CM8 Internacional

CM8 Internacional - 20/03/2018

O escândalo da empresa Cambridge Analytica e o extensivo uso de ciladas e armações para mudar votos em eleições. A reportagem do Canal 4 da Inglaterra mostra chefes jactando-se orgulhosos a repórteres disfarçados, como usavam desde armadilhas a falsas campanhas de notícias e ainda operações com ex-espiões para mudar o rumo das eleições no mundo inteiro. As ações envolviam desde falsas situações de suborno até contratação de prostitutas. (The Guardian, Inglaterra)

20/03/2018 08:15

Reprodução

Créditos da foto: Reprodução

 
CM8 (20.03.2018)

O escândalo da empresa Cambridge Analytica e o extensivo uso de ciladas e armações para mudar votos em eleições. A reportagem do Canal 4 da Inglaterra mostra chefes jactando-se orgulhosos a repórteres disfarçados, como usavam desde armadilhas a falsas campanhas de notícias e ainda operações com ex-espiões para mudar o rumo das eleições no mundo inteiro. As ações envolviam desde falsas situações de suborno até contratação de prostitutas. (The Guardian, Inglaterra)

1 - Especial: O ESCÂNDALO POLÍTICO DA CAMBRIDGE ANALYTICS

The Guardian, Inglaterra

O escândalo da empresa Cambridge Analytica e o extensivo uso de truques e armações para mudar votos em eleições. A reportagem do Canal 4 da Inglaterra mostra chefes jactando-se orgulhosos a repórteres disfarçados do jornal, como usavam desde armadilhas a falsas campanhas de notícias e ainda operações com ex-espiões para mudar o rumo das eleições no mundo inteiro. As ações envolviam desde falsas armações de suborno até contratação de prostitutas. (The Guardian, Inglaterra)

https://www.theguardian.com/uk-news/2018/mar/19/cambridge-analytica-execs-boast-dirty-tricks-honey-traps-elections

The Guardian, Inglaterra

“Isso pode funcionar bem demais”: a arte obscura da publicidade política “online”. Campanhas digitais evoluíram de um simples anúncio 20 anos atrás a Cambridge Analytica garimpando nossos dados no Facebook. Esse crescimento do garimpo micro de dados se tornado uma ameaça à democracia?

https://www.theguardian.com/technology/2018/mar/19/facebook-political-ads-social-media-history-online-democracy

e

https://www.theguardian.com/commentisfree/2018/mar/19/the-guardian-view-on-data-protection-informed-consent-needed

La Repubblica, Itália

Cambridge Analytica oferecia até escorts ucranianas como  subornos políticos: assim destruíam adversários políticos. Uma investigação secreta da Channel 4 News revela novos detalhes perturbadores sobre os consultores de campanha de Trump. A mesma empresa que está no centro do escândalo de dados roubados de milhões de perfis do Facebook

http://www.repubblica.it/esteri/2018/03/19/news/usa_trump_cambridge_analytica-191710762/

Sydney Herald Morning, Austrália

Como a Cambridge Analytics garimpou dados do Facebook, provocando novo clamor. A empresa, uma empresa de dados políticos contratado pelo presidente Trump nas eleições de 2016, teve acesso a informações privativas de mais de 50 milhões de usuários. A empresa oferecia ferramentas para identificar os aspectos psicológicos e as personalidades dos eleitores para influenciar seu comportamento.

https://www.smh.com.au/technology/how-cambridge-analytica-harvested-facebook-data-triggering-new-outcry-20180320-p4z56d.html

BBC, Inglaterra

Cambridge Analytica: Proposto mandato para inspecionar a empresa. A Comissária de Informação do Reino Unido, Elizabeth Denham, disse que buscará uma autorização para analisar os bancos de dados e servidores utilizados pela empresa britânica de análise de dados Cambridge Analytica.

http://www.bbc.com/news/technology-43465700

The New York Times, EUA

Empresa de informática ligada a Trump se oferecia para armar ciladas a políticos. Em filmagem secreta realizada dias após reportagens que mostravam o mal uso de dados do Facebook, executivos da Cambridge Analytics ofereciam esquemas de armação sujos.

https://www.nytimes.com/2018/03/19/us/cambridge-analytica-alexander-nix.html?hp&action=click&pgtype=Homepage&clickSource=story-heading&module=first-column-region&region=top-news&WT.nav=top-news

e como a Cambridge Analytics garimpava dados do Facebook.

https://www.nytimes.com/2018/03/19/technology/facebook-cambridge-analytica-explained.html?hp&action=click&pgtype=Homepage&clickSource=story-heading&module=first-column-region&region=top-news&WT.nav=top-news

Tecmundo, EUA

Campanha de Trump usou dados privados de 50 milhões de usuários do Facebook

https://www.tecmundo.com.br/seguranca/128300-cambridge-analytica-trump-dados-privados-facebook.htm

The Washington Post, EUA

As regras do Facebook para acessar os dados dos usuários atraíram mais do que apenas o Cambridge Analytica. O Facebook suspendeu na semana passada o consultor de dados da campanha Trump, a Cambridge Analytica, por utilizar dados de seus milhões de usuários sem seu consentimento. Mas milhares de outras empresas, que incluem a programadora de jogos FarmVille e a promotora de encontros Tinder, assim como consultores políticos para a campanha do presidente Obama em 2012, também o faziam.

https://www.washingtonpost.com/business/economy/facebooks-rules-for-accessing-user-data-lured-more-than-just-cambridge-analytica/2018/03/19/31f6979c-658e-43d6-a71f-afdd8bf1308b_story.html?utm_term=.f464c30a37e7

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

Le Monde, França

Eleições na Rússia: Vladimir Putin vence seu “plebiscito”. Com 56 milhões de votos, o presidente russo foi reeleito no domingo por um quarto mandato. A vitória foi ampla. No poder há dezesseis anos, Vladimir Putin, 65 anos, foi reeleito confortavelmente presidente da Rússia, domingo passado, com 76,7% dos votos. Foram 56,2 milhões de votos, em comparação com os 45 milhões obtidos em 2012. O líder do Kremlin, que está começando um novo período de seis anos, superou todos os outros candidatos e foi eleito no primeiro turno.

http://www.lemonde.fr/europe/article/2018/03/19/vladimir-poutine-obtient-son-plebiscite_5273040_3214.html

La Vanguardia, Espanha

Trump lança seu ataque mais duro contra o procurador que investiga a trama russa. Robert Mueller está em negociações para interrogar o presidente com o objetivo de elucidar seu possível papel na ingerência russa nas eleições de 2016.

http://www.lavanguardia.com/internacional/20180319/441677034822/trump-lanza-ataque-duro-contra-fiscal-investiga-trama-rusa.html

Público, Portugal

Quinze anos depois do “choque e pavor”, sobra violência, corrupção e sectarismo. Há uma “epidemia” chamada corrupção e grupos étnicos e religiosos que não voltaram a confiar uns nos outros. Há um país por reconstruir e a ameaça do terrorismo e da desintegração – da Síria ou do Iraque.

https://www.publico.pt/2018/03/20/mundo/noticia/15-anos-depois-do-choque-e-pavor-sobra-violencia-corrupcao-e-sectarismo-1807271

The New York Times, EUA

Artigo de Paul Krugman: Trump, comércio internacional e zumbis.

https://www.nytimes.com/2018/03/19/opinion/donald-trump-trade-.html?action=click&pgtype=Homepage&clickSource=story-heading&module=opinion-c-col-left-region&region=opinion-c-col-left-region&WT.nav=opinion-c-col-left-region

Página 12, Argentina

Os guardiões cibernéticos do governo de “Cambiemos” de Macri. Relatório da Anistia Internacional escreve sobre ataques coordenados nas redes sociais da Argentina. A organização de direitos humanos analisou e descreveu as ações dos trolls nas redes sociais, que são ativadas por posições críticas do governo por jornalistas ou defensores de direitos humanos. Quem são e como eles operam na Argentina.

https://www.pagina12.com.ar/102613-los-custodios-ciberneticos-del-gobierno-de-cambiemos

3 - NOTÍCIAS SOBRE O BRASIL

RFI, França

Ativismo de Marielle Franco incomodava, diz imprensa francesa. O violento assassinato da vereadora do PSOL Marielle Franco, e de seu motorista, Anderson Gomes, na última quarta-feira (15), no Rio de Janeiro, continua repercutindo na imprensa francesa nesta segunda-feira (19). Os jornais do país lembram que o ativismo da vereadora incomodava a polícia, o governo e os militares.

http://m.br.rfi.fr/brasil/20180319-ativismo-de-marielle-franco-incomodava-diz-imprensa-francesa

RFI, França

Grupo norueguês pode ter contaminado água de Barcarena, no Pará. O grupo norueguês Norsk Hydro reconheceu nesta segunda-feira (19) que sua fábrica brasileira de alumínio Hydro Alunorte, a maior do mundo, verteu água não tratada no rio Pará. Isso pode ter contaminado a água da cidade de Barcarena com resíduos de bauxita.

http://m.br.rfi.fr/brasil/20180319-grupo-noruegues-pode-ter-contaminado-agua-de-barcarena-no-para

THE WASHINGTON POST, EUA

Uma política mulher negra foi morta a tiros no Rio. Agora ela é um símbolo global. Na última quarta-feira, Marielle Franco havia feito o que melhor sempre fez: incendiar a audiência.em discurso na Casa das Mulheres Negras do Rio, pedindo o empoderamento negro. O Brasil precisava disso, disse ela. Nessa cidade problemática, a brutalidade policial e as execuções extrajudiciais estavam devastando as favelas. Eleita no ano passado como a única mulher negra na Câmara dos Vereadores de 51 membros, ela combatia os responsáveis pela perseguição enquanto reestruturava o debate de uma maneira nova, que gerava desconforto.

https://www.washingtonpost.com/world/the_americas/a-black-female-politician-was-gunned-down-in-rio-now-shes-a-global-symbol/2018/03/19/98483cba-291f-11e8-a227-fd2b009466bc_story.html?utm_term=.0dce7b3729a3

Página 12, Argentina

Unidos no Sul para incomodar o Norte. Lula defendeu o legado dos governos progressistas com Dilma, Correa e Mujica. O ex-presidente e candidato favorito do Brasil iniciou uma caravana pelo sul de seu país que terminará em Curitiba. Ele disse que ele foi vítima de uma perseguição judicial em um ato em que participou seu sucessor, Rousseff e os ex-presidentes Mujica e Correa.

https://www.pagina12.com.ar/102669-unidos-en-el-sur-para-incomodar-al-norte



Conteúdo Relacionado