Quinta-Feira, 22 de Junho

27/08/2014 - Copyleft

O messianismo da terceira via é neoliberal

O Brasil já conheceu candidatos messiânicos. O Jânio ia salvar o Brasil da corrupção. O Collor, do Estado povoado de marajás e das carroças. Deu no que deu.

por Emir Sader em 27/08/2014 às 11:41



Emir Sader


O messiânico se julga agente da Providência, diz que veio para dar um jeito em todos os problemas do mundo, escolhe os bons, que devem acompanhá-lo na gesta, não diz quais são os problemas, nem como vai resolvê-los. Se julga acima de tudo o que o mundo conhece.

O Brasil já conheceu candidatos messiânicos. O Jânio ia salvar o Brasil da corrupção. O Collor, do Estado povoado de marajás e das carroças a que o mercado interno protegido nos condenava. Deu no que que deu.

Marina diz que veio para nos salvar da polarização PT-PSDB, como se fosse uma terceira via. Esta foi uma operação internacional levada a cabo pela segunda geração de governantes neoliberais – Bill Clinton, Tony Blair – que pretendiam ser uma visão adocicada do neoliberalismo duro de Margareth Thatcher e de Ronald Reagan. Era a terceira vida quem convidada a FHC para suas reuniões, para mostrar que havia vida inteligente nestas paragens barbaras.

O próprio FHC queria ser a terceira via aqui, mas diante do fracasso do Collor teve que vestir o tailleur da Thatcher e fazer o jogo mais pesado do neoliberalismo: privatizações, abertura dos mercados, Estado mínimo, precarização laboral. Uma vez mais a terceira via não pôde se realizar.

Marina apela de novo a esse chavão gasto da terceira via, desta via, de forma messiânica, para nos salvar da polarização PT-PSDB. Só que deixa seu rabo de fora: equipe econômica ortodoxamente neoliberal – Andre Lara Resende, Neca Setubal, Eduardo Gianetti da Fonseca -, independência do Banco Central, etc., etc. , o mesmo tipo de equipe dos tucanos – da mesma estirpe de Arminio Fraga -, e as mesmas posições.

A terceira via da Marina se volta contra o Estado e sua apropriação pelo PT, pregando a superação disso, que chama de “bolivarianismo”.

A mescla integra componentes da salada ideológica do seu discurso: ONGs, sociedade civil, menos Estado. Silêncio total sobre as teses que caracterizam os avanços na superação do neoliberalismo do FHC: centralidade das políticas sociais, integração regional e intercâmbio Sul-Sul, papel ativo do Estado na economia e nos direitos sociais.

A equipe econômica e o discurso sobre a apropriação do Estado pelo PT não deixa dúvidas que traz no seu bojo um duro ajuste fiscal, tendo as políticas sociais e a massa da população como suas vítimas.

Marina se afirma assim como uma farsante, que afirma distância da polarização do PT e do PSDB, mas substitui a este, decadente, na polarização, com teses e equipes similares. Vem dar novo fôlego na direita brasileira, neoliberal como tem sido desde Collor, passando por FHC e chegando agora na Marina, segunda vida, estepe dos neoliberais, prestes a sofrer outra derrota.

Desmistificar essa “novidade” da Marina é o caminho para desinflar sua popularidade, mostrando seu caráter, a quem serve, que não tem nada de novo, menos ainda corresponde ao que as manifestações de junho de 2013 levantaram e ao que Brasil precisa para avançar.

Tags: Política





Marcia Eloy - 30/08/2014
Hoje, meu caro Felipe, saiu no globo a programa da Marina, entre outras coisas, ela vai privilegiar o Etanol, ao invés do petróleo, pois para ela o petróleo é poluente. Pois é , por causa desta fonte poluente é que os estados Unidos estão no Oriente Médio, ou será que ela acredita que é pela democracia no mundo? A Petrobrás é a primeira empresa da América Latina, se o governo não investir nela, deixará de ser. Outra coisa importante ela não acha o Merco Sul importante abrirá uma outra frente, adivinha com quem? Estados Unidos e países europeus. Os BRICs para ele são importante, mas nem tanto que para Dilma . Agora você acha incoerente não votar nela? Ou concorda com estes pontos de vista que pareciam já estarem superados.


Augusto Flávio da Silva Roque - 29/08/2014
Esta eleição está sendo amplamente articulada e pelo Banco Itaú, e imagino que vocês não vejam novidade nesta afirmação, mas observem a seguinte perspectiva:



O Itaú é o Banco Central do PSDB - instituição a quem o partido deve inclusive a proteção da mídia, já que é o Itaú que patrocina o Jornal Nacional, a Folha/UOL, Estadão, etc;



Aécio Neves corre o risco de amargar não só uma derrota eleitoral à presidência, mas também, ver seu candidato derrotado em Minas;



Em uma eventual conversa que já pode ter INCLUSIVE ocorrido - entre FHC e o Itaú - Aécio seria convidado a diminuir a intensidade de sua campanha para presidente, e centrar forças em Minas e São Paulo;



Não tenho dúvidas que entre os termos do acordo, está o de que Armínio Fraga seria/será? presidente do Banco Central, tanto num governo Tucano, como num governo Marinista, afinal, já está prometido "transparentemente" ao eleitor: Governarei com os melhores do PSDB e do PT;



Repito, atenção, esta eleição está sendo definida em outros flancos, e se bobearmos o Itaú irá governar o Brasil, e para não esquecer, o Itaú é aquele banco que tornou clara sua posição de que a Ditadura Militar foi uma Revolução.



José Dirceu anda dizendo que Marina é o "Lula de Saias". Bem... o rapaz está preso, mas não é um analista inexperiente e nem burro, ele pode está redondamente correto.



Olho no ITAÚ.


Felipe Leite - 29/08/2014
Incrível, a quantidade de criticas que vem sendo feitas no site da carta maior e nos blogs dos representantes após Marina Silva subir nas eleições. Impressionante que muita dessas criticas são exatamente sobre discursos e falas de Marina, coisa que até então o PT usou para chegar ao poder. Serio, não esperava isso do portal, cada vez tenho me decepcionado mais, pois isso aqui virou torcida organizada do PT. A Marina vai reconhece os feitos do PT e diz que precisa mudar mais, que tem coisas que não podem continuar como estão, e o pessoal daqui critica ? Vocês estão cegos ? O Pais está decaindo novamente, Dilma não é o Lula e a coisa está ficando complicada agora, tecnicamente o Brasil já entrou em recessão, e vocês ainda dizem que a culpa não é do PT ? O Pt precisa sair agora, para deixar outra pessoa oxigenar o poder, pois as ideias ficaram vencidas e estão totalmente perdidos, infelizmente o fanatismo aqui do Blog não deixa ninguém perceber isso. Eu votei no Lula, não votei na Dilma , não votarei no Aecio nunca, e agora meu voto é da Marina, que apesar de ter um discurso onde todos do PT descem a lenha, é o discurso que faz sentido agora, não dá pra governar mais apenas pensando nos seu partido e deixando o povo de lado, coisa que aconteceu nesses 4 ultimos anos de Dilma. Queremos mudanças e o PT nesse momento precisa se reinventar, pois corre o risco de acabar se perdendo por não saber fazer auto criticas e admitir erros.


LUÍS GONSAGA DE ASSIS BALIEIRO - 28/08/2014
Deixei de votar no PT e vejo que a maioria do povo brasileiro, tende seguir a mesma direção.

As causas da frustração me são diversas dentre elas:

A forma estranha com que setores do governo se comportaram, PETROBRAS, por exemplo, e por não ter entendido, até hoje, a que serviu a estúpida base aliada do governo Dilma e ela ser tão tolerante;

A forma prepotente com que conduziu o leilão do pré-sal;

As tentativas do PT de tentar transformar em terrorismo, a angustia do povo brasileiro que não suportam mais a baixa moral de nossos governantes e falta de ética na condução da política brasileira com intenso faz de conta tanto da presidente Dilma quanto do Lula...

Torso que a Marina seja melhor. O Aécio é imagem e semelhança de FHC.



Nelson marisco - 28/08/2014
Marina na verdade está de olho e 2018. Essa eleição para ela é só um balão de ensaio. Se pegar pegou. Ela faz o jogo da grande elite e dos mercados. Todos contra o PT


Victor Emanuel Giglio Ferreira - 28/08/2014
O difícil é ter que escolher, pois do PSDB já conhecemos seu grau ilimitado de neoliberalismo e servilismo aos banqueiros e ao imperialismo. Quer apenas colocar o Brasil novamente de joelhos aos banqueiros internacionais, ainda mais agora com o Armínio, pupilo do George Soros, para ministro da fazenda. O atual governo, com a desculpa de tentar reduzir a inflação, elevou a taxa de juros de 7 para 11%, com isso elevando ainda mais os já estratosféricos 250 bilhões de reais que o governo dá de presente aos bancos anualmente, o famoso bolsa-banqueiro, 3 vezes maior que o orçamento da saúde e 5 vezes maior que o bolsa família. Um escárnio. Além disso, teimosamente, vem mantendo o real sobrevalorizado, quebrando a indústria nacional. Gostaria muito que o PT estivesse fazendo um ótimo governo, para podermos defendê-lo de boca cheia. Mas, você mesmo, que é um cara de muita capacidade e cultura, sabe sim, no fundo, que assim ficou difícil a gente defender o indefensável. Defender esse bolsa-banqueiro de 250 bilhões por ano? Ficou difícil. Em quem votar?


Marcia Eloy - 28/08/2014
Se o governo Dilma não foi perfeito, e nenhum governo será pois para governar tem que fazer concessões. pior será voltarmos ao passado e ao neoliberalismo. Achar que os meninos que saíram as ruas em junho do ano passado são politizados e sabiam o que queriam é acreditar em Papai Noel, receberam um e-mail chamando-os para rua e foram, muitos não sabiam nem porque estavam ali, foi um movimento sem rumo, nada igual ao "Fora Collor", nem "Diretas já". Se pagamos aos banqueiros é porque vivemos num país cujo sistema é o capitalismo. Pode-se mudar o sistema,. Quem vai lutar por esta mudança, Marina?


Alfredo Cesar - 28/08/2014
Comparar Marina a Collor (por sinal inocentado) e FHC é um absurdo. Momentos históricos diferenciados dentre outras evidências. Não tenhamos dúvidas que um Brasil com Marina amanhecerá capitalista


Victor Emanuel Giglio Ferreira - 28/08/2014
O difícil é ter que escolher, pois do PSDB já conhecemos seu grau ilimitado de neoliberalismo e servilismo aos banqueiros e ao imperialismo. Quer apenas colocar o Brasil novamente de joelhos aos banqueiros internacionais, ainda mais agora com o Armínio, pupilo do George Soros, para ministro da fazenda. O atual governo, com a desculpa de tentar reduzir a inflação, elevou a taxa de juros de 7 para 11%, com isso elevando ainda mais os já estratosféricos 250 bilhões de reais que o governo dá de presente aos bancos anualmente, o famoso bolsa-banqueiro, 3 vezes maior que o orçamento da saúde e 5 vezes maior que o bolsa família. Um escárnio. Além disso, teimosamente, vem mantendo o real sobrevalorizado, quebrando a indústria nacional. Gostaria muito que o PT estivesse fazendo um ótimo governo, para podermos defendê-lo de boca cheia. Mas, você mesmo, que é um cara de muita capacidade e cultura, sabe sim, no fundo, que assim ficou difícil a gente defender o indefensável. Defender esse bolsa-banqueiro de 250 bilhões por ano? Ficou difícil. Em quem votar?


Carlos Salgado - 28/08/2014
A mídia anti-petista já não tinha fato novo para essa eleição! Marina caiu feito uma luva, e anti-petistas de todas as matizes então abrem seus rabos de pavão. Agora é hora de seguirmos nosso firme caminho, com tranquilidade e convicção.


Fausto Neves Ribeiro da Silva - 28/08/2014
Emir, o Fernando travestido de Thatcher é uma alegoria brilhante! Obrigado

Obrigado também a José Ricardo Romero, pelo comentário "extenso e profundo", extraído precisamente do livro tão caro a Marina. Não escrevo em defesa pública do PT e seus governos. Isto é muito complexo para poucas linhas, é coisa para livro(s).

O que tivemos, desde Lula, foi a tal alternância no poder; poder que aí esteve desde o anos de 1500.

Marina, nascida em 1958, alfabetizada belo Mobral aos 16 anos. Qual foi sua construção pessoal, cultural, intelectual. Conhecemos sua construção política. Isso não basta. (não a comparemos com

os Lula e Dilma, ela mesma não se compara.

Marina é um perigo individual e público. O seu "não ser" é uma cilada


José Ricardo Romero - 28/08/2014
"... e porque não es quente nem fria, cuspo-te da minha boca". apocalipse de S. João.


Flavio Marcio - 27/08/2014
Neca é um nome reluzente da educação no país.

Combate a educação bancária denunciada por Paulo Freire e o faz em nome da educação...banqueira!


roberto danunzio - 27/08/2014
Estou sentindo um certo desespero em quem antes cantava de galo. O voto alienado está mudando de direção como muda o vento, conforme sua tendência natural. Dilma vai ter que perder o orgulho e se voltar para o voto engajado, o voto da esquerda combativa, que até então desprezou mas de que vai precisar no contexto de uma eleição muito apertada. O Tarso Genro fez isto em 2002. Prometeu uma mesa permanente de negociação com o funcionalismo público, ganhou o voto de milhares de servidores e em janeiro de 2003 anunciou, muito ao contrário, a reforma da previdência, cortando direitos, imolando o trabalhador em praça pública para aplacar a fúria do Deus Mercado. Vamos lá, vocês sabem como fazer, é só fazer de novo, vamos lá. E não percam tempo, a cada dia que passo o vento empurra mais votinhos para o outro ladinho.


Orlando F. Filho - 27/08/2014
A eleição é em outubro e estamos quase em setembro, portanto um mês para desmascarar a candidata dos setúbal. Logo, logo as coisas irão mudar, pois o que alavancou(nossa que palavra ridícula) a candidatura da "ambientalista argentária" foi a morte de eduardo campos. O povo é sentimental por natureza e tende a querer consolar as pessoas próximas do defunto. Haverá um segundo turno, mas não entender que a pesquisa foi feito em um momento inusual do cenário político. A pesquisa que valerá será a próxima pois essa sim talvez refletirá melhor o quadro eleitoral, mas todos eles dão a vitória a Dilma.


José Ricardo Moreira - 27/08/2014
Danunzio, satisfaça minha curiosidade: para você, qual é partido que melhor representa os interesses da classe trabalhadora no Brasil? Como homem que não se furta de expressar opiniões, você certamente não terá problema em me passar esta informação. Em tempo, é curiosidade aberta, mesmo. Não rezo pela cartilha da unanimidade.


Felipe Leite - 04/09/2014
Marcia,



Concordo com você que o petroleo não deve ser desprezado, nem que o Mercosul deva ser desprezado, e muito menos as conquistas do BRICS. Agora a onde a Marina falou que vai fazer isso ? Até agora eu só vi ela dizer que quer ir além disso, não vejo problemas em termos o Mercosul e ao mesmo tempo tentarmos alguns outros acordos Bilaterais, estamos em um mundo globalizado, não vejo problemas em tentar fazer negocios com a UE e ao mesmo tempo tentar fortalecer o BRICS. Não acho que seja facil, mas se tivermos um presidente articulardor eu acho que é possivel, essa é a tendencia mundial, cada vez mais contato e negocios bilaterais, desde que o Brasil não deixe sua soberania. Posso ter pego um pouco pesado nos comentarios ao PT, e parecendo que a Marina seria uma salvadora, não ela não é, e nem acredito que fará mudanças drásticas, mas acho que no atual momento Dilma está perdida. E o que me irrita é que não existe reconhecimento dos erros do PT, ficamos com a ideia de que o PT é infalível e nunca errou, ai você mostra números que o Brasil está quase em recessão e eles dizem que não, que isso é coisa da midia, o indice internacional que mede a confiança dos investimentos no Brasil só server para o Lula, quando as coisas estão bem, quando eles criticam a Dilma, ai é coisa da midia, não serve e etc. O Espaço aqui é muito bom, entendo que é um portal totalmente de esquerda mas acho que deveriam ser um pouco mais imparcias em algumas analises, e se querem uma esquerda de verdade deveriam estar defendendo o PSOL e não o PT.

PARCERIAS