CM8 Internacional

Clipping Internacional - 12/01/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

12/01/2020 09:54

Familiar de uma das vítimas do Voo 655 no aniversário do desastre, em 2012 (ABEDIN TAHERKENAREH/EPA)

Créditos da foto: Familiar de uma das vítimas do Voo 655 no aniversário do desastre, em 2012 (ABEDIN TAHERKENAREH/EPA)

 
1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

MARCELO FREIXO
. “Bolsonaro é uma tragédia humanitária”. Marcelo Freixo teceu duras críticas a Bolsonaro. No seu entender, o “acidente histórico” que foi a sua eleição inaugurou o regime de uma “democracia totalitária”. Eleito, o presidente continuaria a defender ditadores, torturas e milícias. | tinyurl.com/tdsvt2a

EDUCAÇÃO. Hostilidade do governo em relação às universidades prejudica o país, lamenta reitor da UFBA. Os reitores das universidades federais se preparam para mais um ano de instabilidade nas instituições públicas de ensino superior. Apenas 70% do orçamento de 2020 está garantido. Os demais 30% dependem de aprovação parlamentar. Segundo o presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), João Carlos Salles, reitor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), essa incerteza desorganiza as unidades de ensino, a pesquisa e prejudica o avanço do ensino no país. (RFI, França) | tinyurl.com/vxkyhav

CENSURA. Porta dos Fundos: humoristas estão entre primeiros alvos de regimes autoritários. O caso do ataque à produtora do Porta dos Fundos e, agora, da determinação de um desembargador para retirar do catálogo da Netflix o programa especial de Natal dos humoristas repercutiu na imprensa internacional. A França está particularmente atenta: os últimos acontecimentos ocorrem na mesma semana em que o país relembra os cinco anos do atentado contra o jornal satírico Charlie Hebdo, que resultou na morte de 11 integrantes da redação. (RFI, França) | tinyurl.com/szfoxj6

AGROTÓXICOS. Perigo! Agrotóxicos invadem Brasil. O governo precisa equilibrar o interesse da indústria com a atuação dos órgãos reguladores, adverte especialista. Segundo Carlos Canejo, professor de Engenharia Ambiental na Universidade Veiga de Almeida, é necessário que as regras sobre o uso de agrotóxicos sejam mais rígidas. O número de licenças de defensivos agrícolas registrado em 2019 é o mais expressivo desde 2005, de acordo com monitoramento feito pela Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida, quando começou a série histórica. Segundo o Greenpeace, desses produtos, 22 contêm ingredientes ativos que têm seu uso proibido na União Europeia. Além disso, 25 constam na lista dos produtos extrema ou altamente tóxicos à saúde humana. Segundo a pesquisa da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária - 23% dos alimentos analisados têm resíduos de agrotóxicos acima do limite permitido ou proibidos para a cultura. (Sputnik News, Rússia) | tinyurl.com/u8duydf

ÍNDIOS. Governo prepara projeto que permite garimpo e exploração de petróleo em terras indígenas. O governo está preparando um projeto de lei para enviar ao Congresso que autoriza a mineração, exploração de petróleo e gás e a construção de hidrelétricas em terras indígenas. A proposta está na Casa Civil da Presidência e será enviada ao Congresso. O projeto fala ainda em permitir "o exercício de atividades econômicas, pelos índios em suas terras, tais como agricultura, pecuária, extrativismo e turismo" e seria possível o cultivo de organismos geneticamente modificados, exceto em unidades de conservação”. A exploração mineral em terras indígenas é autorizada pela Constituição. Mas, na prática, por não ter sido regulamentada pelo Congresso, ela não ocorre. (Sputnik News, Rússia) | tinyurl.com/uo9bh6d

BOLSONARO E MORO. Duas fotos intrigantes sobre o duelo entre Bolsonaro e Moro. 2020 abre a questão sobre qual o papel do Ministro da Justiça brasileiro na nova fase do bolonarismo, que é mais desafiadora do que nunca. A popularidade do ministro da Justiça brasileiro Sérgio Moro surpreende cada vez mais. E se não fosse por sua solvência, seria difícil aceitar a última pesquisa do Datafolha. Nisso, Moro aparece como o político com maior credibilidade no país, nada menos que Jair Bolsonaro, Lula da Silva, Ciro Gomes e o restante dos 12 possíveis candidatos para as eleições presidenciais de 2022. O curioso é que Moro continua insistindo que ele é um técnico e não planeja medir sua força nas pesquisas. Ele também argumenta que, se Bolsonaro comparecer à reeleição, ele votará nele. E, no entanto, se existe a possibilidade de Moro entrar na disputa eleitoral, isso depende do difícil equilíbrio em seu relacionamento com o presidente brasileiro. (El País, Espanha) | tinyurl.com/sswwojb

AMAZÔNIA. Amazônia pode ser explorada em busca de petróleo. O governo brasileiro quer legalizar a exploração de petróleo e gás, bem como a construção de barragens hidrelétricas em terras indígenas. A abertura de terras indígenas para atividades econômicas fazia parte das promessas de campanha do presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro, que aumentaram nos últimos meses, segundo representantes dessas comunidades indígenas e ONGs, violência e pressão de empresas de mineração e madeira da Amazônia. A Amazônia, onde vivem muitas tribos indígenas, é rica em recursos naturais, como ouro, cobre, tântalo, minério de ferro, níquel e manganês. (Tribune de Gevève, Suíça) | tinyurl.com/vw8ylhw

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

AVIÕES DERRUBADOS POR MÍSSEIS.
Sete aviões civis já foram abatidos por mísseis nos últimos 50 anos. Nos últimos 50 anos, pelo menos sete aviões foram derrubados por mísseis, por acidente ou por confusão com alvos. O Boeing 737 da companhia aérea Ukrainian Airlines, com 176 pessoas a bordo, foi o último deles. (El Periódico, Espanha) | tinyurl.com/vm94c9n

IRÃ.
Admissão de acidente de avião no Irã desencadeia apelos internacionais para investigação completa. Presidente ucraniano também pede admissão total de culpa, justiça e compensação. A admissão do Irã de que abateu acidentalmente um avião de passageiros ucraniano foi recebida com exigências internacionais por uma investigação completa sobre o desastre, na qual 176 pessoas morreram durante um período de tensões crescentes entre Teerã e Washington. (The Guardian, Inglaterra) | tinyurl.com/u369x4q

EUA/Irã. Tensão EUA/Irão em suspenso depois da queda de avião ucraniano. Quando Trump respondeu ao ataque a bases militares com presença norte-americana apenas com anúncio de sanções económicas e moderando o discurso bélico, a crise entre EUA e Irão parecia estar a voltar a patamares anteriores. Mas a disputa sobre a responsabilidade pela queda do avião ucraniano em Teerã tornou-se um novo capítulo. (Esquerda.net, Portugal) | tinyurl.com/usl88sj

IRÃ. Voo 655, o desastre aéreo que o Irão nunca perdoou. O abate de um avião da Iran Air com 290 pessoas a bordo por um navio de guerra norte-americano, em 1988, foi o momento em que os iranianos “perceberam que estavam indefesos na sua própria região”. O então Presidente norte-americano, Ronald Reagan, lamentou o desastre, referindo-se ao erro como “uma ação defensiva adequada” e, em resposta a uma pergunta de um jornalista, admitiu que o seu comunicado oficial podia ser interpretado como um pedido de desculpas. (Público, Portugal) | tinyurl.com/tq2ylkb

ORIENTE MÉDIO. Uma nova era perigosa no Oriente Médio. Ao matar o principal general iraniano Qassem Soleimani, os EUA injetaram ainda mais imprevisibilidade em uma região já instável. Ambos os lados insistiram que não querem guerra. Mas é provável que o conflito continue nas sombras. (Der Spiegel, Alemanha) | tinyurl.com/u5ncorl

ARGENTINA. Aumentos de impostos: quem deve pagar pelo desastre macro? Tensão política e econômica devido a retenções agrícolas, a cobrança de 30% na compra de dólares, o aumento de bens pessoais e o pacote tributário de Buenos Aires. As medidas tributárias com critérios de progressividade de Alberto Fernández, em nível nacional, e Axel Kicillof, na província de Buenos Aires, provocaram resistência de setores econômicos e sociais privilegiados durante os quatro anos do governo de Mauricio Macri. Fragilidade fiscal e dívida impagável. (Página 12, Argentina) | tinyurl.com/trfxubu

PERU. Suspeitas de corrupção obscurecem a reforma judicial no Peru. Alguns membros do novo órgão de seleção de juízes estão vinculados ao magistrado investigado por liderar uma rede corrupta. A reforma judicial no Peru nasce envolta em controvérsia. A imprensa local revelou que alguns dos membros do recém-criado Conselho Nacional de Justiça mantêm relações com César Hinostroza, ex-juiz investigado como chefe de uma rede de corrupção e cuja extradição da Espanha está pendente. O Conselho é o órgão que substitui o Conselho Nacional da Magistratura, desaparecido há um ano e meio, que avaliou e demitiu os magistrados. Esse órgão foi considerado um dos nós da máfia judicial, os chamados colarinhos brancos do porto. (El País, Espanha) | tinyurl.com/rq4vbhq

POLÔNIA.
Juízes protestam contra projeto de lei para punir oposição. Várias centenas de juízes poloneses, unidos por juízes de outros países europeus, marcharam no sábado em Varsóvia para protestar contra um projeto de lei que puniria magistrados se eles se opusessem às reformas judiciais. (Le Monde, França) | tinyurl.com/umhll9m

TAIWAN. Em um golpe para a China, o presidente de Taiwan volta para um segundo mandato. O partido de Tsai Ing-wen também mantém a maioria parlamentar. Sua vitória era esperada, mas talvez não sua margem. Tsai Ing-wen, presidente de Taiwan, ganhou um segundo mandato de quatro anos em um deslizamento de terra em 11 de janeiro. Ela obteve mais de 8 milhões de votos, mais do que qualquer candidato recebeu em qualquer uma das sete eleições diretas realizadas desde 1996. Tsai, a primeira mulher presidente de Taiwan, obteve 57% dos votos, contra 39% de seu principal oponente, Han Kuo-yu, do pró-China Kuomintang (KMT). (The Economist, Inglaterra) | tinyurl.com/txog99n

FRANÇA. Após cinco semanas de protestos, o primeiro-ministro francês oferece concessão aos sindicatos. O primeiro-ministro francês Edouard Philippe ofereceu retirar planos para aumentar a idade para o acesso a benefícios completos de pensão, na esperança de acabar com as greves trabalhistas em todo o país. (HuffPost, EUA) | tinyurl.com/uvewgh2

COLÔMBIA. Pelo menos 77 ex-guerrilheiros das FARC foram mortos em 2019, segundo a ONU. O número de mortos desde que a paz foi assinada em 2016 sobe para 173. "O número total de assassinatos desde a assinatura do Acordo Final de Paz agora chega a 173, além de 14 desaparecimentos e 29 tentativas de homicídio", diz o documento publicado em Bogotá e será apresentado ao Conselho de Segurança da ONU em Nova York. York em 13 de janeiro de 2020. (La Vanguardia, Espanha) | tinyurl.com/yx6zoqgj

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Eric Nepomuceno - Brasil (Página 12, Argentina) | “o Brasil de Bolsonaro: há que se endurecer e perder a ternura” | tinyurl.com/vrsuk5y

Jorge Alemán – Neoliberalismo (Página 12, Argentina) | “Nihilismo e governos populares ou de esquerda” | tinyurl.com/uauqgcz

Peter Baker e outros – EUA/Irã (The New York Times, EUA) | “Sete dias em janeiro: como Trump levou os EUA à beira de uma guerra.” | tinyurl.com/rb25y8o

John Cassidy – EUA (The New Yorker, EUA) | “A verdadeira história por que Trump ordenou o assassinato de Suleimani está se tornando mais clara” | tinyurl.com/upt5u8f

Marie-Noëlle Bertrand – Austrália (L’Humanité, França) | “Austrália. Crônica de um ecocrime anunciado” | tinyurl.com/wn7d3t3

Harrison Karlewicz – Neoliberalismo (Jacobin, EUA) | “Uma resposta socialista à globalização neoliberal” | tinyurl.com/wfnr7zk



Conteúdo Relacionado