CM8 Internacional

Clipping Internacional - 07/01/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

07/01/2020 06:15

(Agência Senado)

Créditos da foto: (Agência Senado)

 
1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

PRIVATIZAÇÃO DA ÁGUA
. Privatização da água e do saneamento no Brasil: um supernegócio para a Coca Cola. A Tasso Jereissati é conhecido como o "senador Coca Cola". Em nome de Jair Bolsonaro ele aprovou a lei que concede a empresa privada (sem passar por licitação) do insumo mais caro para fabricação refrigerantes: água. Há o terrível antecedente do México. Um relatório do Comitê Norueguês de Solidariedade com a América Latina, publicado em 2008, mostra que nas zonas do México em que a multinacional se beneficiou da privatização, regiões inteiras estão em estado de emergência. (El Tiempo Argentino, Argentina) | tinyurl.com/yf9kcvwm

BOLSONARO. Em um novo ataque direto à imprensa, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, descreveu os jornalistas como "espécies em extinção" e disse que ler os jornais "envenenado". "Vocês são uma espécie em extinção. Acho que vou colocar os jornalistas do Brasil sob os cuidados do IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente)", disse o presidente de extrema-direita em seu tradicional encontro com a mídia na entrada da residência oficial. "Quem não lê o jornal não é informado e quem lê é desinformado. Eles precisam mudar isso", insistiu. "Leia o jornal sobre venenos. Já está envenenado." O presidente atacou em particular contra uma reportagem do portal de notícias do UOL, que sustentava que Bolsonaro usava recursos públicos para sua última reeleição como deputado em 2014. (Página 12, Argentina) | tinyurl.com/yfhz3ncl

CRISE EUA/IRÃ. Irã convoca representante do Itamaraty após nota do governo brasileiro. O Irã convocou a encarregada de negócios da embaixada do Brasil no país, Maria Cristina Lopes, para prestar esclarecimentos a respeito da nota do Itamaraty sobre a morte do general Qassim Suleimani. "Ao tomar conhecimento das ações conduzidas pelos EUA nos últimos dias no Iraque, o Governo brasileiro manifesta seu apoio à luta contra o flagelo do terrorismo e reitera que essa luta requer a cooperação de toda a comunidade internacional sem que se busque qualquer justificativa ou relativização para o terrorismo", diz a nota. Nesta segunda-feira (6), o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse que pode não ir ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, por conta da crise envolvendo o Irã e os Estados Unidos. (Sputnik News, Rússia) | tinyurl.com/yekytv95

BOLSONARO. Bolsonaro não quer viajar porque o "mundo tem problemas de segurança". O presidente do Brasil questionou sua presença no Fórum de Davos porque o ambiente atual está cheio de tensões devido a conflitos entre EUA e Irã. (El Periódico, Espanha) | tinyurl.com/ygbuoqek

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

MÉXICO
. Mais de 60.000 pessoas estão desaparecidas em meio à guerra às drogas no México, dizem as autoridades. Autoridades mexicanas admitem que o número é muito maior do que o estimado anteriormente, pois os assassinatos continuam aumentando. (The Guardian, Inglaterra) | tinyurl.com/yzkmq8js

ARGENTINA. O macrismo deixou no vermelho 151 milhões de dólares. Um cabide de dívidas com a Unasul, ONU e Mercosul. Assim que foi derrotado, o governo Mauricio Macri desconsiderou organizações internacionais e regionais. Groucho Marx disse que nunca faria parte de um clube que o aceitaria como sócio. Mauricio Macri transformou a tirada em um projeto diplomático: ele parou de pagar as taxas de organizações internacionais. O resultado é que colocou a Argentina como alvo de reivindicações e prestes a perder o direito de voto. (Página 12, Argentina) | tinyurl.com/yhbkf5mj

VENEZUELA. Juan Guaidó tenta recuperar a Assembleia Nacional que perdeu. O oponente venezuelano ignora o presidente eleito do Legislativo, também a oposição Luis Parra. Parra foi reconhecido como o presidente legítimo da AN por governos como a Rússia. Guaidó foi novamente reconhecido pelos países do Grupo Lima e pelos Estados Unidos. Ambos os rivais convocaram uma sessão para esta terça-feira. (Página 12, Argentina) | tinyurl.com/yfh2scnc

VENEZUELA. Os Estados Unidos apostaram que Guaidó poderia transformar a Venezuela. Isso não aconteceu. Os Estados Unidos jogaram sua força atrás de Juan Guaidó quando ele assumiu a presidência, um desafio direto ao presidente Nicolás Maduro. Um ano depois, o governo Trump tem pouco a mostrar por seus esforços. (The New York Times, EUA) | tinyurl.com/yfgrxju2

CHILE. Economia chilena afunda em razão de protestos e a mineração. A atividade econômica do Chile caiu 3,3 por cento em novembro, liderada por uma queda na atividade de mineração, informou o banco central na quinta-feira, hora local, e autoridades previram baixo crescimento para o próximo ano, à medida que o país se recupera de distúrbios antigovernamentais. Os protestos abalaram o Chile, o maior produtor mundial de cobre, por dois meses, deixando 26 mortos e causando bilhões em perdas para empresas privadas e infraestrutura pública. (The Sydney Morning Herald, Austrália) | tinyurl.com/ye75cvdr

AMÉRICA LATINA. A reação da América Latinha às políticas de livre-mercado persistirá? Frustração com a desigualdade provocou protestos em toda a América Latina no ano passado, mas eles manterão o impulso em 2020? (El Jazeera, Catar) | tinyurl.com/yha2rnr3

CRISE EUA/IRÃ

The Guardian, Inglaterra | O futuro da presença militar dos EUA no Iraque está em questão em meio a cenas de confusão em Washington, enquanto o governo Trump lutava para responder às demandas iraquianas de saída das tropas após o assassinato da semana passada em Bagdá, o principal general do Irã, Qassem Suleimani. A força-tarefa da coalizão liderada pelos EUA que luta contra Ísis no Iraque entregou uma carta ao Ministério da Defesa iraquiano na segunda-feira dizendo que os preparativos começariam imediatamente "para garantir que a saída do Iraque seja conduzida de maneira segura e eficiente". Mas logo depois, o secretário de defesa, Mark Esper, disse a jornalistas no Pentágono: "Essa carta é inconsistente com onde estamos agora" e insistiu que nenhuma decisão foi tomada para evacuar o Iraque. O presidente dos chefes de gabinete conjuntos, general Mark Milley, disse que a carta foi enviada por engano. | tinyurl.com/yk25yg2v

Página 12, Argentina | Uma multidão se despede dos restos de Soleimani. Entre orações, canções religiosas e slogans contra os Estados Unidos. | tinyurl.com/yjzhwsha

The New York Times, EUA | Pentágono contradiz Trump e exclui locais culturais, contradizendo Trump. O secretário de defesa reconheceu que "as leis de conflitos armados" proibiam atacar antiguidades e disse que os militares não tinham planos de fazê-lo, mesmo que o presidente os tenha declarado alvos. | tinyurl.com/yetxx5ch

El Diário, Espanha | O Irã anuncia que não atende às últimas limitações de seu programa nuclear. Isso foi anunciado neste domingo por meio de uma declaração na qual ele também garantiu que continuará a cooperar com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). O governo iraniano também antecipa que retornará aos seus compromissos nucleares se as sanções forem levantadas e o país se beneficiar dos seus interesses consagrados no pacto. Este anúncio ocorre dois dias após o assassinato do comandante Qasem Suleimani - uma das pessoas mais influentes do Irã - pelas forças americanas, o que causou uma escalada de tensão na região. | tinyurl.com/yg7ttppa

Le Figaro, França | Por que a escalada entre o Irã e os Estados Unidos enfraquece a luta contra o ISIS. Eles já haviam entregue parcialmente o Afeganistão ao Taleban. O início de 2020 parece uma debandada para os Estados Unidos. Ao anunciar, administração após administração, sua iminente saída do tumultuoso Oriente Médio, eles poderiam ser expulsos do Iraque após uma votação no parlamento exigindo sua expulsão do país. Para se concentrar na proteção de suas forças e bases, a coalizão anti-Daesh também encerrou temporariamente as operações contra os jihadistas. A OTAN suspendeu as operações de treinamento para as forças armadas iraquianas. | tinyurl.com/yztzvp5f

Financial Times, Inglaterra | O sucessor de Soleimani promete expulsar os EUA do Oriente Médio. Novo líder da poderosa força expedicionária do Irã aumenta a retórica contra Washington. | tinyurl.com/yz4oo3y3

The Washington Post, EUA | O Iraque, que seria para ser visto depois, torna-se um problema para Trump. O Pentágono na segunda-feira correu para minimizar os relatos de que as tropas dos EUA no Iraque estavam sendo reposicionadas em preparação para uma possível retirada, um dia após os legisladores iraquianos aprovarem uma resolução não vinculativa pedindo que todas as tropas estrangeiras deixassem o país. "Isso é um erro", disse o presidente do Estado-Maior Conjunto, general Mark A. Milley, a jornalistas no Pentágono após uma carta indicando que uma retirada foi divulgada às autoridades iraquianas pelo comando militar dos EUA em Bagdá. A carta, disse ele, era um rascunho de planejamento não assinado discutindo novas implantações e "não deveria ter sido divulgado". | tinyurl.com/yeulr6ud
Tribune de Genève, Suíça | Donald Trump e sua «diplomacia do gângster» inquietam o Congresso. Os parlamentares norte-americanos devem votar esta semana para limitar o campo de ação do presidente diante da crise iraniana. | tinyurl.com/yefsosam

Libération, França | Entre a crise iraniana e o Brexit, Boris Johnson se lança ao contorcionismo. | tinyurl.com/yexyl4s9

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Simon Jenkins – Irã (The Guardian, Inglaterra) | “As ameaças beligerantes de Donald Trump a locais culturais iranianos são grotescas>” | tinyurl.com/ygrsszae

George Monbiot – Meio Ambiente (The Guardian, Inglaterra) | “Este pode ser o ano em que recarregamos a natureza - e a nós mesmos” | tinyurl.com/ygm4rwau

Jaime Iturri Salmón – Bolívia (Página 12, Argentina) | “Bolívia: eleições sim, mas não assim” | tinyurl.com/yk5pww4n

Alfredo Zaiat – Argentina (Página 12, Argentina) | “Outro ano de erros grosseiros pelos economistas da ‘city’” | tinyurl.com/yzv93jxt

Michelle Goldberg – EUA (The New York Times, EUA) | “Chegou a etapa do pesadelo da regra de Trump. Instável e impeachment, o presidente empurra os EUA para a guerra com o Irã.” | tinyurl.com/yk4eq256

Sergio Halimi – Protestos mundiais (Le Monde Diplomatique, França) | “De Santiago a Paris, o povo nas ruas. Reforma previdenciária, corrupção, custo de vida....” | tinyurl.com/yh8g7kfq

Juan Cole – EUA/Irã (Truthdig, EUA) | “As verdadeiras razões que levaram Trump a assassinar Soleimani” | tinyurl.com/yejk37yd



Conteúdo Relacionado