Sábado, 24 de Junho

20/06/2013 - Copyleft

Primeiras reflexões

por Emir Sader em 20/06/2013 às 05:16



Emir Sader

O movimento, iniciado como resistência ao aumento das tarifas do transporte, foi inédito e surpreendente. Quem achar que consegue captar todas suas dimensões e projeções futuras de imediato, muito provavelmente estará tendo uma visão redutiva do fenômeno, puxando a sardinha para defender teses previamente elaboradas, para confirmar seus argumentos, sem dar conta do caráter multifacetário e surpreendente das mobilizações.

Não vamos tentar isto neste artigo, mas apenas tirar algumas primeiras conclusões, que nos parecem claras.

1. Foi uma vitória do movimento a anulação do aumento, mostra a força das mobilizações, ainda mais quando se apoiam numa reivindicação justa e possível – tanto assim que foi realizada.

2. Essa vitória, em primeiro lugar, reforça concretamente como as mobilizações populares valem a pena, sensibilizam as pessoas, fazem com se fale para toda a sociedade e servem como forte fator de pressão sobre os governos.

3. Além disso, o movimento colocou em discussão uma questão essencial na luta contra o neoliberalismo – a polarização entre interesses públicos e privados. Sobre quem deve financiar os custos de um serviço publico essencial que, como tal, não deveria estar submetido aos interesses das empresas privadas, movidas pelo lucro.

4. A conquista da anulação do aumento se traduz num beneficio para as camadas mais pobres da população, que são as que normalmente se servem do transporte publico, demonstrando como um movimento deve buscar abarcar não apenas as reivindicações que tocam cada setor da sociedade em particular, mas buscar atender as demandas mais amplas, especialmente as que tem a ver com os setores mais necessitados da sociedade e que tem mais dificuldades para se mobilizar.

5. Talvez o aspecto mais essencial das mobilizações tenha sido o de fazer entrar na vida politica a amplos setores da juventude, não contemplados por politicas governamentais e que, até aqui, não tinham encontrado suas formas especificas de se manifestar politicamente. Esta pode ser a consequências mais permanente das mobilizações.

6. Ficou claro também como os governos, dos mais diferentes partidos, uns mais – os de direita – outros menos – os de esquerda – tem dificuldades de se relacionar com mobilizações populares. Tomam decisões importantes sem consulta e quando se enfrentam com resistências populares, tendem a reafirmar tecnocraticamente suas decisões – “não há recursos”, “as contas não fecham”, etc. – sem se dar conta de que se trata de uma questão politica, de uma justa reivindicação da cidadania, apoiada em imenso consenso social, que deve ter soluções politicas, para o que os governantes foram eleitos. Só depois de muitas mobilizações e de desgaste da autoridade dos governantes, as decisões corretas são tomadas. Uma coisa é afirmar que “dialoga” com os movimentos, outra é se enfrentar efetivamente com suas mobilizações, ainda mais quando contestam as decisões tomadas pelos governantes.

7. Certamente um problema que o movimento enfrenta são as tentativas de manipulação de fora. Uma delas, representada pelos setores mais extremistas, que buscaram inserir reivindicações maximalistas, de “levantamento popular” contra o Estado, que justificariam suas ações violentas, caracterizadas como vandalismo. São setores muito pequenos, externos ao movimento – com infiltração policial ou não. Conseguem o destaque imediato que a cobertura da mídia promove, mas foram rechaçados pela quase totalidade dos movimentos.

8. A outra tentativa é da direita, claramente expressa na atitude da velha mídia. Inicialmente esta se opôs ao movimento, como costuma fazer com toda manifestação popular. Depois, quando se deu conta que poderia representar um desgaste para o governo, as promoveu e tentou inserir, artificialmente, suas orientações dirigidas contra o governo federal. Foram igualmente rejeitadas essas tentativas apelas lideranças do movimento, apesar de que um componente reacionário se fez sempre presente, com o rancor típico do extremismo direitista, magnificado pela velha mídia.

9. É de destacar a surpresa dos governos e sua incapacidade de entender o potencial explosivo das condições de vida urbanas e, em particular, a ausência de políticas para a juventude por parte do governo federal. As entidades estudantis tradicionais também foram surpreendidas e estiveram ausentes dos movimentos.

10. Duas atitudes se digladiaram ao longo das mobilizações: a denúncia das suas manipulações pela direita – expressas mais claramente presente na ação da mídia tradicional – e as tentações de se opor ao movimento. E aquela de exaltação acrítica do movimento, como se ele contivesse projetos claros e de futuro. Ambas são equivocadas. O movimento surgiu de reivindicações justas, composto por setores da juventude, com seus atuais estados de consciência, com todas as contradições que um movimento dessa ordem contem. A atitude correta é de aprender do movimento e atuar junto a ele, para ajudar a que tenha uma consciência mais clara dos seus objetivos, das suas limitações, das tentativas de ser usado pela direita e dos problemas que suscitou e como levar adiante a discussão dos seu significado e melhores formas de enfrentar os seus desdobramentos.

O significado maior do movimento vai ficar mais claro com o tempo. A direita só se interessará nas suas estreitas preocupações eleitorais – nos seus esforços desesperados para chegar ao segundo turno nas eleições presidenciais. Setores extremistas buscarão interpretações exorbitantes de que estariam dadas condições de alternativas violentas, o que se esvaziará rapidamente.

O mais importante são as lições que o próprio movimento e a esquerda – partidos, movimentos populares, governos – tirem da experiência. Nenhuma interpretação prévia dá conta da complexidade e do ineditismo do movimento. Provavelmente a maior consequência seja a introdução da temática do significado politico da juventude e de sus condições concretas de vida e de expectativas no Brasil do século XXI.

Tags: Política





pablo - 27/06/2013
Ninguém do PT ousa fazer a autocrítica necessária a respeito dos acontecimentos recentes no Brasil, principalmente quanto à inação do governo frente a realização de políticas públicas para a população. Com um olho na política macroeconômica e outro nos índices de popularidade, orientados por marqueteiros, o PT desde 2003 vem fechando o canal de diálogo com o povo. Ultimamente estavam ocupados em fazer análises sobre os 10 no governo, sobre os avanços sociais (que são significativos, reconheço), sobre como seria se fossem 10 anos de governo tucano (uma tragédia comparado ao atual, reconheço), etc., ao invés de focar nos pontos de melhoria imprescindíveis e nas mudanças estruturais necessárias ao nosso desenvolvimento autônomo e soberano. Desistiu da reforma agrária e da democratização da comunicação.



O resultado está aí: um movimento de massas sem a participação do partido, manipulado pela mídia com a bandeira udenista anti-corrupção, e a classe média gritando "fora Dilma", queimando bandeiras vermelhas e ameaçando fisicamente os militantes da base que foram às ruas. Tudo isso com projeção internacional altamente sensacionalista.


Leandro - 24/06/2013
Concordei com quase tudo, mas não a escrever que é a direita que "só se interessará nas suas estreitas preocupações eleitorais". Como se a esquerda não fizesse isso. Ou então o PT não é de esquerda. Menos com o pensamento binário né, menos.


silvia emilia espósito - 23/06/2013
concordo com a opinião do Emir, mas incluiria um outro "lado" que me parece não menos importante. A grande crise politico-ética que vai muito alem das reivindicações pontuais. O fora a qualquer bandeira partidária, diz dessa falta de representação que reclama uma profunda "reforma", são as instituições que não estão dando conta do recado. Crise da qual o neoliberalismo ou como se chame é um sintoma. O lastre do mercado não é mais o produto que inclui o próprio humano. Daí que a desorientação seja generalizada, é a lei do mercado escorrega ao deshumano. Ou não é deshumando pensar que o melhor que se pode fazer é de uma canetada deixar fora, excluído milhões de pessoas?, silvia,psicanalista


MARCIA ELOY - 23/06/2013
Edu

Concordo com você me número e grau. Esta garotada que esta na rua, não sabe porque está na rua. Eu daria um nome para este movimento. "SEM NOÇÂO".

1-não sabe que quem vota tem responsabilidade sobre aquele que votou.Quem votou em evangélico é politizado? Os evangélicos fazem parte de uma religião e não de um partido.

2-O transporte público está sendo melhorado, e no entanto foi uma guerra para o prefeito colocar uma estação em Ipanema porque as patricinhas não querem a ralé invadindo sua praia.

3- Quem chama "VEM PRA RUAS", indistitamente é responsável sim pelo vandalismo que está acontecendo com os prédios públicos, os monumentos, bancos, lojas, etc...E não acho que quem usa máscaras, e esconde o rosto não o faz momentaneamente,saiu as ruas com este intuito. O que querem

3- Meu irmão que é professor de Mestrado da Fluminense me contou que uma aluna que entrou na Universidade por cotas apresentou uma tese de mestrado que deixou a banca impressionada e ainda conseguiu uma bolsa de estudos no Canada.Quando neste pasís isto aconteceu? Isto não sai no Globo, nem na Folha nem na Veja, não interessa . O número de Universidades dobrou em 10 anos.Eles sabem disso?

4- Quem está na rua é uma garotada de classe média, é só ver as caras, que mora com papai e mamãe, sabem quanto custa uma obra? Já fizeram obra em casa? Conhece História do Brasil? Conhece História do Mundo? Sabe que Jucelino existiu? Que ele foi acusado de ladrão porque construiu Brasília, mas que desenvolveu o Brasil 10 anos em 5 anos? Que ele foi perseguido pela Ditadura?

Olha Edu, nem no PT, as pessoas sabem tudo que deveriam saber. Eu dei um curso básico no PT de Ciências Políticas, coisa que todo partidio deveria dar, e fiquei surpresa, pelo nível de desinformação dentro de um partido político. Imagine fora dele, em uma sociedade que é regida pelos meios de comunicação e por redes sociais que ninguém sabe de onde surgiram.

5- 0 Passe Livre é irrealizável, e já saiu do movimento. Quem agora lidera o movimento? Alguém sabe?

6- O Brasileiro sempre gostou de futebol, aliás não gostava era fanático e aqgora deixou derrepente de gostar?

Aliás eu acho que o povo merece que um governo de Direita volte. Só aprende quem sofre. Precisa voltar a sofrer para aprender a valorizar a Democracia.


Edu Montesanti - 22/06/2013
"Há tempo certo para todas as coisas". Há vários debates entre a sociedade muito pertinentes. Este não é o momento, porém, de saber o que e quem é esquerda, e o que e quem não é, nem se Lula foi melhor que Dilma ou vice-versa, etc. O golpe que se avizinha será muito mais cruel, virá com muito mais agressividade que o de 1964 -pelas lições que os militares certamente tiraram, pelas novas técnicas de espionagem em massa, pela agonia do Império etc etc etc. Enxerque quem quiser. Uma pergunta no ar: qual governo, desde o golpe, foi mais competente que este? Fato: NENHUM chegou ao terceiro ano do primeiro mandato com os índices de aprovação da Dilma. Com todas as divergências que tenho com o PT, por que tudo isso agora? LEIAM WIKILEKAS! VEJAM PRIMAVERAS MUNDIAIS QUE SE REVELARAM MENTIROSAS, MASSAS DE MANOBRA, OS QUE "LUTARAM" FORAM EM SEGUIDA, APÓS O GOLPE, TIDOS COMO TERRORISTAS JUSTIFICANDO MAIS POLÍTICAS DE LINHA DURA! VEJAM AS POSTURAS DOS JORNALÕES "HUMANITÁRIOS", COM A MESMA RAIVA DE SEMPRE IMPLÍCITA!!!!! ABRE O OLHO, BRASIL! Já foram baixados tarifas de transporte, já mostramos fora das nossas vozes e das ruas, agora vamos estudar, trabalhar, ano que vem tem eleição e nas urnas exercemos democracia cidadã


Edu Montesanti - 22/06/2013
Jornal Brasil de Fato, que segue mesma linha desta Carta, com destaque para apoio aos movimentos sociais, está bloqueado sem justificativa nem nenhuma reposta pelo Facebook desde a manhã do dia 19. O cenário está armado para golpe. Facebook entre as 9 empresas que passam informações de usuários de maneira ultrassecreta à casa Branca e Inteligência dos EUA. Brasil: agora, profundo e sombrio outono social com cenário de primavera. Quem ama o Brasil sai das ruas, vai estudar e trabalhar, não servir como massa de manobra, manipulado por forças ocultas que não se fazem saber quem são. No futuro, esses mesmos "primaveristas herois" de hoje, serão considerados terroristas, e mais bases militares no Brasil. A atualidade e a história mostram exatamente isso.


Jose' Carlos de Almeida - 22/06/2013
Ate' onde e' possivel ver. esse movimento e' contra "tudo que esta' ai' ", ou seja uma reacao ao "status quo".

O fato de militantes de esquerda serem expulsos de manifestacao e' exatamente por fazerem parte do "status quo". E jornalistas. E seus veiculos.

Se um partido de "direita", ou algo que o valha, vier a fazer uma tentativa semelhante, isto e', "embandeirar" a manifestacao, pode ter certeza que sera' escorracado.

Da mesma forma que nao existe oposicao no panorama politico do Brasil, apenas postulantes ao mesmo cargo, nao ha' identificacao entre a populacao em geral e a classe politica que deveria representa'-los.

Se a midia esta' retroalimentando o movimento, o mesmo pode se dizer dos atuais partidos politicos preocupados simplesmente em permanencia nas posicoes de mando.

Nao se ouve falar em planos de longo prazo que venham a tracar, ainda que de maneira difusa, uma trajetoria de desenvolvimento.

Tudo se resume a medidas de curto prazo e, se possivel, de impacto.

O brasileiro nao se sente mais representado pelos politicos que elege. Estes, tomam posse no cargo e passam a dancar a musica da lideranca que, por sua vez, tem agenda ainda mais dissociada da realidade.

O que me parece que pessoas de esquerda, como voce se intitule, tem dificuldade de entender e' que a mobilizacao popular deixou de ser um privilegio dos partidos de esquerda, ou sindicatos ou "movimentos sociais".

E nao acredito que sejam teleguiados ou mesmo controlados por pessoas ou forcas, de direita.

Essa dicotomia direita/esquerda, a proposito, so' existe aqui.


diego josé martins - 22/06/2013
Olha, é tanta asneira que eu nem sei por onde começar. Mas admito que não te acho burro. Pelo contrário, ficar inventando clichês e desculpas para justificar o governo que te garante umas boquinhas exige alguma capacidade.


Edu Montesanti - 22/06/2013
Que presidente no mundo e principalmente Brasil atual e histórico faria como presidente Dilma, saudar (sozinha dando cara a tapa no deserto politico e social considerando evangelicos pifios) manifestações, e ainda cmo ontem prometer reformas tao profundas, como 100% ganhos do petroleo à educação, entre tantas medidas em favor do social? Outro "resolveriam" tudo isso no porrete! Não tenho compromisso com o erro, mas sempre tentei ser um bom cidadao e escritor, justo: já vim ate aqui encher o sacodo Emir esta meu nome registrado em 2011/2010, 2012 batendo forte: SOU DILMA FUTEBOL CLUBE! Presidente assim aumenta auto-estima de um povo, ela me da orgulho de ser brasileiro! Viva a Dilma! Abaixo fascistas! ASSINADO: EDUARDO MONTESANTI GOLDONI (vai, bota meu manifesto aí, google espiã criminosa!)


Milton Bezerra - 22/06/2013
Caro Emir, sua lucidez é genial! É preciso considerar o grau de consciência que mobilizou a juventude e juntar-se a ela para aprofundar o alcance de suas lentes políticas. O MPL deu mostras de receptividade a isto, rechaçando o antipartidarismo e o esvaziamento de manter as manifestações desfocadas, nomeando a problemática urbana (discutir as cidades como o topos da cidadania). MST, MTST, Sindicatos e PArtidos de esquerda têm aí um privilegiado e indispensável parceiro para a luta emancipatória por transformações estruturais.


Edu Montesanti - 22/06/2013
Professor Emir, por favor, permita-me anunciar o que estará em minha coluna semanal no Observatório da Imprensa a partir de terça, já em meu Blog:



ROTESTOS URBANOS

Reflexões e Perspectivas



Sociólogos tão intrigados quanto a própria sociedade com o que se alastra. Em tese não há organização, lideranças nem amadurecimento democrático, enquanto se queima bandeiras de partidos em meio aos protestos. Quem está por trás disso tudo?



Trechos URGENTES:



Por um lado, há profundo e súbito exoticismo nessas circunstâncias (o repentismo dos acontecimentos chamam a atenção tanto quanto os próprios fatos em si) em se tratando de Brasil, fazendo com que sociólogos e cientistas políticos, diariamente, escrevam e se declarem abertamente incapazes de explicar a inédita e infinita "Primavera" que varre, de uma hora para outra, um país com dimensões continentais historicamente indiferente, alheio aos assuntos políticos e mesmo aos do vizinho. Mesmo analistas internacionais se mostram intrigados com o que leva milhões de brasileiros às ruas, e desta maneira.



Contudo, a nível internacional não há nenhuma novidade no que vem ocorrendo no Brasil, pelo contrário, tornam os protestos brasileiros sintomáticos se colocados dentro do contexto global, enquanto internamente um novo golpe militar sempre esteve latente através de uma extrema-direita poderosa, profundamente influente em todos os setores e instituições deste país, enquanto a primeira presidente do sexo feminino foi presa e torturada por aquele mesmo regime que aplicou o golpe de 1964, e ditou sanguinariamente as regras deste país por 21 anos apoiado para tudo isso na mesma mídia conservadora que, hoje, incita as manifestações. Por quais motivos?



Sobre tudo isso, é fundamental considerar alguns pontos para que possamos refletir sobre o que acontece, se é realmente fruto de amadurecimento democrático, em caso negativo tentarmos identificar suas origens, além de refletir sobre as prováveis consequências dos protestos urbanos para o Brasil:



1. Manifestações (...)

2. O Movimento Passe Livre (MPL) (...) saiu de cena no início da semana até a mesmo sexta-feira, 21, em que a presidente Dilma fez o mencionado pronunciamento: outro ponto de séria intriga entre eruditos e da sociedade em geral é: como, por que, sob quais organizações e lideranças as manifestações apenas se multiplicaram desde então?

3. Os jornalões conservadores contradizem sua história

4. O New York Times, nesta quarta, estampou em sua capa

5. Na Síria, no Egito e na Líbia "rimaveristas", WikiLeaks revelou que há vários anos a CIA injeta bilhões de dólares (....) Manifestações se proliferaram de maneira surpreendentemente rápida, subitamente, sem precedentes inclusive ideológicos. Eles possuem a cara idêntica do que ocorre no Brasil hoje, embora, obviamente, as causas variem de nação à nação

6. Conforme já abordado, a grande mídia que por aqui "solidariza-se" às manifestaçõesé a mesmos que apoiou o golpe de 64 financiado pela CIA (agência de Inteligência dos EUA), e a ditadura inclusive logisticamente contra a qual, vale enfatizar, a presidente Dilma Rousseff, que segue o distanciamento de Washington iniciado pelo antecessor Luiz Inácio Lula da Silva, lutou contra a ditadura militar.

7. O Império agoniza

8. Enquanto o Brasil durante os governos do PT de certa forma se descola de Washington

9. A presidente Dilma, em nada culpada pela absurda Copa do Mundo



Considerações Urgentemente Finais



Perante isso tudo, são extremamente as sintomáticas as inéditas manifestações no Brasil (...)



http://edumontesanti.skyrock.com/18.html


Edu Montesanti - 21/06/2013
Snowden liberou telegrama ultrassecreto de Obama: cidadãos e governos em todo o mundo espionados, invadidos, com dados passados pelos 9 maiores servidores de Internet dos EUA (e do mundo), entre eles Google e Facebook. Abordagem da mídia comercial brasileira: assunto já se evaporou, enquanto jornais dos EUA e de todo o mundo so falam nisso, condenando, inclusive governantes europeus; enquanto esteve nos jornais, passou longe das editorias; tratado como "bisbilhotice", eufemismo com ar de gracejo para assunto envolvendo mais caso de espionagem da historia (e se fossem governos do Brasil, Venezuela, Argentina, Equador, que diriam nossos jornalecos?); maior parte das reportagens, traduções de veículos dos mais consrvadors dos EUA, como Foreign Polcy, que defende intervenção militar global dos EUA;"intelectuais respeitados" entrevitsados por jornalecos brasileiros, dizendo que as medidas de Obama de esionar são ustas em nome da segurança dos EUA, com respostas inconsistentes, algumas de uma linha, outra com aenas um "sim" para defender a Casa Brancaa enquanto jornais condenam atos.



Sobre esses "intelecuais respeitados", agente da CIA travestido de embaixador no Brasil escreveu isto revelado por WikiLeaks:



O Estado de S. Paulo e O Globo, além da revista Veja podem se dedicar a informar sobre os riscos que podem advir de se punir quem difame religiões, sobretudo entre a elite do país. Esta Embaixada tem obtido significativo sucesso em implantar entrevistas encomendadas a jornalistas, com altos funcionários do governo dos EUA e intelectuais respeitados.



WikiLeaks revela ingerência secreta dos EUA no Brasil, ha anos: traduções ineditas de telegramas ao portugues e varias materias jornalisticas brasleiras e mundiais http://edumontesanti.skyrock.com/28.html



Brasil, gigante latino-americano, nao esta mais submisso aos interesses e ditames de Washington, é peça chave geopolitica independentista latino-americana e Sul-Suil mundial. America Latina passa por processo democratico sem precedents (midia nao esta divulgando, eu estou inclusive no Observatorio da Imprensa: http://edumontesanti.skyrock.com/3.html ; http://edumontesanti.skyrock.com/45.html



Brasil e latinos aliam-se a Irã e China, temidos economicamente e estrategicamente por Washington



Imperio agonizando em crise economica e institucional (democraticas em todos os setores), sem credibilidade no mundo hoje.



Vespera de eleição no Brasil, oposição sem chance, Dilma se ganhar no 2 turno sera zebra: ganha no 1 nadando de costas, morrendo de rir e todos os politicos mundiais sabem disso



Mais 4 anos de crise nos EUA (certa) somada a aliança latina + Sul-Sul, seria o sombrio outuno norte-americano, sem retorno a primavera.



Primavera brasileira é o outono jogado pelo Imperio, para nos nao tera volta se embarcarmos nessa. Processo democratico brasileiro seria profundamente traumatizado por esse claro jogo politico de bastidores (com muito dolar, vejam documentos nos links), mais ainda governo interroompido desta maneira.



Lá tal qual cá: daqui algum tempo, esses mesmos primaveristas dos quais fiz parte uns dias, srao descarados pelo poder estabelecido por Washingon, assim como fazem na Siria, Egito, Libia, Iraque etc, chamados de terroristas justificando mais intervenção militar, menos democracia.



Nada disso é um sonho (a ponto de se tornar pesadelo real), nem uma opiniao, sao fatos documentados (vejam links para documentos).



Sera que alguem enxergara isso?


Edu Montesanti - 21/06/2013
Eis aqui ligação para a referida capa do New York ims de quarta, "em defesa do povo brasileiro": http://br.covertimes.com/detail/new-york-times-us_2013-06-19



Sou leitor do NY Times desde 2000, versoe impressas e digital: NUNCA o jornal mais importante do Imperio deu espaço a uma manifestação popular latino-americana, e em tao pouco tempo, quanto agora. Esta sintomatico. Basta pegar os links que enviei, ler os telegramas dos agentes da CIA infiltrados travestidos de embaixadores.



Tanto quanto a sociedade brasileira nao tem maturidade democratica para uma manifestação dessa magnitude (a realidade historica evidencia isso), ela nao tera foras para dsmontar isso que anda acontecendo. Maus tempos se avizinham. Os jornaloes so falam nisso. Editoriais atacando o governo, jogando a ele responsabilidades, o Gaberahoje, a exemplo de todos os specialistas, nao sabe explicar no Estado este processo. Os mesmos jornaloes que trataram nos primeiros dias de escandalo da espioanegm em massa de Obama, como mera "bisbilhotice". Os bandidos do Imperio estao muito mais proximos de nos,do que a alienação que marca nossa sociedade jamais imaginou. Pegue link e leia que quisr saber mais. E espalhe


keyloser - 21/06/2013
Acho lamentável as lideranças do MPL(Movimento Passe Livre) anunciarem a saída das manifestações. Deveriam apoiar as outras reivindicações porque receberam apoio da população e acho uma tremenda estreiteza política dizer: "agora que a gente conseguiu o que queria, fui". Acho desastroso pois poderão perder a credibilidade em outros movimentos que porventura queiram organizar ou participar.


Audicéa Rodrigues - 21/06/2013
Leitora assídua de seus artigos, às vezes discordo de suas colocações. Hoje, neste caso, concordo integralmente com sua avaliação. vamos nos distanciar um pouco dos fatos para melhor avaliá-los.


Claudio Cunha - 21/06/2013
Sugiro às manifestações uma mudança de itinerário. Poderiam se concentrar em todas as higienópolis do Brasil, e em frente às casas dos milionários chamarem para descer e se unirem à marcha os empregados e empregadas, desta forma dando seu apoio incondicional à PEC das domésticas. Também, no mesmo ato, poderiam pedir a reforma urbana, propondo, no máximo, 80 m² de área construída por família e invadir as casas dos burgueses (pois tenho certeza, o movimento é contra a acumulação absurda de capital), ou pelos menos seus jardins. Também poderiam seguir na mesma fila ordeira para frente dos xópings e protestar contra o consumismo e o hedonismo, chamar as pessoas lá de dentro para se unirem à marcha e deixarem de consumir. Por fim, pararem em frente às FIE (Federações de Indústria, Comércio e Serviços brasileiras) e protestar veementemente contra a sonegação, por salários mais dignos e equalização salarial de gêneros. No dia seguinte, a marcha iria para os interiores do Brasil, parando em frente às fazendas e invadindo as plantações, clamando por reforma agrária já, com os proprietários das terras tendo um máximo de dois módulos fiscais em todo Brasil, aproveitando para protestar contra o trabalho escravo. Após, concentração em frente aos bancos e bolsas de valores se posicionando contra o capital especulativo e os juros abusivos. Por enquanto, estas pautas são suficientes.


Giovanni - 21/06/2013
Conselho:após a noite de quinta, que o pt reavalie tudo que fez nos 10 anos de poder, o começo do fim...


Edu Montesanti - 21/06/2013
nao publique isto, emir, por favor: apaguei artigo que escrevi apoiando e conclamando amais promavera, em um blog literario. no meu, dei modificada na conclusao, ficou desta maneira:



que a Primavera, dentro de cada um e no dia a dia onde se exercita a verdadeira e melhor cidadania, não pode retroceder à cinzenta época outono/inverno de opressão e muita mentira, que pareciam infindáveis.



Mas chega de Primavera nas ruas, continuamente: o objetivo já foi alcançado, a voz e os anseios da sociedade já foram mais que ouvidos, e já se conhece o poder da nossa sociedade. Portanto, é hora de seguirmos a vida, Brasil.



emir, pense bem, olha a geopolitica mundial... olha o que tem feitocia, olha primavera fajuta no mundo arabe, olha america latina... para que isso agora????


Claudio - 21/06/2013
Para virar o jogo



Diante da crescente tensão social que estamos a vivenciar, independentemente de quais sejam suas reais origens, me parece que a melhor cartada política que Dilma poderia brindar a nação seria vir a público para reconhecer a justeza das reivindicações dos manifestantes (repudiando a violência e a intolerância, é claro). Ato contínuo, e para dar vazão a essa súbita onda de insatisfação, convocar uma consulta popular direta, um PLEBISCITO para que todos possamos dizer se queremos ou não a eleição de uma CONSTITUINTE EXCLUSIVA, com direito inclusive a candidaturas avulsas e emendas populares. Para reformar democraticamente todas as instituições do país, refundar a república, prevendo-se a revogação de todos os atuais mandatos eletivos e eleições gerais ao final do processo constituinte, depois de referendada a nova Carta pelo voto popular. Revogação nas três esferas de governo; nos executivos e legislativos; e também no STF). Tal proposta atenderia simultaneamente a TODAS as reivindicações manifestadas e alçaria a disputa político-ideológica a outro patamar, mais elevado. E a Ela sairia dessa "crise" por cima, demonstrando desapego ao poder. E a direita quedaria perplexa, com o golpe midiático-internético, ora em curso, frustrado. Seria um xeque-mate. Uma cartada decisiva como essa exige coragem e uma visão abrangente do momento histórico que estamos vivendo. Ao fim e ao cabo, confio, venceríamos.



Façam com que se aperfeiçoe e se multiplique essa ideia. Para o bem da democracia e do povo brasileiro.



Antonio José - 21/06/2013
----- CONTINUAÇÃO -----



A resposta a essas perguntas que deixam muita gente, a começar pelos políticos, perplexa e assombrada, poderia se resumir em poucas questões:

Em primeiro lugar, pode-se dizer que, paradoxalmente, a culpa é de quem deu aos pobres um mínimo de dignidade: uma renda não miserável, a possibilidade de ter uma conta em um banco e acesso ao crédito para poder comprar o que sempre foi um sonho para eles.

Talvez o paradoxo se deva a isso: ter colocado os filhos dos pobres na escola, da qual não desfrutaram seus pais e avós; ter permitido aos jovens, brancos, negros, indígenas, pobres ou não, ingressar na universidade; ter dado a todos acesso gratuito à saúde; ter libertado os brasileiros do antigo complexo de culpa de “cachorros de rua”; ao ter conseguido tudo aquilo que converteu o Brasil em apenas 20 anos num país quase do primeiro mundo.

Os pobres que chegaram à nova classe média conscientizaram-se de que deram um salto qualitativo na esfera do consumo e agora querem mais. Querem serviços públicos de primeiro mundo, que não há; querem uma escola que ofereça um ensino de boa qualidade, que não existe; querem uma universidade moderna, viva, que os prepare para o trabalho futuro. Querem hospitais com dignidade, sem meses de espera, sem filas desumanas.

E querem tudo o que ainda lhes falta politicamente: uma democracia mais madura, em que a polícia não continue agindo como na ditadura; querem partidos que não sejam, na expressão de Lula, um “negócio” para enriquecer; querem uma democracia onde exista uma oposição capaz de vigiar o poder.

Querem políticos menos corruptos; querem menos desperdício em obras que consideram inúteis quando ainda faltam casas para 8 milhões de famílias; querem uma justiça com menos impunidade; querem uma sociedade menos abismal nas suas diferenças sociais. Querem ver na prisão os políticos corruptos.

Querem o impossível? Não. Ao contrário dos movimentos de 68, que queriam mudar o mundo, os brasileiros insatisfeitos com o já alcançado querem que os serviços públicos sejam como os do primeiro mundo. Querem um Brasil melhor. Nada mais.

Escutei alguns afirmarem: “Mas o que mais quer essa gente?” A pergunta me lembra a de algumas famílias onde, depois de darem tudo aos filhos, segundo elas, eles se rebelam.

Os pais esquecem às vezes que faltou algo que, para o jovem, é essencial: atenção, preocupação pelo que ele deseja e não pelo que às vezes lhe é oferecido. Necessitam não apenas ser ajudados e protegidos, conduzidos pela mão, querem aprender a ser eles os protagonistas.

E aos jovens brasileiros, que cresceram e tomaram consciência não só do que já têm, mas do que ainda podem alcançar, está faltando justamente isso: que os deixem ser mais protagonistas da sua própria história, ainda mais quando demonstram ser tremendamente criativos.

Que o façam, is so sim, sem mais violência, pois violência já sobra nesse maravilhoso país que sempre preferiu a paz à guerra. E que não se deixem cooptar por políticos que tentarão se envolver no seu protesto para esvaziá-lo de conteúdo.

Podia-se ler num cartaz, ontem: “País mudo é um país que não muda”. E outro, dirigido à polícia: “Não disparem contra meus sonhos”.

Alguém pode negar a um jovem o direito de sonhar?

TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO.

——

Parece que o velho Maslow estava certo…

http://pt.wikipedia.org/wiki/Abraham_Maslow

Será que nós, em alguns casos, chegamos na fase AUTOESTIMA??

Acho que o governo não se apercebeu que finda a miséria absoluta, o Estado Brasileiro precisa prover, e rápido, as próximas fases…


flavio - 21/06/2013
Haddad afirmou que já participou noutros tempos de ações do MPL e mais O MPL foi de certa forma criado e apoiado pelo PT. Fizeram isto para fustigar a situação pois eu não acredito que eles achavam viável o passe livre. Não são idiotas a este ponto.O PT agiu na oposição como achando que nunca iria ser situação. Agora o resultado está ai. Criaram uma cobra e ela está fazendo o que foi programada para fazer exigir o passe livre, coisa que se duvidar não tem nem na Coréia do Norte. Vai lá Haddad prove que tuas idéias e as do teu partido são boas de o passe livre para todos. Seja coerente. Você e o PT agora tem o poder.


Edu Montesanti - 21/06/2013
The New York Times: materia de capa quarta-feira, "em defesa das manifestações populares" no Brasil. Nunca, ao menos desde que sou leitor deste jornal conservador, 2000, dedicou espaço na caa com imagem de quase meia página, a uma manifestação popular latina. CNN tendenciosamente (contra o governo) reporta a "Primavera". Ela está com a mesma, dentica cara das "Primaveras" na Siria, Egito, Libia, onde esta provado atraves de telegrams secretos norte-americanos, ue a CIA por anos injetou bilhhoes de dolares em favor de "ONGs" e "ativistas por direitos humanos" oposicionistas, inclusive influenciando cultural e midiaticamente tais paises. MPL saiu de cena. Curiosamente, apenas se multiplicou protesto, cooptado por extrema direita, fascistas sem ser pejorativo. Dilma lutou contra a mesma ditadura que os jornais de hoje apoiaram, os mesmos jornais por aqui que multiplicam editoriais incitando aos protestos. A CIA esta nisso. A nao ser que de tudo errado, o Brasil vera um golpe. Veja isto; Folha de S.Paulo faz pesquisa que pergunta qual forma de governo preferida: democracia, ditadura ou tanto faz

http://www.brasildefato.com.br/node/13304

SERÍSSIMO

O brasileiro esta afastado de tudo isso em geral: ha nao apenas indiferença, como alienação inclusive nas universidades.


Anderson - 21/06/2013
Deixei uma mensagem no "Blog das Frases", mas parece q foi cnsurada.



Era uma resposta para os equivocados que estão confundindo estes incríveis protestos com um golpe orquestrado pela direita fascista, algo mais o menos assim o q escrevi:



Camarada,

Ontem mais de 500 mil pessoas tomaram a imensa av.pres vargas aqui no Rio,

eu q algumas semanas atrás mais uma vez lamentava a passividade de nosso povo, não esperava a eclosão destas manifestações (que bem poderia trazer às ruas movimento sociais em outros países, configurando um upgrade do "Occupy movement")



Universitários foram em peso para as ruas, é uma galera que usa a web como fonte de informações, desprezando esta mídia fascista: a globo não pode chegar perto, pois é atacada até mesmo pelos mais moderados, por isso filmam à distância, sempre, ou se disfarçam para se aproximar, através d estagiarios e suas pequenas cameras.



devido ao vazio político ( não temos representatividade alguma naquele congresso! os deputados com rabos entre as pernas, escondidos, emudecidos)

temos este caráter difuso nas manifestações, sem lideranças.

Estamos no meio da fantástica e inesperada explosão popular(municiada pelo advento da internet, pois o governo ainda não investiu o necessário na educação: as escolas militares ainda permanecem falsificando a história das ditaduras no país, juntamente com esta mídia torpe)

e como bem disseste, desde já é preciso aglutinar forças, impedindo que esta direita reacionária, que mantém o país aprisionado, mais uma vez prevaleça.

Nesta hora, onde estão nossas lideranças?

Chavez criou um canal de governo dando voz a diversos movimentos sociais, muita força as radios comunitarias(que convocaram o povo contra o golpe de 2002)

enquanto aqui

o Estado permanece financiando esta globosta, através de bilhoes despejados através de publicidade!



Duas palavras se destacam na torpe cobertura da TV privada:

"vandalismo" e "encapuzados",

seria ótimo confeccionar imensos cartazes (pintados sobre tecido e erguidos com varas) com frases principiando "vandalismo é depositar dinheiro público em TV privada que não nos representa", "vandalismo é....etc, etc, etc"

o mesmo vale para "encapuzados são..."

a cada 15 metros um grande cartaz, para obrigar esta corja a filma-los...

que cartazes alguem aeh poderia sugerir?



ps: nesta noite de sexta, na TV cultura_poupada nas ruas, a menos pior na cobertura, apesar da fraqueza da âncora costuma convidar algum "especialista" para reflexão_hoje estava um tal de Novaes, alguém o conhece? qual seu nome completo? filósofo, escritor, quem é? emitiu boas opiniões no pouco tempo q dispunha, tocando inclusive, com pertinencia, nesta questão do rotulo "vandalismo" repetido pela TV aberta.


Mesquita - 21/06/2013
Ótima análise. Acho que aos poucos o joio será separado do trigo. Os direitistas irão para um lado, os movimentos para o outro. A polarização é inevitável e é positiva para a esquerda no Brasil, pois forçará o governo a se posicionar diante de grandes demandas e desafios que ainda precisam de respostas.


Sóstenes Antônio de Arruda - 21/06/2013
Meu caro Emir, a população está pouco ligando para o embate político entre esquerda e direita. O que a população já não tolera é o pardieiro a que o Brasil foi reduzido por obra e graça dos partidos políticos - todos eles. Os brasileiros querem está claro como o dia: cadeia para os corruptos já condenados de todos os partidos, ética na política, escolas eficientes, hospitais eficientes, transporte público eficiente, portos eficientes, aeroportos eficientes, rodoviárias eficientes, estradas eficientes, respeito à diversidade. Não é preciso grandes elocubrações, nem plebiscitos, nem consultas populares, pois até as pedras sabem o caos enfrentado pelos brasileiros.


Leonardo de Lucas - 21/06/2013
Emir, não concordo com uma parte dos seus textos que defendem o governo, mas acho que você fez uma boa avaliação sobre o atual estágio das coisas. É preciso serenidade. Está tudo muito agitado. É preciso unir o coro da mudança e fazê-la acontecer realmente. Tomara que a esquerda aproveite o ensejo para reavaliar seu papel nos últimos dez anos de governo do PT. Aproveitem que o serviço público é atualmente uma bandeira de todos. Isso o Emir já entendeu. A coisa pode avançar...


Edu Montesanti - 21/06/2013
emir,nao publique isto, por favor: converse com o pessoal do pt, com o lula, com a dilma, com o ze dirceu, com o tarso, sei que eles o respeitam muto, o escutam. é preocupante isso, sem cara como disse a marcia eloy, sem objetivos claros, sem fim... quem? para que? de onde? chega de primavera! emir, sou socialista, amo o chavez, maduro, fidel, correa, cristina, morales, lugo, dilma, mas nao existe passe livre! quebra o pais isso! de onde saiu esse grupo??? ficarao llutando na rua por transporte gratis, nao havera nunca isso, e nao pararao de lutar entao? o que éisso? a mando de quem? vespera de eleiao importante? futuro do continente depende dessa eleição, mais 4 anos e oimperio nao aguenta o tranco neste ritmo sul sul! ele esta agonizando, agressivo, esta entrando dinheiro aqui, emir! converse com o pessoal, e cuidado com o que vai escrvr daqui em diante.estarei atento wikilaks e snowden, vasculharei tudo, passarei o que ler a vc aqui. vem chumbo ai emir!!!


Jorge Andre Pires - 21/06/2013
Acompanho o Carta Maior há algum tempo, assim como as análises de Emir Sader. A maioria das vezes gostei: era uma opinião a ser levada em conta. Hoje, no entanto, quero dizer que sua análise está no essencial incorreta e conservadora. Talvez, em virtude da sua ilusão com o PT. Este partido deixou de ser ESQUERDA quando o Lula ganhou a presidência da república. Tornou-se um partido de centro, conforme as próprias palavras de Lula. Como consequência, não só das palavras, mas também dos seus atos como governante. Afastou, outra consequência, todos os que queriam reformas profundas e NECESSÁRIAS para o nosso país. O governo Lula causou a maior decepção no nosso povo, causada por um governante que era de esquerda. O governo da presidenta Dilma consegue ser pior; parece estar perdido entre os Renans Calheiros, Felicianos, PMDBs e por aí vai. Onde a Dilma quer chegar? Eu não sei. Só sei que não é um governo de esquerda, assim como não é o governo do Tarso. Este, aliás, manifestou-se contra a PEC-37, e a "cura gay" depois que milhões de pessoas foram às ruas. Este governo de "esquerda" não existe no RS. É um rótulo dado por força do hábito e não pelo que apresentam. Este governo estadual e o federal NÃO DISSERAM ainda para o que vieram. A ESQUERDA de verdade está nas ruas. Quem quiser se auto-declarar de esquerda DEVE vir para as ruas. Estamos fartos de migalhas, estamos fartos de incompetência, estamos fartos de esmolas e estamos fartos desses partidos. Todos foram atropelados pelos milhões de pessoas que foram e que irão às ruas. Ninguém espera mais nada de vocês!


Antonio Victor - 21/06/2013
Parabéns Emir Sader Excelente esposição dos fatos que acontecem no Brasil!!!!



RICARDO T MUNHOZ - 21/06/2013
Transporte Público de Passageiros

Uma das questões que enseja uma pronta intervenção do poder público, em todos os níveis, nas manifestações do Movimento Passe Livre, trata do transporte urbano de passageiros. Acredito que a tarifa zero seja uma opção difícil de ser alcançada, critiquem-me, por favor, se estou equivocado. Entendo, também, que o MPL esteja atuando numa esfera bem maior. Mas vamos falar sobre transporte “público”. Coloco entre aspas, pois deveríamos ter realmente um transporte público , não privado. Devemos defender a ideia de TRANSPORTE PÚBLICO FEITO POR EMPRESA PÚBLICA , onde o preço das passagens deveria se balizar diante de um custo operacional e não no lucro de empresários que visam, tão-somente, o beneficio próprio, ou seja: o lucro abusivo de empresas privadas de transporte coletivo torna, por consequência, uma passagem mais cara. Nos últimos 30 anos, pelo menos, não há preocupação em servir a população num transporte de boa qualidade, não somente com linhas regulares, mas principalmente com ônibus renovados, limpos e dentro da possibilidade confortáveis. O que vemos hoje são ônibus velhos, sujos, sem segurança para com os usuários e pedestres.

Entendo que devemos trabalhar por uma passagem mais barata em torno de propostas públicas: fim do ICMS do diesel, fim dos impostos para os itens de manutenção dos ônibus, fim das empresas privadas de transporte coletivo, incorporação do ganho de publicidade "busdoor" para o barateamento da passagem, priorizar o uso de ônibus em detrimento ao automóvel. Por fim, entendo que uma empresa pública é mais fácil de ser fiscalizada do que uma empresa privada e, no caso de São Paulo, deve-se resgatar a CMTC, empresa que foi sucateada pelos governos ao longo do tempo e, posteriormente fechada para dar lugar às empresas privadas que tão somente recolhem dinheiro ao longo do percurso.

Ricardo T. Munhoz - Geógrafo



Antonio José - 21/06/2013
Vândalos à parte, EXPLICA O NOSSO MOMENTO

——-

Por que o Brasil e agora?

Paradoxalmente, a culpa é de quem deu dignidade aos pobres, uma renda não miserável para comprar o que sempre foi um sonho

JUAN ARIAS/EL PAÍS

Está gerando perplexidade, dentro e fora do País, a crise repentina que eclodiu no Brasil com o surgimento de manifestações de rua, primeiro em cidades ricas como São Paulo e Rio, estendendo-se por todo o País e envolvendo brasileiros no exterior.

No momento há mais perguntas para se entender o que está ocorrendo do que respostas. Há apenas um consenso de que o Brasil, até agora invejado internacionalmente, vive uma espécie de esquizofrenia ou paradoxo que ainda precisa ser analisado e explicado.

Iniciemos com as perguntas:

Por que surge agora um movimento de protesto como os que vêm ocorrendo em outros países do mundo, quando durante 10 anos o Brasil viveu anestesiado pelo seu sucesso compartilhado e aplaudido mundialmente: O Brasil está pior hoje do que há 10 anos? Não, está melhor. Pelo menos está mais rico, tem menos pobres e aumenta o número de milionários. Está mais democrático e menos desigual.

Como se explica, então, que a presidente Dilma Rousseff, com um consenso popular de 75% – recorde que chegou a superar o do popular Luiz Inácio Lula da Silva -, foi vaiada repetidamente na abertura da Copa das Confederações em Brasília por 80 mil torcedores da classe média que puderam dar-se ao luxo de pagar até US$ 400 o ingresso?

Por que saem para a rua para protestar contra o aumento de preços dos transportes jovens que não usam esses meios de transporte porque têm carro, algo impensável há 10 anos?

Por que protestam estudantes vindos de famílias que até há pouco não teriam sonhado em ver seus filhos pisarem numa universidade?

Por que a classe C aplaude os manifestantes, essa classe C que veio da pobreza e que pela primeira vez em sua vida conseguiu comprar uma geladeira, uma TV e até um carro usado?

Por que o Brasil, sempre orgulhoso do seu futebol, parece estar agora contra o Mundial, chegando a empanar a abertura da Copa das Confederações com uma manifestação que resultou em feridos, detenções e medo nos torcedores que chegavam ao estádio?

Por que esses protestos, em alguns casos violentos, num país invejado até pela Europa e Estados Unidos pelo seu quase desemprego zero?

Por que se protesta nas favelas onde os habitantes viram sua renda duplicada e recuperaram a paz que lhes fora roubada pelo narcotráfico?

Por que, de repente, levantaram-se em pé de guerra os indígenas que já têm 13% do território nacional?

Os brasileiros são mal agradecidos àqueles que melhoraram sua vida?

A resposta a essas perguntas que deixam muita gente, a começar pelos políticos, perplexa e assombrada, poderia se resumir em poucas questões:

--- CONTINUA ---


Raimundo W.S. Melo - 21/06/2013
Um país como o Brasil, estruturado (mal-estruturado) para uma democracia representativa, como querer-se, de uma hora para outra, mesmo através de movimentos multitudinários, mas com uma pauta caracterizada por uma diversidade de propostas antagônicas, possa reivindicar a institucionalização de medidas determinadas diretamente pelo povo, características de democracias diretas???!!!. Os movimentos de rua serão positivos na medida em que possam desaguar na formatação constitucional de uma democracia direta. realmente popular.


Marcela - 21/06/2013
Quem deve "atuar junto a ele para ajudar a que tenham uma consciência mais clara..."?


Edu Montesanti - 21/06/2013
Sou socialista e tenho mil divergencias com o PT, mas que movimento é esse Passe Livre, e como havera passe gratis? Inviavel, quebra o país! O que eles querem? de onde vieram? Se a coisa nao vier a ficar feíssima no Brasil nas proximas semanas, e se a democracia nao sofrer um atentado nos proximos meses, para mim sera uma grande surpresa. Estou esperando uma nova Primavera da CIA no Brasil (ela já começou). OU o PT faz algo urgente, sem bater de frente com a sociedade, mas a chama para si, ou... É hora de a esquerda se unir mais que nunca


João Martins - 20/06/2013
Democratizar o Brasil, é na luta de massas das ruas! Os pendurucalhos que ainda restam para se desmontar, construído pela ditadura civil-militar no Brasil, e que ainda persistem, são: Mídia oligopolista, PMs, judiciário e os grandes partidos e bancadas parlamentares que não deixam haver reformas políticas estruturais, sobretudo agrária e do estado e sistema eleitoral com financiamento público de campanhas eleitorais. Enquanto isso não for desmontado na pressão popular estaremos sempre sob chantagem via opinião publicada desinformando e distorcendo a realidade política e sócio econômica em que o povo vive e resiste em suas manifestações ainda muito pacíficas frente à violência e brutalidade sistemática tradicional das elites brasileiras.

O fundo do poço também está chegando com força às ruas para reclamar seus direitos e a memoria de grandes traumas na sociedade brasileira. Pelo Fim das PMs!

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=557824740926796&set=a.451493084893296.104818.443075235735081&type=1&theater

A última reunião do FÓRUM DE LUTA CONTRA O AUMENTO DAS PASSAGENS foi acompanhada por mais de 500 pessoas. O encontro aconteceu nesta terça-feira (18), no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, no Largo de São Francisco de Paula, no centro do Rio.



O grupo definiu as pautas do movimento que levou, na última segunda-feira (17), mais de cem mil às ruas. São elas:



1ª Redução imediata do preço das passagens; transporte 100% público, gratuito e de qualidade.



2º Contra a privatização do Complexo do Maracanã; fim das remoções e mais investimentos na saúde e educação.



3º Libertação dos presos políticos; anulação dos processos; fim da repressão e criminalização dos movimentos sociais.



4º Pela democratização dos meios de comunicação.



O próximo ato foi marcado para esta quinta-feira (20), às 17h, concentração na Candelária e marcha seguirá em direção à prefeitura.



Messias Franca de Macedo - 20/06/2013
PT, PC DO B E MST

APANHAM: “DITADURA JÁ !”

*Os que clamavam por ditadura estavam mascarados...



[FALA, MATUTO!] ... E portando cartazes com os dizeres [hipócritas]: SEM VIOLÊNCIA!



NOTA: as esquerdas vão tirar os pijamas e sair às ruas?! Ou esperarão pela ordem: exílio ou cadeia?!...



*Publicado em 20/06/2013

em http://www.conversaafiada.com.br/politica/2013/06/20/pt-pc-do-b-e-mst-apanham-ditadura-ja/#comment-1161032



(... Só está faltando a 'gota d'água!... 'Capiche'?!...)



… E que país é esse?! República de Nois’ Bananas



Bahia, Feira de Santana

Messias Franca de Macedo



raul patricio - 20/06/2013
Professor,

O grande poeta chileno, Parra, escreveu a Esquerda e a Direita Unida jamais serão vencidas! Na minha modesta opinião aparece uma tremenda salada russa. Não há diferenças entre as políticas do governo atual e uma direita que continua forte no Congresso, no poder judiciário, na policia e no aparelho do Estado. Fisiologismo do governo: o governo tem 39 ministérios. Um deles é ocupado pelo Vice -Governador de São Paulo que é assumidamente de direita. E o abraço de Lula a Maluf! O presidente do Senado era fiel aliado de Collor e é de direita. Agora é apoiado pelo PT. A saúde no país é uma vergonha, a educação e o transporte público igual. A violência e a truculência da policia é infame. Os representantes dos povos indígenas solicitaram cinco audiências com a Presidenta e não foram atendidos. O agronegócio tem as portas aberta e canal livre. O MST tem justas e severas críticas pois os governos Lula e Dilma desapropriaram menos terras que o FHC. E o senhor ainda disse que a esquerda deve orientar o movimento? Que esquerda? Ou o senhor acha que o PT ainda é de esquerda? A reforma sindical nunca mais se soube. O PT no Congresso não deu a mínima para a eleição do Feliciano. Dois deputados do PT são réus do mensalão e assumiram o cargo com a maior cara de pau. Por uma questão elementar de ética deviam esperar o fim do julgamento Quem vai acreditar no Congresso que é a maior articulação de interesses da classe dominante com participação ativa da maioria dos deputados e senadores do PT. As manifestações expressam o cansaço com a roubalheira da Copa, com a corrupção empresarial e a vista gorda do poder judiciário. Com um Congresso fisiológico. O senhor é cientista social: Acredita realmente que 40 milhões de brasileiros "ascenderam" à classe média. Qual é o conceito científico de classe media? Ganhar R$ 700,00. Me poupe; que orfandade teórica. O Presidente Lula sem dúvida foi de longe o melhor Presidente do Brasil desde a ditadura e a Presidente Dilma é ótima Presidenta. Não é por problema de nomes. É falta de partido. O PT está controlada autoritariamente por uma casta burocrática, com contadas exceções, preocupado do poder, prestigio e enriquecimentos dos seus dirigentes. O PT fundado por Lula e por todos nós já não existe mais. Tomara renasça das cinzas e do caldeirão do protesto. As ruas falaram do ceticismo generalizado do país. Mas, também apontaram para um caminho e com uma visão muito clara. Gritaram: Chega! com alegria e esperança, pois descobriram que o poder está nas suas mãos.


André Terra - 20/06/2013
O cálculo é simples, caros manifestantes que estão na “vibe” do movimento ! Qual o maior público que a manifestação conseguiu levar às ruas de SP ??? Destes, quantos estavam de GREVE, ameaçando o Capital, Estado,partido político ou qualquer outra instituição ? Agora responda: qual a população de São Paulo e qual o percentual da força de trabalho paulista aderiu ao “movimento” ? Sinto muito, mas não era o “POVO” e nem a “População Economicamente Ativa” que “Occupy” a Av.Paulista !!! A galera “desceu do FACE”, mas flores para policiais não ameaçam patrão, partido ou político algum !!! Bons sonhos, o “gigante de papelão” nunca despertou, vcs apenas serviram de “inocentes úteis indignados” ! Nada além !!


reynaldo - 20/06/2013
Só um detalhe, o PT é hoje um partido de direita e um partido de direita autoritário, sem oposição, mas espertalhão, por isso parece que não. Não vou repetir aqui as provas para minha afirmação, apenas darei um dado novo, o modo que Alckmin e Haddad estavam, mais uma vez, ontem, afinados em seu discurso de tentar colocar o ônus da rebaixamento da tarifa sobre o movimento, a balela de que alguém vai sair perdendo com a relocação de recursos do orçamento, por exemplo, a saúde ou a educação, como se fosse possível piorá-las e sem promessa de melhorar o transporte público, tudo culpa, claro, dos manifestantes, essa minoria estudantil contra quem querem voltar a população. Em nenhum momento ouvi da boca dos governantes e de analistas da grande mídia o que vem sendo repetido aqui em vários artigos: vamos abrir a caixa de pandora do transporte público, vamos mostrar as panilhas de custos e os lucros das empresas. Se, mesmo com uma passagem tão cara e os subsídios do governo, como alegam Alchmin e Haddad, elas não têm como investir, sequer se manter, então que provem. Uma líder do movimento propôs a Haddad ajuda no enfrentamento da máfia, mantendo o povo na rua. A pergunta é: Haddad e o PT têm mesmo vontade de enfrentar esses grandes poderes ou já estão atolados até o pescoço? Emir Sader e Saul Leblon se calam sobre todas essas contradições fundamentais, repararam?


Guilherme Scalzilli - 20/06/2013
Por um triz



Falta uma infelicidade qualquer para que algum desses atos públicos nas capitais se transforme em tragédia. Alguém tropeça, puxando outros consigo, durante uma correria. Um bate-boca leva ao pugilato e a trocas de facadas ou garrafadas. Um bandido infiltrado, civil ou militar, aproveita qualquer tumulto para dar um tiro na direção da turba. Um tijolo despenca do décimo andar de um prédio. Uma bomba explode no lugar errado.



E assim, de repente, surge o primeiro cadáver dos protestos.



O simples fato de tudo estar tão sujeito ao acaso e à boa-vontade das gentes já é sintoma de perigosa fragilidade. Se considerarmos o caos probabilístico gerado por um fenômeno em que dezenas de milhares de pessoas se espremem pelas ruas da metrópole, concluímos que os anjos das passeatas vêm trabalhando como nunca. É quase absurdo que não tenha ocorrido alguma ocorrência fatal, especialmente porque as chances se multiplicam na repetição diária dos atos.



Talvez eu esteja apenas sendo pessimista, mas na base de toda medida preventiva existe uma dose de fatalismo. Depois de acontecer o pior, será inútil discutir se houve uma coincidência idiota ou a ação de malfeitores oportunistas. Não podemos menosprezar a possibilidade de que alguém esteja ansioso para que a violência fuja ao controle da imensa maioria pacifista. É necessário, portanto, que os organizadores dos protestos passem a trabalhar com esse risco de forma responsável.



http://www.guilhermescalzilli.blogspot.com.br/



Edu Montesanti - 20/06/2013
Uma análise perfeita como esta, neta hora partindo de um apoiante do governo, apenas poderia vir de setores progressistas. A ala reacionária retrógrada deste país,que como qualquer reacionário se apoia na desinformação, está cada vez mais enfraquecida no Brasil. Parabéns,professor Emir! A luta em Primavera continua, e se necessário, a galra está pronta para, pacificamente, dar a vida ali! Vale dar parabéns a nossa briosa, cheia de caráter presidente Dilma, o premiê Patriota, e outros governistas que, nesta hora esquecem seus interesses político-partidários e saúdam as manifestações. Nessas horas, conhece-se um ser humano. Pouquíssimos neste país manteriam a postura do Itamaraty agora. Alguém quer PSDB de volta?? Este partido esteve estampado nos jornalões o

todos estes dias de protestos com seu inconfundível espírito reacionário, manipulador, mentiroso


GIovanni - 20/06/2013
Os R$0,20 foram apenas o "estopim, o pavio", o povo e principalmente a juventude, encontram-se extremamente insatisfeitos com todos os partidos e políticos, não entende quem não quer.Depois dos gastos bilionários com estádios, não adianta o governo alegar que não tem recursos para a saúde, para a educação de qualidade, para a segurança, para melhores aposentadorias e pensões, pelo fim do fator previdenciários, por melhores salários aqueles que realmente merecem(professores por exemplo), basta de incompetência, corrupção, roubalheira, conchavos, apadrinhamentos, indicações, obras super-faturadas!Tem dinheiro sim, é muito!O melhor seria este movimento exigir o cancelamento das olimpiadas, mudanças profundas no código penal, endurecimento das penas, benefícios e reduções somente para delitos considerados leves, redução da menoridade penal, tráfico de drogas ser considerado como crime contra a humanidade, no mínimo de 50 anos sem nenhum contato com mundo, longas e infindáveis penas para corruptos, apenas 1 mandato para qualquer político, participou do governo, nunca + poderá se candidatar a nenhum cargo público ou "realizar consultorias", é senador, deputado ou ministro se candidatando a cargo elegivel?Tem que escolher, ou a candidatura ou a manutenção do cargo, perdeu não volta para o anterior, etc, etc, etc...toda esta manifestação, assustou a esquerda, o governo, o pt e principalmente os políticos que ainda não aceitam ou acreditam nos resultados, faço votos que hj, na Paulista, não seja permitido o hasteamento de bandeira de nenhum partido!Basta, são todos farinha do mesmo saco!Espero de coração, que as manifestações agigantem-se, priincipalmente durante a copa do mundo, provando ao restante do planeta que a situação por aqui não é a mesma que vendem aos países desenvolvidos...O patriota e demais membros da situação alegando que é resultado da melhoria de vida da população nos últimos 10 anos...conta outra, mentem tanto que acreditam na própria lorota!Tenho visto em muitos cursinhos e faculdades, o total desinteresse dos jovens pelo futebol, ninguém, quer mais saber desta porcaria, este circo já era, + uma geração e felizmente, perderemos a alcunha de "país da bola".O próximo alvo: a rede manipuladora e suas novelas inúteis...


Messias Franca de Macedo - 20/06/2013
DA SÉRIE “ESCUTA ESSA!”



Uma professora de História da PUC/SP – ‘convidada a dedo’ *pela emissora – proferiu algumas, digamos… Pérolas!…

*GloboNews



“… Mas, o que importa, sobretudo, é que a pauta, a agenda do movimento [MPL], está posta para a sociedade, de forma muito, muito, muito clara!… Agora, **‘menina’, o que mais me surpreendeu foi o número gigantesco de indigentes na cidade de São Paulo. Sabe como é que é: esses movimentos de ruas atraem muitos indigentes! Eu estou boba: como tem indigentes na cidade de São Paulo! E isso é mais um motivo para nós protestarmos! E muitos desses indigentes nasceram após a implantação do ‘Plano Real’. O que mostra que, apesar das políticas sociais implementadas nesses últimos anos, o Estado brasileiro não está cuidado dessas crianças, desses indigentes!…”

**’A ÂNCORA da vez’! [a tal ‘menina’ referenciada pela professora da PUC/SP entrevistada!] – “Mas, “pró” a senhora não acha que essa agenda já está farta de motivos para o povo protestar?”

‘A “PRÓ” – “ [Risos] Realmente! Mas, é isso mesmo: a juventude tem gás(!); portanto, esses protestos não podem cessar!”

‘A ÂNCORA da vez’! – “É verdade, pró!…”



OPS: Coitada!… ‘Da âncora da vez’! Teve calafrios durante a condução da entrevista [histórica] com a historiadora, PUC/SP…!



… Ah! Esse PIG!…



E VAPT VUPT!



República de ‘Nois’ Bananas

Bahia, Feira de Santana

Messias Franca de Macedo


Roberto Simonard - 20/06/2013
Prezado Emir:



Não sei se concordo com tudo o que você escreveu, mas gostaria de parabenizá-lo pela lúcida análise no sentido de que ainda é prematuro para se estabelecer afiimações sobre um monvimento que é forte, mas de propósitos ainda difusos e de causas que precisam de maior observação. Concordo também que aqueles que se propõem a analisar o movimento em questão, devem procurar fazê-lo evitando tentar encaixar sua análise a posicionamentos pré-estabelecidos. A hora, sem sombra de dúvida, é mais de escutar e observar do que de falar e afirmar.



Saudações cordiais.


J. Moreira - 20/06/2013
Cadê a UNE? Por que ela não vai para as ruas organizar o movimento, que é composto essencialmente por jovens? Ah, ela não pode porque está comprometida até a medula com o governo atual, né?


Edu Montesanti - 20/06/2013
Estou colaborando semanalmente com o Observtório da Imprensa, além de escrever ao socialista Truth Out dos EUA, onde também escrevem Chomsky, Amy Goodman e o Paul Krugman, professor Emir, e se o senhor gentilmente me permitir deixar umas manchetes de recentes matérias minhas ao senhor e seus leitores que porventura queiram acessar minha página, aqui vão:

PRIVACIDADE SEGUNDO OBAMA

Google "Chocada": Coelho da Páscoa Existe



PRIMAVERA BRASILEIRA

A Força das Ruas



ESPIONAGEM MASSIVA MADE IN USA

Snowden: "EUA Invade Computadores Chineses desde 2009"



Mais de 61 milhões de operações invasivas em todo o mundo



ESPIONAGEM MASSIVA MADE IN USA

Falência Moral da Imprensa Brasileira



PRIMAVERA BRASILEIRA

Onde Estão Marco Feliciano e Silas Malafaia?



ATO EVANGÉLICO

Anti-Cidadania e Natural Truculência



ACORDO TRANS-PACÍFICO

Partido Verde dos EUA Lança Protestos



VENEZUELA

Exemplo contra Fome segundo FAO, contra Analfabetismo segundo Unesco



EQUADOR

Substituída Lei de Comunicação da Ditadura



SÍRIA

Desinformação: Reportagens-Fantasia sem Fim



www.edumontesani.skyrock.com



Obrigadão, professor!


Edu Montesanti - 20/06/2013
Professor, estamos vendo a queda vertiginosa dos meios de comunicação, economicamente e no conceito dos cidadãos, perde credibilidade assombrosamente. A Rede Globo, usada pela ditadura para controlar o pensamento vendendo um Brasil que só existia na nos gabinetes de marketão dos milicos e seus comparsas bandidões, já não exerce a mesma influência hoje, longe disso. No movimento Diretas Já, a Demônia Globo reportou uma vez que as 500 mil pessoas em SP comemoravam o aniversario da cidade, enquanto clamavam por diretas. A sociedade ficava passiva, Hoje,uma copanheira, por exemplo, postou no Facebook: "esqueçam a midia manipuladora, e venham ao FB onde não ha manipulação", e outro, "do FB às ruas!". Em época de informação em tempo real, e global, como esta insistindo a Telesur, "o gigante acordou". Credito isso ao acesso à informação, preponderante para este momento unico em nossa historia - facilitado por nossa briosa presidente que, praicamene sozinha, dá a cara a tapa e apoia ate debaixo d agua a juventude e suas reivindicações. Poucos agiriam como ela. Isso tambpem aumenta a auto-estima de um povo, uma presidente com um carater desse


Edu Montesanti - 20/06/2013
Você está certíssimo, Geraldo Alckmin, opa! quero dizer, Márcia Eloy! Desculpe...


Edu Montesanti - 20/06/2013
Professor Eir, se o senhor me permite, lancei meu livro na última Bienal, onde foi destaque, além de ter sido recomendado por parte da mídia alternativa, trata de 40 anos de mentiras e crimes dos EUA no Oriente Médio, como foco no 11 de Setembro, esmiuçado, e nestes anos de suposto combate ao terrorismo internacional: Mentiras e Crimes da Guerra ao Terror, e o Jornalismo Brasileiro Manchado de Sangue. (do Afeganistão, Joya ativista por direitos humanos e ex-parlamentar expulsa do cargo ameaçada de morte, concedeu entrevista a jornal reacionário brasileiro, o qual modificou toda a entrevista; denunciando ate trafico de drogas da CIA, ela me enviou a original, esta no livro) Mais infos, aqui:



http://edumontesanti.skyrock.com/46.html


Reinaldo José Mercador Dantas - 20/06/2013
Concordo em tudo com Emir Sader e digo mais: é preciso buscar mecanismos democráticos para inserir essas pessoas num amplo debate para melhorar as condições básicas de vida do povo. Só através da conscientização política e social conseguiremos avançar rumo ao Brasil que todos queremos e vamos conseguir.


Odorico Ribeiro - 20/06/2013
Obviamente as manifestações do povo, são uma demonstração de democracia. Mais bem, a participação popular é fundamental. Certamente, temos de ter o cuidado de não desperdiciar essa oportunidade de participação da mesma forma como temos a desperdiciado nas eleições do Congresso. Que desperdicio, é ou não é?



Por isso devemos estar ao dia, buscar informações, para que ninguém nos engane e desta maneira possamos fazer da nossa participação algo bem positivo e que realmente ajude ao país.



Pensando nesses detalhes faço as seguintes perguntas:



1. Se nas recentes marchas estivessem estado presente a gente do MST e de outros movimentos sociais com cartazes bem grandes pedindo a reforma agraria, será que O Globo e seus socios iriam divulgar isso nas suas primeiras páginas estimulando a aceitação popular?



2. Será que eles também estimulariam a que seus atores globais falassem a favor dessa reforma agraria?



3. Será que se esses mesmos movimentos sociais portassem cartazes bem grandes alusivos ao problema dos alimentos transgênicos, eles teriam o apoio da grande midia?



4. Os atores globais falariam livremente desse problema alertando aos brasileiros?



5. E se os cartazes falassem dos absurdos bancarios e dos banqueiros que cobram enormes juros prejudicando ao país e ao seu proprio povo, que faria essa tal grande midia?



6. Os atores globais estariam dispostos a falar disso?



7. E se empresas com bastante problemas (não só no Brasil, mas em todo o mundo) tipo Monsanto, fossem denunciadas nesses grandes cartazes? Que faria a midia?



8. E os atores globais?



9. Se todas essa ações tivessem sido levadas a cabo, as atuais marchas ainda estariam nas ruas do Brasil?


martha - 20/06/2013
Texto lúcido. Entretanto, FRISO, essa não é uma luta da JUVENTUDE. É uma luta de todos nós. Talvez os mais jovens estejam em maioria nas ruas, até por conta da dura jornada de trabalho, mas essa luta não tem relação com a faixa etária. É uma briga de adultos contra adultos. É uma luta que os adultos do hoje - seja por sua omissão ou revolta - ajudaram a forjar.


Katiusca - 20/06/2013
Concordo com o texto ,e há uma questão crucial no que diz respeito às cidades e ao País. Decisões importantes , que atingem direto a população são tomada sem uma consulta , sem a participação de quem colocou estes politícos lá, para que resolvessem nossos problemas já seculares . O sentimento de não pertencimento, por exclusão, da sua cidade, onde prefeitos e governadores não oferecem condições básicas, como educação de qualidade, saude ,num descaso total, pessoas morrendo sem atendimento alem da questão da mobilidade, são realidades absurdas .Os interesses privados exploram as cidades , partilham ,lucram com as cidades em setores onde nunca deveriam estar, visando apenas o butim que é compartilhado por estes politicos.Ora no Rio , empresas de transporte financiam as campanhas destes politicos e o toma lá da cá impera em detrimento do bem estar social . As empreiteiras que tambem ,financiam as campanhas lucram com as obras que pipocam em toda parte e sabemos dos superfaturamentos , das licitações viciadas, quando há. Oferecer ao mundo uma Copa de maneira perdularia ,uma festa onde não fomos consultados nem convidados e somos os anfitriões por direito .Espero que agora nada seja como antes ,que se cobre em mil manifestações todos os direitos que estão na nossa constituição e que sempre nos foram sonegados. Avanços sociais tivemos sim ,mas ainda é muito pouco e a nossa juventude está aí para fazer valer a democracia, aperfeiçoa-la . Lutamos no passado e muitos jovens morreram para que hoje os nossos herdeiros continuem a luta nas ruas , festa cívica , comprensivel e legitima. Não há mais espaço para paciencia, esgotou-se. há pressa ....não basta mais as migalhas oferecidas em módicas prestações enquanto politicos promovem seus fartos salarios e tem passe livre para viajar de avião,e tantos outros beneficios...queremos nos apoderar do nosso País. ele nos pertence. Desculpem por favor a empolgação e os seus possiveis erros e equivocos....apenas um desabafo despejado num fôlego .


Odorico Ribeiro - 20/06/2013
Olha aí gente, quem possa estar pensando numa pureza total nessas marchas e que nessas marchas não vai haver quem queira se aproveitar dela está inocente demais, como mínimo.

Para dar um pequeno exemplo (porque esse tema obviamente é extenso), pensemos no que está passando nas marchas com respeito aos partidos políticos.

Lembram da Itália fascista? Ou da Alemanha nazista? Ou do Chile de Pinochet? Pois bem, quantos partidos havia ali? Quantos? Nenhum, claro, só o deles!! Não podemos ser ingênuos neste momento tão importante!!

Caramba!! Ir contra os partidos é facilitar o papel dos fascistas!! O que devemos exigir, isso sim, é que se corrijam os erros dos partidos nos quais confiamos, que representam uma ideologia que enalteça os verdadeiros valores. Quem estiver nesse partido ou o representa dignamente ou que se vá dali. Exijamos isso !! Mas nunca acabemos com os partidos. Seria um erro muito grave. Muito.


Marcia Eloy - 20/06/2013
Eu não sou a favor de movimento que não tem cara, que não tem meta, que faz várias exigências, poucas realizáveis.Eu acho que a rua é de "todos" e não pode ser ocupada todos os dias deixando o transporte um caos.O direito de ir e vir das pessoas acabou nestes últimos dias. Afinal o que querem? As passagens baixaram, mas eles não saem da rua. Conclusão: a meta não era as passagens de ônibus. Abram o olho porque vem coisa por aí.


José Raimundo Carvalho - 20/06/2013
A síntese está no item 10 do artigo. Aí se assenta o movimento em relação ao seu prosseguimento. Ter a clareza e a capacidade se manter organizado. E aí, se precisa das lideranças que têm mais experiência na condução deste tipo de manifestação, mesmo tendo-se o "ineditismo" como principal característica condutora destas manifestações.


Marcela - 20/06/2013
E cuidar para que a esquerda que se acha dona da esquerda não seja vitoriosa na missão de tutelar movimentos de esquerda.


Marcelo D'Elia Branco - 20/06/2013
Caro Emir,

depois da nossa conversa por telefone creio que as coisas já andaram bastante.

Coloco aqui, numa entrevista pro portal Terra, algumas opiniões minha sobre alguns aspectos dessas manifestações e suas similaridades com outros movimentos "em rede" como o Espanhol e no mundo árabe. Mesmo que as reivindicações iniciais fossem bem diferentes, as dinâmicas são muito semelhantes.



marcelo



http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/ex-consultor-de-dilma-governos-tem-atuacao-ridicula-nas-redes-sociais,5ae08eb7ce85f310VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html


Gehardon - 20/06/2013
Ótima análise. Aguardávamos ansiosos pelas palavras de grandes nomes do pensamento nacional para poder entender um pouco destes atos populares.


marcos - 20/06/2013
O movimento é horizontal.


Marcos Mineiro - 12/07/2013
Nossas TVs



-Pela manhã quando estamos arrumando as crianças para a escola.

-Na hora de almoço

-À tarde

-Na hora da janta

-Toda hora temos noticias de crimes, assaltos, agressões, notícias de estupro, assassinatos, atropelamentos, brigas, etc, etc



Essas notícias não deveriam ter um horário mais adequado como os filmes mais "pesados " ?



--------------------------------------------------------------

Esses programas já não se contentam em noticiar os crimes locais.

Quando falta "notícias locais" os programas são "preenchidos" com notícias de crime de qualquer outro lugar (desde que sejam impactantes) dando a impressão que tudo acontece localmente.

Impressiona o número de vezes que a mesma notícia é repetida.

Será que a intenção é manter a população assustada, apreensiva.



Há algum objetivo político por tráz disso ?



Um dia antes de começar as "manifestações" o SBT ampliou seu programa de "notícias" matinal em mais duas horas (com a participação de Cezar Filho) para repetir as mesmas notícias com mais destaque ainda.

Programas que sempre cuidaram de receitas e beleza passaram a repetir as mesmas cenas, misturando cenas de ontem e de antiontem como se estivessem acontecendo no momento.



----------------------------------------------------------------

impressiona como esses programas estimularam e continuam estimulando as pessoas a "sair às ruas".

Impressiona o destaque enorme que esses programas tem dado ao vandalismo que ocorre ao final de passeatas.

Impressiona o modo como mostravam alguns cartazes e faixas seletivamente.

Até o representante da FIFA ficou espantado com a "cobertura" que as TVs dedicavam aos atos de vandalismo

PARCERIAS