Quinta-Feira, 22 de Junho

07/09/2014 - Copyleft

É o capital especulativo, imbecis!

Quem se deixa levar pela polarização entre uma suposta nova política e a velha política, deixa escapar o essencial dos dilemas da eleição presidencial de 2014.

por Emir Sader em 07/09/2014 às 10:27



Emir Sader


- Lula ou Neca Setubal -

Quem se deixa levar pela polarização entre uma suposta “nova política” e a velha política, deixa escapar o essencial dos dilemas da eleição presidencial deste ano.

O neoberalismo promoveu o capital financeiro, sob sua forma especulativa – isto é, não a que financia a produção, o consumo, a pesquisa, mas a predatória, que vive da compra e venda de papeis, nao produz nem bens, nem empregos – como setor hegemônico da economia, em escala mundial e em cada pais. Ao promover a desregulamentação, ao invés de se dar uma retomada da expansão econômica, houve uma gigantesca transferência de capitais da esfera produtiva da especulativa. Porque, como dizia Marx, o capital não está feito para produzir, mas para acumular. Se ele encontra melhores condições – maior retorno, menos tributação, liquidez total -, ele se concentra na esfera financeira.

No Brasil isso ocorreu no governo FHC, em que o sistema bancário sucedeu a indústria automobilística, como setor hegemônico da economia. Hoje o Brasil tem sua economia travada pela ação predatória e anti-social do sistema financeiro, que prefere colocar seus capitais na Bolsa de Valores e nos paraísos fiscais, ao invés dos investimentos produtivos que o pais necessita.

O grande capital se nega a acompanhar o imenso processo de democratização econômica e social promovido pelos governos Lula e Dilma. Prefere seguir produzindo para o consumo de luxo da alta esfera do mercado ao invés de reciclar seus investimentos para atender as demandas das camadas emergentes da população, que constituem um novo mercado de consumo popular em enorme expansão.

Essa é a contradição fundamental que o Brasil vive hoje. Os capitais não se dirigem para onde o projeto de democratização social, de combate à desigualdade, à miséria e à pobreza, requer, preferindo sabotar esse projeto e permanecer na esfera especulativa.

O programa da Marina não poderia ser mais explícito em consolidar essa opção, ao propor a independência do Banco Central e ao ter no seu comando político e economistas vinculados às teses neoliberais do livre comercio e à própria herdeira de um dos maiores bancos brasileiros. Sua eventual vitória significaria o fortalecimento da hegemonia do capital financeiro sobre a economia, atentando fortemente contra o processo de distribuição de renda do governo atual.

Esse o dilema que se coloca na campanha atual: a favor do capital especulativo – com aumento da taxa de juros e consolidação das suas posições - ou a favor da sua forte tributação e da baixa significativa da taxa de juros. O que está em jogo é o projeto de inclusão social e de democratização do país, a resolução a favor desse projeto, com a reciclagem dos grandes investimentos para a esfera produtiva ou dominação consolidada do capital especulativo sobre o pais. De forma direta: se por trás da próxima presidente estará o Lula ou a Neca Setubal.

Tags: Economia,  Política





Mauro Nascimento - 27/09/2014
O articulista esquece a dimensão que o Brasil tem hoje no cenário político internacional. Esquece que o sistema financeiro encontra-se mergulhado em profunda crise. Os países sede do sistema estão financeiramente completamente quebrados. Esquece que o Brasil vive um processo de saída de imensas camadas da exclusão para participação econômica e política de cidadania das mais plenas.

Passadas as eleições vamos entrar num rico processo político de construção de mais democracia.

"De forma direta:" "por trás" estão os Rothschild´s, Morgan´s & Soros e do outro o povo brasileiro e a democracia aqui e no mundo todo.


Renato Luiz Menze - 24/09/2014
Amigos. Existem em escolas públicas e privadas uma 'disciplina' chamada de Educação Fiscal. Até onde eu sei, este acontecimento não foi implementado na grande maioria dos educandários devido a falta, histórica, de investimentos em EDUCAÇÃO, GRATUITA, PÚBLICA e acessível a todos! Quais são os porquês disso..., certamente, à priori, se o ínfimo poupador entender esta ciranda, o trabalhador espoliado sacar 'as ideias neoliberais', o tal investidor especulativo que são pouquíssimos, perdem a maravilhosa seara em comprar papéis e não produzir insumos para o consumo!!! Cabe a nós, um pouco mais lúcidos, sacudir as instituições firmadas e cobrar do poder público a implementação desta disciplina curricular, sem contudo, esquecermos que tem que haver suporte financeiro, humano e formativo para esses profissionais com todos os direitos que o trabalhador possui.


Renato Luis - 18/09/2014
Então vivemos um dilema eterno? Ou será que, um dia desses o jogo muda? O capital não existe para produzir más, para acumular. Então, ao meu ver é preciso destruí-lo.


Vanise Rezende - 13/11/2014
Sr. Emir,

Há vários anos acompanho todos os posts do seu blog. Hoje resolvi demonstrar, aqui, a minha indignação por sua falta de atenção cidadã para com os seus leitores. O Sr. deve saber que é lido e comentado por pessoas de diferentes setores sociais e - pelo que observo de descuido nas escrita de alguns - há também diferenças de formação e compromisso ideológico. Este seria o elogio que faço ao seu blog, como seguidora. Mas, por que a minha indignação? Trata-se do título da sua postagem no dia 7 de setembro passado: "É o capital especulativo, imbecis!". Pergunto-lhe: a quem o Sr. dirigia esse maciço verbete, a alguns dos seus leitores? A alguns articulistas da "Folha", da "Veja", a quem? Não lhe parece que um jornalista, professor, pensador e "esquerdista" como o Sr. também deveria manter o devido respeito pelos que "ousam" pensar diferente, ou estão tristemente equivocados, ou até mesmo claramente envolvidos em "outras ideias" que não as suas ou, em parte, diria, as nossas? Como sua leitora senti-me seriamente atingida e fiquei imaginando que o Sr.poderia até dirigir a mim a sua frase quando, vez por outra, eu não estiver de acordo com as suas ideias. Digo-lhe tudo isto, mesmo sabendo que o Sr. tem todo o direito de explicitar a sua indignação diante do pensamento alheio. Mas, não seria melhor respeitá-los como gostaria de sê-lo, no seu blog e fora dele?

Concluindo: parabéns pela informação atual e pela diversidade de conteúdo que o seu blog nos traz. Parabéns, ainda, porque - diversamente de muitos outros meios de informação - em seu blog encontramos informações da América Latina. E isso é muito importante pra mim, como leitora.


decio carvalho - 11/09/2014
A autocrítica nunca foi o forte do PT...enquanto o país se arrasta com tanta corrupção e incompetência, as intrigas hipócritas se espalham...Neca foi convidada por Haddad para ser sua Secretária de Educação....nunca antes na história desse país se viu um partido tão hipócrita...


John Cowperthwaite - 09/09/2014
Amigo Rui, não é só os Estados Unidos que possuem BC independente. A Alemanha, Finlândia, Áustria, Cingapura, Taiwan, por exemplo, também possuem BC independente. O "resto" do mundo não está quebrando, e desconheço a suas fontes. Muitas partes do mundo estão se tornando cada dia mais ricas, na verdade, como Oriente Médio, Oceania e Ásia. Obrigado por sua sugestão sobre história do Brasil.


Ricardo B. - 09/09/2014
Por que o PT não promove auditoria da dívida pública?


Rodrigo - 09/09/2014
Há um pequeno erro de redação em "transferência de capitais da esfera produtiva DA (seria PARA) a especulativa". No mais, o texto é arguto, bem fundamentado, mas se torna evidente que o governo que se diz democrático e popular não fez senão manter as vantagens para quem especula, com predominância evidente do capital financeiro.


John Cowperthwaite - 08/09/2014
Amigo Rui Viggiano Filho, eu não tenho motivos para enganá-lo, sobretudo porque o que eu escrevi pode ser encontrado em livros científicos de boa qualidade, que custam a partir de 5 dólares. Talvez por você ser de outra área profissional ou não ter tempo suficiente, você não veja o assunto da mesma forma que eu. Acredito que o PT possui boas intenções para com todos os brasileiros, mas no momento há alguma coisa errada na administração de seus consultores, assessores ou mesmo na formação de Dilma. Ela está indo contra a ciência, e devemos alertá-la disso, ou mesmo provocar uma alternância de políticos. Espero que você nunca perca o seu olhar de surpresa e otimismo.


John Cowperthwaite - 08/09/2014
Para conter o capital especulativo é necessário trabalhar junto às expectativas e ao risco sistêmico do mercado. O juros que lastreiam as decisões de investimento é o juros pago pelos títulos públicos do próprio governo. Isso é justamente o contrário do que o governo do PT está fazendo no governo Dilma Rousseff. O crescimento do PIB foi ameaçado, o controle da inflação foi ameaçado e a gestão das contas públicas foi ameaçada. O povo se torna mais volátil dentro dessas condições. É por isso que todos estão migrando para Marina. Dilma tem trabalhado na defensiva, com políticas reativas e focada numa "crise externa" (que só ela sabe de onde vem). Na prática, toda ação é especulativa. A decisão de manter por pouco ou muito tempo um dinheiro investido passa pelas políticas públicas estáveis e visionárias.


Oliveira Simões - 08/09/2014
Jacques Stifelman, você deve estar de brincadeira em acreditar que a herdeira do Itaú é uma "educadora respeitável". O educador respeitável era Paulo Freire, que entendia perfeitamente a luta de classes no Brasil. Continue dormindo ou tomando Prozac mas não queira que façamos o mesmo. Um povo desperto e bem informado é difícil enganar com chavões e clichés. Dilma 2014!


André Lázaro - 08/09/2014
A disputa político-eleitoral tem dimensões muito complexas e o papel do capital financeiro não pode ser mimetizado na presença de Neca Setúbal na campanha da Marina. O trabalho do CENPEC, dirigido por ela, tem mais de 25 anos de contribuições à educação emancipatória. Voto na Dilma, faço campanha pela Dilma, mas nem por isso concordo em ignorar a trajetória da Marina e a real contribuição da Maria Alice Setúbal à educação. O capital financeiro, como bem alerta Emir Sader, está cada vez mais guloso, ávido e perverso, mas não é a presença de Maria Alice Setúbal na campanha da Marina que expressa essa força. É preciso olhar com mais atenção e cuidado, pois ele também está presente em outras campanhas. Aliás, por onde anda Henrique Meirelles?

André Lázaro


Rui - 08/09/2014
Amigo John Cowperthwaite, o que você encontra nestes livros baratos só se aplicam nos EUA, o resto do mundo está quebrando com essas besteiras, mas como o 1% se concentra principalmente nos EUA e a casa da moeda deles imprime dólar, lá se aplica, aqui nós passamos 502 anos ouvindo essa balela e só atrasou o país, além da ciência leia também a nossa história.


jose carlos lima - 08/09/2014
Marina copiou modelo economico da ditadura militar

http://jornalggn.com.br/blog/iv-avatar/modelo-economico-de-marina-foi-copiado-da-ditadura-militar


Rui Viggiano Filho - 08/09/2014
"O crescimento do PIB ameaçado, o controle da inflação ameaçado e a gestão das contas públicas ameaçadas"..."uma crise externa que só ela sabe de onde vem".. "Neca Setúbal é uma educadora respeitável"... "Marina comprometida com o bem estar do brasileiro". Por mais que eu viva, não vejo tudo nessa vida, me engana que eu gosto.


Renato L. Martinelli - 08/09/2014
A candidatura de Marina não passa de um presente, uma espécie de Cavalo de Tróia, dos neoliberais globalizados para os trabalhadores brasileiros.

Só não vê quem não quiser ver.


Mário SF Alves - 08/09/2014
"... o povo se torna mais volátil..."



E precisava dizer mais?


Rui - 08/09/2014
É incrível que ainda tenha que se explicar isso aos brasileiros, depois dizem que é falta de educação, mas é a classe média de São Paulo e Minas, os dois maiores colégios eleitorais, e outros estados do sul e sudeste, com bom nível de educação e frequência em escola, quem elegeu o que foi a política mais retrógrada dos 502 anos de Brasil, império e república, e agora acham que tem que retomar isso. Sempre criticaram o país exportar commodities e importar tecnologia, pois bem, agora que a Petrobras é líder em pesquisa e exploração em água profundas, querem eleger quem quer entregar este patrimônio as multinacionais. Eu me lembro como as multinacionais faliram as indústrias de pneu, de automóvel, da linha branca, não sobrou nada, são tantos outros exemplos, que não consigo entender que alguém com um mínimo de consciência, ainda pense em votar nessas políticas neoliberais, é muito triste esse complexo de vira-lata brasileiro.


Jacques Stifelman - 07/09/2014
Neca Setúbal é uma educadora respeitável. É leviano associa-la somente ao banco de sua família. Lula nao está competindo com a Neca, ele está competindo com a Marina, uma pessoa escolhida por Lula para

ministra, de origem modesta e comprometida com o bem estar do brasileiro. Lula está rivalizando com o que ele um dia foi. E ele era melhor.


Marcia Eloy - 07/09/2014
O senhor esqueceu do Malafaia...


Gloria Moraes - 07/09/2014
Já estou como voce, Emir. E adoro quando escrevem o que estou pensando. Bjs, Glorinha Moraes.


Humberto Dias - 07/09/2014
É como eu digo a tempos. Para o Projeto de governo atual continuar a dar frutos e PROSPERAR, o empresariado tem que investir na produção e não ficar sempre esperando dinheiro do BNDES.

Temos "quintas-colunas" no Brasil aos montes, tais como a tal consultoria "Empiricus" que fomenta que todos, inclusive os pequenos investidores mirem o EXTERIOR, ao invés do Brasil, para aplicar seu patrimônio, assim minando gradativamente a Nação. Por vezes fico pensando em reativar a penalização criminosa dos "lesa-pátria" como estes. São TERRORISTAS do mercado financeiro!

PARCERIAS