Domingo, 20 de Agosto

 

18/05/2017 14:50 - Copyleft

Governo Temer agoniza. Nas ruas, população exige Diretas Já!

As delações premiadas dos donos da JBS, Joesley e Wesley Batista, deram início à contagem regressiva para o governo ilegítimo e impopular de Michel Temer.


Tatiana Carlotti
Paulo Pinto - AGPT

As delações premiadas dos donos da JBS, Joesley e Wesley Batista, deram início à contagem regressiva para o governo ilegítimo e impopular de Michel Temer. No começo da noite desta quarta-feira (17.05.2017), Lauro Jardim divulgou em O Globo a existência de gravações que comprometem diretamente Michel Temer e, também, o senador Aécio Neves (PSDB-MG).
 
Na quarta-feira passada, sete delatores que participaram de uma ação controlada da PF, confirmaram ao ministro Edson Fachin (STF) - relator da Lava Jato na Corte e responsável pela homologação da delação - o que haviam dito em abril à Procuradoria Geral da República (PGR).
 
Amparado por uma gravação como prova, Joesley afirmou que durante uma reunião com Temer, em março deste ano, ele contou ao presidente que estava enviando uma mesada na prisão para o ex-deputado Eduardo Cunha e o operador Lúcio Funaro, com o objetivo de mantê-los em silêncio na Lava Jato.
 
Em resposta, Temer teria concordado com o procedimento do empresário: “tem que manter isso, viu?” O empresário sustenta que embora o presidente não tenha determinado o envio da mesada, ele “tinha pleno conhecimento” do que estava acontecendo. Durante esta reunião, Temer também teria indicado um contato seu para solucionar um assunto da J&F, a holding que controla a JBS.
 
O contato foi o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) que, segundo a reportagem, recebeu R$ 500 mil do empresário. Loures que é suplente do ministro Osmar Serraglio (Justiça) e chegou a ser conselheiro especial da presidência da República, não estava no Brasil nesta quarta-feira, mas nos Estados Unidos, acompanhando o prefeito de São Paulo, João Dória, em sua viagem a Nova Iorque.
 
O ministro Fachin determinou que o deputado federal seja afastado da Câmara e enviou ao STF o pedido da PGR que solicita a prisão do parlamentar peemedebista.
 
Em nota, Michel Temer negou todas as acusações e afirmou que “não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar”. Eduardo Cunha está detido desde outubro de 2016 no Complexo Médico Penal de Pinhais, localizado nos arredores de Curitiba.
 
Aécio Neves
As delações premiadas divulgadas nesta quarta-feira, também envolvem outro figurão da política nacional: o presidente do PSDB e senador mineiro Aécio Neves. Em outra gravação, Aécio pede R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro, argumenta, seria destinado ao pagamento das despesas de sua defesa na Lava Jato.
 
Também combinado com a PF, o encontro entre o delator e o senador mineiro, teria acontecido em 24 de março, no Hotel Único, em São Paulo. O trecho da gravação chegou a ser divulgado pela imprensa nesta quarta-feira. Note a explícita preocupação do senador em relação às delações:
 
Joesley - “Se for você a pegar em mãos, vou eu mesmo entregar. Mas, se você mandar alguém de sua confiança, mando alguém da minha confiança”.
 
Aécio -  “Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer a delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do c...”
 
Primo de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros foi diretor da Cemig e coordenador de logística da campanha do tucano em 2014. Segundo a PF, ele recebeu o dinheiro das mãos de Ricardo Saud, um dos sete delatores que participaram da ação coordenada.
 
O MPF sustenta que o dinheiro não foi entregue a nenhum advogado, conforme afirmara Aécio, mas repassado ao secretário parlamentar do senador Zezé Perrella (PSDB-MG), Mendherson Souza Lima. Seguido pela PF, Lima levou o dinheiro para Belo Horizonte e garantiu que ele chegasse à empresa Tapera Participações Empreendimentos Agropecuários que é de Gustavo Perrella, filho de Zezé.
 
Vale lembrar que ambos foram notícia em novembro de 2013, quando foram apreendidos 445 kg de cocaína em um helicóptero da empresa de Gustavo, a Limeira Agropecuária. Como não foram encontrados nenhum indício que indicasse a autoria de ambos no crime, eles não responderam judicialmente. A defesa, na época, sustentou que o piloto do helicóptero utilizou a aeronave sem autorização da família ou de representantes da empresa.
 
Aécio Neves afirmou na noite desta quarta-feira que está “absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos”. Disse ainda que sua relação com Joesley Batista “era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público” e que aguarda “ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos esclarecimentos necessários”.
 
O ministro Fachin solicitou o afastamento de Aécio Neves do mandato de senador. A irmã do tucano, Andréia Neves foi presa na manhã desta quinta-feira, pela Polícia Federal. Seu primo Frederico Pacheco de Medeiros também está detido.  Cabe agora ao STF avaliar o pedido de prisão do senador tucano já solicitado pela  PGR.
 
Alegando terem recebido ameaças de morte, os irmãos Joesley e Wesley Batista foram autorizados a saírem do país.
 
As provas em flagrante, com a colaboração dos delatores, foram obtidas por meio de gravações e filmagens das conversas e da entrega das malas com dinheiro. Além disso, foram utilizadas cédulas com o número de série identificados e chips no interior dessas malas, possibilitando o rastreamento do dinheiro. Desde março de 2014, quando teve início, esta foi a primeira vez que a Lava Jato usou esse tipo de ação.
 
Diretas Já
Em meio à turbulência política, o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) protocolou, nesta quarta-feira, um pedido de impeachment contra Temer por crime de responsabilidade.
 
Em nota (confira o texto), vários parlamentares da oposição ao Governo Temer exigiram o afastamento de Michel Temer e a convocação de eleições diretas já. Leia o documento abaixo:
 
Pela Democracia
“Nós, congressistas de diversos partidos, nesta hora gravíssima que o País vive, com denúncias substantivas que envolvem diretamente Michel Temer, nos constituímos em fórum permanente pela democracia e exigimos, em diálogo com as forças vivas da sociedade:
 




    • – RENÚNCIA/AFASTAMENTO imediato do Presidente;



 



    • – ELEIÇÕES DIRETAS JÁ para Presidente da República.





 
Nesse sentido, estamos empenhados no Congresso, junto ao STF e ao TSE para que sejam tomadas todas as urgentes medidas nessa direção.
 
Congresso Nacional, Brasília, 17 de maio de 2017
 
PDT, PT, PCdoB, PSB, PSOL, REDE
 
Em sintonia com as reivindicações dos parlamentares, a população se manifestou ao longo da noite nas redes sociais e também nas ruas. Na Av. Paulista, em coro, clamava-se pelo Fora Temer e por Direitas Já.
 
As Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo também divulgaram uma convocatória chamando o povo brasileiro às ruas, no próximo domingo, dia 21 de maio. Confira a íntegra do texto:
 
Ocupar as ruas para exigir #ForaTemer e #DiretasJá no próximo domingo, dia 21 de maio
A Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo convocam todos e todas para construir atos e manifestações em todas as capitais do Brasil para exigir a saída do presidente Michel Temer e eleições diretas.
 
As provas divulgadas hoje de corrupção e suborno para calar o ex-deputado Eduardo Cunha comprovam, o que há mais de um ano afirmamos, que o presidente ilegítimo Michel Temer não tem nenhuma condição de continuar na presidência da República.
 
Só o voto popular pode resolver essa imensa crise política, resgatar a democracia e credibilidade na principal instituição brasileira. Qualquer outra saída será golpe dentro do próprio golpe.
 
É por isso, que as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo convocam todos e todas para ocupar as ruas no próximo domingo, dia 21 de maio, de todas as capitais do país para exigir Fora, Temer e Eleições Diretas, Já!
 
Clique aqui e acompanhe a agenda de mobilizações.



Créditos da foto: Paulo Pinto - AGPT



Siga-nos no Facebook

Cadastro

Revista Digital Carta Maior

Saul Leblon

Leia Mais

PARCERIAS