Sábado, 22 de Julho

02/06/2012 - Copyleft

O dedo do Lula

por Emir Sader em 02/06/2012 às 15:46



Emir Sader

A sociedade brasileira teve sempre a discriminação como um dos seus pilares. A escravidão, que desqualificava, ao mesmo tempo, os negros e o trabalho – atividade de uma raça considerada inferior – foi constitutiva do Brasil, como economia, como estratificação social e como ideologia.

Uma sociedade que nunca foi majoritariamente branca, teve sempre como ideologia dominante a da elite branca, Sempre presidiram o país, ocuparam os cargos mais importantes nas FFAA, nos bancos, nos ministérios, na direção das grandes empresas, na mídia, na direção dos clubes – em todos os lugares em que se concentra o poder na sociedade, estiveram sempre os brancos.

A elite paulista representa melhor do que qualquer outro setor, esse ranço racista. Nunca assimilaram a Revoluçao de 30, menos ainda o governo do Getúlio. Foram derrotados sistematicamente pelo Getulio e pelos candidatos que ele apoiou. Atribuíam essa derrota aos “marmiteiros”- expressão depreciativa que a direita tinha para os trabalhadores, uma forma explicita de preconceito de classe.

A ideologia separatista de 1932 – que considerava São Paulo “a locomotiva da nação”, o setor dinâmico e trabalhador, que arrastava os vagões preguiçosos e atrasados dos outros estados – nunca deixou de ser o sentimento dominante da elite paulista em relação ao resto do Brasil. Os trabalhadores imigrantes, que construíram a riqueza de Sao Paulo, eram todos “baianos” ou “cabeças chatas”, trabalhadores que sobreviviam morando nas construções – como o personagem que comia gilete, da música do Vinicius e do Carlos Lira, cantada pelo Ari Toledo, com o sugestivo nome de pau-de-arara, outra denominação para os imigrantes nordestinos em Sao Paulo.

A elite paulista foi protagonista essencial nas marchas das senhoras com a igreja e a mídia, que prepararam o clima para o golpe militar e o apoiaram, incluindo o mesmo tipo de campanha de 1932, com doações de joias e outros bens para a “salvação do Brasil”- de que os militares da ditadura eram os agentes salvadores.

Terminada a ditadura, tiveram que conviver com o Lula como líder popular e o Partido dos Trabalhadores, para o qual canalizaram seu ódio de classe e seu racismo. Lula é o personagem preferencial desses sentimentos, porque sintetiza os aspectos que a elite paulista mais detesta: nordestino, não branco, operário, esquerdista, líder popular.

Não bastasse sua imagem de nordestino, de trabalhador, sua linguagem, seu caráter, está sua mão: Lula perdeu um dedo não em um jet-sky, mas na máquina, como operário metalúrgico, em um dos tantos acidentes de trabalho cotidianos, produto da super exploração dos trabalhadores. O dedo de uma mão de operário, acostumado a produzir, a trabalhar na máquina, a viver do seu próprio trabalho, a lutar, a resistir, a organizar os trabalhadores, a batalhar por seus interesses. Está inscrito no corpo do Lula, nos seus gestos, nas suas mãos, sua origem de classe. É insuportável para o racismo da elite paulista.

Essa elite racista teve que conviver com o sucesso dos governos Lula, depois do fracasso do seu queridinho – FHC, que saiu enxotado da presidência – e da sua sucessora, a Dilma. Tem que conviver com a ascensão social dos trabalhadores, dos nordestinos, dos não brancos, da vitória da esquerda, do PT, do Lula, do povo.

O ódio a Lula é um ódio de classe, vem do profundo da burguesia paulista e de setores de classe média que assumem os valores dessa burguesia. O anti-petismo é expressão disso. Os tucanos são sua representação política.
Da discriminação, do racismo, do pânico diante das ascensão das classes populares, do seu desalojo da direção do Estado, que sempre tinham exercido sem contrapontos. Os Cansei, a mídia paulista, os moradores dos Jardins, os adeptos do FHC, do Serra, do Gilmar, dos otavinhos – derrotados, desesperados, racistas, decadentes.

Tags: Política





aparecido m dos santos - 30/07/2013
ADOREI MUITO ESTA HISTÓRIA PORQUE EU SEMPRE ACREDITEI NESTE ACONTECIMENTO , PORQUE JA FUI METALURGICO, E FOI BEM NA ÉPOCA DE 1977,HOJE O PT ESTAR NO PODER, SÓ QUE ME DÓI É QUE TEM GENTE DENTRO DO PT QUERENDO QUE OS TEMPOS DA DITADURA VOLTE, E ESTAR ESQUECENDO AQUELA MASSA POPULISTA E OS GRUPOS DE BASES DAS REGIÕES.


ANTÔNIO ALBERTO (Pe.Alberto) MENDES FERREIRA - 27/09/2013
.

Então :

1º - Não vote em pessoas, não há " salvadores " da Pátria ;

2º - A Governança é um Sistema do qual participam várias Forças Políticas e não, somente, um Administrador.

3º - Vote em ideais/programas/Partidos ;

4º - Saiba escolher ! Se quer frio, vá para o Sul do País ; se quer calor, vá para o Norte.

5º - Não adianta só Votar e esperar ; tem que agir, acompanhar/participar ...

6º - Quem se cala e não ajuda a decidir, os outros decidem por ele !

.

Sei !!!

Nas cidades e nos campos a politicagem rufando a mutamba entre direita/exploradores e esquerda/defensores dos oprimidos e vocês querem uma Rádio " isenta " , angelical/acima do bem do mal ???

Sem tomar posição ??? Sem dizer a que veio ???

Então , para que serve e a quem serve a Comunicação.

O Sóter/ABRAÇO, calado, é um sábio ...

NEUTRALIDADE NÃO EXISTE !!! => ( O “ neutro “, no quieto, no quieto, fica do lado que interessa a ele .)



rubens gonçalves - 24/12/2012
Derrotado por um "vagabundo", disse o ex presidente luiz inacio lula da silva.Como pode alguem ser refem de fatos que segundo o marcos valerio atinge a figura paterna do ex presidente.A midia brasileira desde o tempo de getulio vargas, jucelino nunca elevaram um politico para o maior degrau de endeusamento um presidente que foi o "pai" dos pobres.


Babi - 20/07/2013
O problema, companheiro Emir, é nós petistas estarmos de braços dados com essa mesma elite pmdbista que discrimina, explora e assassina nossos trabalhadores e "diferentes", não apenas em nome de uma frágil - e contraditória com o nosso histórico de lutas e ideologia - governabilidade; mas também porque alguns dos ex-nossos traem a nossa própria classe para serem os nouveau riche do poder.


gonzalo faval - 19/07/2013
Infelizmente somos cria dos EUA, durante muitos anos eles "mamaram" em nossas tetas e continuam fazendo o mesmo em outros países, agora a procura da fonte da energía. eles ensinaram a essa burguesia Brasileira e não somente a paulista, desde a construção de Brasilia, como ganhar dinheiro fácil, roubar, receber propinas e todo tipo de fraudes contra o sistema e contra o povo. Nunca neste país se fez tanto pelas classes menos favorecidas, nunca se investigou tanto, porém um bando de gente sem personalidade acredita que é bonito vaiar seu presidente em um ato público, lógico continuar mostrando ao mundo que somos "ignorantes", para a felicidade da tal burguesia, agora fazemos atos de vandalismo, roubo, fogueiras, estamos copiando de quem?, até quando vamos fazer as coisas assim, lutamos por um país melhor ou apenas por sermos melhores que o nosso vizinho?, queremos honestidade, mais somos honestos?, queremos ética dos políticos, mais somos éticos?, tenho a certeza de que a maioria dessas pessoas que vai as ruas são as mesmas que não devolvem troco errado quando recebem, que enganam seus maridos ou mulheres, que mentem, que roubam horas de trabalho nos sites de relacionamento, que usam telefones da empresa onde trabalham para tratar assuntos pessoais, etc. etc. etc. etc, então do que reclamamos?, porque são eles os favorecidos e não nós, quando for a nossa vez de estar no poder vamos fazer diferente?, recentemente cuba criou 4 vacinas contra o cancer que estão sendo testadas, lá os medicos se formam com o apoio do estado, depois devem trabalhar no país para retribuir o investimento que foi feito por eles, 5 anos no mínimo, Cuba tem uma formação de médicos como não existe nem mesmo nos EUA, e nossos médicos estão reclamando por trabalhar 2 anos a mais, recebendo 20 vezes mais do que se recebe em Cuba, aonde queremos chegar?, enquanto pensarem somente no seu bolso, enquanto sigamos sendo egoístas ao ponto de não ver o erro que estamos cometendo, nunca vamos passar da sola do sapato dos EUROPEUS, é por isso que eles nos tratam assim, como merecemos.


Adriano - 19/06/2012
Concordo, o ódio de classe existe, mas desta vez o argumento do preconceito antilula não pode ser evocado.

Acusar alguém de ser "otavinho" ou manipulado e alienado pela mídia demotucana não são suficientes para justificar este acordo estratégico com um político que, em um país sério, teria sido banido da política a dezenas de anos. Fechar os olhos pra isso é má fé e mau caratismo. As escolhas que o PT de São Paulo vão sair muito caras, e é Inútil colocar a culpa na mídia sem credibilidade e ruim que nós temos. A coisa esta sendo facilitada para eles.


Anna Bernardes - 18/07/2013
Resgate histórico interessantíssimo, quase sensacional, se não fosse por falar com ódio sobre o ódio do outro e abordar preconceito reforçando o mesmo.


Vítor Moscon - 16/07/2013
O texto só não é perfeito porque é um eufemismo exagerado dizer que: "O ódio a Lula é um ódio de classe, vem do profundo da burguesia paulista e de setores de classe média que assumem os valores dessa burguesia.



Na verdade a palavra mais apropriada seria: idealizam os valores dessa burguesia! A burguesia paulista e setores da classe média idalizam os valores da burguesia, esses valores são os seus principais motivadores de suas vidas!


Josedson - 16/07/2013
EMOCIONANTE. VERDADEIRO. REALIDADE QUE DÓI.

Sou nordestino, não branco, trabalhador. Não guardo nenhum sentimento de hostilidade para com os paulistas, povo que eu amo, mas ao preconceito de muitos deles.


Roque S. de Souza - 16/07/2013
É preciso dizer a verdade para quem discrimina os negros, os nordestinos, os pobres e o ex-presidente Lula. Acredito que a sua perspicácia, de cientista político, soube visibilizar com maestria o ódio dos racistas, paulistas, para com os não brancos e migrantes dos brasis do Brasil. Parabéns!...


LUIZ CARLOS DE MORAES E SILVA - 16/07/2013
Valeu como um desabafo meu que era contido na garganta!

parabéns, Emir Sader!


Sandra Maria - 16/07/2013
Faz dias que todos os significados das suas palavras me vem sufocando sem conseguirem tomar forma,e hoje eu os vejo maravilhosamente expostos no seu texto.Tenho andado perplexa com o nível dos ataques com Lula e Dilma. Tão absurdos, incoerentes que nos tira o fôlego e o dom da palavra. O que mais me perturbou, foi exatamente o que faz alusão ao dedo do Lula. Aquela criatura com certeza não sabe do que está falando.Obrigada! Eu precisa ler isso.


Paulo Augusto Menezes da Silva - 16/07/2013
Brilhante resgate histórico de uma personalidade que exerceu a presidência da república por dois mandatos e entrou para a história como um dos presidentes mais populares que nosso país já teve.


suzimara pigatto - 16/07/2013
Parabéns Emir Sader!



Externou brilhantemente o fascismo da burguesia fútil paulistana e de todo o Brasil, além da classe média e baixa que criticam Lula por pura ignorância e induzidos pela podre mídia do país (Veja, Globo, Folha, Estadão) que conduzidos feito gados fortalecem a velha e racista direita brasileira.


Mônica - 16/07/2013
Caro, Manoel Rodrigues



Depois do Emir, claro, você disse tudo: "O POVO BRASILEIRO E A NAÇÃO SÃO MUITOS MAIORES E IMPORTANTES DO QUE ESTES PRECONCEITOS".



Acrescentaria que aqui o tema refere-se às "coisas" do Brasil, mas poderíamos dizer ainda que os povos e nações vão além das "Marias Antonietas das vidas"...





Ivan Clides da Costa - 15/07/2013
Obrigado, por ter descrito o sentimento de milhões de Brasileiros, que como eu, sofrem pelo preconceito de classe. Não adianta tentar desfazer esse sentimento. Ele existe, é real e nada fará com que nós venhamos a nega-lo. A verdade é pura e simplesmente a verdade. Ela é dura sim mas confortante quando sabemos que não estamos sozinhos. Somos muitos e muito mais.


Luis Renato - 14/06/2012
Emir e colegas,

ha' tempos eu bato na mesma tecla: A divisao direita/esquerda nao vale no Brasil.

E' facil chamar um Serra de direita ou um Suplicy de esquerda, mas mesmo essas divisoes se diluem no patrimonialismo que domina a politica.

Todos querem ficar RICOS. Ponto.

O Emir como teorico de uma corrente faz o trabalho dele de arregimentar os militantes com base no "odio ao Lula" aqui, "FHC disse bla-bla" ali, mas esta' mais claro que nunca que essas nuances ideologicas perdem de longe para a cobica e a tal "sede ao pote".

E' de esquerda o enriquecimento miraculoso do Palocci? As consultorias do Pimentel?

E' de direita um PMDB unha e carne com um governo de "esquerda" ?

Nesta salada politico-ideologica fica a constatacao que esse argumento so' serve mesmo para aticar a militancia. Aqueles no andar de cima estao mais preocupados em ganhar eleicoes e "enricar". Sem excecoes.


FÁBIO TIAGO DA CONCEIÇÃO - 13/06/2012
Excelente Emir Sader! Nunca vi algo tão realista a respeito da sociedade paulista, em particular a paulistana!


mauricio de almeida barbosa - 12/06/2012
Caro Emir, você costurou um raciocínio histórico simplório. Um olhar raso, meramente maniqueísta, da nossa história. Em relação ao Lula, quantos equívocos! Ele é a ELITE!!! A elite politica, ou melhor, a elite politiqueira. Por favor: volte ao planeta terra Emir, acorde!!!


Damiane - 09/06/2012
Muito boa a argumentação.



Parabéns.


carlo cirenza - 09/06/2012
Muito bom!!!!!!!!!!!!!!!


Izadora Pereira da Silva - 08/10/2013
É impressionante e admirável que nos dias atuais alguém tenha coragem e capacidade para escrever sobre nossos ex lideres políticos, em especial sobre o Lula. Acredito no conteúdo desse texto, mais ainda na capacidade de algumas pessoas, que infelizmente por vezes raras em apoiar e respeitar a opinião do próximo. Enfim seria tão simples se nós, eu você, todos conseguíssemos respeitar e conviver em harmonia com as diferentes opiniões.


Alexandra de Alvim Pinto - 08/06/2012
Curioso observar a dialética inerente à lucidez de sua análise: è justamente em SP e MG - reduto da política dominante do "café com leite" - que emergiu e se projetou a resistência de classe no Brasil capaz de fazer o enfrentamento político para construção de uma sociedade cuja realidade apontasse para a possibilidade do talvez - ainda em movimento.

O que o "bairrismo", o etnocentrismo e a xenofobia paulistana desconsidera é o movimento histórico, segundo o qual, compreende Minas Gerais como o Estado responsável pela urbanização e constituição de um mercado interno e de uma classe média, até então inexistentes no Brasil colônia, responsável pela integração das "ilhas" regionais de exploração metropolitana até o século XVIII. Entretanto, a presença de uma elite oligárquica/burguesa, subserviente aos interesses neocolonialistas ou imperialistas projetados pelas corporações capitalistas, tanto em MG como SP, reproduzem um processo de alienação e exclusão social que conduziu este país ao "mérito" de ser detentor da maior concentração de riqueza do mundo. Resistir e enfrentar esta elite, não é fácil: requer uma perspicácia, uma sagacidade, sem dissimulação, uma lucidez política capaz de evidenciar a farsa inerente à dominação de classe que se perpetuou no Brasil por 500 anos. Tem que ser muito bom! Somos minoria - mas como diz o ditado: já presenciou uma situação onde 10% se torna maioria?


Andre Machado - 08/06/2012
Prezado Professor Emir,

Sou brasileiro nato, de sobrenome Silva, cor morena bem misturada, com traços indígenas, negros e brancos...lamento muito o racismo de algumas categorias, que , lamentavelmente, existem até hoje, como o Sr bem comentou, porém, lamento mais ainda o procedimento gatuno , para não falar sobre furto ou assalto mesmo, que a nação esta submetida neste momento...cada vez mais eu tenho a noção que o nosso país é realmente abençoado por DEUS, pois sofreu sob a administração das ELITES BRANCAS, e agora sofre sob a ação do PROLETÁRIO DA COMPANHEIRADA...gostaria de perguntar-lhe...será que estou tão errado assim ???...poderia me responder em particular ???...não tenho nenhuma ligação com partido político nenhum, nem tenho grande simpatia por nenhum tipo de "ISMO", apenas gostaria de viver num país que me fizesse ter orgulho de meus governantes...o que não é o caso no momento...

Atenciosamente...


Mauro Negrette Garcia - 08/06/2012
Emir, vc matou de pau! É isso mesmo. Eu fui um destes marmiteiros imigrante do PR e, infelizmente, meus irmãos iguais a mim, consumiram tanto a ideologia paulista e, mais precisamente, paulistana que anda defendem esses elitistas... Daí é Paulo Freire quem explica: O pobre hospedando dentro de si um rico...


Marcella - 07/06/2012
OK. Só que nem todo anti- petismo (sic) é expressão de ódio de classe. E nem só de moradores dos Jardins é feito o anti-petismo - racista ou não- paulistano.


Fabio Passos - 07/06/2012
A "elite" branca e rica odeia Lula porque ele é um símbolo da capacidade do povo brasileiro... e a "elite" despreza o povo brasileiro.



O lumpesinato de classe média que ataca Lula com virulência é atiçado pelo PIG.



O PIG é um antro de racistas e preconceituosos.


ricardo silveira - 07/06/2012
É isso mesmo, claro como um dia de céu limpo. Foi o Lula quem tirou o Brasil do atraso que a elite paulista cultivou e dele se alimentou por décadas e décadas. Lula significa um tapa na cara dessa elite anacrônica e idiotizada, mas não apenas por mostrar o preconceito que é inerente a ela, mas, sobretudo, por mostrar que a elite é incompetente para pensar e governar o país.


maria - 06/10/2013
Sem títulos, sem esquemas e sem palavras bonitas ou dificies.....este é um comentário verdadeiro o qual assino embaixo


viviane magalhães - 06/06/2012
Independente, dessas questões de direita e esquerda, do PT representar o socialismo, ou não - e acho que a discussão sobre isso eria mais sobre o que é o socialismo hoje e se ele realmente existe ainda - uma coisa não deixa de ser verdadeira: ha um claro preconceito em relação ao Lula ser uma figura de destaque na política e esse preconceito está ligado a suas horigens e sua tragetória, sim. Nunca esqueço, na época da campanha presidencial de 2002, a Globo veiculou no JN uma matéria de dois minutos que mostrava Lula discursando para empresários e comentendo um erro de portugues. A matéria não tinha nada de relevante, o objetivo era mostrar o erro, mostrar que Lula falava "errado", e que não poderia ser nosso presidente. Pior foi o riso ironico de Fatima Bernardes.


Rogério Giannini - 06/06/2012
Emir, você tem razão. O ódio ao Lula é uma das traduções do ódio de classe. Isso parece pouco? Não é. Desconfio mesmo que muito das críticas à esquerda destinadas ao Lula flertam com o mesmo ódio. Até mesmo parte da “decepção” com o líder operário que enfim assumiu o poder e não fez tudo e blá, blá, bla, tem um viés de preconceito. Lamento que muitos bem pensantes da nação não consigam entender o potencial político e cultural dessa figura que, nas suas palavras, traz no impresso no corpo as marcas de sua classe. Lula é o nosso peão de fábrica. Como canto Chico Buarque, em Linha de montagem - Eu não sei bem o que seja/ Mas sei que seja o que será/ O que será que será que se veja/ Vai passar por lá. E não é que passou!


André Pinheiro - 06/06/2012
Não se esqueçam das rádios de todo o país, que fomentam raiva, ódio e rancor, sempre com um preconceito desvairado e bombardeiam e infestam os lares do interior do Brasil e da grande massa da capital. Ao passo que a elite intelectual usa rádio apenas para ouvir música ou nem mais usam. Esse meio pernicioso dado a oligarquias locais desbravam com radialistas jornalistas comprados e irresponsáveis se dizendo voz do povo.


Reinaldo Reis Alves - 06/06/2012
Emir,



Seria por isso que um governo popular e de esquerda tem tanta dificuldade de ganhar uma eleição e governar em São Paulo? Afinal é em São Paulo que temos o maoir número de pessoas da elite em comparação com os demais estados.


Claudio - 06/06/2012
Caro Emir, não vamos desviar o foco da postura errada que o Lula teve em querer "blindar" o ministro do STF! É verdade que o Lula surgiu das cinzas e que lutou a vida toda, mas por isso ele não pode ir contra a lei e exercer tráfico de influência, conforme foi denunciado pelo Gilmar Mendes. Além disso tudo, ele fez muitos erros durante a sua gestão na presidência da república, como por exemplo, ceder às pressões estrangeiras e homologar a reserva indígena Raposa do Sol, leiloar lotes do Pré-sal a empresas estrangeiras, (o que é INCONSTITUCIONAL, visto que o petróleo pertence ao povo e não pode ser alienado), perdoar dívidas de países africanos e da américa-latina, aceitar renegociar ITAIPU, deixar a Bolívia tomar à força a refinaria da Petrobrás, etc. Obs: Não sou elite, nem PSDB, nem direita, etc.


AMARILDO CALDEIRA MORAES - 06/06/2012
O PSDB castigou e muito o povo, por conta de seus erros saiu da presidência. O PT, criticando ferozmente o PSDB apresentou um novo modelo de gestão política, porém, quando assumiu o governo, começou a governar igual ao PSDB, e começou a distribuir migalhas para a população mais carente, no maior programa de compra de votos do mundo. Antes se diziam socialistas e sindicalistas, mas assim que entraram no governo passaram a perseguir sindicalistas e funcionários públicos com uma política de arrocho salarial nunca vista. Com FHC se gastava 5% do PIB com funcionalismo, hoje se gasta 4%. Pros comunistas de plantão leiam o livro: Stálin, os nazista e o ocidente. Talvez um pouco de raciocínio entrem em suas cabeças.


Plinio F. Alvim - 05/10/2013
O DEDO MINDINHO - CURIOSIDADE HISTÓRICA - em julho de 1955, foi introduzido na Lei nº 2550, que criava a Cédula Única para eleição do Presidente da República, o seguinte artigo:

“Art.36 - Depositado o voto na urna, o eleitor, logo em seguida, introduzirá o dedo mínimo da mão esquerda em um recipiente que contenha tinta fornecida pelo Tribunal Superior Eleitoral ou pelos Tribunais Regionais Eleitorais”.

“§ 1º - Se o eleitor se encontrar impossibilitado de utilizar o dedo mínimo da mão esquerda para o fim previsto neste artigo, seja em virtude de lesão física temporária ou permanente, seja por qualquer outro motivo, deverá ser assinalado, pela mesma foram, em lugar visível, de preferência no dedo mínimo da mão direita”.

Os dois parágrafos restantes dizem, em suma, que a tinta deveria ter duração de 12 horas, no mínimo, e que o eleitor que apresentasse vestígio dela não poderia votar. Mais tarde, a lei foi alterada e este artigo foi suprimido, em razão de não ter sido encontrada, no mercado interno brasileiro, tinta que pudesse ser usada para tal fim.

Mas ninguém, jamais, poderia imaginar que, ironicamente, cinquenta anos depois, o Presidente da República, Lula, não possuiria o dedo mínimo da mão esquerda, ‘em razão de lesão física permanente’.

Coincidência?


Bruno Góes - 05/10/2013
Lula é um personagem mulitfacetado. É como um prisma, em que a luz branca se decompõe e nos mostra um variado conjunto de cores diversas. Haverá as que nos agradarão, e as que não. Na verdade, isso ocorre com qualquer ser humano, embora aqui estejamos a falar de um em específico.

Pois bem, Lula é, sim, um operário, que lutou, subiu em muito pau de arara por aí, perdeu um dedo, foi preso, e enfim foi Presidente da República, após ter sofrido um tremendo de um preconceito. Na minha família, mesmo, o povo antigamente ria quando ouvia o Lula falando, com aquele ar de deboche de quem achava que para ser presidente precisava ser um erudito. E eu realmente acho que Lula é o ícone de um Brasil que mudou, mas não necessariamente para melhor. Ao mesmo tempo em que se libertou de seu atávico complexo de vira-lata e passou a brilhar como uma competitiva economia global, nosso país passou a sofrer uma intensa banalização de costumes e valores, agravada pelo "jeitinho brasileiro" e pela progressiva perda de confiança nas instituições. O Brasil tornou-se o país onde tudo é possível, onde as piores brotoejas político-partidárias passaram a ser justificáveis, vide a manutenção do mandato de deputado preso Natan Donadon.

Ademais, o PT, cerne da vida política de Lula. agigantou-se, contribuindo decisivamente para o profundo adensamento da floresta de fisiologismos político/partidários, que torna praticamente impossível o rastreamento da corrupção que assola nosso país.

Some-se a isso a submissão do ex-presidente a uma organização supranacional da qual ele mesmo foi um dos fundadores, o nefando Foro de São Paulo (FSP), uma verdadeira quadrilha da esquerda latino-americana, que se alia às FARC e que propõe a subversão de toda a individualidade humana a fim de transmutá-la em um estado ideal marxista que só funciona no papel e nas doentias mentes revolucionárias.

O prisma que citei no começo se encolheu, e eu agora entrevejo duas cores, que resumem o conjunto das demais. Uma, a do homem antes de ser presidente, um batalhador, um guerreiro lúcido e herói dos pobres. Outra, a do Presidente e ex-Presidente, um ser ambíguo e de realizações, no mínimo, questionáveis. E não é o primeiro caso na história de transfiguração de um homem que está no poder. Na verdade, se for pra ser mesmo sincero, acho bem provável que, no caso de Lula, essa transfiguração tenha se dado antes da chegada à Presidência.


Pedro - 05/06/2012
Texto absolutamente equívoco: vale-se de um texto escrito com caráter defensivo para explicar e justificar possíveis erros. Ora, se alguma elite/classe média tem algo contra o Lula, não poderia ser por ter se eximido no episódio do mensalão e ter se mostrado conivente com a corrupção brasileira? Não sabia que Lula é um "não branco"? O que é isso? Negro? Amarelo? Azul? Cinza? O pensamento racialista brasileiro vai longe desse jeito.


ARCHIMEDES DE BARROS SILVA - 05/06/2012
Texto brilhante !!!

O pior é que esta elite é cega e burra !

Basta ver o descalabro em termos de desenvolvimento do estado de SP em todas as áreas e compara-las com outros estados.

São Paulo há anos está andando para trás e só os membros desta elite não percebem.


ZELI JOSÉ WILLEMANN - 05/06/2012
As elites não cansadas de explorar as classes populares, por meio da "genialidade" de Monteiro Lobato criaram o "Jeca Tatu", personagem quer ridiculariza o camponês. Ainda hoje o mais a "elite rançosa" gosta de fazer é "casamento de Jeca".

Este personagem revela bem o respeito que as elites tinham tem do campoês.


Paulo César - 05/06/2012
O artigo é irretocavel, parabéns Emir Sader por situar em que país vivemos. A luta continua... sempre!


Alisson - 05/06/2012
Fantástico esse texto. Algo que de certo modo está escondido em toda a elite paulistana, mas que permanece, ali escondida!


Kako - 05/06/2012
Vejo exagero de ambos os lado, desse forma acho difícil fazer política. Pois não acredito que existam mocinhos e bandidos.


marcio - 05/06/2012
Lula de esquerda?!?! a hã



Quanto ao "outro lado" análise perfeita,,



mas ao olhar para o próprio umbigo, como sempre deixa a desejar.



Abraços



André Vargas - 05/06/2012
Ao que me parece, com o passar do tempo, o "ódio" e o "preconceito" em relação a Lula e ao PT, derivado de eventual "ódio de classe", deixou de existir. O que ocorre atualmente é uma "retaliação" contra a hipocrisia, depois que a casa caiu com o mensalão e, mais recentemente, com os contratos firmados inocentemente com a Delta.


Antonio Carlos - 05/06/2012
Tenho cá comigo, que depois de todos os recentes erros grosseiros do Lula (CPI, Gilmar Mendes, aliança explícita com Collor, ...), alguns elogios e menções a um indefinido "papel histórico" do genial ex-operário que nunca estudou por não querer estudar, se fazem necessários...


Eunice - 05/06/2012
Mensagem para leol



S. Paulo tem elite sim. Todo branco, não. Todo rico não. É a que se comunica e quer controlar que tem essa imagem rançosa.



Eu entendi o que tá escrito. Não enrola. Não tenta me confundir com palavras.Sou índia.


Jota Ce - 05/06/2012
O "Lula não é branco"...eu sabia que esse negocio de quotas não ia dar certo rsrsrs.



A diferença entre a elite paulista e a nordestina ( ACM, Sarney.... ) está na competencia.



O empresariado é ou não elite, dependendo da campanha que ele financia. Se for PT, deixa de ser elite.


Fábio Nogueira - 05/06/2012
Mensagens aos comentadores do blog: quando o professor Emir Sader diz que a "esquerda venceu", listando, ao lado disso, que o povo venceu (um claro arroubo ideológico contra vários setores da esquerda ), ele se refere à social-democracia brasileira, uma tradição política cujo par se encontra, na Europa, nos Partidos Socialistas. Sem entrar em discussões, é preciso ter isso muito claro, além de toda pecha e ideologia de combate. A esse respeito, o professor seria muito mais honesto se qualificasse com mais acuidade o significado político do PT como opção política. Um desavisado poderia confundir o PT com um partido comprometido com o socialismo.


Alberto Amorim - 05/06/2012
Caro Emir, estou emocionado! As suas palavras são um grito

de revolta e indignação. Bravo! Bravo! Bravo!


Carlos Aguiar - 04/06/2012
Prezado Emir você está cada vez mais atento ao que se passa neste país. Sua análise sobre a classe A paulista atinge em cheio aqueles que pensam que o país não mudou. Cada vez que a mídia inventa uma campanha contra Lula tentando melar sua idoneidade. Ele se levanta mais forte no seio do povo. A velha mídia brasileira, conivente com a ditadura, desinforma, e destorce a realidade sempre em benefício dos inimigos do povo. Parabéns Emir você faz um contraponto a mentira e a enganação.


Rodolfo Segabinazzi - 04/06/2012
Quanta besteira. Nós só não aceitamos um "GUIA" com direito de nos dizer o que é certo e o que é errado. A lula o que é de Lula e só.


Jorge Rorix - 04/06/2012
O metalúrgico que simbolicamente representa os trabalhadores, esforçados, humildes e pobres na realidade passou quase 30 anos sem trabalhar. Só tentativas para chegar a presidência foram 4 derrotas - 16 anos. ocupou apenas o cargo de presidente do PT. ( duas contra FHC)A burquesia que você tanto critica tem como representante o milionário Lula ( FIGURA NA LISTA DOS HOMENS MAIS RICOS DO PLANETA) e seu filho ( O Ex- funcionario so zooológico, que repentinamente ficou bilionário).

O fato da sociedade paulista não aprovar o lulupetismo não signinifica que seja racismo. Se Lula fosse branco e de origem burguesa e cometesse os desatinos que ele cometeu, seria odiado da mesma forma. Como exemplo cito a destituição do cargo de presidente e aversão do povo do branco, Color de Mello. o lulupetismo está em decadência. Não é só em São Paulo. O Brasil esta tirando a máscara de Lula.


JOÃO WOLMAR MELO - 04/06/2012
Caro Emir, desisto!!! Aqui cabe o pensador brasileiro PAULO FREIRE: "O OPRIMIDO EM DEFESA DO OPRESSOR..." Leitura obrigatória para os pseudos-intelectuais de plantão. Desse jeito, o Brasil que TODOS sonhamos jamais sairá do papel. Caro Rorix, a declaração do imposto de renda de homens públicos do alto escalão e dos candidatos a qualquer cargo eletivo também é de acesso público, através do site do TSE. É só acessar. Por isso, CHEGA DE TENTAR IMPINGIR A LULA e a seu filho a "pecha" de milionários, quicá, bilionários como disseste. Que tal comparar as declarações de IR de alguns ex-presidentes do Brasil, especialmente FHC? Vais ter uma bela surpresa!A outro comentarista depreciando o PT, peço que contate o processo de Celso Daniel e veja o resultado da finalização do mesmo. E olha que foi julgado pela "justiça paulista", entendeu? Em relação às outras insinuações digo que não se sustentam, pois o PSOL e o PSTU não estão convencendo nem seus pares, de tanto envolvimento com a direita brasileira (contra o Pt, é claro!) e vão amargar essas posições políticas equivocadas. Nossa briga não é com os menos favorecidos e sim com o "status quo" que há séculos domina essas plagas. A proclamada hegemonia política é uma utopia de difícil concretização, exceto nas ditaduras e regimes de exceção. Não é o caso do Brasil, pelo menos espero. Quero esclarecer que prezo as diferenças de opinião e as respeito, porém, reprisar NESTE ESPAÇO o que a VELHA MÍDIA, Veja e os jornalões vomitam TODOS OS DIAS é atentar contra a nossa inteligência. Vamos ser mais autênticos e respeitar esse espaço democrático do Prof. Emir. Certamente, ele nos leva a reflexão, diferente do confronto que animaliza...


Kauana Maria Neves - 04/06/2012
Olá Leandro



Sou estudante de Antropologia na UNILA, (Universidade Federal da Integração Latino-Americana) localizada na cidade de Foz do Iguaçu, Paraná, universidade que por meio de seus benefícios estudantis é capaz de manter jovens estudantes de países da América Latina. Porém enfrentamos um problema de integração com a comunidade local, para a maioria dos habitantes de Foz, somos estudantes sustentados pelo governo e ponto, e é onde questões de longo prazo se cruzam com medidas emergenciais. Atualmente a Unila não possuí moradia estudantil para abrigar a todos os beneficiados, então são alugados alguns quartos de hotéis para os alunos em vários pontos da cidade.

Estamos completando uma semana de greve dos professores e no dia 03/06, estávamos em cerca de 50 pessoas em volta de uma fogueira, bebendo vinho e conversando, próximo a 1:30 A.M. a policia militar invadiu uma destas moradias, a qual eu moro, não possuíam mandado para entrar, e alegaram primeiramente que receberam denuncia de barulho, som alto o que não estava ocorrendo. Chegaram dizendo que queriam um responsável pela moradia, porém todos se mobilizaram e perguntaram o porque, depois disseram que iriam levar todo mundo para a delegacia (nestas palavras), após a correria das pessoas por causa de 3 disparos de arma de fogo pela policia e a quebra de um vidro da porta principal, os policiais prenderam e espancaram 7 estudantes, a maioria estrangeiros, 6 homens e 1 mulher, sendo que não tinha uma policial mulher, e a mulher foi detida por homens, foi indagada se era lésbica, se era comunista. Na delegacia (militar) os estrangeiros foram ridicularizados, ameaçados de deporte.

Ao final, os sete estudantes foram indiciados e irão responder judicialmente por pertubação de sossego, e desacato a autoridade, o que não ocorreu. Temos vídeos de tudo o que ocorreu, o vídeo do sistema interno de segurança, e vários outros videos das pessoas que estavam no local.

O que acontece agora, são noticias provenientes de várias partes da imprensa (segue em anexo uma das primeiras notas que saíram, no G1), que não buscam os alunos e nem os vizinhos que foram juntos na delegacia depor a nosso favor, dizendo que não acordaram com a suposta festa, sim com os disparos e com as sirenes da policia.

Gostaria de saber, se você poderia me fornecer contatos na imprensa para a circulação de uma nota a nível nacional, que dialogue com os estudantes, pois estamos diante da construção de uma das maiores universidades do país, e lutamos para que ela se torne referencia na América Latina, mas sabemos que existem pessoas em todos os níveis que estão contra a este projeto idealizado pelo presidente Lula, juntamente com o reitor Helgio Trindade. São contra por questões politicas históricas, por ser uma Universidade que potencializa a integração latino-americana, e que a cada dia que passa, em vez de se tornar algo bonito e fundamental na América Latina, se tornou referencial de marginalidade e vagabundagem.



Atenciosamente.



http://g1.globo.com/parana/noticia/2012/06/universitarios-sao-detidos-pela-pm-apos-denuncia-de-barulho-em-hotel.html


Marcus Garcia - 04/06/2012
Prezado Professor, peço a vênia para salientar que este seu argumento está defasado em pelo menos 10 anos, e já foi contradito pelas ações e atitudes do próprio Lula. O séquito dos que ainda o canonizam o fazem por motivos que não consigo alinhavar em meia dúzia de frases. Alguém abaixo disse "a Lula o que é de Lula" e eu assino. Reconheçamos seus méritos e reprovemos seus deméritos. E pronto.


Mariana Willhoft - 04/06/2012
A elite paulista é tão equivocada que confunde seu ressentimento pequeno-burguês com indignação política de cunho social.


julio brum - 04/06/2012
caro Emir. Como sempre, brilhante, lúcido e de uma competencia ímpar para transcrever os pensamentos. A elite paulistana a que refers, é um sub-conjunto da elite brasileira, que pode ser encontrada em todos os estados brasileiros. Fazem parte de um grupo minoritario, que se apossou das riquezas do país ao longo da sua história, e hoje, desesperados, se valem de todas as formas desonestas de infamia de subornos de corrupção da mídia (só falta as armas)para retomarem o poder custe o que custar. Estão alojados nos 3 poderes da união e ramificados em várias instituições da máquina pública brasileira. Aos poucos e de forma irreversível,o Governo Lula/Dilma, vai expurga-los, a limpeza vem a cavalo, a sangria dos recursos e riqueza brasileira foi estancada, sobraram recursos para investimentos em programas sociais, os números da melhora do País estão aí para quem não foi beneficiado diretamente costatar, pois aqueles que o foram, não precisam de números, perceberam as mudanças nas suas vidas. São eles: os pobres antes miseráveis, os nordestinos, os negros os indios os brancos pobres. Não tenho dúvidas caro Emir que a raiva deles é menos por preconceito e mais pelo fato de perderem o poder politico e financeiro para aquele que representa sim com dignidade os antes excluidos.


Mariângela - 04/06/2012
Excelente e verdadeiro. O último comentário publicado enquanto eu escrevo o meu é de Leol, que se incomodou da abordagem de "classe". De fato, o poder das elites é tal que por deterem os meios de comunicação e de educação, conseguem anular nos indivíduos sua identidade de classe. É comum ouvir da boca de trabalhadores oprimidos o discurso do opressor. Quem não ouviu de pobres a cantilena "votou no PT tomou no IPTU" quando os pobres não estavam sendo penalisados por aumento de IPTU na administração Erundina? Assim durante o governo Lula foi disseminado o discurso anti-bolsa como algo errado e que criaria preguiçosos Brasil à fora... na verdade, o Bolsa-família libertou o trabalhador que se submetia ao trabalho semi-escravo por fome. Mas as elites hipnotisam mesmo as classes médias e muitos trabalhadores e aí, Leol tem razão, o indivíduo se desconecta de sua classe e repete o discurso preconceituoso que não deveria fazer eco em sua experiência


Edna Rabelo - 04/06/2012
É lamentável que esta burquesia não se renda à necessidade de uma remodelação na sociedade para uma efetiva implantação de um socialismo. Precisamos disto!! E, ser contra os atos do PT é afastar a cada dia que isto seja possível. Falar do PT, nele incluindo Lula, Dilma e filho do Lula é fácil, porque a internet é papel em branco (aceita tudo) mas, provar ninguém consegue, a exemplo disto temos o email veiculado durante as eleições que dizia que a Dilma era impedida de entrar em vários países. QUAIS SÃO ELES??? E quanto a fortuna do filho do Lula? Vc viu documentos? Ahhh, esse povo(inho) deveria preocupar com as próprias contas e, deixar a inveja que isto leva a mediocridade. Parabéns Sr. Emir Sader.


Zallas Avlys - 04/06/2012
A pouco estava em sala de aula, visitando algumas turmas para orientá-las quanto aos estudos e preparação para vestibulares (das públicas), ENEM e concursos. Alinhavei em poucas palavras os cuidados com textos da Veja, Folha de SP, Estadão, e outras publicações comuns. Alertava aos alunos que necessário é não crer em certas matérias porque distorcidas, cheias de embustes e de desinformação. Não deixei de citar o PSDB e seu projeto de nação. Disse literalmente que o pouco caso com educação no estado não é gratuito, mas faz parte do projeto do partido. Para fechar minha fala orientei aos alunos que dediquem seus esforços por conta própria à formação pois confiar naquilo que a escola publica oferece é um rico. Com efeito sugeri que lessem Carta Maior na internet, Carta Capital, Caros Amigos e outras publicações alternativas, pois que além de bons textos com clareza de opiniões, havia a possibilidade de se auto construir no plano do conhecimento. Só me faltou tempo para lhes dizer que quem lê matérias de qualidade se qualifica também. E, o digo aqui: quem descobre um tesouro o quer só para si. Eu, não. Quero-o para todos meus alunos de escolas públicas. Estes que esta elite bolorenta supostamente branca, sempre desdenharam.


Walter Eudes - 04/06/2012
Cessem qualquer comentário sobre LULA. É em vão,seja a favor ou contra. A trajetória de vida dele e seu governo à Presidência da República o gabaritam a um respeito solene a pessoa dele! Inda que tenha cometido erros, seus acertos(junto com tanta gente) mostraram que o Brasil pode ser melhor, mais justo para com os seus. A história já consagrou LULA e a terceira, quarta ou qinta geração de quem o apedreja hoje irá sem dúvida o reverenciar como talvez o primeiro preseidente brasileiro que de fato fez governo PARA BRASILEIROS e não para uma minoria de elite irresponsável historicamente com este país e que por sinal nem se sente bem nestes trópicos, sentem-se enojados com a pobreza ainda existente, miséira e tanta marginalização. Inda por cima, ignoram a tudo isso, razões históricas inquestionáveis!! VÃO EMBORA!!! Nos deixem em paz a lutar e sofrer pelo Brasil de verdade, desse de índices vergonhosos de IDH convivendo com faustos incríveis. Brasil de muitos analfabetos, de fome, de muita exploração monetária a gente de suor digno! Deixem-nos com nossas dores e sofrimentos, com nossa luta e esperança. Deixe-nos com nossa gente e vão buscar a "finesse" de que vocês fazem parte, que deve estar em algum lugar que vossa ignorância acha que é onde "cai neve" e circulam automóveis luxuosos sem pedintes ao redor do semáforo. Vão procurar o que fazer e nos deixem em paz!!!


Maria Teresinha C. dos S. Pedro - 04/06/2012
Como paulista, concordo plenamente com Sr. Manoel Rodrigues de Mello, é uma vergonha ver a classe falida da massa burguesa paulistana se vangloriar de não gostarem do LULA, mas de uma coisa tenho certez, isso pouco abala nosso lider, pois se nem Cristo agradou todo mundo, não devemos nos preocupar com os falidos de inteligencia cívica, são pessoas dignas de pena.sofram paulistas burgueses


Arnon - 04/06/2012
Não votei em FHC (e não voto no PSDB), mas afirmar que seu governo foi medíocre é demais!


Arnon - 04/06/2012
Do que a elite apulista está se queixando? Foi no governo Lula que os banqueiros mais ganharam, enquanto médicos, professores e outros profisisonais perderam.


Guilherme Mello - 04/06/2012
Concordo, desde que diga respeito ao Lula idealizado ( o real precisa responder por suas humanidades. Mesmo a mídia de esquerda o preserva sobre a motivação original do tal encontro). Mas, como ouvi em conversa sobre amenidades:"você já percebeu como os restaurantes e shoppings estão cheios de gente morena? Está cada vez mais difícil sair."


Celso Augusto Torres do Nascimento - 04/06/2012
Excelente artigo Emir Sader,



Sou economista e doutorando em sociedade e cultura, professor universitário e sempre indico o seu blog para os meus alunos. Sua análise crítica e bem lúcida faz com que as pessoas aprendam e se sintam valorizadas. Essa Elite Paulistana é nojenta mesmo. Sabem que e, 2014 vão levar uma "surra" eleitoral do PT e os TUCANALHAS estão desesperados porque não tem candidatos a presidência da república e as classes C , D . E cresceram mais do que as classes A e B e serão elas que definirão as eleições. Um grande Abraço


SILVIO VERAS THOMAS - 04/06/2012
Ao afirmar que FHC foi enxotado, talvez o nobre blogueiro tenha esquecido que houve foi uma eleição direta e democrática....as mesmas que derrotaram Lula várias vezes.

Se ele foi enxotado, qual a palavra que seria usada quando Lula perdeu?

Bem típico do pensamento. onde todos os que não estão com eles, são inimigos mortais.


Beatriz Belle - 04/06/2012
O problema do Sr Gilmar Mendes não é isolado, é uma alcateia de Psdbistas e Demos que acumula e outras "personas" com a mesma mentalidade atrofiada, arcaica, e jamais democrática. São anti socialistas e Lula para eles significa ameaça, coitados!... tão volúveis...rsrs. O fato é: Não aceitaram, não aceitam e jamais aceitarão o nosso eterno Presidente Lula, e atrás da cortina de mentiras bombásticas, macabras, onde se lançam na cova em que eles mesmos fizeram, resultado de desespero. Como diz esta frase da Presidenta Dilma - " A força pode esconder a verdade, mas o tempo trás à luz".


Ricardo Timm de Souza - 04/06/2012
Li em algum lugar e nunca me esqueço: "nada se parece mais a um fascista que um burguês assustado".


monge scéptico - 04/05/2013
Em que pese o incentivo das elites ao ódio, Aprendemos

com LULA/DILMA, a ter mais em conta o BRASIL como

um todo, onde todos são participantes da reconstrução

iniciada por LULA, depois da pirataria praticada por esses

bucaneiros que hora retornam com retórica torta a pleitear

o poder. SÓ SE FÔSSEMOS MUITO BURROS!!!


maria moreira - 03/11/2012
O seu texto Almir é muito verdadeiro.Não sei escrever direito, mas sei pensar! Sou rasoável na interpretação. E arrisco dizer que: Este país só será um pais de justiça social, de desenvolvimento humano, e de pessoas preparadas, quando deixar-mos de se competir-mos com nosco mesmo, competição pedratoria . O que nos falta é idealismo conjunto . Idealismo Patriota é claro. Enquanto estivermos olhando o que o outro faz e invejando, nada produziremos de bom! Principalmente se o que olhamos não é brasileiro!


José Matos - 03/06/2012
AOS PETISTAS



Ser petista, além de ser comprometido com as causas sociais, é ser bom de prosa. O simples fato de expor a sua condição partidária desencadeia forças reacionárias que surgem de todos os cantos e que se expressam comumente no preconceito de todas as ordens: na brincadeira do “falso-amigo”, no comentário maldoso, na seleção para o recrutamento de emprego, na caneta do juiz, na repressão policial. Ao entrar nesse embate, o petista politiza e se politiza e acima de tudo consegue identificar as forças reacionárias da sociedade com as quais lida.



O Código de Ética do Estado do Partido dos Trabalhadores diz em seu artigo 48:



Art. 48. Os dirigentes e filiados do Partido dos Trabalhadores, na defesa intransigente dos princípios, programas e propostas partidárias, e do Estado Democrático de Direito, lutarão sempre e em todos os momentos da sua vida partidária e pessoal, contra:



I - a opressão, a fome, a miséria, a desigualdade, a exclusão social e todas as formas de exploração;



III – violações dos direitos humanos, e em especial contra a tortura, em quaisquer das suas formas de manifestação;



V – o assédio sexual e moral, a pedofilia e a violência doméstica;



Parágrafo único. A ofensa aos valores tutelados neste artigo, tanto no exercício de funções públicas ou partidárias, como ao longo da vida pessoal, por parte de qualquer filiado, qualificará infração ética de natureza grave.



O ex-presidente Lula é o membro do Partido dos Trabalhadores que mais enfrentou na pele o preconceito desse país; e de todos os presidentes da República foi o que mais fez pelo desenvolvimento social do nosso povo. Por isso, Lula sempre foi muito bom de prosa e um militante preparado para fazer o embate político. O seu tamanho não foi dimensionado pelo que muitos nesse País disseram usando como arma diplomas acadêmicos na parede, mas pela carga de preconceito que foi capaz de suportar das forças conservadores e expropriadores do Brasil de todos os brasileiros e enfrentar durante a sua militância política. E enfrentou com brilhantismo, dando uma resposta política social e administrativa a toda a nação.



Ser petista é reconhecer o companheiro em sua trincheira e não fugir da luta.



Saudações a todos os companheiros de partido, devido à luta de muitos petistas as coisas estão mudando no cenário político e social brasileiro mesmo entre choros e velas.


sergio barbosa - 03/06/2012
Acho q a elite paulista está bastante satisfeita com o Lula. Já a classe média... professores, médicos, servidores federais em geral. E embora haja racismo, preconceito contar Lula etc. o outro lado da moeda é o "endeusamento" do mesmo.


rogerio - 03/06/2012
O Sr Sergio Lopes,quando afirma que continuará sendo preconceituso, confirma a critica do Professor à Ideologia fascista que temos visto exacerbada.


Adilio Santos - 03/06/2012
Mais um excelente texto professor e claro q sempre será tendencioso porque em sociologia não existe neutralidade. Ademais, refente ao comentário do Sr. Sergio lopes, temos ali o exemplo negativo de tudo o que o senhor expõe no seu texto. E quando o referido cidaddão a expressão VALOR MENOR me vem a memória a idelogia nazista por que será heim?


Cleto Vilar - 03/06/2012
Sensacional o último artigo postado pelo Emir Sader.Conseguiu,de modo magistral,sintetizar sem reparos, a mentalidade obscura de uma elite tacanha,completamente desprovida de inteligência criativa e senso de justiça social; como instrumentos,inclusive,de superação das nossas tão propaladas deficiências estruturais.Não obstante as idas e vindas ao "mundo civilizado"(EUA e Europa Ocidental);como tão garbosamente apregoam em eventos sociais de toda ordem;essas Senhoras e Senhores mostram-se perfeitamente incapazes de compreender algo bastante simples:só se constrói uma grande nação quando se tem uma sociedade capacitada a conferir-lhe o alicerce necessário.Finalizando,não será,dessa maneira,por intermédio do crescimento excludente que eles defendem,que o País avançará soberanamente em todos os planos de seu status sócio-econômico.Muito Obrigado.Atenciosamente,Cleto J.V.Maia.


JOÃO WOLMAR MELO - 03/06/2012
Até entendo que tenhamos que defender com unhas e dentes a "terra em que nascemos". Alguns por aqui, no entanto, extrapolaram o que "aprenderam nos meios acadêmicos", e esqueceram que também podem ser MESTRES, se o quiserem. E tirar o mérito de alguém que saiu do sofrido Nordeste e ajudou a construir parte da História dos outros – até com o custo de uma mutilação forçada pela insegurança no exercício de sua profissão – é no mínimo demonstrar ranço e insensibilidade em relação ao todo que é o Brasil, de negros, de mulatos, de bugres, de índios, de caiçaras, e gentes de todas as nações amigas que ajudaram a miscigenar esse "embrião de povo" chamado Brasil". Somos todos um! Agora, desmerecer nosso ilustre articulista (sociólogo?) e olhar APENAS ao seu próprio "umbigo" e achar que é diferente de TODOS NÓS é demonstrar burrice mesmo... É por essa exacerbação de "classes" que ainda não saímos do fundo do poço: a imensa maioria DE NOSSO POVO (que prá variar também é a a mais pobre, entenda-se financeiramente) vive no fundo do poço e quando começa a galgar posições e vai chegando à boca do poço ao encontro da luz ALGUÉM (e já dá para entender QUEM...) apressadamente tampa a boca desse poço. Pergunto: quando sairemos ao encontro da LUZ que nasceu PARA TODOS? Que tipo de Nação queremos que o Brasil seja? A dos eternos "excluídos", a de "meia dúzia" de favorecidos pelo berço, ou aquela em que as oportunidades sejam ampliadas à todo brasileiro, nato ou naturalizado? Que País poderá ser considerado rico e desenvolvido se ainda persistem esses bolsões de miséria a nos envergonhar? LULA mostrou que é possível mudar e plantou as sementes das mudanças. E não foram poucas! Mas é preciso que plantemos dentro de nós (e aqui incluo TODOS OS BRASILEIROS SENSATOS) a vontade e a atitude de querer mudar. Muitos aqui dirão, olha aí mais um sonhador... Não! do alto dos meus 59 aninhos de vida, tem sido uma constatação diária. Aliás, repriso aqui uma máxima de HIPÓCRATES DE CÓS (Grécia Antiga-452 A.C) que sintetiza o que quiz demonstrar: "NADA HÁ DE PERMANENTE, EXCETO AS MUDANÇAS..." Vamos começar pela atenuação desse espectro que "plantaram em nossas ocas cabecinhas": o ódio às classes menos favorecidas, aos diferentes, aos idosos, aos excepcionais, aos desvalidos, aos mutilados, aos viciados de todas as espécies. Quem sabe poderemos sair de nossas casas-fortalezas e tomar tranquilamente um "caldo de cana" na esquina sem o medo que hoje nos assola. Tudo tem limite, e a vida é uma só. Pensar nisso já é um bom começo de mudança. Obrigado, Caro Emir, por mais essa aula.


Anibal - 03/06/2012
Essa elite paulista não se emenda mesmo (??). Depois de ver seus bancos lucrarem como nunca "na história destepaiz", depois de ter um câmbio favorável para garantir suas faustas viagens ao exterior, depois de ter um mercado de ações multiplicador que garantiu lucros sem nem precisar trabalhar, depois de ter um poder de compra tambem "como nunca antes...", que direito tem de criticar esse pobre nordestino metalúrgico?

Acorda, Emir, há muito tempo o Lula já não representa mais para o povo a figura do Messias que nasceu pobre e que veio para a redenção dos humildes e desvalidos, e tampouco o PT é ainda visto como o último reduto da moralidade e oráculo

dos oprimidos.

Em vez de malhar a elite paulista, beneficiária maior da política econômica lulista, vá perguntar aos próceres de PSOL. PSTU, a razão de sua apostasia, o por que de não se acolherem mais sob o petista manto protetor.

Mensalão, assassinato de Celso Daniel e Toninho do PT, aloprados, "consultorias" do Zé Dirceu, fortuna mal explicada do Palocci, escândalos nos ministérios, Dona Eunice, pagamentos a Duda Mendonça em paraísos fiscais, proteção incondicional aos desmandos de Sarney e Renan, aliança com Collor, será que isso só não basta para entender que o PT e o Lula mudaram um pouco, desde quando eram oposição? Será que todos nós temos que ser "mulher de malandro" e fazer vistas grossas para um PT e para um Lula, de condutas tão antípodas a sua pregação passada?


Maria do Rocio Macedo - 03/06/2012
Excelente artigo!

Realmente, a existência plena de Lula, não só incomoda a burguesia de São Paulo, como outras do Paraná e Santa Catarina. É uma pena esse "ranço" completamente fora dos padrões da Nova Era que se faz presente.

Não há mais espaço mental e espiritual para preconceitos de qualquer tipo; isso será eliminado, em breve, tenho absoluta confiança.

O Brasil tornou-se realmente diferente com a presença de Lula e Dilma, independentemente de tantas coisas que ainda precisam ser feitas, justamente em função do quanto deixaram de fazer, principalmente o governo neoliberal de FHC.


lelezinhamattos - 03/06/2012
Esse preconceito contra o PT e o Lula está entranhado nas vísceras da classe média e da burguesia ...mas não só dos paulistas.Aqui no RS,a coisa toma dimensões exacerbantes tb,capitaneados pela RBS que se diz portadora do pensamento médio da população gaúcha.Então,essa rede de comunicação que é a pior coisa que se tem aqui,conduz,lidera e direciona esse pensamento.Basta assistir um programa de debates,promovidos por eles,juntamente com as enquetes,qdo o tema de debate é algo em relação ao governo federal,Lula,PT,estes nunca têm vez,os direitosos reacionários e bolorentos ganham de goleada,seja qual for o tema...por mais que os debatedores da esquerda sejam competentes em defender suas posições,não adianta.


Ângelo Cavalcante - 03/06/2012
Emir... De novo e mais uma vez, preciso, claro, lúcido e, como sempre, científico. A arrogância paulistana já é folclore, a empáfia dos "donos do poder" já beira o cômico, não tem e nunca tiveram qualquer projeto de país. Os "iluminados" de São Paulo tornaram o Brasil a pior desgraça planetária em matéria de concentração de renda e de desigualdade social. Casual? Claro que não... Fruto consciente e militante de opções de classe que jamais incluiram categorias fundamentais e óbvias para se pensar qualquer projeto de nação minimamente sério. Categorias como: Igualdade, Justiça Social, Inclusão, Democracia Plena, de Massas e para as Massas, República e Liberdade de Expressão para Todos (Eu disse PARA TODOS!). Obrigado, Emir!


José Ricardo Romero - 03/06/2012
Um equívoco que eu vejo atravessar ultimamente a opinião sobre os paulistas, é atribuir à despolitização, ao "laissez faire", à ignorância, o gerenciamento da cabeça deles pela mídia e políticos paulistas da direita. Os paulistas, e principalmente os paulistanos, não são inocentes. Eles sabem muito bem que o PIG mente e vive preparando armadilhas, escândalos, crises e caos para enfraquecer o governo. Eles acham que está certo, é isso mesmo. Vale qualquer coisa para derrotar os "petralhas", o Lula, a Dilma. Acreditam na história da carrochinha de que os fins justificam os meios e fazem dessa excrescência ilógica da razão seu princípio diretor. Para os paulistas vale tudo, qualquer coisa por mais ordinária e escrota que seja para derrotar o "petismo". São visceralmente conservadores e retrógrados e não aceitam as etapas da história e a sociedade como coisa dinâmica que muda, que evolue.


Sergio Araujo - 03/06/2012
Sérgio também mas graças á Zeus mas não o Lopes ai de cima com sua antropologia social que na verdade nem sei o que é e que ha sessenta e quatro anos não me faz falta. Sou o da fábrica, como o Lula, semi-analfabeto como o Lula, e gastei a vida na fábrica construindo a riqueza de parasitas que nem cheguei a conhecer incluindo intelectuais produzidos pelas USPs da vida e que usam seu conhecimento para nos manter na ignorância e na miséria. Obrigado professor Emir pela clareza com que escreve e que torna possível a semi analfabetos como eu entender o mundo em que vivo. Não pare professor, o senhor nos completa.


Maria Luiza - 03/06/2012
Professor Emir, tem comentários aqui que ilustram perfeitamente o que o senhor disse em seu brilhante, lúcido e certeiro texto.


Alexandre Bolinho - 03/06/2012
A imagem de Lula, que com sua coragem e capacidade de luta, conseguiu com que o Brasil avançasse na socialização de nossa riquezas está sim atravessada como uma espinha de peixe na garganta de muita gente. Gente que vem a séculos, décadas acumulando riquezas e transferindo de geração para geração, as custas do sacríficio e do suor de milhões de trabalhadores. As primeiras se deram com o suor e sangue do povo negro, e mais recente com os assalariados bóias frias que tinham como resultado de seu trabalho não raro o suficiente para se manterem vivos. Mas hoje o que temos é um povo em ascenção, saindo da linha da miséria e pobreza, e como diz o artigo ingressando no minimo na classe média. Aí noto que está acontecendo uma inversão, muitos não creditam essa transformação para o governo socialista da presidenta Dilma, e sim para o crescimento da economia. O maior exemplo disso tenho aqui mesmo em minha terra, Uruguaiana-rs, o projeto minha casa minha ergueu de uma só vez 1100 casas, e os próprios moradores não aceitam que isso somente se deu por que hoje vivemos em um país caminhando para o socialismo. Creditam a construção dessas casas ao Prefeito, um tucano que faz cumprir na risca o abc do neo liberalismo. O que está acontecendo, essa passagem da pobreza para a classe média, é que talvez no futuro, possamos ter uma nova geração de novos ricos, mas com o pior que isso possa trazer junto que é a atitude, as ações e o pensamento burgues. Por que todos nós sabemos essa antiga lição, que o capital somente sobrevive do seu próprio sangue.


ze - 03/06/2012
muito bom o texto : tem a ver com os pele vermelhas : Lula é vermelho, pele vermelha. é uma estranheza racial. não há como os juízes do STF em seu julgamento deixarem de colocar na balança o peso político das reportagens da imprensa : é papel pesado !


federico - 02/06/2012
Ainda tem gente "entendida" que não enxerga essa eterna luta de classes,olha a "tragedia" na classe média pela falta de empregadas domésticas, agora as meninas tem condições de estudar e ser profissionais em outras áreas.

Existe , no mundo todo, pre-conceito ou classismo...

Porque é tão difícil a extirpar o trabalho escravo no congresso?

etc.etc.etc.


Thomaz - 02/06/2012
O professor cria uma "classe", a dos paulistas. Não atina que exclui dela e diz odiado um cidadão que há 40 anos mora numa cobertura própria de quatro quartos. Que não é "da gema" paulista mas é algo bem homogêneo na "classe". Outra coisa interessante é o professor Emir, e sua turma de esquerdos, falando bem do Getúllio Vargas. Fizessem isso nos anos 70, seriam barrados nas assembléias das esquerdas.


Alberto Soares - 02/06/2012
Que belo texto, que capacidade de contar a história com poucas palavras. Parábens Professor Emir Sader.


leol - 02/06/2012
Sabe qual o problema de vocês sociólogos?



Atribuem vida própria a entidade e agências que transcendem o campo das ações e comportamentos individuais. Substancializam e animizam os coletivos, como se estes fossem superentidades, superagentes, os quais pensam, têm projetos, tomam decisões e possuem desejos (Durkheim fazia isso ao dizer que um fato social só podia ser explicado por outro fato social e Marx ao defender que o indivíduo é apenas uma abstração). Os pífios resultados alcançados pelos modelos holistas põem esse tipo de visão em dúvida.

O senhor Emir, nesse texto eivado da ideia de que as classes é que existem realmente e não os indivíduos, cria uma categoria "elite paulistana" e imagina que todos sejam iguais dentro dessa classe.


Manoel Rodrigues de Mello Junior - 02/06/2012
Prezado Emir ,

Eu como paulistano da gema,sinto vergonha e dó ao mesmo tempo , do imenso ódio, preconceito e do sentimento de briga entre as classes nutridas principalmente pela nossa burguesia paulista e setores da classe média , compostas por pessoas, instituições (Midia) e partidos (Tucanos), que ainda não sabem como tratarem e respeitarem o povo com as suas diferenças.

Graças a Deus, que surgiram lideres como LULA ,para colocar no seu lugar o tratamento correto com relação ao respeito em relação as pessoas que ainda neste Século são excluidas por este ÓDIO e se for o caso estaremos sempre ao lado deste grande lider ,para que a Justiça prevaleça neste Pais .

O POVO BRASILEIRO E A NAÇÃO SÃO MUITOS MAIORES E IMPORTANTES DO QUE ESTES PRECONCEITOS.


Tais - 02/06/2012
Professor Emir,

É incrível como que em poucas palavras você consegue resumir o que aconteceu e o que está acontecendo ultimamente no Brasil...Da discussão entre deputados a discussão no boteco de minha cidade, é isso que eu vejo... Um ranço hipócrita, preconceituoso, racista e ignorante, que incorporou a identidade elitista e que ao mesmo tempo, ignora sua própria origem, repetem como papagaios o discurso da classe dominante...

Sobre os comentários acima, do Pedro e do Joel , acredito que nesse caldeirão, eles podem ser caracterizados como "pessoas" de discurso semi-ranço-pseudo-classe-média!!



Um abraço

Tais


Marcia Eloy - 02/06/2012
Prof eu não sei de onde vem o ódio, mas sei que ele existe no Brasil. Mas, no fundo, acho que é um problema de ignorância. Todos os brasileiros, com excessão dos indios são filhos, netos ou bisnetos de emigrantes. Após a segunda guerra mundial muitos vieram para o Brasil fugindo da guerra, fugindo da escassez de empregos na Europa e encontraram aqui uma terra que os acolheu. Esta segregação não tem nenhuma base na História, não há uma raça dominante, pois o país é um país de micigenados. Os brancos serão realmente brancos?Quem garante se não há em sua árvore genealógica, um índio, ou um mulato? E toda a segregação, leva a atitudes violentas.O nazismo, a Ku-Klux-Kan, o Apartheid, se formaram de grupos que se julgavam superiores a outros.E baseado em que certos grupos se acham superiores.pela aquisição de dinheiro? Mas, me parece que os italianos que fizeram fortuna em São Paulo, também eram hostilizados a princípio, pelas tradicionais famílias paulistas e chamados de "carcamanos". Quando o dinheiro destas familias começou a escassear, começaram a casar suas filhas com os carcamanos.Logo esta elite naõ é bem, a meu ver, uma classe social, mas uma classe economica. vale tudo, se a pessoa tiver dinheiro. Maluf é um exemplo. Ninguém o persegue, nem tem em relação a ele nenhum preconceito.


sergio lopes - 02/06/2012
O sr. tem direito a sua opinião, contudo devia se estruturar mais para englobar a "sociedade paulista"no seu ponto de vista. Realmente a discriminação, o preconceito é uma das manifestações sobre o que não se adota como razoável na nossa cultura. A sociedade está fundamentada em valores que remontam a História e menosprezar o que não presta, o ruim, o descartável, além da ignorância e da falta de cultura é uma norma implícita. Admitir que um semi analfabeto chegue a Presidência de República não é só um contrasenso, mas é o significado de desagragação e revolta. No caso do Tiririca, eleito por protesto, a conotação é outra, diferente do Lula, mas espelha-se. O que pretende?..que eu criasse meus filhos ensinando-os do LULA como exemplo? Que o semianalfabetismo não importa a uma pessoa que chega lá? Que estudar não é importante?...ou que essa ignorância e desagragação toda nos proporcionou um mensalão?( pra não mencionar o que deverá seguir pelas caladas das noites....)Da minha parte que cabe nesta sua menção de "sociedade paulista" eu continuarei a discriminar tudo o que não presta na minha escala de valores, ou que tenha valor menor que o grau de "excelente" em qquer coisa. Leia um pouco da antropologia social e do multiculturalismo dentro das novas concepções e reveja seu posicionamento crítico que é por demais tendencioso.


Alex - 02/06/2012
As elites, não só as paulistas mas de todo Brasil, são igualmente horrendas. Estúpidas, racistas, imediatistas, amorais, entreguistas...Tenta sofisticar o discurso mas acaba se denunciando miseravelmente (como se vê aqui mesmo em alguns comentários). Suas "opiniões" demonstram não só o preconceito e ódio de classe como a leviandade. Quantas vezes se ouve comentários parecido com isso: "fulana que é minha empregada disse que na terra dela não trabalham e estão todos vivendo do Fome Zero, com nosso dinheiro". Felizmente, lixos como a Veja, mestres em propagar essas idiotices, não tem alcance para contaminar as populações mais carentes e numerosas. Essas populações eram controladas por outros lixos, que tem maior alcance, como a globo, mas agora há a incômoda presença do governo, até então ausente, e que até o momento tem conseguido resultados.


Pedro Moacyr Pérez da Silveira - 02/06/2012
Não concordo com o senhor, professor, que as coisas sejam realmente assim. O Lula não é, no imaginário popular, mais um nordestino pobre, um boia-fria. Grande parte do PT provém da mesma classe média de onde provém os sujeitos horríveis dos tucanos. Na medida em que a expressão "direita" parece ter assumido uma nova dimensão expressional, a "esquerda" procura encontrar (misteriosa e magicamente afastando-se de seu próprio local social) alguma identidade para a "direita". E, assim, "direita" passou a ser sinônimo de pessoas que, não tendo obtido ascensão social através das políticas petistas (e muitos obtiveram, de fato), já se encontravam na classe média, ou na classe média alta, ou na classe abastada "antes" dos governos petistas. Logo, quem não "rezou a cartilha" do PT passou a ser uma pessoa "de direita". Pior: quem mesmo hoje não reza tal cartilha (de há muito desaparecida), é "direita" para os que defendem o que tem pouca ou nenhuma defesa. Ou você quer me dizer que a conversa entre os dois safados ministros, Gilmar e Jobim, não aconteceu, ou que, subitamente, Gilmar inventou uma impressionante história? Mais: que Lula é um querubim? Professor, eu o admiro por suas ideias e pela intenção de partilhá-las com os seus leitores, como eu, mas o senhor próprio já nos ensinou a desconfiar. Desconfie conosco professor, e abandone seus desejos quando os fatos os derrubarem. Um abraço.


Regina Maria de Paula - 02/06/2012
Junto aos paulistas coloque os paranaenses meus conterrâneos, que infelizmente são exatamente iguais.


Niobe Cunha - 02/06/2012
Caro Emir: como paulistana da gema tenho vergonha desse ranço, desse olhar diminuído dos paulistas em relação ao que é o fenômeno Lula no contexto global. Os intelectuais ficam frenéticos com o seu texto, até por vc também ser um intelectual.....não admitem que uma pessoa com certo acesso abrace o Lula não como político ou pessoa......mas como uma nova via do pensamento. Os mais rasos ainda clamam que "o governo Lula que propagava a retidão, comprovou ser corrupto". Também não preciso ser rasa para lembrar a todos que a corrupção não foi fundada pelo lulismo mas é histórica e fez fortuna na elite branca aqui do sul. Obrigada por seu texto e reflexões sempre lúcidas;

PARCERIAS