CM8 Internacional

Clipping Internacional - 14/10/2019

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

14/10/2019 12:07

Familia D.O., que teve que entrar para o programa de proteção aos defensores dos direitos humanos após receber ameças (Thiago Domenici/Bruno Fonseca/Agência Pública)

Créditos da foto: Familia D.O., que teve que entrar para o programa de proteção aos defensores dos direitos humanos após receber ameças (Thiago Domenici/Bruno Fonseca/Agência Pública)

 

1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

SANTA DULCE
. O Papa canonizou a irmã Dulce para amargura de Bolsonaro. O presidente do Brasil não participou da missa na Praça de São Pedro.  Ao questionar a prisão de Lula, rejeitar o golpe contra Dilma e se opor à barbárie na floresta tropical, Papa Francisco se situou entre os antípodas de Bolsonaro. De Brasília ao Vaticano: parte da classe política brasileira viajou neste fim de semana para Roma, onde o Papa Francisco canonizou a irmã Dulce. Os presidentes do Senado, dos Deputados e do Supremo Tribunal Federal, juntamente com dezenas de congressistas, a maioria do Partido dos Trabalhadores (PT), participaram da missa hoje na Praça de São Pedro e alguns permanecerão nesta semana para participar dos debates do Sínodo da Amazônia. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2qfsxsj

SANTA DULCE
.  Irmã Dulce é declarada santa pelo papa Francisco e vira Santa Dulce dos Pobres. O papa Francisco declarou santa irmã Dulce (1914 – 1992) durante a missa deste domingo (13) no Vaticano. Diante de uma multidão de fiéis, grande parte brasileiros, Santa Dulce dos Pobres foi inscrita no álbum dos santos da Igreja Católica. O papa aproveitou a ocasião para pedir que os católicos, a exemplo dos novos santos, sejam “luzes gentis na escuridão do mundo”. (RFI, França) | bit.ly/2OKHgpi

MARIELLE FRANCO.
A Polícia Civil do Rio de Janeiro perdeu imagens do carro dos suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco gravadas no dia do homicídio, em 14 de março de 2018 e que poderiam identificar seus assassinos. De acordo com a publicação, "imagens relevantes" foram encontradas em um estabelecimento comercial na Tijuca, bairro na Zona Norte do Rio, que poderiam ajudar na identificação dos autores do homicídio. O registro foi recolhido pela Polícia Civil logo após o crime e salvo em um pen drive, mas os policiais voltaram ao local cerca de 15 dias depois e solicitaram as imagens novamente, porque haviam perdido o arquivo. Todavia, não foi possível recuperar as imagens nessa segunda ocasião. (Sputnik News, Rússia) | bit.ly/2Mg1JRa

LULA. Defensores do ex-presidente Lula marcham em São Paulo para pedir sua liberdade. Apoiadores do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva se manifestaram no domingo pela liberdade do ex-presidente na icônica Avenida Paulista, localizada no coração de São Paulo. Membros de movimentos sociais, sindicatos e organizações Brasil Popular e Povo sem Medo, além do Comitê Livre de Lula, marcharam nesta tarde para exigir a libertação imediata do ex-presidente. Os militantes também protestaram contra o atual ministro da Justiça, Sergio Moro, que, na opinião dos manifestantes, condenaria Lula sem provas quando fosse responsável pela primeira instância da operação anticorrupção Lava Jato. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/2Me4v9n

AMAZÔNIA. Guerra e falta de proteção para pequenos agricultores na Amazônia brasileira. Os discursos hostis de Bolsonaro contra indígenas e sem terra, a paralisia da reforma agrária e a recente aprovação do projeto de lei que favorece a posse de armas nas propriedades rurais aumentam os temores. De 1985 a 2019, houve 49 assassinatos no interior do Brasil, com 229 vítimas. Ativistas pelo direito à terra, além de ambientalistas, são os mais afetados pelos cortes no programa para proteger os defensores dos direitos humanos: eles representam 348 dos 416 casos incluídos no programa. (El Diário, Espanha) | bit.ly/2oFWtgI

BOLSONARO
. Dinheiro, vaidade, escândalos. Porque Bolsonaro quer sair do próprio partido. Comentário ofensivo do presidente da República sobre o líder do PSL precipitou crise. Orçamento milionário, brigas entre os fundadores sociais liberais e as estrelas eleitorais nascidas na última eleição, além de acusações mútuas de corrupção, na base de uma guerra que chegou às portas do Palácio do Planalto. (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/2MDud6k

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

ARGENTINA
. Debate presidencial: as trocas entre os candidatos. Alguns minutos se passaram e não havia dúvida sobre como seria o debate. O candidato a presidente da Frente de Todos, Alberto Fernández, iniciou sua apresentação lembrando que Mauricio Macri "mentiu muito" no debate com Daniel Scioli de 2015. Mauricio Macri não ficou muito atrás e jogou seu oponente na Venezuela e na corrupção. Os outros candidatos, especialmente Nicolás del Caño, José Luis Espert e Juan José Gómez Centurión, alternaram entre atacar Macri e Fernández. Roberto Lavagna permaneceu em seu perfil de economista. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2ONXgXA

EQUADOR
. A recolonização do Equador pelo Fundo Monetário Internacional. Quando os povos se levantam não há poder que os detenha nem que dure. Além disso, quando os poderes económicos veem que os seus servos já não lhes servem expulsam-nos, e parece que é isso que está a acontecer agora com Lenin Moreno, que está de regresso a Quito. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/33zOLUh

EQUADOR. Lenín Moreno cede: revoga o aumento de combustíveis. Acordo com o movimento indígena em meio à crise desencadeada pelo ajuste no Equador. Isso ocorre após mais de dez dias de mobilizações ininterruptas que foram respondidas com fortes repressões pelo governo. O governo de Lenín Moreno e o movimento indígena chegaram a um acordo para encerrar os protestos que eclodiram há mais de dez dias. O governo equatoriano prometeu revogar o decreto que eliminou o subsídio estatal aos combustíveis. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2IRICuB

EQUADOR
. Equador se curva aos protestos e afasta o decreto que acabava com os subsídios ao combustível. O programa de austeridade foi introduzido para satisfazer as demandas do FMI para emprestar U$S 4,2 bilhões. (Financial Times, Inglaterra) | on.ft.com/2OGz75g

EQUADOR. No Equador, o movimento indígena  grita vitória. O governo de Lenin Moreno e os líderes indígenas chegaram no domingo a um acordo para sair da violenta crise que paralisou o país por doze dias, com a retirada do decreto sobre os preços do gás. (Libération, França) | bit.ly/2MF3hD9

BOLÍVIA. Evo Morales e poder na Bolívia. O presidente boliviano buscará a reeleição em 20 de outubro, em um ano crucial para o seu futuro e o de todo o país. A história recente da Bolívia é marcada pela figura de Evo Morales, que ocupa ininterruptamente o cargo de presidente desde 2006. As transformações ocorridas nos últimos tempos têm como protagonista o ex-sindicalista ‘cocalero’, que conseguiu se destacar acima do sociedade complexa e heterogênea, apesar das críticas que aludem à sua deriva autoritária. Sob sua liderança, a República da América do Sul encontrou a desejada estabilidade política e territorial. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/2BdAFeV

HUNGRIA.
Golpe para o primeiro-ministro da Hungria Orbán, enquanto oposição vence corrida de prefeito de Budapeste. A vitória de Gergely Karácsony é uma das muitas derrotas na Hungria para o partido Fidesz de Viktor Orbán. A vitória foi "histórica", disse o desafiante pró-europeu de centro-esquerda Gergely Karácsony, 44 anos, apoiado por uma ampla gama de partidos da oposição de todo o espectro político. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2Bl6cMl

CURDOS. Exército sírio mobilizado ao longo da fronteira turca enquanto os curdos acertam um acordo. Em uma grande mudança nas alianças, as forças curdas anunciaram um acordo com Damasco sobre as tropas sírias próximas à fronteira com a Turquia. (Al Jazeera, Catar) | bit.ly/2q99ZcZ

POLÔNIA. Ultraconservadores arrasam na Polônia novamente. Kaczynski obtém uma vitória incontestável que dá corda à deriva reacionária. O discurso homofóbico e antieuropeu do PiS alcança 43,6% dos votos, segundo pesquisas. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/2Mcx3QJ

TUNÍSIA. Eleição presidencial na Tunísia: Kaïs Saïed, ou o novo paradigma da Tunísia. Os tunisinos eleitos no domingo à frente do advogado constitucional do estado Kaïs Saïed, que professa conservadorismo socioreligioso, uma revolução descentralizante e soberania diplomática. (Le Monde, França) | bit.ly/2MIqSms

ESPANHA. Os Separatistas catalães recebem penas que variam de 9 a 13 anos de prisão. Nove separatistas catalães foram condenados na segunda-feira a penas de prisão que variam de 9 a 13 anos por seu papel em garantir a secessão da Catalunha em 2017, uma sentença que provavelmente aumentará a tensão na região, que o separatismo tem se mantido em ebulição após cerca de dez anos. (Le Soir, Bélgica) | bit.ly/2owYjAF

MOÇAMBIQUE. Um país à espera de recuperar da crise e com a paz por um fio. Os moçambicanos vão amanhã, dia 15, às urnas decidir se o presidente em funções, Filipe Nyusi, é popular o suficiente para se manter no cargo e escolher, pela primeira vez, os dez governadores provinciais. A s eleições gerais de Moçambique, que decorrem nesta terça-feira, vão ser um teste à popularidade de Filipe Nyusi, no cargo como presidente há cinco anos, mas também à paz, decidida por acordo, assinado a 6 de agosto, entre a Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), o partido do chefe de Estado em funções, e a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo). (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/32eafpf

EUA
. Enquanto Trump retira as forças americanas do norte da Síria, seu governo luta para responder. A decisão do presidente Trump de retirar as tropas americanas do norte da Síria, onde mantiveram uma paz inquieta entre as forças concorrentes, deixou a região em agitação no domingo e o governo lutando para responder a eventos velozes. "Isso é um caos total", disse um alto funcionário do governo ao meio-dia, falando sob condição de anonimato sobre a situação confusa na Síria. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/32eqdjh

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Martin Granovsk – Argentina (Página 12, Argentina) | “Alberto Fernández saiu à frente no debate presidencial” | bit.ly/2METMUv

Sergio Halimi
- Guerra Comercial (Le Monde Diplomatique, França) | “Washington contra Beijing” | bit.ly/2oHh4Rx

Eric Rouleau
– Curdos (Le Monde Diplomatique, França) | “O problema curdo fonte do conflito” | bit.ly/2IMwPgX

Conteúdo Relacionado