Arte

O que rola de arte coletiva no espaço público

Documentário original e imperdível, com 13 episódios semanais, retrata grupos de jovens criando arte com hortas plantadas nas esquinas, como lambe-lambes feministas, revivendo o futebol de várzea e outras atividades de coletivos em bairros de cidades brasileiras

05/07/2019 15:40

(Reprodução)

Créditos da foto: (Reprodução)

 
Um bom programa para os fins de semana de julho: acaba de estrear no CinebrasilTV a segunda temporada da série Causando na rua, com direção de Caru Alves de Souza e Mari Palumbo e direção geral da cineasta Tata Amaral.

A série traz 13 episódios e mostra ações de coletivos de arte no espaço público tais como hortas criadas dentro de rotatórias de trânsito, batalhas de MCs em meio a um terminal de ônibus, lambe-lambes feministas e uma linha que conecta com poemas o corpo de quem passa apressado pela cidade, futebol de várzea, pichadores etc.

Este é o calendário da série:

Dia 06/07 - Corote Molotov por Okupa Alcântara Machado e Narra Várzea - de Caru Alves de Souza: time de futebol de várzea nasceu dentro da ocupação Alcântara Machado, no Brás, e desde sua formação participa de campeonatos. Através dos jogos, o time faz um manifesto pelo Direito à Cidade e dá visibilidade ao futebol de várzea que vem sofrendo com a especulação imobiliária e a privatização dos “terrões”. A partida de futebol é narrada pelo coletivo Narra Várzea, grupo composto por narradores de jogos de várzea.

Dia 13/07 - Ações Urbanas: Deriva e Lambes por Coletivo Teatro Dodecafônico e Lambe Bucetade Caru Alves de Souza: o Coletivo Teatro Dodecafônico realiza performances criando procedimentos para se perder na cidade, questionando o caminhar funcional e objetivo e promovendo novos olhares e usos para os espaços públicos das cidades. Neste desempenho vai se juntar ao Lambe Buceta, que através da colagem de lambe-lambe confronta a hetero normatividade convidando as mulheres a interagirem com a própria vulva. Este encontro busca pensar e questionar o uso que as mulheres fazem do espaço público.

Dia 20/07 - Terminal 10mg por Grupo Mexa - Caru Alves de Souza

Coletivo formado por artistas LGBT , que através de táticas performativas realizam cenas definidas e improvisadas dentro de um trajeto de dentro de ônibus coletivos e criadas a partir de depoimentos dos integrantes do grupo, na sua maioria mulheres trans que vivem em centros de acolhimento na região central da cidade de São Paulo.

Dia 27/07 - Encruzilhada por Fragmento Urbano - Caru Alves de Souza

Grupo de dança de jovens de Guaianazes, extremo leste de São Paulo, que une danças urbanas a procedimentos de dança contemporânea, concebido para atuar no espaço urbano. Unindo a dança à uma investigação da corporeidade periférica afro-orientada, tensionam o espaço público buscando ressaltar a heterogeneidade social, étnica e social presentes na zona urbana.

Dia 03/08 - Praia do Baobá por Coletivo Praias do Capibaribe – de Mari Palumbo

A cidade do Recife é cortada pelo Rio Capibaribe, que evocada por Manuel Bandeira passou a ser o “cão sem plumas” de João Cabral de Melo Neto. O coletivo busca, através da montagem de uma praia à beira do poluído rio, conscientizar a população de sua importância e resgatar, por meio de atividades lúdicas, o convívio da população com suas margens.

Dia 10/08 - Mulheres na Rua por Coletivo Deixa Ela em Paz- de Mari Palumbo

Coletivo feminista situado em Recife-PE, faz intervenções urbanas, como colagens de lambe-lambe para transformar a realidade cotidiana das mulheres e buscando o enfrentamento ao machismo e à discriminação de gênero.

Dia 17/08 - Batalha de MCS por Batalha do Terminal - de Mari Palumbo

Na periferia de Recife, no bairro da Água Fria, acontece a Batalha do Terminal, uma batalha de MCs que promove o hip hop nas comunidades e contribui com a formação cultural dos jovens periféricos. Segunda maior batalha da cidade, ela pretende difundir a conquista do espaço público e resistência nas ruas através das rimas, entendendo o hip hop como agente de transformação.

Dia 24/08 - Humildade Sem Falsidade por Exorcity – de Caru Alves de Souza

Uma das turmas de pichadores mais antigas de São Paulo, o Exorcity é uma referência dos pixes na capital. Através de uma atitude essencialmente transgressora colocam seu nome nos muros de uma cidade que os quer esquecer, lembrando a todos que a cidade é de quem a ocupa.

Dia 31/08 - Corpos de Saia por Coletivo Bichx Soltx – de Caru Alves de Souza

O coletivo foi formado no extremo leste de São Paulo, no bairro do Itaim Paulista. Usou-se a letra “X” no lugar do “a” ou “o” para afirmar a diversidade, buscar a desconstrução de gênero e disseminação e desmistificação da cultura LGBT na periferia. A apresentação une performances que versam sobre a cultura LGBT e o candomblé, religião da maioria dos integrantes do grupo.

07/09 - Vela na Billings por Navegando nas Artes – de Caru Alves de Souza

No Grajaú, às margens da represa Billings, o coletivo promove a inclusão de jovens do bairro através de aulas de navegação nos barcos a vela, grafitadas por artistas locais. Através da prática esportiva e artística pretendem lançar um novo olhar para o reservatório, para a sua importância e para a necessidade de sua preservação.

Dia 14/09 - Sobre Linhas por Ser à linha_do – de Caru Alves de Souza

A necessidade de conexão entre as pessoas nos grandes centros urbanos é encarnada no desempenho da artista Tamara Faifman, que conecta as pessoas que passam na rua através de uma linha enquanto escreve e declama um poema em seus corpos.

Dia 21/09 - Xadrez sem Muros por Xemalami – de Caru Alves de Souza

O grupo de RAP Xemalami faz uma analogia entre os peões do xadrez e os habitantes de zonas periféricas de São Paulo afirmando que “os peões não podem recuar”. O projeto “Xadrez sem Muros” une grafite, hip hop e um xadrez gigante com o objetivo de instrumentalizar o jovem periférico a lutar contra as opressões do dia-a-dia através da palavra e do desenvolvimento do raciocínio lógico.

Apresentações: Canal 33 | Star One C3 | Banda C 3684 MHz @ SR 2500 Horizontal, (SDTV) (aberto)| Disponibilidade por cabo | CaboNNet | Canal 72 | Cabo Telecom | Canal 401 | SP2 | Canal 24 | TCM | Canal 115 | CCS TV | Canal 76 | NET | Canal 57 (Cachoeiro de Itapemirim e Teófilo Otoni) | Canal 119 (Dourados e Varginha) | Algar TV | Canal 66 (Uberlândia) | MasterCabo | Canal 29 (Divinópolis, Itajubá, Itaúna, Lavras, Montes Claros, Passos, Pouso Alegre e Unaí) Oi TV | Canal 32 (Rio de Janeiro e Belo Horizonte).





Conteúdo Relacionado