28/03/2012 - Copyleft

O golpe, a ditadura e a direita brasileira

por Emir Sader em 28/03/2012 às 07:55



Emir Sader

O golpe e a ditadura foram a desembocadura natural da direita brasileira – partidos e órgãos da mídia, além de entidades empresariais e religiosas. A direita brasileira aderiu, em bloco, ao campo norteamericano durante a guerra fria, adotando a visão de que o conflito central no mundo se dava entre “democracia”(a liberal, naturalmente) e o comunismo (sob a categoria geral de “totalitarismo”, para tentar fazer com que aparecesse como da mesma família do nazismo e do fascismo).

Com esse arsenal, se diabolizava todo o campo popular: as políticas de desenvolvimento econômico, de distribuição de renda (centradas nos aumentos do salário mínimo), de reforma agrária, de limitação do envio dos lucros das grandes empresas transnacionais para o exterior, como políticas “comunizantes”, que atentavam contra “ a liberdade”, juntando liberdades individuais com as liberdades das empresas para fazer circular seus capitais como bem entendessem.

A direita brasileira nunca – até hoje – se refez da derrota sofrida com a vitória de Getúlio em 1930, com a construção do Estado nacional, o projeto de desenvolvimento econômico com distribuição de renda, o fortalecimento do movimento sindical e da ideologia nacional e popular que acompanhou essas iniciativas. Foi uma direita sempre anti-getulista, anti-estatal, anti-sindical, anti-nacional e anti-popular.

Getúlio era o seu diabo – assim como agora Lula ocupa esse papel -, quem representava a derrota da burguesia paulista, da economia exportadora, das oligarquias que haviam governado o país excluindo o povo durante décadas. A direita foi golpista desde 1930, começando pelo movimento – chamado por Lula de golpista, de contrarrevolução – de 1932, que até hoje norteia a direita paulista, com seu racismo, seu separatismo, seu sentimento profundamente antipopular.

A direita caracterizou-se pelo chamado aos quarteis quando perdiam eleições -e perderam sempre, em 1945, em 1950, em 1955, ganharam e perderam com o Jânio em 1960 – pedindo para “salvar a democracia”, intervindo militarmente com golpes. Seu ídolo era o golpista Carlos Lacerda. Esse era o tom da mídia –Globo, Folha, Estadão, etc., etc.

Era normal então que a direita apoiasse, de forma totalmente unificada, o golpe militar. Vale a pena dar uma olhada no tom dos editoriais e da cobertura desses órgãos no período prévio ao golpe a forma como saudaram a vitória dos militares. Cantavam tudo como um “movimento democrático”, que resgatava a liberdade contra as ameaças do “comunismo” e da “subversão”.

Aplaudiram as intervenções nos sindicatos, nas entidades estudantis, no Parlamento, no Judiciário, foram coniventes com as versões mentirosas da ditadura e seus órgãos repressivos sobre como se davam as mortes dos militantes da resistência democrática.

Por isso a cada primeiro de abril a mídia não tem coragem de recordar suas manchetes, seus editoriais, sua participação na campanha que desembocou no golpe. Porque esse mesmo espírito segue orientando a direita brasileira – e seus órgãos da mídia -, quando veem que a massa do povo apoia o governo (O desespero da UDN chegou a levar que ela propusesse o voto qualitativo, em que o voto de um engenheiro valesse muito mais do que o voto de um operário.). Desenvolvem a tese de que os direitos sociais reconhecidos pelo governo são formas de “comprar” a consciência do povo com “migalhas”.

Prega a ruptura democrática, quando se dá conta que as forças progressistas têm maioria no país. Não elegem presidentes do Brasil desde 1998, isto é, há 14 anos e tem pouca esperança de que possam vir a eleger seus candidatos no futuro. Por isso buscam enfraquecer o Estado, o governo, as forças do campo popular, a ideologia nacional, democrática e popular.

É uma direita herdeira e viúva de Washington Luis (e do seu continuador FHC, ambos cariocas de nascimento adotados pela burguesia paulista) e inimiga feroz do Getúlio e do Lula. (Como recordou Lula em São Paulo não ha nenhum espaço público importante com o nome do maior estadista brasileiro do século passado, o Getúlio, e tantos lugares importantes com o nome do Washington Luis e do 9 de julho).

É uma direita golpista, elitista, racista, que assume a continuidade da velha república, de 1932, do golpe de 1964 e do neoliberalismo de FHC.

Tags: História,  Política




18 Comentários Insira o seu Coméntario !

Augusto Knoechelmann - 30/03/2012
Caro Prof. Emir Sader

Temos que reconhecer que Getúlio realmente foi um renovador. Mas, se teve alguém que pensou o trabalhismo, foi Alberto Pasqualini. Não deves esquecer que Getúlio juntamente com Jango não deu nenhuma cance para que este brilhante político pudesse desenvolver as suas idéias. Por quê ninguém o estuda?


Luiz Antônio Laner - 30/03/2012
Carissimo Juca Ramos: Vivemos um período de transição, inédito no Brasil. Caminhamos para a democracia. Há percalços, são necessárias Reformas. Algumas delas necessitam da convocação do poder originário, uma Assembléia Nacional Constituinte. Na campanha eleitoral do segundo mandato do LULA, acreditei que haveria uma Reforma Política e eleitoral, pois o PT e aliados consolidaram uma base de apoio no congresso. Também em número de indicaçoes para o STF o PT e aliados detém a maioria. Então, concordo que é necessário maioria, e hoje existe esta maioria "situasionista". Pois me enganei, não há interesse do grupo que está no poder em atingir uma democracia plena! O Projeto do PT é o poder! Ocorre meu amigo que o sistema induz à corrupção. O PSDB( FHC) agiu assim! Partido novo, uma costela do PMDB, se aliou à direita encurtando o caminho. O PT agiu da mesma forma. Partido novo, rasgou as bandeiras e aderiu ao sistema, chegou ao poder. Quando me refiro a LULA e GETÚLIO, é porque realmente não há termo de comparação! Getúlio liderou um movimento revolucionário, modificou profundamente o Brasil e deu seu sangue para repelir o golpé que seria perpetrado em 64. Lua tem méritos de um grande negociador, mas não é o ESTADISTA que coloca a nação acima da sua própria vida. Mas isto é compreensível, sem problemas!Para chegarmos a uma democracia plena, deve ser superado o ranço esquerda x direita. Até porque está tudo confuso! Diga-me o Sarney então é de esquerda? E o Renan Calheiros? Veja o Cabral sendo confundido com a ditadura! E as prisões de grevistas, foram efetuadas pela esquerda? ou pela direita? O Brasil tem um povo pacífico, ordeiro e trabalhador que não é comunista ou socialista ou neoliberalista! É um povo democrático, livre, que só necessita de educação, que lhe foi negada ao longo da história. Estamos perto! Saudações!


Roberto - 30/03/2012
Parabens pelo ótimo artigo. Infelizmente o jornalismo (?) de direita não se assume, o que iria facilitar a escolha ao se comprar o jornal do dia.


Mauricio Baruchi - 29/03/2012
Mas professor, a FGV não é, na parte pública, um espaço público?


Vanessa Maia - 29/03/2012
Querido, Emir, amo sua coluna, e tenho o Carta Maior como minha página de entrada na internet. Por favor, ajude a classe estudantil a se manter na ativa. Venho fazer uma denúncia grave: os estudantes do Instituto de Ciências Humanas e Filosofia da Universidade Federal Fluminense organizaram um movimento contra o aumento da tarifa das barcas (que ligam Rio à Niterói), que de 2.80 foi para 4.50. Um dia antes dos protestos, a PM invadiu o campus e arrombou os centros acad~emicos em busca de provas etc., isso vc pode ler melhor nos links que lhe enviarei. Foi na USP, agora é na UFF. Por favor, nos dê uma força, ajude-nos, escreva algo contra essa coisa grotesca. Estamos voltando para a ditadura militar? O que é isso? FAÇO UM APELO PARA QUE VC REDIJA UM TEXTO DENUNCIANDO ESSE ABSURDO! Os estudantes estão sendo presos por esse governador de merda que é o Sérgio Cabral! Por favor, ajude-nos!



Seguem os links:



http://www.viomundo.com.br/denuncias/policia-carioca-faz-busca-em-campus.html



http://virusplanetario.net/2012/03/03/sobre-a-invasao-do-campus-do-gragoatauff-pela-policia-militar/



http://dapsiuff.wordpress.com/tag/uff/page/2/



Por favor, Emir, peço sua contribuição. E por favor não publique meu nome. Estudantes estão sendo indiciados e presos como criminosos. É sério.



Agradeço muito desde já!

Vanessa.





Juca Ramos - 29/03/2012
Em "Luiz Antônio Laner diz:" gostaria de fazer umas poucas observações a respeito, com o devido apreço pelas opiniões do nobre comentarista:



1) O Professor não parece dizer que são o "PSDB, FHC, SERRA, e outros como continuares (sic) da extrema direita". Ele diz sim tratar-se de "uma direita golpista, elitista, racista, que assume a continuidade da velha república (que não era, nem o Professor diz ser, de extrema direita) , de 1932 (o regionalismo paulista era excludente mas não necessariamente de extrema direita), do golpe de 1964, e do neoliberalismo de FHC” (este último, por mais que nos tenha decepcionado, igualmente não era de extrema direita) .



2) Soa um pouco anti-lulista a sua observação de que o Lula "não é, nunca foi e nem nunca será continuador de Getúlio, e nem se compara ao Pai da Pátria" e que "Não combateu o nascedouro da corrupção, que são as relações políticas e eleitorais". Verdade seja dita que o Lula não emprestou um enfoque nacionalista a seu governo nem procurou "desmanchar" as privatizações da era FHC, o que um getulista teria pelo menos tentado fazer. Mas o que conseguiu realizar o getulista Jango? Com o devido respeito pelas boas intenções do líder petebista, a realidade mostrou que, para fazer reformas mesmo, ou se tem maioria nas duas casas do Parlamento (o que nem Jango, nos anos 60, nem Lula (agora) tinham), ou se governa com poderes extraordinários, como o fez Getúlio, principalmente durante o período estado-novista, em que os ideais da convivência democrática e pluralista foram convenientemente “desativados”.



3) Merece apoio o seu entusiasmo ao afirmar no parágrafo conclusivo que "É simples: Investir maciçamente em educação e deixar que o povo decida pelas urnas! Um povo educado, no exercício pleno da cidadania! Isto é democracia! ". Talvez os tempos venham a mostrar-nos que também iremos precisar de um maior envolvimento do cidadão na política, visto que os partidos atuais só permitem a seleção de candidatos da "confiança" dos chefes partidários. Esses políticos que controlam os partidos com mão de ferro são os mesmos que, juntamente com seus comandados, praticam todo tipo de ofensa à boa prática democrática e à soberania popular, fazendo o uso do Caixa 2 que você oportunamente denuncia e "dando" seus votos no Parlamento em favor de “interesses de grupo”, ao invés de o fazerem em prol do eleitor/cidadão/contribuinte que os contratou na boca da urna e os remunera regiamente para servirem integralmente ao interesse público.


Juca Ramos - 29/03/2012
No segundo parágrafo do item no. 3) de meu comentário, onde se lê "... visto que OS PARTIDOS ATUAIS só permitem a seleção de candidatos da 'confiança' dos chefes partidários" lêia-se "... visto que A MAIORIA DOS GRANDES PARTIDOS ATUAIS só permite a seleção de candidatos da "confiança" dos chefes partidários. A intenção aí é não cometer um injustiça com o PT, cujas convenções partidárias são realizadas, ao que se sabe, dentro das normas democráticas de política intra-partidária .


ricardo silveira - 29/03/2012
A análise é correta na visão ampla que propõe. O momento que vivemos não é mais animador porque essa elite antidemocrática tem o monopólio da comunicação e, portanto, com o controle do espaço público torna tudo mais difícil.


Luiz Antônio Laner - 28/03/2012
Prezado colunista: Entendo ser necessário colocar critérios racionais acima da emoção. Realmente, a direita foi tudo o que colocas. Então vejamos: As Reformas de Base que serviram de mote para o Golpe, ainda estão em aberto. Não temos uma Reforma Política e eleitoral, sem falar na reforma agrária que é muito ruim, no pacto federativo que é péssimo, no centralismo tributário por parte da União etc.. etc.. Ninguém faz campanha política sem dinheiro, sem CAIXA 2. Nem o LULA e o PT. Alíás, com todo respeito, Lula não é, nunca foi e nem nunca será continuador de Getúlio, e nem se compara ao Pai da Pátria! Também exageras ao qualificar a "direita" PSDB, FHC, SERRA, e outros como continuares da extrema direita. Não o são! Com isto não defendo e nem ataco ninguém! A verdade é que no Brasil, E digo isto com alegria e esperança, estamos perto de uma verdadeira democracia. Necessitamos de Reformas, as mesmas que Jango não pode realizar! E aliás, Lula em 8 anos não caminhou neste sentido! Avançou bastante na distribuição de renda e por isto tem méritos. Não combateu o nascedouro da corrupção, que são as relações políticas e eleitorais.Vede: Há um trânsito de políticos do legislativo para o executivo, como também para o judiciário, e vice versa! Com raras exceções virou um balaio de gatos( que me desculpem os felinos pela comparação). Quem é direita e quem é esquerda! Não são dois grupos antagônicos como Palmeiras e coríntians! Acredite, vamos chegar lá! Mas temos exatamente que vencer esta histeria de direita x esquerda. É simples: Investir maciçamente em educação e deixar que o povo decida pelas urnas! Um povo educado, no exercício pleno da cidadania! Isto é democracia!


Ruy Mauricio de Lima e Silva Neto - 28/03/2012
Absolutamente perfeito.É isso mesmo, mestre Sader, temos que escrever como se estivéssemos ainda no dia 2 de abril de 64, revoltados diante de tanta iniquidade, de tanta traição, de tanto retrocesso recém-cometidos e que iriam comprometer todo um restante de século e mais um pouquinho dos destinos da Nação. A direita brasileira, a elite brasileira eternamente alienada e anti-social é, sempre foi e, pelo jeito, sempre será isso tudo que está mencionado em mais este brilhante artigo. Como vivi plenamente esta época, pelo menos desde o final do segundo governo Vargas, posso afiançar que tudo se passou exatamente assim como diz Emir Sader e é absolutamente ridículo o esforço que estes cooptadinhos da grande imprensa fazem todo o ano para esconder o nojento papel que tiveram naquele episódio.


Pedro Castro - 28/03/2012
Caro Emir,

Como no periodo do chamado "milagre brasileliro" (mais ou menos 1968/1973) o PIB nacional chegou a indices mais elevados entendo sua implicita distinção entre "crescimento economico" e "desenvolvimento economico com distribuição de renda e outros beneficios", como uma das mais valiosas abordagens de sua analise.

Sem desmerecer o papel do Getulio e do Lula

em nossa historia, destacaria também o do

João Goulart, notadamente o simbolizado nas medidas que anunciou por ocasião do comicio da Central do Brasil naquela sexta feira 13.

Pelo visto, a cada artigo você fertiliza mais sua avaliação do significado sobretudo do golpe de 1964 e

da ditadura do periodo 1964/1983.


MaurONG - 28/03/2012
Essa mídia direitona irá à falência quando o pessoal da esquerda controlar a própria curiosidade e parar de bancá-la com a compra de suas nótícias...


Ana Cruzzeli - 28/03/2012
Para colaborar com o seu post caro Emir...

Já que não há monumentos aos herois socialistas que façamos campanha para isso aconteça.



E mais, no estilo que a burguesia golpista mais odeia. Mexendo no seu dindim...

http://anacruzzeli.com/campanhas/



O meu lado mau é muito perverso...

As vezes eu tenho que me controlar, mas íra popular deve cair sobre as cabeças dos traidores da pátria com toda a certeza...







Ezio José - 28/03/2012
Excelente matéria. Conteúdo digno de ser exposto nas escolas secundárias para trabalhos entre os alunos. Mas os professores só reivindicam melhorias de salários mas não sabem usar as armas que é o próprio labor.


Moacir Pessoa de Queiroz - 26/09/2013
A elite brasileira até hoje nunca aceitou, que pessoas pobres tenham oportunidades, porquê? porque geralmente as pessoas pobres são os empregados deles, e a elite não aceita que um empregado tenha informação seja pessoas esclarecidas, porque assim a elite os dominam. Você pensa que esses projetos sociais que Lula fez agradou a elite, não!, porquê do jeito que o filho do rico pode fazer medicina o filho do pobre hoje graça aos projetos do Lula hoje pode. Ainda tem gente da direita que é contra, sabe o que é isso é ser desumano. É a mesma elite que no século 19 escravizavam seres humanos, pensando ser superior aos negros.



Savana - 06/11/2012
Mas dos males, é preferível o menor, ao invés de perdermos nossa TOTAL liberdade, leia-se: Política, religiosa, de expressão, livre-arbítrio, etc. (como seria uma ditadura de esquerda) Melhor perder "apenas" o direito de falar sobre política, revoltar-se contra o estado, etc. Sem contar que as ditaduras de direita são bem menos violentas e autoritárias que as de esquerda.

Os líderes da Revolução Russa mataram mais que Hitler. Che Guevara era um desumano, Karl Marx era um afetado que achava que escrevia alguma coisa; suas contribuições menos nonsenses foram as leis do capitalismo e olhe lá, o resto é bosta. Todo esquerdista é hipócrita. Vou ser esquerdista numa sociedade evidentemente capitalista? Eu não, desde quando tenho cara de retardada? Sou consumista pra caramba, gasto meu dinheiro em livros e jogos de videogame e estou bem assim, obrigada. Além disso, gosto de um lanche do Mc Donald's e coca-cola é o único refrigerante que eu tomo.

Não curto essas utopias exorbitantes. Às vezes, confesso, almejo certas coisas mais ou menos utópicas, mas faz parte do meu eu-lírico e não saem das minhas folhas rotas. Eu não vou ser utópica numa coisa séria como a política.

Desculpem, mas Marx e vocês me dão sono.


Savana - 06/11/2012
Mas dos males, é preferível o menor, ao invés de perdermos nossa TOTAL liberdade, leia-se: Política, religiosa, de expressão, livre-arbítrio, etc. (como seria uma ditadura de esquerda) Melhor perder "apenas" o direito de falar sobre política, revoltar-se contra o estado, etc. Sem contar que as ditaduras de direita são bem menos violentas e autoritárias que as de esquerda.

Os líderes da Revolução Russa mataram mais que Hitler. Che Guevara era um desumano, Karl Marx era um afetado que achava que escrevia alguma coisa; suas contribuições menos nonsenses foram as leis do capitalismo e olhe lá, o resto é bosta. Todo esquerdista é hipócrita. Vou ser esquerdista numa sociedade evidentemente capitalista? Eu não, desde quando tenho cara de retardada? Sou consumista pra caramba, gasto meu dinheiro em livros e jogos de videogame e estou bem assim, obrigada. Além disso, gosto de um lanche do Mc Donald's e coca-cola é o único refrigerante que eu tomo.

Não curto essas utopias exorbitantes. Às vezes, confesso, almejo certas coisas mais ou menos utópicas, mas faz parte do meu eu-lírico e não saem das minhas folhas rotas. Eu não vou ser utópica numa coisa séria como a política.

Desculpem, mas Marx e vocês me dão sono.


Marcia Eloy - 03/04/2012
A situação do Lula era bem incômoda quando ele foi eleito. Ele era um trabalhador, mas o PT não era a maioria no Congresso, nem o PT, nem a esquerda. Se ele partisse para o confronto, para as velhas bandeiras não ficaria nem 6 meses no poder. Logo, optou para elevar o padrão dos trabalhadores brasileiros e da classe pobre do Brasil, tirando da miséria 20 milhões de pessoas.Concordo plenamente com ele. Se ele fizesse uma revolução socialista, quem iria defendê-lo? O povo? Mas o povo, como parte da classe média não sabem a diferença entre um sistema economico capitalista e um socialista.Este é o grande x da questão, os partidos de esquerda não politizam seus seguidores, nem difundem suas idéias, como aconteceu em outros países. Talvez por saberem, que se o povo tiver que fazer uma opção irá para o Maracanã, como aconteceu anos após o golpe, quando foi organizado uma passeata contra a Ditadura e o Geisel, abriu as portas do Maracanã ao povo e este deixou os organizadores da passeata de bandeiras na mão, sem ninguém a segui-los. A única vantagem de envelhecer e manter a memória, é que fatos políticos continuam vivos.