O jornalismo de esquerda precisa de você. Venha ser parceiro Carta Maior. Doe agora!
Seja Parceiro Carta Maior
27/05/2012 - Copyleft

Quem é progressista e quem é de direita

por Emir Sader em 27/05/2012 às 08:27



Emir Sader

Os dois maiores eixos do poder no mundo de hoje são a hegemonia imperial norteamericana e o modelo neoliberal. A direita se articula em torno da liderança política e militar nortamericana e desenvolve, em nível nacional e internacional, políticas de livre comércio e de mercantilização de todas as sociedades.

Diante desse quadro, progressistas são, em primeiro lugar, os governos, as forças politicas e as instituições que lutam pela construção de um mundo multipolar, que enfraqueça a hegemonia imperial hoje dominante, que logre a resolução dos conflitos de forma política e pacifica, contemplando a todas as partes em conflito, ao invés da imposição da força e da guerra. O que significa fortalecer os processos de integração regional – como os latino-americanos – que priorizam o intercâmbio entre os países da região e os intercâmbios entre o Sul do mundo, em contraposição aos Tratados de Livre de Comércio com os Estados Unidos.

Se diferenciam, na América Latina, com esse critério, os governos de países como a Venezuela, o Brasil, a Argentina, o Uruguai, a Bolivia, o Equador, entre outros, que fortalecem o Mercosul, a Unasul, o Banco do Sul, o Conselho Sulamericano de Defesa, a Alba, a Celac, entre outras iniciativas que privilegia o intercambio regional e se opõem aos Tratados de Livre Comercio com o Estados Unidos. Priorizam também o comércio com os países do Sul do mundo e as organizações que os agrupam, como os Brics, entre outras. São governos que afirmam políticas externas soberanas e não de subordinação aos interesses e orientações dos Estados Unidos.

Do outro lado do campo político se encontram governos como os do México, do Chile, do Panamá, da Costa Rica, da Colômbia, que priorizam por esses tratados e favorecem o comércio com a maior potência imperial do mundo e não com os parceiros da região e com os países do Sul do mundo.

Em segundo lugar, progressistas são os governos, forças políticas e instituições que colocam o acento fundamental na expansão dos mercados internos de consumo popular, na extensão e fortalecimento das políticas que garantem os direitos sociais da população, que elevam continuamente o poder aquisitivo dos salários e os empregos formais, ao invés da ênfase nos ajustes fiscais, impostos pelo FMI, pelo Banco Mundial e pela OMC e aceitos pelos governos de direita.

Além disso, as forças progressistas se caracterizam pelo resgate do papel do Estado como indutor do crescimento econômico, deslocando as políticas de Estado mínimo e de centralidade do mercado, e como garantia dos direitos sociais da população.

Por esses três critérios é que a maioria dos governos latino-americanos – entre eles os da Venezuela, do Brasil, da Argentina, do Uruguai, da Bolívia, do Equador – são progressistas e expressam, a nível mundial, o polo progressista, que se opõem às políticas imperialistas e neoliberais das potências centrais do capitalismo internacional.

Tags: Internacional,  Política




15 Comentários Insira o seu Coméntario !

André Vargas - 31/05/2012
“Uma certa universitária cursava o sexto semestre da Faculdade. Como é comum no meio universitário, ela estava convencida de que era de esquerda e estava a favor da distribuição da riqueza. Tinha vergonha de que o seu pai fosse empresário e conseqüentemente de direita, portanto, contrário aos programas socialistas e seus projetos que davam benefícios aos que mais necessitavam e cobrava impostos mais altos para os que tinham mais dinheiro.

 

A maioria dos seus professores e alunos sempre defendia a tese de distribuição mais justa das riquezas do país. Por tudo isso, um dia, ela decidiu enfrentar o pai. Falou com ele sobre o materialismo histórico e a dialética de Marx, procurando mostrar que ele estava errado ao defender um sistema tão injusto e perverso como a direita pregava. Seu pai ouviu pacientemente, como só um pai consegue fazer, todos os argumentos da filha e no meio da conversa perguntou:

 

- Como você vai na faculdade ?

 

- Vou bem, respondeu ela. Minha média de notas é 9, estudo muito mas vale a pena. Meu futuro depende disso, eu sei ! Não tenho vida social, durmo pouco, mas vou em frente.

 

O pai prosseguiu:

 

- E aquela tua amiga Sônia, como vai?

 

E ela respondeu com muita segurança:

 

- Muito mal. A sua média é 3, ela passa os dias no shopping e namora o dia todo. Pouco estuda e algumas vezes nem sequer vai às aulas. Acho até que ela é meio burra. Com certeza, repetirá o semestre.

 

O pai, olhando nos olhos da filha, aconselhou:

 

- Que tal se você sugerisse aos professores ou ao coordenador do curso para que sejam transferidos 3 pontos das suas notas para as da Sônia. Com isso, vocês duas teriam a mesma média. Não seria um bom resultado para você, mas, convenhamos, seria uma boa e democrática distribuição de notas para permitir a futura aprovação de vocês duas.

 

Ela, indignada, retrucou:

 

- Porra nenhuma! Trabalhei muito para conseguir essas notas, enquanto a Sônia buscava o lado fácil da vida. Não acho justo que todo o trabalho que tive seja, simplesmente, dado a outra pessoa.

 

Seu pai, então, a abraçou, carinhosamente, dizendo:

 

- BEM-VINDA À DIREITA!!!”


Rosana - 29/05/2012
Já respeitei muito suas falas, aliás o senhor fez parte por muito tempo do grupo de pessoas nas quais buscava base para compreensão de conjunturas... Ou eu amadureci e entendi a grande lorota que são os idolatrados, ou apodreci e não percebi... TRISTEZA.


Antonio Almeida - 29/05/2012
Não me permita... um dia envelhecer.... e começar a passar vergonha diante das pessoas que me admiravam...



só isso....


Pedro Castro - 28/05/2012
Caro Emir,

OK, agora está mais claro, inclusive pela dicotomia

que você apresenta neste artigo (direitaxprogressista,

em lugar de esquerda).

Por outro lado em seus criterios nãoentra a distinção

entre capitalismoxsoclalismo, ainda que os progressismos atuais possam contribuir tanto para a

sustentaçãoo do que ainda existe de paises socialistas

(Coreia do Norte, Cuba e os supostamente "socialismos de mercado" - China e Veitnã) como para o advento de outras realidades naionais e/ou regionais socialistas mais adiante.

Em resumo, salvo engano, o esquerdaxdireita (progressismo) de sua definição está no campo

restrito do capitalismo imperalista e/ou neoliberal x

capitalismo antiimperialista e antineoliberal ou,

como você me parece gosta de identificar, com

o titulo de pósneoliberal.

Não sei se captei corretamente o sentido desses

seus dois ultilmos valiosos artigos em seu instigante Blog.


Marcia Eloy - 28/05/2012
Eu acho engraçado ver pessoas que acham que o governo deveria governar sem fazer acordos e sem ceder nada. Simplesmente não governaria. Eu convivi com um grupo da corrente Refazendo que havia no PT, hoje este grupo se tornou PSOL. A teoria deles era que não se devia almejar o poder, porque o país não está preparado, nem industrialmente, nem politicamente, para mudar do capitalismo para o socialismo. Resultado serão eternamente oposição e críticos. Não querer ser vidraça é fácil, o dificil é enfrentar ser governo. e inegavelmente o governo do PT melhorou a vida dos mais pobres, desenvolvendo a micro e a macro economia, injetando milhões de pessoas na classe média, auxiliando as pessoas a ter casa própria,etc.... Agora, que tem muita coisa a fazer, isto é evidente. Não é de hoje que muita coisa não é feita,e não vai ser em 8 ou 9 anos que se consiguirá suprir tudo o que o Brasil necessita.


Raymundo Júnior - 28/05/2012
É triste ver a esquerda-empoderada cada vez mais distante das lotas populares.

É uma vergonha o positivismo dessa esquerda.

Num tempo de reais rupturas de época, trata-se menos do que nunca de uma mera compreensão filológica no sentido académico, mas sim afinal da práxis crítica radical histórica.

É preciso decretar o fim inglório dos programas anteriores de socialismo e comunismo.


romano - 28/05/2012
progresso pra identificar esquerda tem que ser revisto. Depois da crítica ao progresso não dá mais. Desenvolvimentismo é outro termo que não dá pra ressucitar. Nem mesmo a diferenciação entre "desenvolvimento"e "crescimento" pode conferir algum

caráter de esquerda ao desenvolvimentismo, se não se levar em conta o que Gabriela pergunta ali em cima. E há

muita gente criticando o progresso a qualquer custo e que

continua de esquerda, a favor dos pobres, dos trabalhadores, dos mais vulneráveis, ao lado dos direitos humanos, da democracia. "progresso" não tem mais conotações positiva apenas. Se a esquerda não tratar disso, a direita fica sozinha contra a destruição do progresso. Hora de repensar isso aí, penso que Michael Lowy tem contribuido.


Rodrigo Luis - 28/05/2012
Então, como ficaria em um foco mais regionalizado, menosr? Sérgio Cabral, Eduardo Paes, Fruet, Lacerda... São progressistas? Como ficam o Tião Viana e a Benedita da Silva? Esse conceito é dificil de aplicar


Lucas Rafael Chianello - 28/05/2012
Seja aqui, no twitter e no facebook, é cada nhem nhem nhem infundado que arrumam para contra argumentar que a esquerda deveria fundar uma ala anti-choradeira.



Quem não sabe se situar acaba por fazer o papel da direita.


carlos - 27/05/2012
Em qual criterio podem ser incluidos os governos do Paraguai e Peru?


Marcia Eloy - 27/05/2012
Concordo plenamente.


Gabriela - 27/05/2012
Sou estudante e aproveito suas análises para entender o que está acontecendo no mundo. Servem para resumir o que não está escrito em lugar nenhum, nem nas aulas da Universidade. Me pergunto o seguinte: as hidrelétricas no norte do país, como a de Belo Monte, não servem aos interesses das grandes corporações. Essa relação do governo Dilma com esses interesses como fica? O progresso é um conceito adequado para diferenciar os governos, já que tantos estão apoiando os interesses das grandes corporações? No norte do Brasil, onde vivo, deputados que meus pais diziam ser de esquerda hoje estão apoiando grandes projetos que expulsam povos indígenas e outros povos tradicionais. Estão todos apoiando o governo Dilma. Estamos muito tristes, sem ter com quem contar para denunciar os ganhos das grandes empresas multinacionais no Brasil. E aí?



Eduardo Oliveira - 27/05/2012
Por pelo menos um desses critérios, os governos do PT não são progressistas. Lula fixou metas de superávit maiores do que as do governo FHC. Bem maiores. E os lucros dos bancos foram recordes nos anos Lula. Ou seja, pelo critério do ajuste fiscal, o governo Lula não foi progressista.


Pedro Alves Tapioca - 27/04/2014
Continuação da historinha abaixo:

"Mas, de repente, o governo começou um programa Universitário de nivelamento para o pessoal de baixa renda. No mês seguinte, a nossa princesinha universitária estava recebendo direto pontos de seus colegas. - Papai, que esquisito, um dia desses eu estava com raiva dando pontos pra colegas minhas como Sônia que eu julgava vagabunda, burra e que estavam era procurando o lado fácil da vida. Agora eu recebo pontos delas, o que houve Papai? Não sei minha filha, pergunte pra seu tio que é de esquerda. Consulte pesquisas da Universidade de Ontário no Canadá (google isso: conservatism, inteligence, Ontario), conservadores parece que são mais burros que progressistas. Não force a cabecinha miúda de papai. Minha genética deve ter sido passada pra vc. Então o tio explicou: minha sobrinha, quando vc entrou numa Universidade pública o efeito de um ensino médio burguês a distinguia muito de suas colegas. Então, mesmo que elas se esforçassem e fossem mais inteligentes, não tinham como concorrer com o capital privado diferenciado de seu pai que sustentou um curso muito melhor antes. Mas à medida que o Governo fez o programa de nivelamento, então a sua sala passou a ser realmente meritocrática, e em condições iguais, parece que vc é bem menos esperta que seus coleguinhas. Esse fenômeno, por exemplo, tem acontecido com cotistas que entram na Universidade um pouco abaixo dos colegas, mas no andamento da Universidade igualam-se e até os ultrapassam. Passa a valer mais o esforço pessoal e não a desigualdade inicial das comparações. Assim como na escola, no mercado é ainda mais grave isso. Não é que os burgueses sejam mais espertos, é que quem entra no mercado com um capital maior a tendência é mantê-lo por mecanismos sub-reptícios. Por isso que as riquezas tendem a crecer e a pobreza a aumentar atualmente onde 85 pessoas concentram 46% da riqueza do mundo. São mais inteligentes? Não. Moralmente são inferiores? Acho que sim. Mas o esforço deles é proporcional ao trabalho? Não, certamente que não, pergunte à ONU. - Ah, tio, eu não quero participar de um sistema escroto desses não. - Então bem-vinda ao comunismo, minha sobrinha.



José Osivan Barbosa de Lima - 01/06/2012
Não há dúvida que nos últimos nove anos o Brasil melhorou de governo e só não está melhor porque nós não fazemos uma reforma salarial. Tem gente ganhando vários salários mínimos e outros que só ganham um. Infelizmente os movimentos sociais não defendem os interesses dos mais pobres e sim da classe média, por isso nós somos campeões mundiais de desigualdade salarial. Mas o governo do Brasil melhorou muito nesses últimos nove anos.