CM8 Internacional

Clipping Internacional - 05/09/2019

Notícias internacionais sobre o Brasil e especial sobre as repercussões da agressão de Bolsonaro a Bachelet, no Chile e outros países; Notícias do Mundo; e Artigos

05/09/2019 08:45

 

 

1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

ACORDO EU-MERCOSUL
. O bloco alertou que o Brasil deve cumprir os Acordos de Pari. A União Europeia alertou Jair Bolsonaro pelo acordo Mercosul-UE. As políticas antiambientais do presidente brasileiro Jair Bolsonaro podem dinamitar o acordo de livre comércio da União Europeia e do Mercosul. Após críticas de dois países ao bloco contra o presidente de extrema direita em meio à crise na Amazônia, a Comissão Europeia alertou formalmente que se o Brasil não cumprir seus compromissos contra as mudanças climáticas, será "complicado" confirmar o acordo. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2kk0eGF

Ciência e Tecnologia.
Miriam Grossi, presidente da ANPOCS: Cortes de bolsas da Capes podem levar pesquisadores a deixar o Brasil. “É uma tragédia para a história da ciência e da pós-graduação no Brasil”. A Capes anunciou esta semana um corte de 5.613 bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado no Brasil. A medida, que se junta a outros cortes na educação feitos pelo governo desde o início do ano, preocupa a comunidade científica, que já teme o impacto na produção acadêmica do país, além do risco de uma “fuga de cérebros” em busca de melhores condições para a realização de suas pesquisas.(RFI, França) | bit.ly/2lDzFwo

BOLSONARO
. Bolsonaro abre Brasil ao etanol dos EUA em troca de emprego para o filho, diz o deputado e professor EnioVerri. A entrada de mais etanol proveniente dos Estados Unidos sem taxação, anunciada pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), tem um interesse extremamente político e visa render um emprego ao filho do ex-capitão do Exército, avaliou o deputado.(Sputnik News, Rússia) | bit.ly/2lBfYVN

TORTURA.
A cruel vitrine do Brasil que ainda comemora tortura. A cena de um adolescente recebendo chicotadas por roubar uma barra de chocolate em São Paulo não é um caso isolado em um país que maltrata jovens negros na rua e no sistema prisional. (El País, Espanha) | bit.ly/2k4inbh

ECONOMIA
. As exportações brasileiras para a Argentina caíram 40% desde janeiro. A possível moratória com o FMI aumenta o risco de a crise argentina infectar o poder da América do Sul, que mais uma vez terá um déficit comercial com o país vizinho, algo que não ocorre desde 2003. (El País, Espanha) | bit.ly/2lWPa2o

BOLSONARO
. Bolsonaro pediu ao Ministério da Educação a proibição do ensino da diversidade sexual nas escolas. Em agosto, o chefe de Estado participou da Marcha de Jesus e classificou a “ideologia de gênero” como “coisa do capeta”.(Público, Portugal) | bit.ly/2lFGKfy

LAVA JATO
. A investigação conhecida como “Lava Jato” vive seu pior momento. Seus membros já estavam na defensiva pelas mensagens que mostram, aparentemente, Miro colaborando com investigadores em seu caso contra o ex-presidente Lula. Os advogados de Lula sempre demandaram um novo julgamento. Pela primeira vez, juízes do tribunal superior anularam uma condenação por corrupção do juiz que supervisionou a investigação, atual ministro da Justiça Sergio Moro, estabelecendo um precedente que os promotores temem que possa desfazer outras 143 condenações.(The New York Times, EUA) | nyti.ms/2kjZd1g

ESTADO POLICIAL.
A política de execuções extrajudiciais que Bachelet condenou e que Piñera disse desconhecer para justificar Bolsonaro. A evidência existe e há poucas. Embora a ex-presidente não os tenha citado ela provavelmente se referiu a números como 17% da morte resultando em ações realizadas por forças policiais ou militares apenas no Rio de Janeiro e São Paulo, entre os meses De janeiro e junho, um aumento significativo em comparação aos 12% registrados no mesmo período de 2018 - um total de 1.291 casos nessas duas cidades. (El Desconcierto, Chile) | bit.ly/2kut1Is

DEMOCRADURA
. Bachelet mostra preocupação com a democracia no Brasil. A Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, expressou na quarta-feira sua preocupação com a democracia no Brasil, bem como com o aumento da violência pelas forças de segurança. Bachelet disse que, nos últimos meses, ele viu um espaço cívico e democrático reduzido neste país. Da mesma forma, ele criticou as declarações e ações do presidente brasileiro Jair Bolsonaro, que tentou celebrar este ano o golpe militar de 1964, realizado após a trama que derrubou o presidente João Goulart, legitimamente eleito pelo voto popular.(Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/2lBg1AX

A OFENSA DE BOLSONARO A BACHELET: REPERCUSSÕES

NO CHILE

La Tercera, Chile | Bolsonaro bagunça a agenda em Santiago: ataque a Bachelet complica o governo em meio à viagem do ministro das Relações Exteriores ao Brasil. O ministro Ribera decolou para o Brasil sem saber que o presidente havia dito que a Alta Comissária para os Direitos Humanos "esquece que seu país não é Cuba graças à equipe de Pinochet, que derrotou a esquerda em 1973, entre esses comunistas. seu pai, um militar da época . A oposição se uniu exigindo um protesto formal de Piñera. | bit.ly/2lTChWO

Publimetro, Chile |
O último desvario de Bolsonaro: criticou o pai de Bachelet morto pela ditadura. O presidente brasileiro disse: "Se não fosse a equipe de Pinochet, que derrotou a esquerda em 1973, incluindo seu pai, hoje o Chile seria uma Cuba". Bachelet havia criticado as políticas de segurança do Brasil. "Entre janeiro e junho de 2019, apenas no Rio de Janeiro e São Paulo, fomos informados de 1.291 pessoas mortas pela polícia, um aumento de 12% e 17% em comparação com no mesmo período do ano passado ". "Ele nos acusa de que não estamos punindo a polícia que mata pessoas no Brasil", mas "ele está defendendo os direitos humanos dos sem-teto", disse Bolsonaro. | bit.ly/2lFqECF

Publimetro, Chile |
Congresso sai em defesa de Bachelet pelas declarações de Bolsonaro: eles chamam o presidente de "ditador em um roupa de democrata" e pedem que o governo chileno faça um protesto contra o Brasil. Bolsonaro disse que "ele esquece que seu país não é uma Cuba graças à equipe de Pinochet, que derrotou a esquerda em 1973, entre esses comunistas, seu pai, um militar da época". Os elogios à sangrenta ditadura no Chile logo receberam respostas do Congresso, onde os senadores pediram ao governo que emitisse uma nota de protesto contra o Brasil. | bit.ly/2lFqECF

El Mercurio, Chile |
Os socialistas exigem pronunciamento do governo após declarações de Bolsonaro por Bachelet. Desde a oposição, ficaram "indignados" com as declarações do Presidente do Brasil. Enquanto isso, o presidente do RN disse que o ex-presidente de estado "está fazendo o trabalho dela". Bolsonaro fez uma alusão direta à figura de Bachelet, apontando que "se não fosse a equipe de Pinochet, que derrotou a esquerda em 1973, incluindo seu pai, hoje o Chile seria Cuba", acrescentando que ela está defendendo o DD.HH. de "vagabundos". | bit.ly/2k6eKla

El Mercúrio, Chile |
Dilma Rousseff defende Bachelet e pede desculpas pelas declarações de Bolsonaro: "Ele superou todos os limites de baixeza e sordidez". A ex-presidente do Brasil comentava as palavras do presidente brasileiro de direita, que expressou irritação por um relatório da Alta Comissária de Direitos Humanos da ONU. | bit.ly/2ktn6mZ

El Mercúrio, Chile |
Lula e as declarações de Bolsonaro sobre Bachelet: "Não se cansa de envergonhar o Brasil frente ao mundo" O ex-presidente do Brasil se solidarizou com a Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, que neste dia alertou que naquele país tem havido“uma redução do espaço democrático”. | bit.ly/2k4iHH1

El Desconcierto, Chile |
Bolsonaro esfrega em Bachelet o assassinato de seu pai pela ditadura de Pinochet. A reação do presidente brasileiro ocorreu depois que o Alto Comissariado da ONU condenou a violência policial e a situação dos Direitos Humanos no Brasil. Depois que a Alta Comissária da ONU, Michelle Bachelet, manifestou preocupação com a violência policial e a situação dos Direitos Humanos no Brasil, o Presidente Jair Bolsonaro respondeu dizendo que graças a Pinochet, o Chile não é uma Cuba, por ter coragem de deter a esquerda em 1973, inclusive seu pai (que foi torturado e morreu na prisão). | bit.ly/2lE9qpf

EM OUTROS PAÍSES

La Vanguardia, Espanha | Bolsonaro nos envergonha, mas não podemos fazer nada além de protestar, afirmou o ex-secretário da OEA, José Miguel Insulza. "(Bolsonaro) é uma vergonha para o Brasil e para a região, mas acho que não há muito o que fazer, nada mais que protestar", disse Insulza a repórteres sobre as declarações do presidente sobre o alto comissário de direitos. Humanos da ONU, Michelle Bachelet, e a ditadura chilena de Augusto Pinochet. Disse aindaque"Bolsonaro demonstra uma capacidade impressionante de insultar pessoas" e, portanto, o fato de ele aproveitar para " mais uma vez parabenizar Pinochet "é de sua personalidade. | bit.ly/2k6eTVK | bit.ly/2lAjWxU

El Clarín, Argentina | Lula da Silva se solidarizou com Michelle Bachelet pela declaração “vergonhosa” de Jair Bolsonaro. “Minha solidariedade à ex-presidente e ao povo chileno, que hoje tiveram a memória de seus mortos e desaparecidos violentadas por este senhor”, disse o ex-presidente em mensagem transmitida do cárcere. | bit.ly/2k6jffy

Esquerda.net, Portugal |
Bolsonaro provoca incidente diplomático com Chile. Presidente do Brasil ataca Alberto Bachelet, pai da ex-presidente Michelle Bachelet, um general chileno que se opôs ao golpe militar de Pinochet em 1973. Preso e torturado,morreu na prisão em 1974. Presidente do Chile condena afirmações de Bolsonaro. | bit.ly/2lE4nVS

The Guardian, Inglaterra |
Bolsonaro insulta chefe de direitos humanos da ONU por tortura de sua família pelo regime de Pinochet. O pai de Bachelet, Alberto, general da força aérea, foi preso e torturado por se opor ao golpe militar de 1973 liderado por Augusto Pinochet, e morreu de ataque cardíaco na prisão. Em Jair Bolsonaro insultou Michelle Bachelet, alta comissária da ONU para os direitos humanos, pela ditadura chilena que torturou ela e seus pais, depois que ela criticou o aumento dos assassinatos na polícia e um espaço "cada vez menor" para a democracia no Brasil. "Ela está defendendo os direitos humanos dos vagabundos", disse o presidente brasileiro. Bolsonaro elogiou frequentemente a ditadura militar de 21 anos no Brasil e expressou admiração por governantes como Pinochet, cujo regime matou mais de 3.000 pessoas de 1973 a 1990. | bit.ly/2ktCobe

Diário de Notícias, Portugal |
Bolsonaro elogia ditadura de Pinochet em ataque a Alta-Comissária da ONU. O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, criticou a Alta-Comissária da Organização das Nações Unidas para os Direitos Humanos, a chilena Michelle Bachelet, a quem acusou de "defender vagabundos". A chefe do Alto Comissariado da ONU havia dito em Genebra, que "entre janeiro e junho de 2019, apenas no Rio de Janeiro e São Paulo, fomos informados de que 1.291 pessoas foram mortas pela polícia, um aumento de 12% e 17% [respetivamente] em relação ao mesmo período do ano passado”. | bit.ly/2kk3C4l

El País, Espanha |
Bolsonaro acusa Bachelet de se alinhar com Macron e defende o golpe de estado de Pinochet. O presidente do Brasil responde com um feroz ataque pessoal às críticas do alto comissário da ONU pelos assassinatos da polícia. O presidente brasileiro mais uma vez demonstrou que sua tolerância a críticas é baixa, se não inexistente; e que sua nostalgia por regimes ditatoriais permanece tão viva quanto quando ele era um deputado irrelevante. | bit.ly/2lVgE8A

El País, Espanha | O apoio de Jair Bolsonaro ao golpe de Estado de Pinochet e seus ataques pessoais a Michelle Bachelet - ex-presidente do Chile e alto comissário da ONU para direitos humanos - agitaram a política chilena na quarta-feira. A centro-esquerda rejeitou em bloco as declarações do presidente do Brasil: "Isso mostra apenas como é miserável", disse a senadora socialista Isabel Allende, filha do presidente Salvador Allende (1970-1973). Enquanto isso, o atual presidente, SebastiánPiñera, à direita, indicou através de uma declaração pública que não compartilha “de toda a alusão feita pelo presidente Bolsonaro a um ex-presidente”. | bit.ly/2lFrwXX

Sputnik News, Rússia |
Fala de Bolsonaro sobre Bachelet vai na contramão da diplomacia brasileira, dizem especialistas. | bit.ly/2lxAFCb

El Periódico, Espanha |
Da prisão, Lula se solidariza com Bachelet pela declaração "vergonhosa" de Bolsonaro. O capitão aposentado exaltou a ditadura de Pinochet e atacou o pai do Alto Comissário da ONU, vítima do regime militar. Bachelet denunciou a redução de espaços democráticos no Brasil. O presidente chileno SebastiánPiñera saiu em sua defesa. | bit.ly/2m2AlLV

Le Figaro, França |
Bolsonaro ataca Bachelet e faz apologia de Pinochet. Jair Bolsonaro atacou pessoalmente Bachelet no Facebook. "Ela esquece que o Chile não se tornou uma (nova) Cuba graças a quem teve a coragem de derrubar a esquerda em 1973, entre esses comunistas, seu pai", escreveu o presidente, apólogo assumido da ditadura no Brasil. | bit.ly/2lz5u9s

The Washington Post, EUA |
Bolsonaro elogia golpe militar de 1973 no Chile ao atacar a chefe dos direitos humanos da ONU, Michelle Bachelet, que é chilena. Bachelet "esquece que seu país não é Cuba apenas graças à coragem daqueles que pararam a esquerda em 1973", escreveu Bolsonaro em sua página no Facebook, acrescentando que entre os comunistas derrotados estava o pai dela que havia sido preso e torturado na ditadura Pinochet. Os comentários do presidente vieram quando a funcionária da ONU levantou preocupações sobre o aumento da taxa de assassinatos cometidos pela polícia no Brasil, bem como restrições às liberdades civis. | wapo.st/2kuvTVK

The New York Times, EUA |
Bolsonaro elogia golpe militar de 1973 no Chile. Ele criticou a chefe do Alto Comissariado das Nações Unidas, que é chilena. Falando em Genebra, Michelle Bachelet, levantou as preocupações do Comissariado com as crescentes mortes por policiais, assim como as restrições às liberdades civis no Brasil. Bolsonaro disse que ela estava se metendo em assuntos brasileiros e fez referência a seu pai, um oficial da Força Aérea que foi preso e torturado por Pinochet tendo morrido na prisão. | nyti.ms/2lUrv2z

La Presse, Canadá |
Bolsonaro faz apologia de Pinochet. O presidente brasileiro Jair Bolsonaro abriu uma nova controvérsia na quarta-feira ao fazer apologia do regime de Pinochet ao rejeitar as críticas de Michelle Bachelet, Alta Comissária da ONU para Direitos Humanos e ex-Presidente do Chile pessoalmente marcada pelo ditadura. | bit.ly/2lEhbeS

Página 12, Argentina |
Bolsonaro reabilitou Pinochet em uma encruzilhada com Michelle Bachelet. A ex-presidente chilena e atual Alta Comissária de Direitos Humanos da ONU denunciou a "redução do espaço democrático" no Brasil. O presidente brasileiro questionou e defendeu a ditadura de Pinochet. Voltando às suas raízes. Jair Bolsonaro justificou o ditador Augusto Pinochet, de quem ele é admirador, como uma maneira de agravar a Alta Comissária da ONU para os Direitos Michelle Bachelet. "A senhora Michelle Bachelet se não fosse o povo de Pinochet que derrotou a esquerda em 73, entre eles o pai, hoje o Chile seria Cuba, acho que não preciso dizer mais nada", provocou o capitão do exército aposentado. | bit.ly/2m0KTev

La Jornada, México |
A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, alertou nesta quarta-feira sobre uma "redução do espaço democrático" no Brasil, especialmente com ataques contra defensores da natureza e dos direitos humanos. "Nos últimos meses, observamos [no Brasil] uma redução no espaço cívico e democrático, caracterizado por ataques contra defensores dos direitos humanos, restrições impostas ao trabalho da sociedade civil", disse Bachelet em entrevista coletiva em Genebra. Ela e também observou um "aumento" no número de pessoas que morreram nas mãos de policiais neste país, liderado pelo presidente de extrema direita Jair Bolsonaro. Essa violência afeta desproporcionalmente os afro-brasileiros e as pessoas que vivem nas favelas, afirmou. | bit.ly/2m1GYOw

Le NouvelObservateur, França | bit.ly/2k1CmqW

La Stampa, Itália | bit.ly/2kwDjb5


Tribune de Genève, Suíça | bit.ly/2k4mOTt


La Diária, Uruguai | bit.ly/2lWT9Mo


El Espectador, Colômbia | bit.ly/2khok4N


El Telégrafo, Equador | bit.ly/2lypfhu


DiarioCorreo, Peru | bit.ly/2kvbobw


El País, Uruguai | bit.ly/2kw16aZ


La Nación, Argentina | bit.ly/2lE4Kje


2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

REINO UNIDO
. Boris Johnson, encurralado, sofre tripla derrota na Câmara dos Comuns. O primeiro-ministro foi frustrado três vezes na Câmara dos Comuns: uma tentativa dos partidos da oposição e dos rebeldes de Tory de bloquear um Brexit sem acordo facilmente cancelou suas segunda e terceira leituras, e Johnson depois falhou em sua tentativa de forçar uma eleição geral rápida.(The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2ly4KBA

FRANÇA
. Macron aborda a delicada reforma previdenciária. O presidente francês, reforçado nas pesquisas, tenta evitar o retorno da tensão nas ruas. (El País, Espanha) | bit.ly/2lE425v

FRANÇA
. Popularidade de Macron: uma ‘recuperação’ graças aos coletes amarelos e ao “a França vai melhor como está”. Mas a reforma da previdência arrisca essa popularidade, segundo analista.(Libération, França) | bit.ly/2kw0EcN

ITÁLIA
. Um novo governo equilibrado, mas frágil. Giuseppe Conde se sucede a si mesmo, mas o novo executivo associado ao M5S e ao PD não é mais que uma fachada. (Le Soir, Bélgica) | bit.ly/2khoMA1 | bit.ly/2lWTsXy

GUERRA COMERCIAL
. EUA e China concordam em reiniciar negociações comerciais no próximo mês. Países retomarão negociações frente a frente em Washington pela primeira vez desde julho, (Financial Times, Inglaterra) | on.ft.com/2kuhlWa

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Eric Nepomuceno – Brasil (Página 12, Argentina) |
“Irrecuperável” | bit.ly/2k4mXGv

Jonathan Freedland
– Reino Unido (The Guardian, Inglaterra) | “Jogada eleitoral de Boris Johnson arrisca naufragar o Partido Conservador (Tory)” | bit.ly/2jYRIfP

LuisBruschtein –
Argentina (Página 12, Argentina) | “Inserção no mundo” | bit.ly/2lTGolI

Nuno Pacheco
– Brasil (Público, Portugal) | “Alerta geral. Diplomacia maltrata ortografia. Pede-se divórcio. Urgente.” | bit.ly/2m1HcVS

Robert Fisk -
EUA e Irã (The Independent, Inglaterra) | “Enquanto Trump fala mal do Irã, a realidade é que o líder desonesto 'agora enlouquecido' agora está em Washington e não em Teerã.” | bit.ly/34r06aj

Conteúdo Relacionado