Arte

Gran Circo Pobre

Documentário exibido na mostra internacional de cinema é um olhar sobre a vida de Timoteo, e seu circo de shows de drag queens.

22/10/2013 00:00

.

El Gran Circo Pobre de Timoteo é um documentário que conta a história dos últimos dias de um circo gay, que existe há mais de 40 anos e é um dos mais populares no Chile. Criado nos anos 1970 pelo comediante Timóteo (René Valdés), que atualmente dirige a companhia, o grupo viaja o pais apresentado apenas números de drag queens. Não há domadores de animais, trapezistas, malabaristas ou palhaços. Mas a plateia se diverte. Dirigido por Lorena Giachino, o filme pode ser visto na 37ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.
 
Filmado em modo observativo, o documentário propõe uma série de considerações éticas, que incluem o ato de observar outros ocupando-se de seus afazeres. De acordo com Bill Nicholls, professor de cinema na San Francisco State University,  o respeito a esse espírito de realização resulta em filmes sem comentário com voz-over, sem música ou efeitos sonoros complementares, sem legendas, sem reconstituição histórica, sem situações repetidas para a câmera e até sem entrevistas.
 
Desta forma, El Gran Circo Pobre de Timoteo olha principalmente para dentro da vida do protagonista no momento em que ela é vivida. E todos as personagens interagem uns com os outros, ignorando a figura do cineasta. Neste caso, as personagens são surpreendidas em momentos de naturalidade, ocupadas com os pequenos eventos e conflitos do dia-a-dia. As cenas pretendem revelar traços de caráter e individualidade.
 
Essa opção estética nos possibilita, por exemplo, presenciar momentos da intimidade de Timóteo que chora diante da imagem de Nossa Senhora, pedindo a ajuda da santa para que o circo não acabe. Ele está doente, o que coloca em dúvida a manutenção da trupe.
 
O documentário não mostra apenas os momentos de fraqueza de uma pessoa, mas também os de determinação, de companheirismo e os rituais dos artistas antes de subir ao palco.
 
El Gran Circo Pobre de Timóteo é o segundo documentário de Lorena Giachino.  Em 2007, ela filmou Reinalda del Carmen, mi Mamá e Yo, que trata da perda de memória de sua mãe com os anos da ditadura no Chile. Para a televisão, ela fez o documentário La Pequeña Gigante y el Rinoceronte Escondido, sobre a companhia francesa Royal de Luxe, de teatro de rua.





Conteúdo Relacionado