CM8 Internacional

Clipping Internacional - 06/03/2018

Nas urnas, "La Dolce Vita" cede à ira. A Itália revela um profundo poço de descontentamento. No norte com os impostos. No sul com o desemprego. E ambos com a imigração. (The New York Times)

06/03/2018 12:50

Ciro De Luca/Reuters

Créditos da foto: Ciro De Luca/Reuters

 
Nas urnas, “La Dolce Vita” cede à ira. A Itália revela um profundo poço de descontentamento. No norte com os impostos. No sul com o desemprego. E ambos com a imigração. (The New York Times)

REPERCUSSÕES DAS ELEIÇÕES NA ITÁLIA

THE NEW YORK TIMES, EUA
Nas urnas, a “Dolce Vita” cede à ira. A Itália revela um profundo poço de descontentamento. No norte com os impostos. No sul com o desemprego. E ambos com a imigração.
https://www.nytimes.com/2018/03/06/opinion/italy-election-anger-dolce.html?action=click&pgtype=Homepage&clickSource=story-heading&module=opinion-c-col-right-region&region=opinion-c-col-right-region&WT.nav=opinion-c-col-right-region

THE GUARDIAN, INGLATERRA
Uma tempestade econômica perfeita fez a Itália madura para um voto de protesto. Salários estagnados, crescimento lento e alto desemprego levaram a uma revolta populista nas eleições de domingo. Muito pouco e muito tarde. Seis palavras que resumem o desempenho da economia italiana na década passada desde a crise financeira e que explicam o apoio aos partidos populistas nas eleições.
https://www.theguardian.com/world/2018/mar/05/italy-election-perfect-economic-storm-ripe-for-a-protest-vote

PÁGINA 12, ARGENTINA
Características comuns aos três partidos mais votados nas eleições de domingo: Uma Itália antissistema, antieuro e anti-imigrante. Se você somar os resultados obtidos pelo Movimento Cinco Estrelas, Lega e Fratelli d'Italia, você obtém quase 55% dos votos. Todos os três são a favor do fechamento da Itália em relação à Europa e ao mundo.
https://www.pagina12.com.ar/99674-una-italia-antisistema-antieuro-y-antiinmigrante

EL PAÍS, ESPANHA
Um vendaval populista varre uma era na Itália. A Itália, o primeiro país da UE onde as forças "anti establishment" têm uma maioria absoluta, enfrenta o desafio de formar um governo em meio à incerteza.
https://elpais.com/internacional/2018/03/05/actualidad/1520279069_109111.html

LE MONDE, FRANÇA
A Itália, “um dos países mais eurófilos tornou-se eurocético”. Para o pesquisador Marc Lazar, diretor do Centro de História Sciences Po, a ascensão da extrema direita e, sobretudo, do inclassificável Movimento 5 estrelas é um evento histórico em si mesmo.
http://www.lemonde.fr/europe/article/2018/03/06/italie-l-un-des-pays-les-plus-europhiles-est-devenu-euromorose-et-eurosceptique_5266204_3214.html

L’HUMANITÉ, FRANÇA
Austeridade, crise política, racismo.....Um desastre italiano. O Movimento 5 Estrelas e a extrema direita saíram no topo. Renzi e seu povo mataram a esquerda.
https://www.humanite.fr/austerite-crise-politique-racisme-un-desastre-litalienne-651524

LE NOUVEL OBSERVATEUR, FRANÇA
Itália: os dilemas do presidente Mattarella. É Sergio Mattarella, o inquilino atual do Quirinal, que deve encontrar com aqueles a quem confiará a tarefa de formar um governo. Quatro cenários estão à frente para o quebra-cabeça!
https://www.nouvelobs.com/monde/20180305.OBS3082/italie-les-dilemmes-du-president-mattarella.html


OUTRAS NOTÍCIAS DO MUNDO

 PÁGINA 12, ARGENTINA
Os professores pararam em greve contra o limite salarial. O protesto do professor começou com uma marcha e uma greve nacional que continuará hoje. A medida da força teve alta adesão de acordo com Ctera e Sadop, os sindicatos que pediram para exigir que o governo chame a paridade nacional e aumente o investimento na educação.
https://www.pagina12.com.ar/99685-los-maestros-pararon-contra-el-techo-salarial

THE WALL STREET JOURNAL, EUA
O Plano Tarifário de Trump abre uma fenda no Partido Republicano. O presidente da Câmara, Paul Ryan, advertiu que o plano do presidente Trump de impor tarifas sobre as importações de aço e alumínio poderia desencadear uma guerra comercial, já que o presidente tentou conseguir concessões econômicas do Canadá e do México ao fazer pressão sobre eles.
https://www.wsj.com/articles/trump-links-planned-steel-tariffs-to-nafta-renegotiation-effort-1520255435

THE WALL STREET JOURNAL, EUA
Com receio de uma guerra comercial que poderia prejudicar os ganhos econômicos de seu corte de impostos, os republicanos, incluindo o presidente da Câmara, Paul D. Ryan, apelaram ao presidente Trump para ceder na questão das ao aço e ao alumínio. Embora o Sr. Trump pareça impassível, ele indicou que ele poderia oferecer isenções para certos países.
https://www.nytimes.com/2018/03/05/us/politics/trump-tariffs-steel-aluminum-nafta.html?hp&action=click&pgtype=Homepage&clickSource=story-heading&module=first-column-region&region=top-news&WT.nav=top-news

THE WASHINGTON POST, EUA
Para os "dreamers" de Israel, as deportações trazem incerteza. Alam Godin fugiu para Israel como um menino, escapando da guerra no Sudão há mais de uma década com sua família. Sua mãe e quatro irmãos mais novos chamam de lar um bangalô de dois quartos em uma seção deprimida de Tel Aviv. Criados e educados em Israel, esses jovens africanos podem ser enviados de volta para um país que não conhecem.
https://www.washingtonpost.com/news/world/wp/2018/03/05/feature/african-migrants-facing-deportation-in-israel/?utm_term=.047066c710dd

EL ESPECTADOR, COLÔMBIA
Cristina Fernández será levada a julgamento por suposto encobrimento de terroristas. Este é o suposto encobrimento dos iranianos acusados de atacar ataque a  judeusem 1994, um caso que foi aberto pela denúncia do promotor Alberto Nisman em 2015, dias antes de morrer.
https://www.elespectador.com/noticias/el-mundo/envian-juicio-cristina-fernandez-por-presunto-encubrimiento-terroristas-articulo-742640


NOTÍCIAS SOBRE O BRASIL

ESQUERDA.NET, PORTUGAL
Brasil: líder dos sem-teto será o candidato do PSOL à presidência. Guilherme Boulos lança a sua pré-candidatura, anunciando que vai dar voz “a indígenas, negros e negras, aos sem teto, artistas, mulheres, à comunidade LGBT, a toda essa gente que resiste e me inspira”.
https://www.esquerda.net/artigo/brasil-lider-dos-sem-teto-sera-o-candidato-do-psol-presidencia/53588

PÁGINA 12, ARGENTINA
Artigo de Emir Sader: “O liberalismo oligárquico latino-americano”
https://www.pagina12.com.ar/99678-el-liberalismo-oligarquico-latinoamericano

DIÁRIO DE NOTÍCIAS, PORTUGAL
Líder indígena é candidata à vice-presidência brasileira.  O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) vai ter uma lista de "esquerda puro-sangue", como diz um dos seus dirigentes, a concorrer às eleições presidenciais de outubro no Brasil: além de Guilherme Boulos, o candidato a presidente da República que lidera o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, a concorrente ao cargo de vice-presidente será Sonia Bone Guajajara.
https://www.dn.pt/mundo/interior/lider-indigena-e-candidata-a-vice-presidencia-brasileira-9163796.html

RFI, FRANÇA
“Era fundamental que ocorresse intervenção militar no Rio”. Durante sua passagem por Paris, onde participa de um evento com empresários franceses na Câmara de Comércio do Brasil na França, o presidente da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Eduardo Eugênio Gouveia Vieira, voltou a defender a intervenção militar no Rio de Janeiro e avaliou com otimismo a situação econômica do Brasil. O evento, que acontece na sede da Embaixada Brasileira, na capital francesa, visa estimular, durante três dias, parcerias comerciais estratégicas entre os dois países.
http://m.br.rfi.fr/brasil/20180305-rfi-convida-eduardo-eugenio-gouveia-vieira

SPUTNIK NEWS, RÚSSIA
Intervenção federal deixará legado para a segurança pública no Rio? Desde que o presidente Michel Temer aprovou a intervenção federal no Rio de Janeiro, a paisagem da Cidade Maravilhosa ganhou a presença de tanques, um novo ministério foi criado e, entre aprovações e críticas, o assunto tomou conta da sociedade. O significado desta operação para a segurança no Rio, no entanto, ainda permanece uma incógnita.
https://br.sputniknews.com/sputnik_explica/2018030110633324-intervencao-federal-seguranca-rio-temer-exercito/

DW Brasil, ALEMANHA
O conturbado histórico de Temer na Segurança Pública. Presidente ocupou duas vezes o cargo de secretário de Segurança Pública de São Paulo, nos anos 1980 e 1990. Gestões foram marcadas por explosão de índices de homicídios e conflitos com delegados.
http://www.dw.com/pt-br/o-conturbado-hist%C3%B3rico-de-temer-na-seguran%C3%A7a-p%C3%BAblica/a-42838087





Conteúdo Relacionado