobrava muito, nem para as perguntas à Dilma no JN. Tinham conseguido subir o máximo possível ao pastor. Aécio e Eduardo Campos ficavam nos seus patamares consolidados, as entrevistas dos dois no JN não entusiasmavam a ninguém.

Quando de repente veio o trágico acidente e a morte de Eduardo Campos. Os restos nem havia chegado a Recife a os ventríloquos da direita já se assanhavam com a possibilidade de Marina ser a candidata no lugar dele.

Especulações e esperanças, aqui e lá fora, já projetavam uma reviravolta no quadro sucessório. O segundo turno estaria garantido, os riscos todos iam pra cima da Dilma. Marina partiria com  os tais 20 milhões de votos - que  parece que ela teria o poder de ter guardado na bolsa, intactos -  para disputar com Dilma. Os institutos de pesquisa corriam formular suas desinteressadas perguntas, tipo: Voce estaria disposto a mudar seu voto para Marina, se ela for candidata a presidente? Quem você prefere: Dilma ou Marina?

Mas de repente começam a surgir as dúvidas: Não é possível que a Marina não se aproveite dessa oportunidade de ouro de tirar o PT do governo? Será que o PSB vai querer lançar um candidato do próprio partido? Onde está a consciência cívica da oposição, que pode perder a possibilidade que o destino lhe deu de ganhar as eleições? De derrotar o PT?

Plenamente dispostos a enterrar definitivamente ao debilitado Aecio, as vozes da direita se excitam, entre frenesi e angustia de perder essa oportunidade. Não importa se Marina não é uma pessoa confiável. Que pode assustar os empresários do agronegocio. Que tenha suas manias ecológicas. O que importa é tirar o PT do governo. Depois a gente vê. Se ela  chegar a ganhar, vai precisar do apoio parlamentar e dos governadores tucanos, vai precisar da mídia. Se dá uns apertões e ela vai ceder, até porque não tem apoio próprio.

A direita quer que Marina os tire do aperto em que se meteram, com dois candidatos que, no máximo, poderiam levar a disputa para o segundo turno. Quer que Marina seja a sua tabua de salvação para derrotar o PT. Livrar-se da reeleição da Dilma e, quem sabe, até de um retorno do Lula!

Numa hora boa, quando tinham esgotado seu arsenal de futricas, quando o horário eleitoral vai começar e as condições da Dilma ganhar no primeiro turno aumentariam, acontece o acidente e recoloca a possibilidade da Marina mobilizar os votos do desinteressados nos candidatos apresentados. Justo quando a direita se preocupava em mobilizar os do voto nulo, do voto em branco, da abstenção, dos indecisos, mas não conseguia entusiasmá-los com Aecio e Eduardo Cunha, aparece quem pode servir para resgatá-los.

Já vão aparecer pesquisas, que correm para aproveitar o clima de consternação, para não perder esse clima e pressionar a Marina e o PSB com intenções de voto mirabolantes a favor dela e decepcionantes para qualquer outro candidato do PSB. A cena está montada. É ela, tem que ser ela, senão, ao contrário, a Dilma ganha e no primeiro turno.

Todos menos a Dilma – essa a candidatura da oposição, que agora olha para a Marina como sua bala de prata. 

Tags: Política





jose carlos lima - 22/08/2014
O CONSERVADORISMO DE MARINA SILVA -

A área da economia é o ponto mais importante de qualquer governo e o motivo pelo qual vemos um forte aparato midiático fazendo das tripas coração para trazer de volta uma política neoliberal e conservadora como essa defendida por Marina Silva, através de seus assessores mas, como sabemos, escondido do eleitorado. Pode, Arnaldo? Marina Silva, não deixa dúvida de que, se fosse eleita, o país mergulharia num retrocesso com essa sua política do estado mínimo para o povão e máximo para eles mesmo e anti-estado social forte. Isso é que a "nova política?" Margareth Tathcher e Ronald Reagan devem estar se revirando no túmulo. Chega a ser risível ver o André Lara Rezende, aquele que ficou milionário da noite pró dia na época da privataria tucana, falando em defesa do meio ambiente e contenção de gastos, será que ele vai voltar gostar os próprios gastos com viagens de avião lotados de cavalos nos céus da Europa..,,,



André Lara Rezende - 8/3/2014



http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,e-preciso-crescer-com-qualidade-de-vida-diz-lara-resende,179169e



Eduardo Giannetti - 22/02/2014



http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,educacao-e-meio-ambiente-devem-ser-as-prioridades-diz-eduardo-giannetti,178374e



Eduado Giannetti - Folha - 15/3/2010



http://cienciaemdia.folha.blog.uol.com.br/arch2010-03-14_2010-03-20.html



P.S. - Outras pensadores da área da economia, de todos os candidatos



http://expedu.blogspot.com.br/2014/05/desafios-economicos-para-o-brasil-em.html



André Lara Rezende - 8/3/2014



http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,e-preciso-crescer-com-qualidade-de-vida-diz-lara-resende,179169e



Eduardo Giannetti - 22/02/2014



http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,educacao-e-meio-ambiente-devem-ser-as-prioridades-diz-eduardo-giannetti,178374e



Eduado Giannetti - Folha - 15/3/2010



http://cienciaemdia.folha.blog.uol.com.br/arch2010-03-14_2010-03-20.html



P.S. - Outras pensadores da área da economia, de todos os candidatos



http://expedu.blogspot.com.br/2014/05/desafios-economicos-para-o-brasil-em.html


LOURIVAL MACHADO REZENDE - 22/08/2014
O Brasil merece uma marina? Só os desesperados assim acham. Qual a sua experiência e condições de governar?

DILMA NO PRIMEIRO TURNO (pra não deixar dúvidas). Viva o povo brasileiro


Orlando F. Filho - 22/08/2014
Toda essa agitação nas pesquisas(aliás, acho um golpe do PIG em fazer pesquisa neste cenário. Isso é manipulação barata);Depois, tudo vai passar e Dilma voltará aos patamares anteriores. Aécio está condenado a levar nas costas o episódio de Claúdio, enquanto Marina já falou mesma lenga lenga neoliberal de "independência do banco central". Marcia Eloy esquece esse cara o danunzio pois já percebi que o lance é pessoal, manja. O cara fpi do PT(o que vc não sabe roberto é que eu estava no dia em que Lula criou o Py, juntamente com Luiz Eduardo e já perdi amizades por não querer entrar no partido para justamente não fazer esse papel tão idiota que vc está fazendo). Mudanças radicais exigem medidas radicais. Um presidente dentro do capitalismo não pode exaltar o povo e o exército a tomar o poder(já tivemos um golpe desencadeado pela elite branca deste país, tendo como sabujos alguns militares gorilas). Dilma pode fazer mais pela população que, ao contrário do pensa danunzio, sabe muito bem e tem inteligência suficiente para saber em quem votar. Hoje a informação é rápida e não prá enganar muitos ao mesmo tempo...


José Jésus Gomes de Araújo - 22/08/2014
É estranho declarar não votar na Dilma, achando que essas medidas por ela não tomadas serão tomadas por outra. Houve frustrações com o governo petista? E muitas. Mas houve avanços. E como outro lado, quando teve o poder nas mãos? Política supõe realismo, embora exija, também, coragem de avançar mais.


roberto danunzio - 21/08/2014
Marcia Eloy, época de eleição é hora de discutir o que se imagina que pode existir. O que estou imaginando que pode existir a partir de primeiro de janeiro: o estado socialista? Seria legal, mas já passei da adolescência, certo? Daria para pôr um índio na presidência da Funai? Sim, não depende do congresso, depende de uma decisão típica de partido progressista. Daria para sentar-se com sindicato independente para discutir data base do trabalhador do estado? Daria, não é, em teoria, uma grande utopia, concorda? O PT quer dar um passo para frente depois de ter dado dois para trás, garantindo a tal governabilidade? Então deveria estar anunciando, nesta campanha, estes passos. Mas o PT não vai prometer nada às forças da esquerda combativa, porque não quer, porque está contando com o voto alienado. Acontece que a disputa pode apertar e na hora que o voto do sem terra e do funcionalismo, muita gente, podem crer, for suficiente para decidir a eleição, então será tarde demais. Eleição é futuro, minha cara, voto em você se perceber que, de fato, está de meu lado. Caso contrário, se percebo que não está mais do meu lado, faço algo para recompor as forças da esquerda combativa contra quem se vendeu de uma vez por todas ao sistema. Não se pode depositar indefinidamente a confiança em quem não inspira mais confiança. Se você está confiante, parabéns. Eu não estou porque acredito estar melhor informado.


Marcia Eloy - 20/08/2014
Roberto

Eu gosto de discutir sobre o que existe, não sobre o que se imagina que pode existir. o que existe no mundo são 3 espécies de política; O Estado Mínimo, como os Estados Unidos, o Estado Médio, como Brasil e alguns países europeus e o Estado máximo, como: a ex União Soviética., É o que existe, cada um que escolha seu modelo.


roberto danunzio - 20/08/2014
Quem padece de maniqueísmo vê tudo em termos de preto e branco. De repente colocam na minha boca que Dilma deva esbofetear Kátia Abreu. De repente, eu sou um radical ingênuo que acha que o presidente tem todo o poder de mudar o mundo. Tenho uma novidade para vocês, amigos, não sou criança nem adolescente nem estudante radical da USP, embora respeite muito os radicais de toda espécie e não esteja tentando isolá-los como o "teórico" Tarso Genro. Tudo o que eu tenho repetido à exaustão é o seguinte: porque tornou-se uma utopia colocar um índio na presidência da Funai? Porque tornou-se uma utopia que a presidente de um partido de esquerda ou que se pretende de esquerda possa se assentar com o trabalhador público para negociar reajuste salarial, como manda a constituição? Porque um partido dito de esquerda mina os esforços de greve do funcionalismo com todo tipo de tática suja porque só aceita "diálogo" com sindicato cooptado? Tornou-se um sonho o PT se assentar para negociar com sindicato independente ou o partido passou a temer sindicato independente e combativo? Deixa eu ver: de repente o funcionalismo não pode ter os salários reajustados segundo a constituição porque o dinheiro deste reajuste deve ir para a aristocracia financeira, para pagar a dívida pública impagável? É isto? Meus detratores, o Saul Leblon e o Emir Sader concordam com isto? Não estão nem aí, certo? Tornou-se uma utopia se assentar à mesa com o trabalhador? Ah me esqueci que o Saul e o Emir não lêem comentários de leitores, estão muito acima disto tudo falando apenas em macroeconomia, macropolítica, e não têm tempo para conversar democraticamente com o leitor, apenas repetem dia a dia o mantra eleitoreiro. Antes do PSTU negociar com a CNA vai ter primeiro que crescer, depois arranjar um Lula ou produto similar e depois que entrar no governo vai ter que acalmar os mercados e só depois vai ter que beijar a mão do Renan Calheiros. Tenho certeza que faria tudinho como PT se tivesse a chance, incluindo os expurgos de militantes radicais como os que aconteceram em 2003. Até que isto aconteça vai tentando fazer oposição de esquerda, oposição mesquinha sim, mas a única que temos. Tomara que cresça e faça durante uns anos o que o PT fez, oposição à esquerda, estamos urgentemente necessitados disto porque, na surdina, a agenda da direita está avançando: reforma agrária paralisada, grandes obras impostas aos índios e quilombolas, com brutalidade, força nacional, etc., código florestal, universalização da terceirização, domesticação dos sindicatos à la Getúlio Vargas, etc., etc., etc. A esquerda combativa está apenas à espera de um sinalzinho para ver se o PT está disposto a avançar ou a recuar ainda mais. Na última hora, quando a eleição estiver por um fio, será tarde demais. Estou dando um toque, o voto alienado muda de direção como o vento, não se pode contar sempre com ele, atenção!


Doralice Veloso Camargo - 19/08/2014
MARIA ELISA: Emir dando continuidade a este artigo gostaria que escrevesse: as razões pelas quais não devemos votar em Marina. Eu tenho as minhas. É possível?

Maria Elisa


vicente torres mourão - 19/08/2014
O PSB , hoje é o partido queridinho da Direita eda Mídia golpista


Marcia Eloy - 19/08/2014
Roberto

Ate o PSTU se ganhasse uma eleição teria que fazer aliança com o PMDB senão não governaria. Esta história de política "pura" é muito boa na teoria, na prática não existe....


Orlando F. Filho - 18/09/2014
Lenin já havia identificado o esquerdismo, a "doença infantil do comunismo". Aqui neste espaço leio opiniões do tipo "a esquerda radical tem que agir". Suponhamos que o pstu ganhasse as eleições, ok. Quantos senadores ou deputados o pstu tem no congresso? Um, nenhum? Não importa pois para governar teria que fazer acordos com o PMDB e outros partidos para conseguir maioria. Lenin escreveu muito sobre isso, pois fazer acordos não significa descer ao patamar ideológico do partido acordado, ok. Governar é muito mais complicado e morro de rir de pessoas que adoram apedrejar o telhado alheio por motivos pessoais. Portanto, querida Marcia Eloy, eu te respeito por suas opiniões e sugiro que vc não perca tempo batendo boca com um sujeito que chama dilma de "a dama de ferro do planalto" pois como não tem argumentos sólidos para contrapor, apenas fica posando de pedra. Os avanços sociais, dentro do capitalismo, são lentos e lembro aos senhores que o wefare state só existe nos eua por pressão dos partidos de esquerda americanos. Não estou dizendo que eles são responsáveis diretos, mas ajudaram a conscientizar o congresso e o governo que seria mais caro ter que sustentar um sistema onde os oprimidos nunca tivessem direita a nada, como acontecia no capitalismo selvagem nos primórdios.


Tereza Oliveira - 18/08/2014
Eu estava decidida a anular meu voto, mas se é para ter como presidente a Marina vou votar na Dilma. O lugar da Marina é ao lado do pastor evangélíco exorcizando mentes diabólicas como o do político turbinado- mega-acelerado Aécio Neves.


Marcia Eloy - 18/08/2014
Se a Marina aceitar o programa do PSB quem deverá cair é o Aécio, pois serão dois programas de esquerda contra um de direita.


Marcia Camargo - 18/08/2014
Dilma não caiu nem um ponto, Aécio caiu, e Marina aparece à frente dele "segundo" o Datafolha, ambos mais de dez pontos abaixo de Dilma - com todos as aspas que tal citação merece. Por eqto, o que vimos foi a morte do PSDB, pelas mãos da mídia e das articulações mais conservadoras dos financistas e rentistas internacionais e afins. E nós aqui, assistindo de camarote. Não preciso nem antecipar o resultado do 2o. turno - elementar meu caro Watson rsrsrs . Minha pergunta que não quer calar: custo alto, não?!


Orlando F. Filho - 18/08/2014
Um presidente, não importa o partido, governa para todos e você, mister danúnzio que gosta de descer a lenha nos outros, forme um grupo de ultraesquerda(já tem o pstu né) e parta prá tomar o poder na marra, uai. Mas é fácil ficar jogando pedra no telhado alheio. Você queria a Dilma esbofeteasse a Kátia Abreu. Putz, cara, ainda bem que vc não decide e nem é presidente do brasil pois se fosse a gente estaria frito. Amadureça, cara e entenda que me política nem sempre conseguimos realizar tudo que planejamos. Alias, Karlão já dizia que as coisas começam a partir de um sonho, algo que é irreal e somos que temos que colocar em prática, porém sempre tendo a consciência das dificuldades para que possamos planejar como superá-las. Não sei a sua idade, mas eu tenho 60 anos e passei muitas coisas durante a ditadura pois meu pai, um militar que era do partidão, foi preso e torturado e viu vários companheiros serem assassinados no doi-codi. Então, por favor, tenha um pouco de respeito pelas pessoas e pare de ser o dono da verdade.


roberto danunzio - 18/08/2014
De todo o meu comentário, só conseguiram filtrar o "já votei mas não vou votar mais na Dilma" e depois de só ter conseguido filtrar a questãozinha política imediatista (eleição presidencial - a pauta do momento), decretaram que eu deveria votar na Marina ou no Aécio se não estou satisfeito. Mama mia! É isso. É assim que se faz política no Brasil, sempre, política pequenina. Se não está comigo, está com o adversário. Proponho um reposicionamento da esquerda combativa, proponho a criação e o desenvolvimento de um projeto de oposição à esquerda do PT. Por enquanto não há esta oposição, mas quando houver, o PT vai precisar se posicionar de vez e estou certo de que vai continuar casadinho com o PMDB e produtos similares. A reforma agrária paralisou. Demarcações estão prontas esperando há anos a assinatura do Cardozo, advogado da CNA. Grandes obras são feitas sem o mínimo respeito às populações deslocadas, abundam os exemplos, o leitor engajado saberá encontrar informações a respeito para além da Carta Maior. O sindicalismo independente é combatido, acossado, e as damas de ferro do planalto usam todo tipo de tática suja contra o movimento grevista do funcionalismo, algo inimaginável para quem se pretende de esquerda. Assentar à mesa com trabalhador para conversar não depende de congresso nacional, não depende de negociação com partidos fisiológicos, só depende de tomar a decisão de respeitar o sindicalismo independente e o direito constitucional do trabalhador. Colocar um índio na presidência da Funai é um gesto simbólico que apontaria uma disposição para o diálogo, mas não, apoiado no voto alienado o PT não vai se engajar em promessas que não pode cumprir, pois não é possível servir a Kátia Abreu e sua turma e servir ao índio, ao quilombola e ao sem terra ao mesmo tempo. Todas as ações do passado são louváveis, não faltam vozes aqui para repetir à exaustão as conquistas, agora, como é eleição, vamos para frente, senhores, estamos apenas esperando um sinalzinho para ver se o Governo Dilma não vai descambar ainda mais para a direita, estamos esperando compromissos, camaradas, é só isso, nada desta questão mesquinha do vou votar em ciclano ou fulano, entenderam, ou querem que eu desenhe? Então um índio na presidência da Funai virou um sonho? Então conversar com o trabalhador é impossível?


Orlando F. Filho - 17/08/2014
Ai, ai tem gente aqui que pensa com o esôfago. Roberto danunzio já que vc está tão decepcionado com Dilma, vote no "progressista" Aécio uai. Tem gente que não liga o cérebro antes de escrever. Quem algum dia soube interpretar os fatos da história(não precisa ter muitos neurônios) tem consciência que, em política, as mudanças levam muito tempo. Querer jogar na lata de lixo tudo o que foi conquistado até agora, na minha modesta opinião, é analfabetismo político. "O pior analfabeto, é o analfabeto político", já dizia o grande bertoldo brecha. Olha, tem hora que tenho vontade de fazer gugu dadá prá certas pessoas.


darcy cruz - 16/08/2014
A ultraesquerda se coloca tão à esquerda que assume o discurso típico da direita quando quer desqualificar Dilma ou o PT. Não há a mínima diferença entre o discurso de Roberto Freire e de um líder do PCB é só comparar.


Hélcio Ribeiro - 16/08/2014
Sr. Roberto Danunzio. O eleitor consciente vota na Marina??? Consciente de que? Que o Itaú apóia a candidatura dela? Consciente de que ela é evangélica e não diz nada sobre a intolerância religiosa hoje no Brasil? Ou seria aquele que lembra que ela foi do PT e ministra do Lula e ambientalista ligada a movimentos sociais e ao Chico Mendes? Ela passou por três partidos em pouco tempo e agora é, como disse o Emir, a princesa da direita sim. Com apoio de quem ela venceria uma eleição contra Dilma e Lula? A Marina ainda é um enigma. Os próximos passos da campanha e o comportamento da mídia se encarregarão de tirar as dúvidas que porventura ainda existam


Cleusa Pozzetti Siba - 16/08/2014
Roberto Danunzio, concordo com você em algumas das questões levantadas. Porém, não querer ver que o Brasil melhorou - mesmo com as elites atrasadas que querem impedir que o Brasil avance - é no mínimo estar cego. Você acha, por exemplo, que uma Marina ou Aécio no poder ficará melhor para os brasileiros e especificamente para aqueles exemplos apontados por você?! Apesar de não concordar com alguns erros dos governos trabalhistas - não vejo ninguém para substituí-los em curto prazo. Por essa e tantas outras razões - meu voto é Dilma13!


Carlos Salgado - 16/08/2014
Dannunzio, você aguarda uma eleição para Herói.



Enquanto isso vota pra Dilma, para seguirmos acabando com a fome, fazendo inclusão digital, eduacação de qualidade para quem assim quiser, aumento real de salário a cada database, respeito ao movimento de rua. Mais Médicos, farmácia popular, SAMU. Politica internacional multipolar, investimentos na África, na América Latina. Investimentos em infraestrutura, em transportes, na nossa indústria (na economia real). Com um IBAMA forte balizador de novas práticas ambientais. Investimento em agricultura familiar, em produção de alimentos. Minha Casa Minha Vida pra todo mundo ir saindo do aluguel.

Enfim, puxando assim de memória alguns bons motivos para seguirmos contruindo um socialismo a brasileira!



Um Abraço!


luiz mattos - 16/08/2014
A direita e seus puxadinhos esquerdinhas.


arquimedes andrade - 15/08/2014
É sempre nós contra Eles (a velha direita melecada de neoliberalismo).Queremos mais inclusão social. a luta é para nivelar por cima. Acabar, de vez, com as desigualdades e distribuir melhor a riqueza. Com o PT lá no Governo Federal, as mudanças continuam. Do contrário, é pau na cabeça do povão.


José Carlos Vieira Filho - 15/08/2014
Um artigo interessante que lembra certa esquerda barulhenta em nosso arraial:

http://cassad-eng.livejournal.com/57023.html#cutid1


roberto danunzio - 15/08/2014
O PT e pelo jeito, alguns eleitores do PT, como o prezado Rui, estão navegando há tanto tempo na atmosfera do status quo que andam confundindo esquerdista combativo com direitista só porque um comentário não se alia acriticamente às propostas vagas da dama de ferro do planalto. Já votei em Lula duas vezes e votei em Dilma, mas não vou votar mais uma vez porque já esperei demais por sinais que indicassem uma mudança de rumos à esquerda. E não estou sozinho. Com a mesma opinião, eu, por mim, conheço algumas dezenas de pessoas. Vão fazendo as contas. Vamos lá, todos nós estamos esperando só um sinalzinho, não canso de repetir: a indicação do nome de um índio para a presidência da Funai, a partir de primeiro de janeiro. Esse pequeno gesto simbólico, perfeitamente factível, tornou-se uma utopia? Será porque? Reflita, leitor: será porque um índio não pode ser presidente da Funai? Será porque a presidente não pode cumprir a constituição que prevê a data-base anual para o funcionalismo? Porque será que não pode se assentar à mesa com sindicalistas independentes, não cooptados, para negociar reajustes salariais para os funcionários do estado, para o trabalhador que faz o estado? Porque será? Onde está o grande espírito democrático de base de nossa presidente guerrilheira progressista em questões tão triviais, que não dependem do congresso, que não dependem da tal governabilidade? E porque será que Saul Leblon e seus colegas jamais tocam nestas questões delicadas? Porque será?


Fernando Cavalcanti - 15/08/2014
O PT está desesperado. Seus militantes sabem que não conseguirão ter a vida mansa que têm com os caraminguás do governo. E começam a dar sinais de pânico. Um conselho: estudem, trabalhem, melhorem sua produtividade e comecem a ganhar dinheiro fazendo algo de útil, em vez de ficar pendurados nas tetas do poder, sugando os suados impostos dos brasileiros. Porque o socialismo, aqui e em toda parte, só trouxe prosperidade a políticos e a apaniguados do partido - e a ninguém mais.


Francis Gomes Vale - 15/08/2014
Não ceio que a comoção pela tragédia dure mais de um mês. Servirá para inflar as próximas pesquisas, mas não terá o poder de mudar os rumos da eleição de Dilma no primeiro turno.


Rui - 14/08/2014
É Emir, a direita não descansa nunca, até aqui vem postar sandices. DILMA NO PRIMEIRO TURNO, eu aposto.


roberto danunzio - 14/08/2014
Há poucos dias Eduardo Campos, Aécio Neves e Dilma Rousseff foram juntos beijar a mão dos latifundiários num grande evento, se lembram? A cada passo que dava, Dilma era amparada pessoalmente por Kátia Abreu, como contam os jornalistas realmente isentos que estavam presentes ao grande ato (vejam o Brasil de Fato, o Correio da Cidadania e outros). Não creio que Marina assuste, de fato, à máfia do dinheiro grosso das finanças, da indústria e da agroindústria. E creio que Dilma assusta muito menos, afinal, o Cardozo é atualmente o advogado da CNA, comanda pessoal e raivosamente a paralisação da reforma agrária, na prática, é um "homem forte", engavetou as demarcações de territórios indígenas e quilombolas já praticamente concluídas e enterrou as últimas esperanças de que novos processos demarcatórios se iniciem (o leitor precisa se informar em outros meios pois aqui não se fala destas questões). E Dilma não está nem um pouco preocupada em angariar o voto militante, consciente, de esquerda, pois não tem uma única proposta concreta para o campo progressista, na medida em que está muito confiante no voto alienado que a elegeu, assim como elegeu o Lula depois que ele aparou a barba e vestiu um terno da cor e feitio ditados pelos marqueteiros. Que tal, Dilma, anunciar desde já um índio para futuro presidente da Funai? Este gesto singelo tornou-se uma grande utopia? Agora o Emir Sader está apavorado com o retorno de Marina ao cenário político, pois ela disputa o eleitor consciente que está cada vez menos tendente a votar em Dilma depois que ela pisou tanto na bola. Na hora em que as pesquisas apontarem que o mar não está para peixe, muita gente do PT vai acordar para a importância do voto de gente da esquerda combativa. Mas então, será tarde demais. O voto alienado muda de direção ao sabor do vento, já deviam saber disto, mas até 2010 o vento soprava para o lado do PT. Agora, está mudando e, na última hora, pode dar um giro de cento e oitenta graus. Duvidam?

PARCERIAS