Arte

Festival Marighella Contra a Censura acontece esse fim de semana com bandas, saraus e demais intervenções

Denominado como um "festival plural", o evento reúne arte em resposta à censura no Boteco Socialista. Destaque para o show da Banda As Despejadas no sábado (23)

20/11/2019 13:08

(Reprodução/Youtube)

Créditos da foto: (Reprodução/Youtube)

 
Este fim de semana (23 e 24), o Festival Marighella Contra a Censura reúne bandas, saraus, culinária, economia solidária e demais intervenções em resposta ao cancelamento da estreia da cinebiografia “Marighella”, que seria lançada no Brasil no Dia da Consciência Negra e no mês dos 50 anos de morte do guerrilheiro baiano Carlos Marighella.

Ao denominar-se “Contra a censura”, o Festival tem como objetivo não somente homenagear Marighella e chamar atenção à censura do filme, mas também censura que está propensa a ocorrer em momentos de conservadorismo e intolerância.

“Esse é mais um evento. Não para celebrar, mas para não deixar esquecer”, ressalta Fernando Mota, fundador do Boteco Socialista, que funciona como bar, casa de show, espaço multicultural e gastronômico. O Boteco conta com atividades e programação fixa como Feijoada Vegana, Terça Trans, Sábado LGBTQI e Sexta Feminista.

As Despejadas: um grito conta o genocídio negro

Formada no bairro dos Pimentas, periferia da cidade de Guarulhos (Grande São Paulo), As Despejadas se apresentam no sábado (23) e aproveitam o evento para lançar a nova música chamada “Vestido de Preto”.

Após o lançamento do primeiro álbum, chamado “Sou Frida Luta”, com críticas ao machismo, a nova música d’As Despejadas chamam atenção para a questão racial, versando sobre as dores da população negra. Mergulhada na temática do racismo, repressão militar e genocídio preto, “Vestido de Preto” traz à tona casos de violência policial ocorridos esse ano por meio da poesia, relembrando os 80 tiros disparados no carro do músico Evaldo Rosa e o assassinato do jovem Rodrigo Alexandre da Silva Serrano, que segundo a polícia, teve seu guarda-chuva confundido com um fuzil.

Vestido de Preto “As Despejadas”:



“Marighella era um militante e guerrilheiro negro que lutou contra repressão e violência de um Estado num período de ditadura Militar, e o fato do filme ter a estreia cancelada faz parte desse mesmo projeto de Estado de censura que estabelece a militarização da vida, dos corpos e territórios negros”, conta Vitoria Silva (Voz e Percussão).

A banda é formada por: Ariadne Matos (Percussão), Lidia Martiniano (Voz e Violão), Nataly Ferreira (Voz e Violão), Vitória Silva (Voz e Percussão), Bruna Duarte (Contrabaixo), Bruna Black (Voz e Bateria). Juntas, transformam histórias reais em música, poesia e manifestação.

O evento também contará com a apresentação de: Cabaré, Astronautas, Dolores, Clarena, República , Dbuenas, Zapaderin, 011 Nigg4'z , Kaifaze, Alda.

Serviço: Festival Marighella

Quando: Dia 23, das 11h ao dia 24 às 23h
Show d'As Despejadas - Dia 23 às 20h
Onde: Boteco Socialista - Terraço na Avenida Corifeu de Azevedo Marques, 1880 – Butantã
Evento: https://www.facebook.com/events/754371798350346/



Conteúdo Relacionado