Quarta-Feira, 03 de Setembro

 

29/09/2006 - Copyleft

Mídia 'abafa' investigações contra PSDB


Bia Barbosa – Carta Maior
Corte sobre foto de José Cruz/ABr

SÃO PAULO – Um dos últimos boletins eletrônicos de campanha do presidente Lula afirma que o “ódio” de alguns meios de comunicação pela esquerda tem “motivos simples, embora inconfessáveis”. “Acostumados ao controle que detinham sobre a opinião pública desde a redemocratização do país, alguns meios de comunicação não se conformam com a situação atual, em que a maior parte do povo vota em Lula, contra a opinião da maior parte da mídia, que é alckmista. O que mais incomoda estes setores da direita e dos meios de comunicação são as mudanças na estrutura social brasileira”, diz o texto.

Nas últimas semanas, depois da eclosão da crise do dossiê contra Serra, o presidente tem feito duras críticas ao comportamento da imprensa. Em discurso feito em Porto Alegre nesta segunda-feira (25), Lula disse que a cada erro que companheiros do partido cometem os jornais reagem como se “tivesse caído uma bomba atômica”, repercutem “meses e meses”. Já o erro dos adversários sai “no dia seguinte das páginas dos jornais”.

Estaria Lula exagerando nessa avaliação? Na última terça-feira (26), o jornal O Globo publicou uma matéria intitulada “Ataque de Lula à imprensa provoca reações”, que afirma que, na opinião de jornalistas e políticos ouvidos pelo jornal, o “episódio da compra do dossiê contra o candidato do PSDB ao governo do Estado de São Paulo, José Serra, foi criado por integrantes do partido de Lula, não por jornalistas”.

A reportagem ouve, no entanto, somente fontes que confirmam a tese de que a cobertura estaria equilibrada. Na reportagem, o jornalista Alberto Dines, do “Observatório da Imprensa”, afirma que o discurso de Lula é “esquizofrênico” e que a mídia “tem se comportado muito bem”. A outra fonte ouvida é o diretor de redação do jornal O Estado de S. Paulo, Sandro Vaia, que diz que a imprensa está cumprindo sua obrigação ao cobrir e dar espaço em suas edições ao episódio, sem “partidarismos”. O ombudsman da Folha de S.Paulo aparece dizendo que a imprensa tem agido corretamente ao dar visibilidade ao caso.

Ninguém discorda disso. No entanto, onde estaria o acompanhamento da imprensa do outro lado desta história? Por que nossas equipes de jornalismo investigativo não foram atrás, como a mesma profundidade, das informações que o dossiê trazia? Como foram determinadas as linhas de coberturas dos jornais, revistas e da televisão acerca do caso?

No dia 18 de setembro, poucos dias depois da prisão de Gedimar Passos e Valdebran Padilha em São Paulo, a análise interna de Marcelo Beraba, ombudsman da Folha de S.Paulo, dizia que parecia “correta até aqui a cobertura jornalística da Folha do dossiê contra Serra que os Vedoin tentavam vender para um membro do PT e uma revista. Desde sábado o jornal está bem informado, deu destaque necessário nas Primeiras Páginas, tem dado espaço para as várias acusações e para as várias defesas e explicações e tem tratado as acusações ainda não confirmadas com cautela”. Dois dias depois, no entanto, destacava que a “Folha relegou a uma nota pequena e sem destaque, no final da edição, à continuação da investigação que iniciou no interior de São Paulo seguindo as pistas reveladas pela entrevista dos Vedoin à IstoÉ e que relacionam os ex-ministros José Serra e Barjas Negri à máfia dos sanguessugas. Aliás, o título da nota - "Ex-prefeito admite ter sido pago por Abel", página A14 - é impossível de ser decifrado. Quem é Abel?”.

Já no dia 21, Beraba afirma que “sumiu, na Edição SP, a única notícia que dava seqüência às investigações que a Folha vem fazendo do envolvimento de tucanos com a máfia dos sanguessugas. Na Edição Nacional, a nota "Barjas Negri é investigado em Piracicaba" está na página A7, mas depois caiu”. No dia seguinte, o ombudsman aponta uma mudança importante na manchete da primeira página:

“A Edição Nacional circulou com a declaração do presidente à TV Globo: "Lula põe 'a mão no fogo' por Mercadante". Mais tarde, com o depoimento de um dos Vedoin à Polícia Federal, o título mudou: 'Vedoin isenta Serra do caso sanguessuga'. Embora as palavras dos Vedoin já não mereçam grande credibilidade, tantos depoimentos e entrevistas contraditórios já deram; o jornal, ao optar por mais esta declaração, deveria ter colocado na formulação da manchete ou da linha de apoio a informação completa: Vedoin disse que não sabia de indícios contra Serra, mas voltou a acusar Abel Pereira de receber propinas na gestão do também tucano Barjas Negri, sucessor de Serra. O título interno contempla as duas informações e mostra que a Primeira Página teria condições de ter feito formulação parecida - 'Vedoin isenta Serra, mas acusa sucessor'. Como está, a manchete da Folha faz parecer que a única preocupação do jornal é isentar o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, e não a apuração do esquema dos sanguessugas que teria se apropriado do Ministério da Saúde nos governos FHC e Lula”.

As críticas à cobertura do jornal continuam até esta quarta-feira (27), quando Beraba afirma que desapareceu, na Edição SP da Folha, a meia página de noticiário sobre o suposto envolvimento do ex-ministro Barjas Negri (PSDB) no escândalo dos sanguessugas publicada na Edição Nacional. “Os títulos das reportagens da Edição Nacional que caíram: 'Presidente de CPI vê prova contra tucano', 'Empresário daria à Justiça papéis contra tucano' e 'Abel agora diz que foi duas vezes à Saúde' (página A7). Para abrigar o noticiário dos debates que terminaram tarde, a Edição SP teve de excluir algumas reportagens publicadas da Edição Nacional. Precisavam ser exatamente as referentes ao noticiário sobre o suposto envolvimento dos tucanos?”, questiona o ombudsman.

Dentro das redações
As decisões acerca da cobertura da Folha de S. Paulo, que são apontadas, mas não explicadas, pela crítica interna da redação, não são exclusivas do jornal cujo presidente – Luis Frias – é amigo pessoal de José Serra. Em veículos do mesmo grupo, vale a regra do faz de conta: faz de conta que Abel Pereira – o empresário ligado ao PSDB que também estaria envolvido em negociações do dossiê – não existe.

“Como Abel [Pereira] não está preso, não está indiciado, então faz de conta que ele não existe. Mas ele também estava negociando o dossiê com Vedoin; havia um leilão de informações, independente do conteúdo ser verdadeiro ou falso. Era preciso investigar por que ele estava lá. Mas o que se faz é repercutir o que sai no jornal impresso do dia. Então, se a Folha não dá, aqui também não sai nada. Parece que, por alguma razão, as pessoas não conseguem entender que há um outro lado da história”, disse à Carta Maior um jornalista que trabalha numa empresa do Grupo Folha.

“Aqui não há uma pressão para que o Serra apareça bem, mas todo mundo sabe que a ordem de cima é pra poupá-lo. Se vier algo concreto contra ele, vamos dar. Mas se for uma situação nebulosa – como acontece com informações sobre outros políticos que acabam publicadas – não damos”, explica outro profissional que trabalha na empresa.

Em outro grande jornal de São Paulo, cuja linha editorial é claramente favorável aos tucanos, a cobertura da crise recente foi “como o de sempre”. “Ataquem os inimigos e finjam-se de mortos com os amigos”, relatou um repórter. “O foco da pauta desses dias foi todo no bando que comprou o dossiê, mas ninguém se preocupou em ir atrás do dossiê. A pauta do dia já vem pronta, na verdade: o repórter chega e já dizem pra ele pra onde ele vai correr. Aí ele vai pra rua, apura o que pediram pra apurar e acabou”, explica outro jornalista do mesmo jornal.

Segundo os repórteres de uma das revistas semanais de maior circulação, há uma clara diferença de comportamento entre o período "padrão" e os períodos de “crise”. As informações chegam, são apresentadas pela equipe de reportagem, mas não ganham continuidade na pauta.

“Não há uma ordem explícita. Há pequenos boicotes internos e você nunca sabe se isso é voluntário”, diz um jornalista do semanário. “Você até tenta furar o bloqueio. Apura, mostra, mas a pauta não anda. É inexplicável”, completa.

Na época da crise do mensalão, qualquer informação contra o governo era usada pela revista para confirmar a tese de autoritarismo e aparelhamento do Estado. Quando alguma coisa vazava “do outro lado” – por exemplo, quando surgiu a relação entre Marcos Valério e o tucano Eduardo Azeredo –, e não havia como sonegar a informação do leitor, “a matéria se transformava numa análise sociológica de como a política é suja no Brasil. Ou seja, uma matéria é a sujeira de um partido. A outra, é a sujeira da política no geral. Aí essas informações caem na vala comum”, explica um dos jornalistas do veículo.

Pelos relatos – e pelo fato de todos os jornalistas temerem falar abertamente sobre a cobertura política que seus veículos realizam –, fica nítido que há uma pressão clara dos donos dos meios de comunicação não apenas para que a cobertura siga determinada orientação, mas também para que não se discuta isso publicamente.

Na televisão
Na maior emissora de TV do país, o clima na redação não é diferente. Na semana passada, a Rede Globo não falou, em nenhum momento, que 70% das ambulâncias da Planam foram liberadas durante a gestão do PSDB, quando Serra estava à frente do Ministério da Saúde. A emissora também não enviou uma equipe até Piracicaba, para investigar Abel Pereira e as suspeitas que pesam sobre o ex-secretário-executivo de José Serra e atual prefeito da cidade, Barjas Negri. Durante a crise do mensalão, a emissora colocou repórteres investigando a fundo as denúncias contra Antônio Palloci em Ribeirão Preto. Mas Piracicaba parece que foi “esquecida” desta vez.

Esta semana, a emissora entrou na cobertura do “caso Abel” de forma tímida, mas com espaço para manipulações sutis. Na última terça-feira, em entrada ao vivo no jornal Hoje, o repórter da TV Centro-América, afiliada à Globo em Mato Grosso, disse que Abel Pereira esteve em Cuiabá na véspera da entrevista para a revista IstoÉ, e que Pereira é ligado a Barjas Negri, ex-ministro de Fernando Henrique Cardoso (Negri assumiu o ministério quando da saída de Serra). À noite, o texto da edição do Jornal Nacional descrevia Negri como “ex-ministro do governo anterior”. Osvaldo Bargas, Jorge Lorenzetti e Freud Godoy são descritos dezenas de vezes ao dia como petistas. Mas Abel Pereira não pode ser tratado como lobista de um ex-ministro e prefeito tucano.

Com didatismo, a emissora relaciona o presidente Lula e os corruptos de seu governo e do partido envolvidos com a história do dossiê. O mesmo não acontece com Serra, Negri, Pereira, Vedoin e os deputados mensaleiros do Mato Grosso, que na época eram do PSDB. A pergunta que o telespectador se faz é: “Lula não sabia de nada?”. Mas ao eleitor não é dada a chance de se perguntar: “E Serra, não sabia de Abel? Se Barjas Negri era seu braço direito, como Serra não sabia dos sanguessugas atuando ali tão perto?”

O desequilíbrio da cobertura da Globo contaminou também o acompanhamento dos candidatos à presidência. Desde o início da campanha, a recomendação dos editores era a de que as entrevistas dos candidatos nas ruas deveriam ser sempre propositivas. Nada de críticas ou provocações aos adversários. No caso do PCC, por exemplo, o candidato petista ao governo de São Paulo não podia aparecer cobrando do governo do PSDB/PFL por que a polícia paulista havia perdido o controle do crime organizado. No entanto, diariamente se vê no Jornal Nacional as críticas dos demais candidatos a Lula.

Na quarta-feira (20) da última semana, Geraldo Alckmin foi agraciado com 1´20” no Jornal Nacional. Os outros candidatos tiveram 30 segundos. A justificativa dos editores cariocas foi a de que tratava-se do lançamento do programa de governo do PSDB, daí o tempo maior. No entanto, as declarações de Alckmin neste dia não foram sobre seu programa, mas atacando a corrupção do governo Lula. No dia do lançamento do programa de governo de Lula, na última semana de agosto, o candidato recebeu 1´30” – exatamente o mesmo tempo dado ao PSDB, incluindo espaço para Fernando Henrique criticar o presidente em seu discurso no Jockey Clube.

“Na redação, as pessoas estão com o estômago revirado. Ninguém duvida da necessidade de mostrar essa quadrilha de pseudo-sindicalistas que tentaram comprar o tal dossiê. Mas e o outro lado? E os sanguessugas tucanos? O que vemos, é um massacre ininterrupto no ar”, contou à Carta Maior um jornalista da TV.

Credibilidade em jogo
Em seu site pessoal, o repórter da Globo Luiz Carlos Azenha avalia que o que acontece hoje é um “espetáculo de hidrofobia que, lamentavelmente, não se fez quando a Vale do Rio Doce foi privatizada ou quando surgiram denúncias de que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso comprou votos no Congresso para garantir seu direito à reeleição”. “Embora isso não justifique o banditismo de integrantes do governo Lula, está claro que sanguessugas, vampiros e mensaleiros começaram a agir no governo FHC. O que fez a Polícia Federal, então? E Aristides Junqueira (sic), o engavetador-geral da República?”, questiona Azenha.

O repórter diz que se sente à vontade para escrever sobre o atual governo porque investigou e denunciou alguns de seus integrantes. “Mas o trabalho de um jornalista deve ser guiado pela imparcialidade. A pior coisa que um repórter pode fazer é trombar com os fatos”, afirma.

Nos bastidores do jornalismo, não são poucas as histórias do poder de José Serra junto aos donos dos meios de comunicação. Certa vez, ele teria ligado diretamente para Boris Casoy e pedido a cabeça de um repórter que não havia feito a “pergunta combinada” a ele numa entrevista de rua. Também não são poucas as inclinações das chefias às políticas conservadoras.

Na avaliação de Luís Nassif, em post publicado esta semana em seu blog, é evidente que há uma competição entre praticamente todos os grandes veículos da mídia para saber quem derruba Lula primeiro. “Está-se tentando repetir a história, quando o momento seria propício para o veículo que se colocasse acima das paixões, recuperasse a técnica jornalística e se comportasse como magistrado, duro, inflexível, porém justo, colocando a preocupação com o país acima das conveniências de momento”, escreveu o jornalista.

Para Nassif, a virulência do editorial de domingo (24) da Folha de S. Paulo adotou um estilo inspirado em Carlos Lacerda. Lacerdista ou não, é fato que há uma guerra declarada da mídia ao governo e uma onda – não necessariamente articulada, porque nem precisa ser – para poupar tucanos e fingir que nada se passa do lado oposto do muro. Pesquisas quantitativas e qualitativas – como as divulgadas pelo Observatório Brasileiro de Mídia – mostram como isso se reflete no tempo e no espaço de textos negativos ou positivos dados pela imprensa a cada um dos candidatos. Dentro das redações, os movimentos são sutis. Por enquanto, as pesquisas eleitorais mostram que, apesar da artilharia, o efeito surtido questiona a eficiência da estratégia. Resta saber se, depois das eleições, o caminho escolhido pela imprensa brasileira não afetará sua credibilidade e sua capacidade de continuar influenciando a opinião pública.


Créditos da foto: Corte sobre foto de José Cruz/ABr




Aristides Borges - 30/09/2006
A imprensa lacaia e' uma ferramenta nas maos do poder economico e sua luta pela autopreservacao. Exemplo cabal foi no governo de Olivio Dutra, em que desde o primeiro dia teve a perseguicao implacavel e doentia da imprensa lacaia local. Nao e' uma novidade ver tais lacaios darem enfase exagerado, a beira do ridiculo, a fatos irrelevantes, nao pela sua tendencia ao sensacionalismo barato, imprensa marrom, mas sim para acobertar as falcatruas de seus patroes. Parece-me, num caso particular, que e' mais importante saber o conteudo do dossie Serra-Vadoin, do que a origem do dinheiro para uma pretensa compra do mesmo. Quem sabe apurar melhor a compra de votos com leite distribuido pelo governo de Sao Paulo (jornal do SBT, em 29.09)


ana t. b. calzavara - 30/09/2006
Ao menos para mim, a imprensa brasileira acabou, em especial Folha de São Paulo, Rede Globo e Revista Veja. A televisão será devidamente desligada nos jornais da Globo. Não lerei mais a folha de São Paulo. Não preciso de informação manipulada. Não me serve para nada. Acho que não serve para ninguém.


sérgio vieira - 30/09/2006
Um segundo turno vai valorizar ainda mais o poder da mídia, que negociará sua influência por um preço maior. Serão mais quatro semanas de venda de capas e entrevistas, colunas e manchetes. Se até o judiciário foi alvo de CPI, está na hora da CPI da mídia, vamos passar a MÍDIA A LIMPO, pelo bem da DEMOCRACIA.


Tero - 30/09/2006
Alckimin e sua patota estão analisando os votos que Lula perderá. Deveria ficar preocupado com o votos que perderá com os últimos acontecimentos(vazamento das fotos).


Ivonildo Dourado Bastos - 30/09/2006
É triste ver o comportamento da Imprensa. concordo plenamente com a matéria, só uma correção: ¿Engavetador-Geral¿ Durante os anos em que esteve à frente da Procuradoria-Geral da República, na gestão FHC, Geraldo Brindeiro ganhou o apelido de ¿engavetador-geral da República¿. Segundo informações publicadas pela imprensa, dos 626 inquéritos que passaram pela mesa de Brindeiro até maio de 2001, 242 haviam sido engavetados e 217 haviam sido arquivados. Dos 242 que estiveram parados na gaveta do procurador, 194 tinham deputados federais como réus. Outros 33 se referiam a senadores, 11 a ministros e ex-ministros e quatro ao próprio presidente FHC.


Ivonildo Dourado Bastos - 30/09/2006
Parabéns pela matéria, só uma correção quanto ao nome do engavetador geral: Geraldo Brindeiro e não aristides Junqueira.


robledo duarte - 30/09/2006
engraçado, todo mundo critica porque lula não foi ao debate, foi covardia etc e tal. no entanto todo mundo escondeu que o "bom mocinho" da direita Aecinho Neves faltou ao debate dos governadores pelo mesmo motivo de lula, ser tripudiado pelos opositores e não haver debate politico e sim fuxico eleitoral.


Zilda de Araujo Rodrigues - 30/09/2006
Fui assinante da Folha por quase dez anos. Em 2002, na cobertura das eleições, cancelei minha assinatura pois não suportei o partidarismo, a manipulação, a deturpação de fatos para beneficiar a direita. Penso que as pessoas que têm compromisso, não com um partido ou candidato, mas com o Brasil ,deveriam cancelar suas assinaturas de qualquer veiculo de comunicação da grande imprensa. Jornal ou revista. Ao fim e ao cabo estamos vendo o futuro do Brasil e dos nossos filhos, netos etc. comprometido. Vamos valorizar os meios alternativos de informação. Quem sabe assim podemos voltar a ler jornais e revistas com um pouco de seriedade e objetividade em suas matérias?


Alfredo Holzinger - 30/09/2006
Primeiro foi aquele correspondente do NYT chamando o Lula de preguiçoso e cachaceiro em duas matérias, lembram? Depois a Veja, mais suja do que nunca. A seguir enfileiraram-se a TV GLOBO, O GLOBO, FOLHA, ESTADÃO e, finalmente a PF, a OAB e o Min. Marco Aurélio Melo, da dinastia Collor de Melo. E assim formou-se um violento corredor polonês, que ao que tudo indica, será superado, a duras penas, pelo Lula. No primeiro ou segundo turno. Acho que todos os cidadãos que tiveram o privilégio de poderem se instrumentalizar politicamente e a sensibilidade de captar esta corrupção midiática, devem encher as caixas de correio - virtuais ou convencionais - das editorias de política destes veículos e cobrar um mínimo de decência jornalística. E, evidentemente, NÃO COMPRAR E FALAR MAL de todos os veículos suspeitos. O profissional de imprensa que quiser vender a alma ao diabo que venda. Mas os patrões deles venderem o país, nem pensar.


Antônio Carlos da Silva - 30/09/2006
É interessante ler um artigo da Agência Carta Maior falando sobre isenção jornalística. Eu conheço um articulista desta agência, chamado Rodrigo Sanfelice, e até petistas convictos acham que ele exagera no discurso extremado anti-PSDB, chamando o Serra de vampiro, o Alckmin de chuchu, e outras pérolas do debate embasado e ideológico. Esta agência é um panfleto do PT, e como tal deve ser lida. Estão acusando a grande imprensa brasileira de atacar o PT, citando as palavras do próprio Ombudsman da folha. Ora, o Ombudsman da folha escreve na folha! Enfim, estão acirrando o coro para desviar a atenção do que é importante. De onde veio R$1.700.000,00? Dos correios, da caixa, do Banco do Brasil ou da Petrobrás? Pode ser de qualquer uma dessas estatais, pois não seria a primeira vez neste governo. Aliás, a verba de campanhas do PT pode prescindir desta soma, sem que nenhum dos candidatos envolvidos perceba. Alguém é capaz de acreditar nisso? E a última do PT: tentar impugnar a candidatura do Alckmin por terem aparecido as fotos do dinheiro! A polícia SEMPRE divulga fotos de dinheiro. Foi a primeira vez que eu vi alguém defendendo a idéia de ocultá-las. É o máximo da inversão de valores. Se fosse o contrário, o PT seria o primeiro a mostrar aos 4 ventos, como sempre fez. Declaração do Lula, em comício anteontem: "nesta eleição, ninguém, nenhum candidato, pode reclamar da cobertura da imprensa". Abraços a todos.


Herbert - 30/09/2006
só uma palavra: EXCELENTE!!!


Maria do Carmo Paulino - 30/09/2006
É fundamental mostrar a população este lado negativo da imprensa, muitos já estão percebendo esta manipulação e o grande poder de indução que a mídia televisiva tem e coloca este poder a seu favor. Mas o povo, também já esta percebendo isso. É importante que se descubra uma maneira de coibir, esta prática. Pois há bons eleitores desatentos a estas práticas negativas e egoista.


Paulo José de Oliveira Silva - 30/09/2006
Brilhante artigo, infelizmente o PT e Lula, não acreditou no alerta de Leonel Brizola, que dizia que a midia contrata os melhores jornalistas e faz os melhores textos, que até ele (Brizola) se não tomasse cuidado, acabaria acreditanto. Infelizmente o PT utilizou-se desta mesma midia, em outros tempos para fazer o serviço para os reacionários, denigrindo e liquidando com a imagem de políticos importantes no avanço do campo social como o próprio Brizola e até Quércia, sendo que este jamais esteve aliado a direita estupida. O PT ao contrário preferia dar atestado de ideneidade ideológica a canalha tucana, suposta direita esclarecida. Deu no que deu.


José Luiz Rodrigues - 30/09/2006
O estômago revirado é o de todos nós!


Carlos Eduardo - 30/09/2006
sou a favor do artigo, mas sou contra a atitude covarde do PT, que utilizou desta mesma midia para denegrir seus possiveis adversários, ou talvez aliados, no campo popular, bajulando o tucanato para uma futura aliança. como dizia Darcy Ribeiro: o PT é a esquerda que a direita gosta


Urbano T Mertz - 30/09/2006
Assino a Folha há muitos anos. Deixei de ler as colunas da pg A2 quando um colunista pediu desculpas ao leitor por ter que falar de alguns aspectos positivos do governo Lula. Por último somente lia a Coluna do Nassif. Agora este saíu, só me resta cancelar a assinatura. Se imprensa livre é sinônimo de democracia, o jornalismo brasileiro ainda tem muito o que aprender sobre as regras do jogo democrático. Por sorte, Lula sabe se comportar como um democrata, o que me dá uma sensação boa. Pois qual dos governos anteriores colocaria a sua PF atrás de integrantes de seu partido a duas semanas das eleições? Não me esqueço que o DF Paulo Lacerda foi transferido para a fronteira de RO com a Bolívia quando chegou perto do ACM no governo FHC.


cid elias - 30/09/2006
A matéria do "grobo" é patética! Foi escrita para desconstruir as palavras mais do que procedentes do Presidente Lula. E chamar os dois cabras suspeitíssimos para dar o aval foi só uma questão de sem vergonhice das brabas. Nos insuportáves artigos do ex-observador ''dinners'' está cada vez mais estampada sua vertente sionista e golpista. O outro...nem se fala...dá vontade de vomitar. E assim vamos vendo o golpe tomar corpo, as concessões públicas de canais de tv e rádio sendo criminosamente usadas contra os brasileiros. Está na hora de dar um basta!


Lucia - 30/09/2006
Interessante é que mesmo assim o atraso não passa dos 35% de votos, ainda que unidos em todas as esferas (mídia, judiciário, partidos, etc.), ainda que se odeiem. Lula, HH e Cristovam somados têm cerca de 65 %. Será que sairão vitoriosos, novamente, em cima de nossa desunião? Realmente confirmamos que nossa "inteligência" é meio trapalhona. Mas amanhã veremos.


Myrna Vieira - 30/09/2006
È suja a imprensa, simplesmente suja, vendida e ordinária! no domingo eles terão a resposta que merecem!


Rodrigo - 30/09/2006
É realmente lamentável a atitude da "grande" imprensa nacional!! Um verdadeiro descalabro...mas aqui no Rio Grande do Sul já estamos acostumados a este tipo de cobertura tendenciosa e sem nenhum pudor, o Grupo RBS é anti-esquerda assumido, e o comentarista do Jornal do ALmoço, Sr. Lasier Martins, nem se comenta...


nirdo laden - 30/09/2006
Penso ser exatamente como está descrito no artigo da Bia Barbosa, parabéns! E esta maneira criminosa de enganar um País tem que ser punida! Concessões públicas sendo usadas por golpistas calhordas para comprar a consciência dos brasileiros é grave demais para ficar impune! Gostaria de saber as regras que regem as concessões de canais de tv e rádio, estudá-las para ver o que é possível sugerir ao Ministério Público e aos poderes menos podres que o comitê tucano conhecido por tse, lá quem manda é bico grande, o tendencionismo pró-golistas está escancarado, só a mídia seletiva não cobra postura digna do amigo do Cacciola, primo do caçador de maracuás, comparsa dos velhos dilapidadores do nosso erário, os pulhas corruptucanos. O pau vai ''troá''! Acho que vamos pro ''cacete'' mesmo, afinal não calaremos diante destes covardes ssugassugas!


Adnan El Kadri - 30/09/2006
É isso mesmo Mertz. Faltou lembrar a canalhice dos tucanos com a Roseana Sarney ao mostrar os dólares para a mídia, para beneficiar a campanha do careca Serra, para excluí-la da disputa eleitoral, quando ela era a favorita. E as cpis pífias e recorrentes dos anos 2004 e 2005 que NADA provaram de concreto. Tudo isso é especialidade da tucanalhada. Eles é que agem em conluio com a gde. mídia mentirosa. Só que o CONTEÚDO do dossier onde estão os sanguessugas do min. da Saúde de Serra, nenhum jornal quer MOSTRAR! Mas ao que tudo indica o maior interessado que é o Povo não aceita areia nos olhos ou mentiras deslavadas. LULA encarna os assalaraiados, os pobres, as classes médias enfim todo o Povo Brasileiro. A única alternativa viável para o crescimento é LULA Presidente em 1º de outubro.


Eliane Facion - 30/09/2006
Está tudo corretíssimo, exceto a informação de Azenha sobre o "Engavetador Geral da República" no governo FHC: o nome correto é Geraldo Brindeiro e não Aristides Junqueira.


Edelson Jose Nicoluzzi - 30/09/2006
Totalmente a favor. É lamentavel o comportamento coronealista ditado nas redações, aqui no sul temos o grupo RBS , em meu estado Santa Catarina eles controlam os 3 principais diarios nas cidades de : Florianopolis, Blumenau e Joinville, tem 5 ou 6 tvs (todas globo),tem net nas principais cidades do estado, tem duas redes em fm e controlam a cbn em Florianópolis , a mesma receita do Rio Grande do Sul, o noticiario em todos estes meios são totalmente anti lula , os noticiarios e os tabloides são para Panglôsianos, tratam os governos dos dois estados onde atuam com uma complacencia total, totalmente subservientes as direitas retrogradas udenistas do sul, por fazerem esta `venda casada` um veiculo leva a outro e asim sucesivamente, (muito bom para os negocios do gropo RBS). São algo que nem o mestre Orson Wels imaginaria , Citzen Cane é fichina... Acredito que isso explique o fato de lula ir tão mal aqui no sul.


Tero - 30/09/2006
Zilda, sou assinate do Estadão e já ameaçei várias vezes cancelar a assinatura e não o fiz, pois suas matérias partidárias não me fazem nem cócegas. Se lá em casa morassem pessoas com idade entre 14 e 18 anos, com certeza eu rifaria este jornal lá de casa. O que me traz mais felicidade é saber que eles(a mídia golpista) sabem que nós sabemos de todas suas artimanhas. É prazeroso saber que seus editores irão para suas camas à noite remoendo de raiva por não nos fazer a cabeça.


Jorge Xavier Pereira - 30/09/2006
Toda essa imundície e canalhice da imprensa brasileira tem me dado náusea e nôjo. Tenho lamentado profundamente por minha filha viver em um país tão atrasado e controlado ainda por meia dúzia de famílias de milionários herdeiros das capitanias hereditárias perpetuadas por séculos pelos detentores do poder político e econômico do Brasil. Se Lula perder, juro que abandonarei minhas convicções políticas e patrióticas e darei as costas ao destino deste país


Marilourdes Trindade - 30/09/2006
Prezados amigos de Carta Maior, Observei o comportamento da Globo News à tarde e do JN à noite, que vocês também identificaram com relação à "possível intenção" dos Vendoin de leiloarem as informações sobre as atividades de Serra e Negri, primeiro com o próprio PSDB através de Abel Pereira e depois com o PT. E comentei em família, após assistir a edição da noite do JN, exatamente as omissões de detalhes do texto da locução, que o editor Bonner preferiu fazer. É lamentável!! E estranho a posição de AD "no seu" Observatório da Imprensa, que quando lançado, me trouxe esperança de se tornar um ponto de referência para que o cidadão pudesse, de fato, avaliar os excessos da imprensa. Eu realmente não consigo ouvir, nem ler "jornais" da mesma maneira. Talvez existam contradições profissionais anteriores dele com os donos da Isto é, que o levaram agora a posições tão distantes do rigor técnico anterior. A denúncia de qualquer erro, não só nos governos, mas também na sociedade, na mídia deve ser discutida. A prática é pedagógica. Mas seguindo realmente um fio de lógica e fidedignidade com a Verdade. Não entendo o nojo, a gritaria histérica das ¿grandes¿ empresas de comunicação, como se atos de corrupção fossem algo novo. O novo é a denúncia pública, sistemática. Talvez Lula tenha preferido evitar a paralisia do governo, no início de seu mandato, ao não investigar escândalos de governos anteriores. Algo que parece inevitável agora no segundo mandato. Não só pelo grau de polarização, dentro da própria mídia pelos procedimentos jornalísticos inaceitáveis, mas também pela necessidade de desvendar a história inteira. O povo precisa conhecer o envolvimento nos dois lados. Queremos saber como FHC tratou a reeleição, as privatizações, a administração nos ministérios. Torço para que esse momento não sirva só para tentar alterar os rumos do resultado das eleições presidenciais, mas para que dentro da própria classe profissional dos jornalistas e nas empresas surja um movimento de repúdio as práticas destes últimos meses. Está em jogo, realmente, a sobrevivência da crença na impressa e no jornalismo sério. Ou precisaremos construir novos meios de comunicação e imprensa livre, longe da ditadura dos grandes. Atenciosamente, Marilourdes Trindade, 49 anos - engenheira - Juiz de Fora - MG


otilia de Moura Barbosa - 30/09/2006
E ninguém faz nada? O povão precisava saber disso tudo com a máxima urgência, mas Deus é justo e tomara que LULA vença no primeiro turno, essa gentalha do PSDB e PFL, não podem mais governar esse País!!!! Dá nojo ver essa imprensa descarada falar o que quer, mentindo e enganando o povo brasileiro. Vocês sabem de que impensa estou me referindo!! Um grande abraço!! Otilia


daniela - 30/09/2006
Impressionante! Acabei de esclarecer à minha filha o motivo de, nestes últimos dias, estar dedicada de corpo e alma à campanha anti-golpe. As palavras que usei foram praticamente as mesmas do comentário da Zilda! Valeu a sintonia, é disto que precisamos neste momento. Expliquei-lhe tb, que quero informar todas pessoas que puder sobre os fatos que estão em curso, as notícias sequestradas pelo imprensalão, as quais meu arquivo nomeado MÍDIA VENDIDA, com centenas de bombas-relógio contra a cocôligação brazil indecente, serve de lança-mísseis. Estes mísseis tem objetivo alvejar uma região da cabeça dos teleguiados, seu efeito desejado é desimbecilizar, desidiotizar e reabrasileirar cérebros atrofiados pela ação maléfica de consumir drogas marrons tais como vejas(mente), estadão ão ão, folha do psdb, grobogolpe.cão etc. Nem sempre consigo de primeira, mas faço o possivel. abçs e valeu Zilda!


Flávio César - 30/09/2006
É nítido a tendência direita da Rede Globo. Na edição de 29/09/2006 do Jornal da Globo, William Waack disse que pior do que a atitude de se comprar um dossiê falso pra incriminar adversário político é a tentativa do PT de abafar o caso, mencionando o pedido da Direção petista ao TSE de retirar as fotos não autorizadas do ar. Continuando, William Waack é categórico e diz que o TSE "REPUDIOU' a solicitação petista. Logo após a chamada, na matéria, aparece Tarso Genro, falando aos jornalistas que o PT "REPUDIA" o vazamento ilegal da fotografia das cédulas apreendidas. Ora, está claro a confusão mental do ancora provocado pela ânsia desenfreada de evidenciar os fatores negativos do PT. É inconcebível o que está acontecendo.


Guilherme Mallet - 30/09/2006
Isso tem que ser mostrado. A população, incluindo a classe média preconceituosa, precisa ter conhecimento desses fatos, é urgente tirar a máscara dessa mídia corrupta que tanto fala em ética, mas não faz o dever de casa. Quem vai escrever um livro? Quem vai fazer um documentário?


jose carlos lima - 30/09/2006
O Jornal Nacional? Mostrou a foto do dinheiro. Lacerda, leia-se lacerdismo em carne-e-osso e cosso-carne. Tanta coincidência com o período que antecedeu ao suicídio de Getúlio Vargas. Como o mundo é estranho. Lacerda. Moral da história: até que enfim as elites tem, de novo, um Lacerda. Elas estão usando-no, em pleno dia da eleição, para derrotar o presidente Getúlio Vargas digo Lula. No momento ouço foguetes. Eles estão eufóricos com suas bandeiras, camisetas=brindes autorizados pela (in) justiça eleitoral. ( leia este meu texto na íntegra no meu blog http://abandon.zip.net


carlos alberto de oliveira - 30/09/2006
Nós os cidadãos de bem precisamos construir um novo Brasil, no qual a mídia golpista e covarde seja enquadrada na lei, e que as concessões públicas de rádio e televisão sejam avaliadas sempre, para que aquelas que estiverem praticando atos criminosos como a tentativa de golpe que estão tendando dar no presidente lula. sejam cassadas. Fora com a mídia covarde e facista. Vamos reagir


André Moreira - 30/09/2006
É triste, vergonhoso e de se lamentar muito que a grande mídia comandada pela Globo estejam fazendo o que estão fazendo. Talvez queiram mostrar ao povão, que a vontade deles não é nada. Povo pobre não tem que se meter a dar palpites, e desobedecer o que a "grande" midia ordena, vote neste ou vote naquele... So resta a nós, o povo, exercermos nossa força nas urnas, e no domingo respondermos a esses ditadoreszinhos de meia pataca que nós somos o Brasil.


Gonzaga - 30/09/2006
Vivemos nessa eleição a transformação no seu extremo da informação em mercadoria. Isso não é novidade. Sempre se soube. Mas agora as capas dos jornais são grandes displays publicitários. O jornalismo brasileiro vive a sua noite, sua treva, nesse pré primeiro turno. A ausência total de compromisso jornalístico equilibrado está levando-o às trevas. Essa é a ausência que vai ser debatida daqui pra frente. Ausência dos quatro grandes da mídia brasileira do debate equilibrado sobre as eleições, a falta de cobertura equânime e com mínimo de profissionalismo. O Estadão, e o seu Grupo, por exemplo, enlouqueceu nessas eleições? Jogou tudo fora pra se enlamear numa discussão parcial e preconceituosa? Aquela matéria dizendo que os pobres e os negros aceitam mais a corrupção do que os ricos, o que é isso? Para justificar os votos do Lula? continua... Ontem, aqueles banners enormes cintilando na home do Estadão com a grana do dossiê: vivo um momento histórico, estou assistindo à transformação de um jornal centenário em um display publicitário barato e vulgar, como a Veja, e se transformando em cabo eleitoral do mais baixo nível. Esse é o verdadeiro retrocesso democrático. Os poucos "eleitores" que o jornal (grupo) conseguir arrebanhar para o Alckmin lhe custarão milhares de "leitores" a menos. As edições terrivelmente unilaterais da TV Globo. A recente escalada da Folha de São Paulo rumo ao liberalismo (temos aqui um daqueles casos em que o filho se torna mais conservador do que o pai). Esperava que a Folha preservasse um mínimo de sua cantada pluralidade. LAMENTÁVEL tudo isso.


Andelmo Zarzur - 30/09/2006
Analise brilhante sobre o comportamento da midia; entendo que faltou fazer algumas observações referente ao odio da imprensa, até aqui na minha cidade de 60 mil habitantes, o único jornal local não difere em nada dos demais do odio, pois confunde criticas com odio. Penso que talvez este odio seja porque a fonte secou, a viuva fechou as tetas para as benesses que sempre usufruiram do poder, pois pela primeira vez na historia do Brasil, o Governo mudou e quem sempre viveu a sua sombra não se conforma, pois as vendas estão caindo as assinaturas estão minguando e pesa sobre eles o temor de que o Governo venha a cobrar a divida que os mesmos tem com o Pais, IR;FGTS;INSS;IPTU; enfim, se houver a cobrança, ficaram tecnicamente falidos.


Felipe Salek - 30/09/2006
Ainda bem que encontrei alguma notícia séria nesse mar de oportunismo no qual estamos naufragando. Parabéns. Seu texto é bastante corajoso, batendo de frente contra essa corja, que depois da campanha de 89, não deveria ter credibilidade alguma com a população, o que agora claramente acontece.


Luiz Seragi Neto - 30/09/2006
Mais uma para a coleção de engajamentos da midia contra Lula. Acabo de receber a revista Época com a manchete no alto da capa: "A DESILUSÃO VENCEU A ESPERANÇA - Como a história vai avaliar o PT no poder de 2003 a 2006". Além de, subliminarmente, decretarem o fim do governo petista, devo informar que em um ano como assinante, é a primeira vez que recebo a revista no sábado (geralmente chega no domingo á tarde, às vezes segunda-feira), exatamente na véspera da eleição. P.S.: Já cancelei a renovação da assinatura.


Daniel - 30/09/2006
Esclarecer a população o que há por trás do tal "dossiê", realmente, ninguém quer. Até o presente momento, infelizmente, não sabemos a história desse documento. Ele é antigo. Ou melhor, o seu conteúdo. Sabemos, mesmo com vários erros do atual governo, que o Lula e, em consequência, o PT não são os atores principais dessa "estória." Temos mais. A coisa é muito mais profunda, e atinge os conservadores que usufruiram dos recursos do Estado brasileiro, isto é, numa verdadeira lesa a patria, a nação. Muito bem. Querem voltar ao poder. Não admitem, como sabemos, um "operário" no posto máximo de uma nação: a presidência. Preconceito de classe. Não iria votar em Lula, por não concorda com algumas atitudes do seu governo. Ele erro desde o início. Não cabe enumerá-los, são muitos e levaria tempo. Política econômica é apenas um exemplo. Todavia, com o decorrer dos fatos, voltei a repensar meu voto. Por quê? Porque é importante para a esquerda, ainda que ela não esteja atuante no governo, uma vitória no dia primeiro deste mês. Não podemos permitir o retorno ao atraso, ao ostracismo. Uma sugestão ao Carta maior: por que não apurar, vocês, o tal dossiê, o seu conteúdo? Vão em frente. Vocês têm uma ferramenta de comunicação em mãos, e toda capacidade de apurar o caso. Não vamos, somente, tranferir para a grande mídia aquela que também é nossa responsabilidade. Se eles não fazem, por que não fazermos nós? Fica a sugestão.. Suadações


Frederico - 30/09/2006
é triste pensar que o Herzog e outros tombaram no meio do caminho para que os jornais pudessem fazer isso hoje.


Jáder - 30/09/2006
Queria denunciar a edição de hoje do Jornal nacional vocês viram aquilo? Pessoal mostraram o Alckmin e sua saga quantas viagens ele fez por dia HH a mesma coisa e Cristovam Buarque também e o LULA? Sinceramente isso é revoltante!! Queira Deus que a sociedade brasileira consiga enchergar isso amanhã ao votar e que Lula possa ser reeleito para a desgraça desses tendenciosos!!


Fátima Aguiar - 30/09/2006
Nossa, eu realmente sou uma ingenua, até esse momento eu acreditava e assistia o "Observatória da Imprensa"!!! Mas que barbaridade!!! Realmente eles não são imparciais!! Eu lamento, mas lamento pelo Brasil, esta parcialidade que em rigorosamente nada, contribui para a Democracia, para a Educação, enfim, para o desenvolvimento do nosso país! É muito cinismo se falar de corrupção, com a lama a lhes envolver o pescoço!!! Ainda bem que existem alguns canais, mas somente alguns, muito poucos na verdade, como esse que permite a nossa manifestação, o que me falta neste momento, é ar, mas não vamos esmorecer!!! Fátima Aguiar


Eduardo - 30/09/2006
Faltou incluir o UOL na lista.


Helena - 29/09/2006
Vou imprimir esse texto e distribuir para as pessoas lerem. A imprensa está agindo da maneira mais sórdida. Já percebi isso há muito tempo. Por isso deixei de assinar Veja e o jornal Zero Hora. Agora quero assinar Carta capital e leio Carta Maior.


Willians Barros - 29/09/2006
E o que dizer do OBSERVATÓRIO DA IMPRENSA, cujo capo, o veterano Alberto Dines, perdeu as estribeiras? Bastou que eu enviasse um comentário chamando-o de corporativista presunçoso, que entrei sumariamente no Index do OI. Estou sendo censurado sistematicamente naquele sítio, sem jamais ter infringido as regras do decoro.


marcos - 29/09/2006
É realmente patetica e infantil a re(ação) da mídia a possível eleição de LULA já no primeiro turno. Ao que parece, mesmo com toda essa vergonhosa cobertura dos acontecimentos pela midia dependente do poder econômico, o governo neoliberal não deixou nenhuma saudade na população São os fatos!! A midia perdeu sua credibilidade!!!


LUCIANO - 29/09/2006
É lamentável que profissionais de imprensa se sujeitem a este jogo sujo da elite brasileira, quando na verdade o seu papel seria manter a sociedade informada quanto aos políticos que a mesma elege, independentemente, que seja do PT, PFL, PSDB, PDT, PSOL... NÃO IMPORTA! O povo brasileiro exige uma informação íntegra e honesta, sem deturpações. Agindo desta forma estes profissionais contribuirão de forma indelével para o amadurecimento da democracia brasileira. O POVO BRASILEIRO AGRADECE.


Aline - 27/10/2006
Só não entendi porque não foi explicitado no texto o nome do "outro grande jornal de São Paulo, cuja linha editorial é claramente favorável aos tucanos" e de "uma das revistas semanais de maior circulação"... Pelo menos o texto não foi escrito em linguagem panfletária (como algum dos comentários fizeram) e tentou trazer fatos. Se são verdadeiros ou não, eu não sei afirmar, mas do ponto de vista da argumentação cumpriu o bem o seu papel.


ademilsonbarreto - 18/10/2006
isto é a prova de como este imperio nazista televiso com e a globo e outros tentam dominar a conciencia coletiva de uma nação.


Paulo R. Nunes - 18/10/2006
Parabéns pelo texto. O que eu tenho dito e ouvido dizer como opiniões você disse com fatos. No governo Lula nós tivemos duas instituições que se perderam no caminho: o PT e a imprensa.


Francisco William - 13/10/2006
é uma falta de respeito com o povo brasileiro essa questão da mídia querer abafar as investigações contra o PSDB, os caras passaram o tempo todo fazendo o que, não devia e hoje querem dar uma de bomzinho, a imprensa brasileira tem que publicar esse tipo de falcatrua que, a direita no nosso Brasil sempre tentou esconder do povo brasileiro, concluindo acho que o atual Governo tem que permanecer por mais tempo que poder, um abraço a todos os companheiros.


William Gomes - 13/10/2006
acho um absurdo no momento em que vivemos, essa direitona que tomou conta do nosso país por quase 500 anos, hoje tenta querer dar uma de bomzinho, e nunca fiseram nada pelo povo brasileiro, principalmente os nordestinos, concluindo acho que, o Sr Luiz Inácio Lula da Silva, deva ficar com 89% de votos válidos do nosso povo Brasileiro.


Eliana A. Albergoni - 12/10/2006
Não existe isenção na imprens brasileira, nunca houve. O maior exemplo é Veja, que tem c cara de pau de sempe alegar completa isenção. Será que depois da capa desta semana ainda vai manter a alegação?


Clerton de Castro e Silva - 10/11/2006
Realmente foi estarrecedor o modo como parte da mídia, nem sempre tão a favor do Alckmin como a matéria quer demonstrar, mas sempre contra o Presidente Lula e mais contra ainda, ao Partido dos Trabalhadores. Tivemos tambem, parte da mídia que aderiu abertamente a candidatura do Presidente Lula, mas tambem não fez nenhuma defesa do PT, como se o Presidente não fosse do partido. Criou-se assim uma divisão na mídia: A favor ou contra o Lula. Os dois lados precisam agora parar de se acusarem mutuamente, pois ambos perderam a credibilidade perante grande parte do País, que mesmo votando em qualquer dos candidatos, não é fanático e muito menos cego. Militantes radicais de ambos os lados, são uma minoria para a mídia deixar-se seduzir. Aplauso é bom, porém só é válido quando é sincero.


Clesson Rodrigues de Carvalho - 09/10/2006
Pena que esse tipo de reportagem não chegue às pessoas que acreditam numa imprenssa neutra. Pois os jornalistas até podem ser imparciais mas os meios de comunicação...


petruccio Araujo - 09/10/2006
Não leio mais jornais, principalmente a Folha e o Estado. Não servem nem para lixo. Durante essa crise li o romance "Agosto" de Rubem Fonseca. Nietszche tinha razão, é o eterno retorno. Lacerda vive.


valter (Belo Horizonte) - 07/10/2006
Em Fim uma matéria que reflete tudo o que eu já pessava! Ficou Dez!


Tairone (Macaé/RJ) - 05/10/2006
Quero destacar a imparcialidade da reportagem, diferente de outros meios de comunicação que, através de reportagens tendenciosas, direcionam a população aos interesses da mídia e poderosos.


Pedro - 05/10/2006
O mais grave é que não são só a grande midia tele e radiodifusora e a imprensa escrita que têm tido um posicionamento parcial nas atuais contendas que se refletem no quadro eleitoral. No ambito de entidades da esfera juridica a coisa também releva certa unilateralidade.


Telma - 05/10/2006
Estou indignada, angustiada, envergonhada com a maneira q estão agindo os meios de comunicação. Quero q seja investigado o conteúdo do tal dossiê, q seja colocado na mídia da mesma maneira como o dinheiro e os doláres estão sendo colocados. Não nos envergonhem jornalistas! Furem essa barreira e falem a verdade doa a quem doer. É o mínimo q esperamos de vcs.


André Rangel - 04/10/2006
Muito boa essa matéria da jornalista Bia Barbosa. Impressionante como a imprensa está agindo parcialmente. Me faz lembrar daquela fatídica eleição de 1989.


Elzira Arantes - 04/10/2006
mas a pergunta continua no ar: o que há nesse dossiê? Se for apenas munição contra serra, pq ir comprá-lo na véspera da eleição, qdo a vitória de Lula era pratiamente certa e tb a vitória de Serra em sp? Que repercussões ele poderia ter? O que moveu os 'compradores'?


Katia Beatriz junqueira - 03/10/2006
Fico muito feliz que pessoas como você e uma grande parte de pessoas neste país estejam percebendo a perseguição aberta da empresa elitista contra o nosso presidente, ufa, parabéns e continue nos representando, obrigada...


Nina Maria - 03/10/2006
Esperaremos os próximos capítulos.


Fabricio Pinheiro - 03/10/2006
É por estas e outras que não assisto mais a TV Globo, não leio a Veja nem de graça e não compro mais jornais.estou firme na campanha do boicote a mídia safada e corrupta.


Jose Lana - 03/10/2006
Sempre tive conhecimento que a imprensa era contra o Lula. Neste segundo turno, estou tirando a bandeira do PT, os adesivos, etc e trabalhando de novo para o Lula. Prometo conseguir mais de 200 votos para o Lula. Neste segundo turno vou virar um soldado defendendo o Lula.


ourival Sampaio - 03/10/2006
Ola pessoal ! Não precisar ser gênio para entender como a mídia funciona, seria muita inocência de nossa parte imaginar que a mídia em sua grande maioria principalmente os grandes veiculos de comunicação fosse a favor do Lula, quando todo mundo sabe que a dona rede globo tem feito de tudo para derrotar o PT. E a mídia vivie de publicidades e eles nada mais são do que um clube e tem algo em comum entre si: são os grandes empresários do pais e se confabulam entre si não e com a classe menos informada, que fica assistindo uma tv tendenciosa e seu único meio de acesso é a tv, na qual eles formam a opinião daquilo do que eles querem. Mas estamos acordando para vida queremos uma mídia com ética e responsabilidade. É por isso que hoje a internet faz sucesso: pelo fato de poder ter uma informação direta entre nós e discutirmos nossas idéias, como cidadão em busca de um pais democrático que aprende com os erros. Ainda veremos num futuro bem próximo: ou a globo se torna uma tv de verdade ou o povo ira simplesmente banir essa tv, que não representa nossos anseios, e a necessidade de uma informação responsável sua credibilidade cai a cada dia. Enquanto isso vamos fortalecer nossa mídia independente. Abracos a todos.


joao ricardo - 03/10/2006
E ainda dizem que vivemos numa democracia, enquanto os donos da imprensa e o PSDB tentar montar um golpe branco. as esperanças de um país justo vão apenas existir no imaginário e no período de eleição. Tenho pena apenas dos meus filhos e netos.


Valeria - 03/10/2006
Me apavora ver o quanto a sociedade é capaz de ser manipulada pela mídia. e mais, o quanto uma categoria profissional (nem todos, claro) com tamanho poder de reverter isso não o faz. Será que se todos os jornalistas brasileiros se unissem para acabar com a manipulação política nos meios que atuam isso não mudaria? Sei que se essa fosse uma luta solitária, não daria em nada, mas se a categoria quisesse dar um basta na manipulação, ela conseguiria, pois não seria possível aos meios de comunicação demitir todos os seus empregados. Acho que a categoria deveria refletir sobre isso e buscar a verdadeira liberdade de imprensa, aquela responsável, madura e sem orientações políticas.


Luciano Delfini - 03/10/2006
Meu medo é ver a direita se armando pra voltar a governar esse país. E com total apoio da grande imprensa, que não está medidno esforços pra banir de vez qualquer figura de tradição esquerdista no governo. É uma pena. Mais trinta anos pra vermos um representante das camadas mais pobres voltar ao poder.


Ivo La Puma - 02/10/2006
O artigo demonstra exatamente a minha sensação sobre a cobertura da mídia nessas eleições. Ela é alckimista e poupa descaradamente a investigação de qualquer indício contra os tucanos. Só faltou mesmo os nomes dos jornalistas que deram essas declarações!


cid elias - 02/10/2006
Complementando: Heitor qual foi a informação que postei que o sr achou inverídica para fazer aquela irônica mas fraquinha,fraquinha indagação ? Diga para que possa te provar se a informação procede. Se puder me desmascarar com dados confiáveis, não com achismos, serei grato pelo puxão de orelhas. Estarei no aguardo.


cid elias - 02/10/2006
Grande Heitor, não fico vermelho porque não minto e não sou leviano. Quem fica são os que mentem e são pegos na mentira, ou flagrados roubando a nação, tipo os serrassugas SEM palavra... Ainda por cima sou gremista doente. Mas o nobre parece que , se não mente, ao menos faz ilações e acusações genéricas, não apresenta nenhuma informação que sustente as estultices derramadas aqui. Me desminta com dados comprovados sr Heitor, que todos ficarão sabendo fatos que só tu sabe, vamos lá...


Maria Celeste - 02/10/2006
Estou de pleno acordo com você Bia.


Maria do Carmo Paulino - 02/10/2006
Chega de Manipulação ! Boicotem a Televisão! Não assistem aos programas.... da Globo Não! O Brasil mudou! Só falta você.... Mude de Canal. Na hora do Jornal Nacional!!! Chega de patifaria! Não entrem numa fria! Deixe a Rede Globo, Que é uma porcaria !!! A Globo induziu: " Que eleitor do Lula, é um povo sem cultura! Portanto, povão do Lula, assistam a TV Cultura! Pessoal para o Brasil crescer não basta mudar só o Presidente, precisa mudar também o nível da televisão, principalmente temos o dever de abaixar a audiência da TV Globo - que é uma emissora manipulista e autoritária. Esta emissora explora a ditadura televisava. Portanto se ela ficar sem audiência, é porque não o telespectador, e com isso não terá anunciantes.... e sem anunciantes ! Quebra. Está na hora de ensinarmos esta emissora a ter Ética profissional. Vamos todos mobilizar a nossa sociedade no boca -a - boca. Que eu quero ver se a gente também não melhora o nível da mídia no nosso país. Vamos lá pessoal, mãos a obra! Conto com o apoio de todos, em pro do Lula. Não partidária e também não sou coligada com nenhum partido, sou apenas uma elitora que percebeu que o Brasil melhorou e alcançou prestigios, no Governo Lula, e espero que esta administração continue. Por um Brasil melhor, e contra a manipulação, boicotem a televisão. Um abraço a Todos Maria do Carmo


caio - 02/10/2006
Ai que saudades de 1989, quando a mídia fez tanto terror que nos convenceu votar no Fernando Collor... Ai que saudades de 1992, quando a mídia vendeu tanta revista com a manchete "O Fernando sabia!" - como disse o irmão invejoso... e nós, no meio desse circo da mídia achamos que o impeachment era o santo remédio... uma apoteose de massas cegas marchando bonitas nas edições televisivas dos noticiários... que saudades dos anos noventa, enquanto vendiam todo aparelho estatal a preço de banana a mesma mídia "jornalística" - "Jornalística???" (Pergunto) Encerrava os noticiários noturnos com matérias da national geographic... enquanto as estatais eram leiloadas a preço de banana... aprendíamos sobre a reprodução dos orangotangos... que saudades da Regina Duarte... Com medo!!! Que saudades do tempo que por haver censura, parecia que a mídia não podia dizer nada... e por isso mesmo não dizia. e me pergunto de qual idiotice vou sentir saudades nos tempos de hoje? Alguém consegue me dizer??


Sidnei - 02/10/2006
Não nos esqueçamos de uma coisinha: além de braço direito de Serra e ex-ministro da saúde de FHC, Barjas Negri também foi secretário de habitação de Alckmin. Esse cidadão está em todas. É importante dizer que ele trabalhou para Alckmin também.


Rita Isabel - 02/10/2006
è justamente por isto que somos um país de terceiro mundo e em desenvolvimento. Aqui nem lei pode introduzir ética nos meios de comunicação. E os conglomerados se têm em tão grande estima mais a verdade é nítida: só mediocridade e parcialidade. Nossa democracia é o resultado de pouco estudo, muita Lei de Gerson e milhões de horas de tv... e muita baixaria....


elismar alves - 02/10/2006
Pasmem. A mídia quer retardar a mente humana. Preparem-se para o nova novela... PSDB e GLOBO um casal perfeito, sujeira total. Profissionais do jornalismo cuidem da dignidade pessoal e pensem num futuro rabiscado da sua história, ou da hitória que vocês escreveram , falaram, etc


elismar alves dos santos - 02/10/2006
Quem não sabe a tendência da mídia brasileira ao PSDB, especilamente a GLOBO que tem a cara de FHC e Alkmim. Insuportável a atitude da mídia, ainda pensa que a mentalidade da maioria dos brasileiros é de total ignorância. Mas a justiça há de resolver e expor todo a corja.


Angela Gonçalves - 02/10/2006
É de desanimar! Nestes momentos fica impossível acreditar que as coisas um dia mudarão.


cid elias - 01/10/2006
Heitor, quais são os escândalos? Os fabricados e armados pela mídia e os corruptucanos? Vamos lá: mensalão nunca existiu, não existe uma prova sequer, ou se tu sabes de alguma mostre pra nós...foi realmente um crime, de caixa2, através do valérioduto, que foi montado pelo Presidente do PSDB na época, o limpo Azeredo, contra o qual já está provado uma movimentação de mais de 100 MILHÕES DE REAIS(se queres mando a informação do TCU) via smp&b. Mas aguardo tuas informações que provam que o governo pagava mensalmente para pessoas como o Prof. Luisinho e, procure trazer também as provas contra o "mensaleiro" Roberto Brant - P F L , absolvido no mesmo dia que o petista, Para comprovar a mentira, relembrarei qual foi a manchete da Folha de São Paulo após o julgamento dos dois:''Mais dois mensaleiros absolvidos''. Como é? Quer dizer que o PFL tb recebia mesada? Mentira tem perna curta rapaz. Qual é o outro? Sanguessugas? Tais brincando? Segue dois trechos, um da entrevista com Controlador Geral da União e outro com o Vendoin, o primeiro depoimenta dado à Justiça em 25/07, talvez percebas a canalhice da mídia: ''...Técnica Judiciária, foi aberta a audiência, às 09h30min, para a continuidade do interrogatório do réu preso a seguir qualificado.LUIZ ANTÔNIO TREVISAN VEDOIN, brasileiro, casado, empresário, ... ... QUE entre os meses de julho, agosto e setembro de 2002, o interrogando entregou no Brasil cerca de 100 unidades móveis de saúde, sem o efetivo repasse dos recursos por parte do Ministério da Saúde aos municípios; QUE os convênios estavam apenas empenhados e as licitações foram realizadas e homologadas pelos municípios; QUE o interrogando acreditava que o candidato José Serra iria vencer as eleições no ano de 2002 e as emendas seriam pagas normalmente, como ocorreu durante o governo de Fernando Henrique; QUE no inicio do ano de 2003, com a vitória de Lula à presidência, este baixou decreto presidencial cancelando a liberação de todos os recursos empenhados;'' SACOU HEITOR? ------------------------------------------------------- Jornal do Comércio, 18 de setembro de 2006, entrevista do Controlador( NÃO engavetador) Geral da União, resposta sobre a corrupção: ¿Não há nenhum dos casos que estão vindo à luz agora que tenha tido início no governo Lula em 2003. A única coisa que começou agora foi a investigação e a descoberta porque as sanguessugas estão ai desde a década de 80 ou 90. Os vampiros estão ai desde a década de 90 comprovadamente. O inquérito conjunto da PF e CGU demonstrou isso com todas as letras. Estão lá nomes de autoridades que ocupavam o Ministério da Saúde no governo anterior diretamente comprometidos com os problemas dos vampiros e das sanguessugas. Tudo que está aí é como se fosse um esgoto, uma podridão que estava há muito tempo tampada. O que estamos fazendo é tirar a tampa.¿ Sacou heitor? E não vi nenhum tucano chiar...


Maria da Glória - 01/10/2006
Parabéns.Bia. Publique na grande imprensa escrita do país.


Heitor - 01/10/2006
Fala sério Cid Elias - Você não fica nem vermelho???


cid elias - 01/10/2006
Heitor, qual outro ''escândalo"? Deve ser a armação tucana/imprensalão do dossiê/serrassuga, onde a mídia preferiu, em vez de noticiar o crime do já CONDENADO serrassuga et caterva, multiplicar por mil um crime que na verdade, juristas conceituados afirmaram que não se configurou o crime. Os falsos petistas Veldebran e seu comparsa advogado(?), para bom entendedor o velhaco É , APENAS, um ex-agente(?) da Polícia Federal, nosso venal Dr. Gedimar, um "inexperiente ex-PF que INFANTILMENTE( ou seria premeditadamente?, acho a segunda 99% certa) negociou um suposto dossiê sabem com quem? PASMEM!!! Com o recém libertado da jaula pelo , adivinhem...Procurador bico grande Lúcio Serrassuga Avelar! Saiu da cadeia e logo recebeu do canalha metido a procurador um celular estilo varal de roupas, CHEIO DE GRAMPOS". O Dr Gedimar, sem desconfiar de nada, afinal não conhecia o "ramo", fez demoradas negociações por TELEFONE com o homem mais SUJO E VISADO(grampeado) do Brasil, o vendoin! E os midiaticos estão querendo nos convencer que logo ele, que já foi da Polícia Federal, não saberia da certeza de estar sendo gravado? Acorda alice!Estes pseudo-petistas foram comprados pelos do bico grande com os milhões, ou bilhões, das propinas de doações privateiras tipo Vale do Rio Doce, avaliada na época em R$ 70 BI, e o Serrassuga bateu o martelo por R$3,3 BI, que foi o lucro dela em 3 meses de 2006, lindo não achas? Só este ESCÂNDALO, só o que roubaram da nação brasileira nesta privataria criminosa, CORRESPONDE A 1200 VEZES O caixa2 do PT. Apenas este, se somarmos a corrupção dos 12 maiores crimes que a mírdia abafo da era negra do fhcotrrupto, dá em torno de 4700 vezes o do PT. Sei que não entendestes, mas ao menos agora estás ciente das mentiras que viraram escândalos,só contra o governo, são parte do golpe em andamento, só não vê que vê TV.


Jones Selonke - 01/10/2006
É preciso, urgentemente, acabar com o poder desequilibrado e parcial da grande imprensa que, de forma arrogante, coloca-se como o 4º poder. Pretendem ser não só um coadjuvante nas escolhas populares mas, essecialmente, o protagonista principal com seus interesses inconfessáveis.


Geovane Oliveira - 01/10/2006
Será que esquecemos da tarefa ética e do compromisso moral além da árdua mas imponderável missão do JORNALISTA? E do seu compromisso com a Sociedade? Alguns, esqueceram, ou por outro modo, legaram às sua convicções políticas o juízo de suas práticas profissionais! Parabéns, Bia! Seu compromisso e sua atuação merece nosso sincero e pródigo aplauso.


ADENILSON - 01/10/2006
Parabéns, Bia!!!! Você conseguiu traduzir o sentimento de parte do eleitorado que acompanha atentamente os últimos acontecimentos jornalísticos. É notória a inclinação política-editorial de parte (considerável) da imprensa brasileira a partir dos últimos 'ESCÂÂÂÂNDALOS" como enfatiza determinda emissora (plim-plim). vendo a possibilidade de seu candidato elitizado chegar ao segundo turno, partiram para o tudo ou nada. Cadê as vozes sufocadas dos profissionais da imprensa escrita, falada e televisiva, que acreditamos ainda serem sérios e comprometidos com a verdade (inteira) dos fatos?


Heitor - 01/10/2006
Lágrimas de crocodilo. Os sucessivos escândalos envolvendo o PT e o governo de Lula, falam mais alto e mais claramente do que a teoria escapista da conspiração.


Margarete Montalvão - 01/10/2006
Por exemplo, veja-se o caso do dinheiro na cueca (PT) e do montão de dinheiro no avião (PFL). Qual destes dois assuntos mereceu maior conbertura na imprensa? Alguém escutou ou leu, em reportagem posterior, como ficou o caso do dinheiro que era transportado no avião? Entretanto, o da cueca, bem inferior, repetidamente é lembrado pela mídia.


Giovany Capistrano - 01/10/2006
Parabéns Bia, você conseguiu em algumas linhas retratar tudo que está acontecendo nos meios de comunicação. Muito bom saber que ainda existem jornalistas de verdade e de vergonha. Forte abraço!


João Bragança - 01/10/2006
Fantasma de Brizola assusta o PT e pior toda esquerda nesta longa madrugada em que teremos a maior queda de braço com a direita e sua midia lacaia. Dizia o velho caudilho: ao assumir o governo precisamos questionar o poder da Globo; Lula não deu ouvidos, inclusive socorreu a falida Globo e não evitou a quebra da gloriosa Varig. Agora quem paga é a esquerda que corre o risco de ser governada pelo representante da Opus Dei.


Maria da Glória - 01/10/2006
Parabéns. Publica na grande imprensa escrita do país.

Mais Lidas

Editorial

Blog do Emir

Leia Mais

PARCERIAS