CM8 Internacional

Clipping Internacional - 09/06/2017

As políticas propostas por Jeremy Corbyn atacam resolutamente a repartição desequilibrada entre o capital e o trabalho.

09/06/2017 16:02

Carta Maior

Créditos da foto: Carta Maior

NOTÍCIAS NO MUNDO
L’Humanité, França
O programa de Corbyn, uma ruptura profunda com a hegemonia neoliberal. As políticas propostas por Jeremy Corbyn atacam resolutamente a repartição desequilibrada entre o capital e o trabalho.
http://www.humanite.fr/le-programme-de-corbyn-une-rupture-en-profondeur-avec-lhegemonie-neoliberale-637122
Le Monde, França
Eleições legislativas no Reino Unido: Corbyn vai à forra com os moderados do Partido Trabalhista. O líder dos trabalhistas soube mobilizar os jovens e os absenteístas com um programa ancorado na esquerda e evitando falar do Brexit.
http://www.lemonde.fr/europe/article/2017/06/09/legislatives-au-royaume-uni-corbyn-prend-sa-revanche-sur-les-moderes-du-parti-travailliste_5141202_3214.html
The Independent, Inglaterra
O parlamento do Reino Unido, como resultado das eleições em que o Partido Conservador perdeu a maioria absoluta, dependerá de coalizões. A maioria dependerá do Partido Unionista da Irlanda, o partido dos protestantes do país, que já anunciou que o fará caso a caso
http://www.independent.co.uk/News/uk/politics/election-uk-live-updates-latest-jeremy-corbyn-theresa-may-winning-polls-seats-majority-labour-a7774696.html
The Guardian, Inglaterra
Os resultados finais das eleições no Reino Unido.
https://www.theguardian.com/politics/ng-interactive/2017/jun/08/live-uk-election-results-in-full-2017
The Wall Street jornal, EUA
No Reino Unido A libra cai, mas as ações sobem. Jogada de Theresa May, convocando eleições, saiu pela culatra. Ela terá agora que buscar alianças após as perdas eleitorais. Resultado surpreendente deixou os conservadores sem maioria no Parlamento, o que complica as negociações do Brexit e força May a buscar o apoio do partido unionista da Escócia.
http://www.wsj.com/livecoverage/ukelection
The Guardian, Inglaterra
Jeremy Corbyn, o líder do Partido Trabalhista, foi uma sensação e seria um excelente primeiro ministro. Não se trata do fracasso dos conservadores. Se os trabalhistas tivessem oferecido o mesmo centrismo burocrático e obsoleto teria que se haver com uma derrota acachapante.
https://www.theguardian.com/commentisfree/2017/jun/09/jeremy-corbyn-prime-minister-labour
The Guardian, Inglaterra
Os jovens falaram, e eles disseram Jeremy Corbyn. Muitos se sentiram excluídos do sistema político até a chegada do novo líder trabalhista que ofereceu algo diferente – equilibrado, honesto e grande “memeabilidade”.
https://www.theguardian.com/commentisfree/2017/jun/09/young-people-spoken-jeremy-corbyn-social-media
The Economist, Inglaterra
O Partido Trabalhista agora pertence a Corbyn. A era Blair acabou em 8 de junho de 2017. Quando Theresa May convocou eleições gerais 8 semanas atrás, Corbyn era visto como o mais líder mais fraco do partido desde 1983 e quem sabe desde 1935. Hoje ele é o avô da virada: uma presença forte no Parlamento e o indisputado líder do Partido Trabalhista.
http://www.economist.com/news/britain/21723193-blair-era-truly-ended-june-8th-labour-party-now-belongs-jeremy-corbyn
The New York Times, EUA
O ex-diretor do FBI, James Comey, depôs no Senado e oferece um retrato cru dos ardis do presidente. Ele disse que Trump tentou desviar a investigação sobre o papel da Rússia nas últimas eleições. Em seu testemunho ele foi humilde, modesto e factual mas mostrou que não tem medo do jogo de Washington ao oferecer informações internas.
https://www.nytimes.com/2017/06/08/world/europe/theresa-may-britain-election-conservatives-parliament.html?hp&action=click&pgtype=Homepage&clickSource=story-heading&module=span-ab-lede-package-region&region=top-news&WT.nav=top-news
Los Angeles Times, EUA
Más notícias para Trump: os republicanos não estão correndo em sua defesa.
http://www.latimes.com/politics/la-na-pol-comey-trump-analysis-20170608-story.html
Página 12, Argentina
Acabou o veranico e volta a era do gelo. Sob a presidência de Trump, os Estados Unidos dá sinais de endurecimento em sua política com respeito a Cuba. Um porta-voz da Casa Branca ratificou a notícia de que se avalia uma nova política com Cuba.
https://www.pagina12.com.ar/43010-acabo-el-veranito-y-vuelve-la-era-del-hielo
The Guardian, Inglaterra
Homem foi condenado a 35 anos na Tailândia por insultar a monarquia no Facebook. A condenação se deu na base de uma lei draconiana de difamação da realeza.
https://www.theguardian.com/world/2017/jun/09/man-jailed-for-35-years-in-thailand-for-insulting-monarchy-on-facebook
 
BRASIL NA IMPRENSA INTERNACIONAL
Público, Portugal
A sobrevivência de um cadáver político. O Brasil será sempre um país melhor sem a indecência que hoje o governa. Análise de Manuel Carvalho
https://www.publico.pt/2017/06/08/mundo/noticia/a-sobrevivencia-de-um-cadaver-politico-1775041
Página 12, Argentina
Temer perto da absolvição. Em um tribunal dividido, livrariam o mandatário brasileiro. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, falou de um a”sanha caçadora” da estabilidade do governo e propôs desconhecer o valor probatório das confissões de Marcelo Odebrecht e outros executivos.
https://www.pagina12.com.ar/43012-temer-cerca-de-la-absolucion
Público, Portugal
Tribunal Supremo Eleitoral está ser favorável a Temer. Denúncias de financiamento ilegal da Odebrecht não devem ser aceites no processo que pode ditar anulação da candidatura do Presidente.
https://www.publico.pt/2017/06/08/mundo/noticia/supremo-tribunal-federal-brasileiro-esta-ser-favoravel-a-temer-1775044
Público, Portugal
É possível olhar para as campanhas eleitorais no Brasil sem contar com a Odebrecht? O Tribunal Superior Eleitoral começou a julgar o caso que pode ditar a perda de mandato do Presidente, Michel Temer.
https://www.publico.pt/2017/06/07/mundo/noticia/e-possivel-olhar-para-as-campanhas-eleitorais-no-brasil-sem-contar-com-a-odebrecht-1774934
Le Monde, França
O Brasil em suspense com o julgamento de seu presidente. Os sete juízes, reunidos desde terça em Brasília, devem decidir sobre a validade da eleição presidencial de 2014, marcada por acusações de financiamento ilegal da campanha.
http://www.lemonde.fr/ameriques/article/2017/06/09/le-bresil-suspendu-au-jugement-de-son-president_5140986_3222.html
RFI, França
Caixa 2 é suficiente para cassar mandato, diz relator no TSE. O julgamento que pode custar o cargo do presidente brasileiro Michel Temer entrou nesta quinta-feira (8) em seu terceiro dia. O relator do processo da chapa Dilma-Temer, Herman Benjamin, disse que basta que o recurso não seja declarado à Justiça Eleitoral para que o mandato do chefe de Estado seja cassado. A maioria dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deu indicações de que as provas obtidas com delações premiadas de executivos da construtora Odebrecht não serão consideradas.
http://m.br.rfi.fr/brasil/20170608-caixa-2-e-suficiente-para-cassar-mandato-diz-relator-no-tse-1
Sputnik News, Russia
Dilma-Temer: como terminará esse julgamento histórico eleitoral? Nesta semana, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) retomou o julgamento que pode mudar muita coisa ou nada na política brasileira. É a ação movida contra a eleição de Dilma Rousseff e de seu vice, agora presidente, Michel Temer. Se cassada a chapa, o Brasil precisará eleger um novo chefe de Estado, um ano após uma mudança radical no comando do país.
https://br.sputniknews.com/sputnik_explica/201706088595705-chapa-dilma-temer/
Telesur, Venezuela
O juiz relator do julgamento afirmou haver “provas robustas” para anular o mandato de Michel Temer. Os documentos e testemunhos copilados se mostram provas que levariam à destituição do mandatário não eleito do Brasil.
http://www.telesurtv.net/news/Hay-pruebas-robustas-para-anular-el-mandato-de-Michel-Temer---20170609-0004.html
El País, Uruguai
Temer se encaminha para se salvar do julgamento por financiamento eleitoral. Por maioria simples o Tribunal excluiu os testemunhos dos executivos da Odebrecht.
http://www.elpais.com.uy/mundo/temer-camino-salvarse-juicio-financiacion.html
El Mercúrio, Chile
Juiz assegura que há “provas robustas” para anular mandato de Michel Temer. Ex executivos do grupo Odebrecht confessaram que financiaram ilegalmente a campanha de Dilma Rousseff e do atual presidente que naquele momento concorreu como vice-presidente em 2014.
http://www.emol.com/noticias/Internacional/2017/06/08/861975/Juez-asegura-que-hay-pruebas-robustas-para-anular-mandato-de-Michel-Temer.html





Conteúdo Relacionado