Segunda-Feira, 20 de Outubro

10/07/2013 - Copyleft

Empresa do espião Snowden foi consultora-mor do governo FHC


Da Redação
EBC

A rápida reação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso às denúncias de que os EUA mantiveram uma base de espionagem no país, durante o seu governo, suscita interrogações e recomenda providências.

Dificilmente elas serão contempladas sem uma decisão soberana do Legislativo brasileiro, para instalação de uma CPI que vasculhe o socavão de sigilo e dissimulação no qual o assunto pode morrer.

Entre as inúmeras qualidades do ex-presidente, uma não é o amor à soberania nacional.

Avulta, assim, a marca defensiva da nota emitida por ele no Facebook, dia 8, horas depois de o jornal "O Globo" ter divulgado que, pelo menos até 2002, Brasília sediou uma das estações de espionagem nas quais funcionários da NSA e agentes da CIA trabalharam em conjunto.

‘Nunca soube de espionagem da CIA em meu governo, mesmo porque só poderia saber se ela fosse feita com o conhecimento do próprio governo, o que não foi o caso. De outro modo, se atividades deste tipo existiram, foram feitas, como em toda espionagem, à margem da lei. Cabe ao governo brasileiro, apurada a denúncia, protestar formalmente pela invasão de soberania e impedir que a violação de direitos ocorra...”, defendeu-se Fernando Henrique.

O jornal afirma ter tido acesso a documentos da NSA, vazados pelo ex-agente Edward Snowden, que trabalhou como especialista em informática para a CIA durante quatro anos, nos quais fica evidenciado que a capital federal integrava um pool formado por 16 bases da espionagem para coleta de dados de uma rede mundial.

Outro conjunto de documentos, segundo o mesmo jornal, com data mais recente (setembro de 2010), traria indícios de que a embaixada brasileira em Washington e a missão do país junto às Nações Unidas, em Nova York, teriam sido grampeadas em algum momento.

Espionagem e grampos não constituíram propriamente um ponto fora da curva na gestão do ex-presidente.

Durante a privatização do sistema Telebrás, grampos no BNDES flagraram conversas de Luiz Carlos Mendonça de Barros, então ministro das Comunicações, e André Lara Resende, então presidente do BNDES, articulando o apoio da Previ para beneficiar o consórcio do banco Opportunity – que tinha como um dos donos o economista Pérsio Arida, amigo de Mendonça de Barros e de Lara Resende.

O próprio FHC foi gravado , autorizando o uso de seu nome para pressionar o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil.

Em outro emaranhado de fios, em 1997, gravações revelaram que os deputados Ronivon Santiago e João Maia, do PFL do Acre, ganharam R$ 200 mil para votar a favor da emenda da reeleição, que permitiria o segundo mandato a FHC.

Então, como agora, o tucano assegurou que desconhecia totalmente o caso, que ficou conhecido como ‘a compra da reeleição’.

As sombras do passado e as do presente recomendam a instalação de uma CPI como a medida cautelar mais adequada para enfrentar o jogo pesado de interesses que tentará blindar o acesso do país ao que existe do lado de dentro da porta entreaberta pelo espião Snowden.

O PT tem a obrigação de tomar a iniciativa de convoca-la.

Mas, sobretudo, o PSDB deveria manifestar integral interesse em sua instalação.

Soaria no mínimo estranho se não o fizesse diante daquilo que o ex-presidente Fernando Henrique definiu como exclamativa ilegalidade: “Se atividades deste tipo existiram, foram feitas, como em toda espionagem, à margem da lei...”

O Congresso não pode tergiversar diante do incontornável: uma base de espionagem da CIA operou em território brasileiro pelo menos até 2002.

A sociedade tem direito de saber o que ela monitorou e com que objetivos.

Há outras perguntas de vivo interesse nacional que reclamam uma resposta.

O pool de espionagem apenas coletou dados no país ou se desdobrou em processar, manipular e distribuir informações, reais ou falsas, cuja divulgação obedecia a interesses que não os da soberania nacional?

Fez o que fez de forma totalmente clandestina e ilegal? Ou teve o apoio interno de braços privados ou oficiais, ou mesmo de autoridades avulsas?

Quem, a não ser uma Comissão Parlamentar, teria acesso e autoridade para responder a essas indagações de evidente relevância política nos dias que correm?

Toda a mídia progressista deveria contribuir para as investigações dessa natureza, de interesse suprapartidário, com a qual o Congresso daria uma satisfação ao país depois da lenta e hesitante reação inicial do Planalto e do Itamaraty, cobrada até por FHC.

Carta Maior alinha-se a esse mutirão com algumas sugestões de fios a desembaraçar.

Por exemplo: o repórter Geneton Moraes Neto acaba de publica no G1 (um site do sistema Globo) um relato com o seguinte título: "O dia em que o ministro Fernando Henrique Cardoso descobriu o que é “espionagem”: secretário de Estado americano sabia mais sobre segredo militar brasileiro do que ele" (http://g1.globo.com/platb/geneton/).

A reportagem, que vale a pena ler, remete a uma entrevista anterior, na qual FHC comenta seu desconhecimento sobre informações sigilosas do país dominadas por um graduado integrante do governo norte-americano.

O tucano manifesta naturalidade desconcertante diante do descabido.

A mesma naturalidade com a qual comenta agora seu esférico desconhecimento em relação às operações da CIA durante o seu governo.

Ter sido o último a saber, no caso citado por Geneton, talvez seja menos grave do que não procurar, a partir de agora, informar-se sobre certas coincidências, digamos por enquanto assim.

Há questões que gritam por elucidação.

A empresa que coordenava o trabalho de grampos da CIA, a Booz-Allen, na qual trabalhava Snowden, é uma das grandes empresas de consultoria mundial.

No governo FHC, ela foi responsável por consultorias estratégicas contratadas pela esfera federal.

Inclua-se aí desde o "Brasil em Ação" (primeiro governo FHC) até o "Avança Brasil" (segundo governo FHC) e outras, como as dos programas de privatização (saneamento foi uma delas) e a da reestruturação do sistema financeiro nacional.

Todos os trabalhos financiados pelo BNDES. Alguns exemplos:

- Caracterização dos Eixos Nacionais de Desenvolvimento. Programa Brasil em Ação. BNDES. Consórcio FIPE/BOOZ-ALLEN. 1998;

- Alternativas para a Reorientação Estratégica do Conjunto das Instituições Financeiras Públicas Federais.

- Relatório Saneamento Básico e Transporte Urbano. Consórcio FIPE/BOOZ-ALLEN & Hamilton. BNDES/Ministério da Fazenda. São Paulo. 2000

Vale repetir: a mesma empresa guarda-chuva do sistema de espionagem que operou no Brasil até 2002, a Booz Allen, foi a mentora intelectual de uma série de estudos e pareceres, contratados pelo governo do PSDB, para abastecer uma estratégia de alinhamento (‘carnal’, diria Menen) do Brasil com a economia dos EUA.

Mais detalhes desse ‘impulso interativo’ podem ser obtidos aqui:

http://www.uff.br/geographia/ojs/index.php/geographia/article/viewArticle/267

Na aparência, sempre, a perfeita identidade com os inoxidáveis interesses nacionais.

O estudo dos Eixos Nacionais de Integração e Desenvolvimento, por exemplo, foi realizado por um consórcio sugestivamente abrigado sob o nome fantasia de "Brasiliana".

Por trás, o comando a cargo da Booz-Allen & Hamilton do Brasil Consultores, com suporte da Bechtel International Incorporation e Banco ABN Amro.

O ‘mutirão’ (até a consultoria do banco) foi pago com dinheiro público pelo governo federal, sob a supervisão das equipes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Os resultados do trabalho levaram a dois eixos centrais da concepção tucana de desenvolvimento: o "Brasil em Ação" e o "Avança Brasil".

Reconheça-se, tudo feito às claras, em perfeita sintonia entre o Estado brasileiro e a empresa guarda-chuva do sistema de espionagem em operação dupla no país.

Na pág. 166 de uma publicação do BNDES, a "contribuição" da Booz-Allen está explicitamente citada:

http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhecimento/revista/rev1406.pdf

Uma análise de como a turma da versátil Booz-Allen teve robusta influência na modelagem do sistema financeiro nacional (leia-se, menos bancos públicos, conforme o cânone da concepção de Estado mínimo) pode ser avaliada e aqui:

http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/3391/000337454.pdf?sequence=1

Um fato curioso e que não pode ser desconsiderado na avaliação criteriosa de uma incontornável CPI sobre o assunto: a ex-embaixadora dos Estados Unidos no Brasil Donna Hrinack, tão logo se despediu do cargo no país, sentou-se na cadeira de assessora qualificada da Kroll.

A Kroll, como se sabe, é uma empresa internacional de espionagem que operou a serviço de Daniel Dantas e de seu fundo, o Opportunity.

Trata-se, coincidentemente, de um dos braços financeiros mais importantes do processo de privatização no Brasil, estreitamente associado ao Citybank e, claro, a toda a "carteira" de acionistas que injetou dinheiro na farra neoliberal dos anos 90.

A Kroll foi usada para bisbilhotar autoridades e chegou a espionar ministros do governo Lula, como ficou evidente com a Operação Chacal, da Polícia Federal, deflagrada em 2004.

Como se vê, as revelações de Snowden, ao contrário do que sugere a nota de FHC, definitivamente, não deveriam soar como algo inusitado aos círculos do poder, em Brasília. Se assim são tratadas, há razões adicionais para suspeitar que um imenso pano quente será providenciado para evitar que as sombras fiquem expostas à luz.

A questão, repita-se, não se esgota em manifestar a indignação nacional pelo que Snowden denunciou.

O que verdadeiramente não se pode mais adiar é a investigação pública do que foi espionado, com que finalidade e a mando de quem.

Isso quem faz é uma Comissão Parlamentar de Inquérito.



Créditos da foto: EBC




Manoel - 17/07/2013
Agora tenho certeza no que diz o Rubens do www.verdadeoculta.com.br, saberemos quem são os "Illuminatis" e o que eles querem.


Luiz Carlos - 15/07/2013
CPI já. Sem mais delongas


Messias Franca de Macedo - 14/07/2013
[... AINDA SOBRE AS INVETERADAS SÓRDIDAS ESTRIPULIAS DO [DEMo]TUCANATO!...] DINAMITE! NITROGLICERINA PURA: SE A POLÍCIA FEDERAL E ALGUNS OUTROS ÓRGÃOS “FUNÇAREM” UM POUCO “PEGA O PSDB DESDE ‘ONTEM’ NA BOCA DA BOTIJA”! A LAMBANÇA “QUE HÁ MUITO JÁ SE SABIA”!… CPI JÁ! ‘AS [LEGÍTIMAS E SAPIENTES] VOZES DAS RUAS HÃO DE QUERER! E MUITO!’… DA SÉRIE ‘[MAIS] SOBRE O QUE O FHC &$ OS DEMAIS [DEMo]TUCANOS NÃO SABIAM’! ####################### EMPRESA ALEMÃ SIEMES DELATA CARTEL EM LICITAÇÕES DO METRÔ DE SÃO PAULO A multinacional alemã Siemens delatou às autoridades antitruste brasileiras a existência de um cartel –do qual fazia parte– em licitações para compra de equipamento ferroviário, além de construção e manutenção de linhas de trens e metrô em São Paulo e no Distrito Federal. Gigante da engenharia, a empresa já foi condenada em outros países por conduta contra a livre concorrência. Multinacionais acusadas de formação cartel dizem colaborar com investigação A Folha apurou que o esquema delatado pela companhia envolve subsidiárias de multinacionais como a francesa Alstom, a canadense Bombardier, a espanhola CAF e a japonesa Mitsui. Essas empresas e a Siemens são as principais candidatas a disputar o megaprojeto federal do trem-bala que ligará Rio e São Paulo. O leilão deve ser no mês que vem. Combinações ilícitas entre empresas podem resultar em contratações com preços superiores (entre 10% e 20%, segundo estimativas) aos praticados caso elas concorressem normalmente. No início do mês, a Superintendência-Geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) realizou busca e apreensão nas sedes das companhias delatadas. A Operação Linha Cruzada executou mandados judiciais em São Paulo, Diadema, Hortolândia e Brasília. Segundo as denúncias, o cartel atuou em ao menos seis licitações. Mas ainda não se sabe ao certo o tamanho real, alcance, período em que atuou e o prejuízo causado. Ao entregar o esquema, a Siemens assinou um acordo de leniência, que pode garantir à companhia e a seus executivos isenção caso o cartel seja confirmado e condenado. A imunidade administrativa e criminal integral é assegurada quando um participante do esquema –antes que o governo tenha iniciado apuração– denuncia o cartel, suspende a prática e coopera com as investigações. No caso de condenação, o cartel está sujeito a multa que pode chegar a 20% do faturamento bruto da empresa no ano anterior à abertura de processo pelo Cade. No final da década de 90, houve uma troca no comando mundial da Siemens depois de escândalos de pagamento de propina em vários países. A empresa foi punida no exterior por formação de cartel. A análise do material apreendido levará até três meses. Confirmados os indícios de cartelização, o Cade abrirá processo contra as envolvidas. O conluio, segundo a apuração, inclui outras sete empresas: TTrans, Tejofran, MGE, TCBR Tecnologia, Temoinsa, Iesa e Serveng-Civilsan. CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE: POR CATIA SEABRA JULIANA SOFIA DIMMI AMORA DE BRASÍLIA em http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/07/1310864-empresa-alema-siemens-delata-cartel-em-licitacoes-do-metro-de-sp.shtml ############ [... E TAMBÉM É IMPERATIVO E CRUCIAL 'O PT VOLTAR A SER, PELO MENOS, UM POUCO MAIS PT DE ANTES DO PT DA GOVERNANÇA! PARTIR PARA O LEGÍTIMO EMBATE!...] Messias Franca de Macedo


Jair Almansur - 14/07/2013
Quero acrescentar: A ligação de FHC com a cia vem de longa data. Ainda quando proprietário de uma empresa de pesquisas prestou serviços de grande monta para a Fundação Ford. É público e confesso que esta fundação Ford é a face legalizada da CIA para coletar informações no mundo todo. Vamos pesquisar.


castro - 14/07/2013
A agora começo a entender o DESRESPEITO que BILL CLINTON demonstrou ter por Fernando Henrique Cardoso do PSDB e ao GOVERNO BRASILEIRO na ocasião, diante das TV’s de todo o mundo na Itália, a humilhação foi tanta que cheguei a ficar com vergonha por FHC, e ele não teve nenhuma reação, foi tratado como se fosse um garoto de recado de BILL CLINTON. Agora está claro, realmente NINGUÉM IRIA RESPEITAR um GOVERNANTE TRAIDOR de sua PÁTRIA, ele ESTAVA e CONTINUA REFÉM do GOVERNO AMERICANO, e nos vamos ter que conviver com essa marca vergonhosa pelo resto dos tempos.


Carlos Gouveia - 14/07/2013
A BOOZ-ALLEN tinha uma representação dentro da sede da PETROBRAS, com pleno acesso a tudo, o que incomodava bastante os técnicos da empresa. Foi responsável pela reestruturação, dividindo a companhia em "Unidades de Negócio" para facilitar a privatização fatiada da mesma, o que só não ocorreu deviso a derrota tucana.


Eugênio L. Sarmento - 14/07/2013
A Booz-Allen não dava consultoria ao governo FHC. Ela, de fato, dava as diretrizes de Washington que FHC cumpria fielmente.


Francisco - 13/07/2013
Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente (PSDB-SP) foi o resultado de um projeto político elaborado pelos Estados Unidos para dominar o Brasil. Mas, claro que ele não foi o único, teve antecessores. A privatização mais pirataria resultou na entrega de grande parte do patrimônio nacional. A privatização da Vale do Rio Doce, do setor estratégico das telecomunicações - Embratel, parte da Petrobrás, etc. Este modelo devastador foi aplicado em outros países sul-americanos, Argentina, Equador, Bolívia, Venezuela, etc. No caso do Brasil, os Estados Unidos nem precisavam colocar sua rede de espionagem aqui, pois o esquema nativo já era mais do que suficiente. Atualmente, FHC é o patrono preposto, a "reserva moral" desse projeto neoliberal, por isto, tenta coordenar os aliados para ver se emplaca um candidato aprovado pela Casa Branca. O Brasil precisa ter uma oposição política decente, esta atual é simplesmente um desastre nacional. [Chico Barauna, 13-07-2013].


Jose Carlos de Almeida - 13/07/2013
Mais um que "nao sabia de nada" . Parece que ao ocupar a cadeira presidencial o individuo entra numa "bolha" e tudo que acontece ao seu redor, se lhe escapa do conhecimento. Daqui a pouco vai dizer que foi traido, bla'-bla'-bla', aloprados,... E' notorio que embaixadas de diversos paises abrigam em seus quadros servicos de inteligencia. As comunicacoes entre as embaixadas e seus paises sede sao cifradas e a correspondencia normal ("mala dipolmatica"), inviolavel. Toda essa precaucao e' exatamente por haver coleta de informacoes sobre o pais hospedeiro que o pais sede nao gostaria fossem tornadas publicas. Dai' o "affair" diplomatico envolvendo Assenge (?), e mais recentemente Snowden. Nao se iludam. Agora mesmo estamos sendo espionados. Esse texto aqui pode estar sendo copiado para outro destino. Sua proxima ligacao telefonica pode ter mais de um ouvinte. E nao e' linha cruzada. Adeus privacidade.


Helena - 13/07/2013
Ele "não sabia de nada", mais uma vez, né? Deve ser convocado para depor na CPI.


Roberto Paiva Jr. - 13/07/2013
Com as denúncias do Sr. Eduard Snowden vindo à tona, vai ser possível saber as origens maquiavélicas da "Operação Mensalão", a maior armação já orquestrada para desestabilizar um Governo popular eleito democraticamente.


Zeneto GuaranyKayowa Leao - 13/07/2013
Temos de enforcar em praça pública esse traíra e seus cupinchas. As trairagens dess FDP vazam transbordantes, como merda nos bueiros do belemzinho em dia de enchorrada. TRAIRA CALHORDA !!!!


De Paula - 12/07/2013
A CPI deve ser instalada, até por questões de segurança nacional. Impossivel entender as mobilizações pelas redes sociais com sucessivas palavras de ordem. Sem dúvida foi coisa elaborada em laboratório com o propósito de enfraquecer o governo Dilma.


PedroAurelioZabaleta - 12/07/2013
fhc é o Príncipe dos Canalhas.


joão - 12/07/2013
Olha daqui a pouco vão ter que explicar melhor sobre a base de alcantara e a estação de pesquisa na antartica, que incendiaram do nada. Parece mesmo que as mentiras são descobertas. Imaginem se esse snowden nunca tivesse denunciado esta rede de espionagem. jamais saberiamos. Incrivel esse verme da sociedade, ex presidente não saber dos bancos internacionais que financiaram sua campanha, de uma empresa espiã que trabalhou para seu governo nas fraudulentas privatizações. E de um programa internacional que visava com apoio da dona globo e de outras mídias a desconstrução do estado. o neo liberalismo na sua forma mais cruel a ser aplicado sobre o povo brasileiro, em troca de fome, miserias e toda uma juventude sendo mergulhada no submundo das drogas e das armas. Então era essa a grande sacada do psdb? Porque não aproveitam e tentem rastrear a conta bancaria deste entreguista e desbrasileiro em algum paraiso fiscal. Brasil sempre foi quintal dos estados unidos. Dona globo principalmente nos nutril decadas dos lixos eletronicos vindos de lá, e que ninguém no mundo além de nós pagariam caro por adiquiri-los. Imaginem o risco que snowdem teria se pedisse asilo por aqui. boca cheia de formiga. É vergonhoso ser brasileiro, e cidadão de bem num país de traficantes, ladrão e prostitutas


FPERES - 12/07/2013
ESSE "DISSIMULADO" FHC, A POPULAÇÃO NADA PODE DELE ESPERÁ, DE BOM.... A PRIMEIRA "FACADA" QUE ELE DAR: SÃO NOS TRABALHADORES... E DEIXA "ESCANGOTADO" OS CIDADÃOS OS POBRES ! ELLE SÓ FEZ LEIS PARA ANIQUILAR COM OS DIREITOS DA CLASSE TRABALHADORA E DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS ! MORRA CACHORRÃO MEQUETREFE !!!


Ajuricaba da Amazônia - 12/07/2013
Com essas provas de espionagem yankee do Brasil e de outros parceiros do continente sulamericano e também, à luz desta informativa matéria, fica bem claro, quem são os traidores do Brasil e, parodiando o julgamento do mentirão, onde para se justificar a culpa das pessoas, recorreu-se ao famoso "domínio do fato", por isso, pergunto: de tudo isso, quem tinha interesse na eliminação da Base Brasileira de Lançamento Espacial de Alcântara no Maranhão? CPI neles.


Henrique - 11/07/2013
A Maria Carvalho lembrou bem. Leiam o "Código da Vida" de Saulo Ramos Dos capítulos 197 a 202, Saulo conta com todos os detalhes como Serra e FHC montaram a rede de espionagem, grampos ilegais, distribuição de dossiês elaborados pelo tesoureiro da campanha de Serra, Márcio Fortes, contra adversários de Serra. A cumplicidade do Ministro da Justiça Aloysio Nunes Ferreira, a ação criminosa do Ministério Publico e da Justiça, aliciados por FHC. Tudo isso para “desmanchar” a candidatura de Roseana Sarney, a única, àquela altura que podia derrotar Lula, segundo as pesquisas. O “desmanche” de Roseana interessava aos dois – Serra e FHC. Esqueceram do Lula que por duas vezes, deu de 61 a 39%. O que fez FHC com o “mensalão dos tucanos” de Minas. O agente da Polícia Federal de FHC enviou um fax ao Alvorada, assim que concluiu a “operação investigativa” na Lunus. O texto do fax era: “Missão cumprida”. No “Código da Vida”, Saulo descreve minuciosamente como Serra e o presidente FHC usaram a Polícia Federal e o Ministério Público para destruir a candidatura de Roseana Sarney à Presidência da República. Foi um dos episódios mais sórdidos da história republicana. A revista Época chegou às bancas com a foto do dinheiro (Serra e as fotos de dinheiro ...) milésimos de segundos depois da “apreensão” pela “Polícia” Federal. No livro tudo é documentado - LEIAM E, INFELIZMENTE, SINTAM "ÓDIO"!


Araujo - 11/07/2013
Talvez investigarmos também o inusitado acidente acontecido na base de Alcantara, que matou vários técnicos brasileiros, atrasando em 20 anos a entrada do Brasil na corrida espacial. http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u80740.shtml


ricardo silveira - 11/07/2013
Parece que vai haver CPI. É sempre importante investigar para que as falcatruas e eventuais crimes venham ao conhecimento público para que providências sejam tomadas por quem de direito, mas, pela experiência que temos, é bom saber quem serão os parlamentares da CPI? Serão da mesma qualidade daqueles da CPMI do Cachoeira/Veja? Ou daqueles do “mensalão” do PT? Se for não se deve perder tempo e dinheiro público, nada que eventualmente prejudique os amigos virá a público, até porque se estará investigando o governo de FHC.


Ariovaldo - 11/07/2013
(continuação). O reverso também se aplica as conclusões finais: ou o PT enfrenta a escória, ou vai para o lixo da história...


Francisca Euridia Moreira - 11/07/2013
Eu sempre disse que esse tal de FHC nao presta mas o povo e a midia insite em deixar ele falar e a aparecer mais que do que deveria, para mim ele devia estar preso por roubar o trabalhador Brasileiro


Redner - 11/07/2013
Quando se trata do interesse próprio o PSDB é o partido mais coeso do planeta, nada disso nos espanta, só nos decepciona ainda mais com as raposas vestidas de anjos ou coisas do tipo.


Ariovaldo - 11/07/2013
Uma descrição digna de formatar qualquer ´noticia criminis`suficiente para enquadrar o ´orelhudo`Dandan dono do Opportunity, bem como os demais integrantes do Ministério do FHC como formação de quadrilha para lesar os cofres da viúva.Agora sim, a turma do Lula e sua base ´alheidada`vai ter dois rumos a seguir na vida: ou encara a história, ou vai para o lixo da escória...


LUDOVICO PRIMO SERENARI - 11/07/2013
Essa conexão TUCANATO & CIA ILIMITADA explica inclusive porquê o Senador Aécio Neves, candidato a Presidência da dita "empresa partidária", vem se dizendo publicamente contrario ao MERCOSUL e a UNASUL, estando favorável ao trágico PACTO DO PACÍFICO e à falecida ALCA neo-liberal, opondo-se assim à unidade e à integração sul-americana. De novo cá estão os TUCANOS de FHC prestando seus serviços à AGUIA BRANCA dos EUA. Agem feito aves de rapina contra os mais legítimos interesses do Brasil e do continente, velha história que precisa urgentemente ser muito bem esclarecida. O povo brasileiro necessita se livrar desses agora sabidamente serviçais do Departamento de Estado e da espionagem dos Estados Unidos. O Senador e candidato de FHC, sendo contra o MERCOSUL e a UNASUL, sendo defensor do trágico PACTO DO PACÍFICO e da falecida ALCA, segue obediente a velha cartilha entreguista, inclusive traindo suas origens de neto de Tancredo Neves, ao se fazer porta-voz dos EUA & CIA ILIMITADA. Que tais TUCANOS voem de vez para Washington, pátria deles, e deixem em paz nosso Brasil comprometido com uma América do Sul unida, firme e forte com seus atuais governos de feitio popular. Olho vivo nessa gente do TUCANATO, eles não podem voltar ao poder da REPÚBLICA e têm também, com urgência, de ser varridos do governo estadual de SP. Isso é decisivo para os mais legítimos interesses do povo brasileiro e dos demais povos sul-americanos.


Roberta Ragi - 11/07/2013
Ótimo texto! Sempre desconfiamos, afinal, dos processos privatistas e entreguistas de FHC, alinhados aos escusos interesses internacionais. Pior: o PT manteve a política de privatizações, contrariando seus discursos de campanha. Só não acredito em CPI no Congresso que dê conta, por si só, desse embróglio... Já estamos experimentados com CPIs de Cachoeiras e afins. O melhor seria mesmo que os Movimentos Sociais progressistas assumissem essa bandeira e exigissem as respostas de que necessitamos.


Wilson Norberto - 11/07/2013
FHC – o que fez pelo pais, quando chegou ao governo mandou rasgar todos os livros, quem manda rasgar o que escreveu na merece crédito, um entreguista, queria acabar com as universidades, queria proclamar ALCA, queria entregar o Brasil. Temos de botar tudo a limpo, por um Brasil diferente.


Pereira - 11/07/2013
Irretocável!!!


Henrique - 10/07/2013
Confirmando o caráter entreguista/subserviente do FHC - em ago/2007/rev Piauí) - onde ele disse: "EU TRAÍ OS INTERESSES DA PÁTRIA"


nilson.santos - 10/07/2013
Ainda bem que essa espionagem aconteceu no governo fhc, se fosse no governo LULA, todos estariam falando que os EUA estava programando um golpe, como é diferente a conjuntura de governo FHC e LULA, a esquerda querem envolver FHC numa coisa que ele não tem nada a ver


nilccemar - 10/07/2013
Eis aí o resgate do elo perdido. Cada vez as coisas vão ficando mais claras para quem quer saber a verdade.


Eneide Leite - 10/07/2013
Alguma manifestação para apurar os fatos relativos ao Brasil? eu quero participar. O que me incomoda no momento é reação da ONU ao "incidente" Evo Morales. A extrema direita americana era contra a ONU por achar que esta interferia com a soberania americana. Agora deve estar tranquila. A UNU agora está para os EUA como o Blair estava para o Bush e o Cameron para o Barac. E o Holande? Que decepção. Enfim como alguém conseguirá resgatar o Snowden? - Tá mais difícil que judeu fugindo do Hitler.


Elvys - 10/07/2013
Sabe, estou com uma pulga atrás da orelha. Por que o Globo noticiou "até pelo menos 2002"? Justamente o último ano do segundo mandato do sr. FHC.


Henrique - 10/07/2013
FHC, um entreguista extremado, promoveu intensa campanha contra as empresas públicas, (principalmente pelo seu maior aliado - a rede globo) - antes das privatizações. E o principal: abriu um lugar cativo em seu gabinete palaciano para o FMI.


Henrique - 10/07/2013
Os fiéis escudeiros do FHC: daniel dantas, embaixador julio cesar, eduardo jorge caldas pereira, ricardo sergio de oliveira e a rede globo. Ninguém sabia da espionagem!


Paulo Oliveira - 10/07/2013
A mensagem anterior por mim enviada não foi publicada na integra. Nela, além de elogiar a matéria, externava minha sincera expectativa de que os correspondentes desta Carta, Flávio Aguiar e, principalmente, Eduardo Febbro lessem a matéria e aprendessem como se faz pesquisa na internet, haja vista críticas anteriores realizadas por mim e não publicadas neste site. Além disso, indiquei link (http://ibgf.org.br/index.php?data%5Bid_secao%5D=10&data%5Bid_materia%5D=69) com esclarecedora entrevista realizada por Bob Fernandes com Walter Fanganiello Maierovich. Outros textos dele poderão ser encontrados no Instituo Brasileiro Giovanni Falconi (http://www.ibgf.org.br/).


Valmont - 10/07/2013
EUA não fazem diplomacia, apenas espionam, sabotam e manipulam.


Valmont - 10/07/2013
O Brasil tem que começar mandando um "GO HOME" aos milhares de agentes americanos que atuam de norte a sul do País, seja nas repartições oficiais (embaixadas e escritórios), seja nas inúmeras ONGs de fachada que aqui mantêm. Não podemos mais aceitar a ultrajante condição de apêndice subordinado aos Estados Unidos.


flavio jose - 10/07/2013
Como é que e pode confiar em uma pessoa que estava na folha de pagamento da cia através da Fundação Ford que é na realidade um braço da CIA?. Brasileiros caiam na realidade "ou o Brasil é independente ou volta a condição de colônia"


Maria Carvalho - 10/07/2013
Alguém lembra do caso Lunus, em 2006?


Leonardo Zamboni - 10/07/2013
Dos escândalos de espionagem à época de FHC, o caso SIVAM, onde informações sensîveis sobre a Amazônia estariam à disposição dos EUA, e o grampo da Raytheon, onde um assessor do PR foi pego a negociar favores à empresa estadunidense, são os mais graves. O artigo de Jânio de Freitas na Folha, escrito dez anos atrás, resume bem os fatos. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc0606200306.htm


LL - 10/07/2013
Não existem coincidências, nada é por acaso,é tudo planejado, a N.W.O. (nova ordem mundial) conspirações, fhc foi recrutado e financiado por um braço da fundação ford ou rokefeller nos tempos da faculdade, depois, qdo foi p exílio...daniel dantas, gilmar mendes, cia...


flavio jose - 10/07/2013
O traidor da PATRIA AMADA BRASIL continua sendo constantemente desmoralizado pela realidade dos fatos. Nele sobrevive apenas o cinismo, atitude na qual ele é campeão.


Paulo Oliveira - 10/07/2013
Isso, sim, é jornalismo. Aproveito a oportunidade para lembrar o excelente trabalho realizado pelo colunista da Carta Capital, WALTER FANGANIELLO MAIEROVICH, que foi o primeiro a denunciar a conivência do FHC com A ingerência da CIA e do DEA no Brasil.


Henrique - 10/07/2013
A quem serve o FHC e seus lacaios?


José Roberto - 10/07/2013
Esse FHC é um entreguista


Andre Lima - 10/07/2013
Depois o Lula é que vive sendo acusado de sonso, e o FHC que vive a dizer que não sabia da nada? ahahahah


Jorge Oliveira - 10/07/2013
CPI com estes congressistas é acreditar em papai noel. Precisamos de uma Constituinte Já,com representantes eleitos pelos partidos e avulsos apoiados pelos movimentos sociais. Precisamos de uma Constituinte Já para fazer a Reforma Politica. Precisamos de uma Constituinte Já para reafirmar a Democratização dos Meios de Comunicação. Precisamos de uma Constituinte Já para que a voz das ruas seja a afirmação da Democracia.


Marly Fiocco - 10/07/2013
Já que os manifestantes de junho querem passar a limpo o Brasil, que tal lerem esse artigo e sair às ruas novamente para pedirem uma CPI das Privatizações da era FHC,desse conluio com essa Booz-Allen ou CPI só vale contra o PT?


Gladys Renée de Souza - 10/07/2013
Agora já com 70 anos somente diria como Quino:"Paren el mundo que me quiero bajar" e muitos dirian o mesmo diante de tanta hipocracia. Inquérito já.


Rui - 10/07/2013
A espionagem estava instalada dentro do Alvorada. É sabido o vínculo do Menem brasileiro (junto com o Zé Bolinha) com a CIA, já no golpe de 64, se alinhou com os americanos para espoliação do país, nas suas versões neoliberais, entregou grande parte do patrimônio brasileiro aos estrangeiros e ainda por cima o sistema de segurança SIVAM para o espião com a Raytheon. Agora estão promovendo junto com a mídia e os Joaquins Barbosas da vez os protestos de rua para retomar a espoliação.


Marcelo Branco - 10/07/2013
Pô Carta Maior, o espião é o Obama. O Edward Snowden era apenas o técnico de informática com ética hacker que desnudou o esquema de espionagem gringa. Muda aí no título e na matéria.


José Ricardo Romero - 10/07/2013
Como não sou arquivo ambulante posso não me lembrar de detalhes, mas nos primeiros dias de trabalho do Lula em 2003 ele fechou as duas agências da CIA no Brasil, uma em São Paulo e outra em Brasília e despachou para Washington seus agentes. A citada embaixadora americana protestou na imprensa e foi chamada para se explicar pelo Itamaraty, o que na linguagem cifrada da diplomacia significa: troquem o embaixador. FHC, o senil, saber da existência da CIA e achar que não havia espionagem é uma ofensa à inteligência humana. O que pensa este decomposto Sr. que faz a CIA no mundo?


Alberto Magno Filgueiras - 10/07/2013
Sem dúvida o PT deveria tomar a iniciativa da convocação de uma CPI.


Emmanoel Monteiro da Silva - 10/07/2013
Acho que FHC devia ser preso por crime de lesapatria, e com essa entevista ao G1, se esclarece outro crime de invasão de soberania, o acidente da base de Alcantara

Mais Lidas

Editorial

Blog do Emir

Leia Mais

PARCERIAS