CM8 Internacional

Clipping Internacional - 15/11/2019

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

15/11/2019 12:01

 

 

1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

LULA
. O ex-presidente Lula denuncia as "vergonhosas desigualdades" no Brasil. libertado da prisão na semana passada, ELE denunciou quinta-feira em Salvador as desigualdades sociais e raciais que minam o Brasil, em seu primeiro encontro com o Partido dos Trabalhadores (PT) desde sua libertação. "É uma pena ver quanta desigualdade cresceu em nosso país", disse Lula, considerando que o legado dos programas sociais estabelecidos em seus dois mandatos (2003 -2010) foi ameaçado pelo governo do presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro. "Eles falam sobre reformar o sistema tributário, mas não pensam em aumentar os impostos dos mais ricos. O governo Bolsonaro ainda quer criar impostos sobre o seguro-desemprego ", afirmou. (La Presse, Canadá) | bit.ly/2qTM8hY

LULA. "Eu posso entrar na corrida de 2022". O ex-presidente se reuniu com líderes do PT na Bahia. Com um discurso de alto conteúdo político, ele enfatizou que gostaria de participar das próximas eleições, mas não necessariamente como candidato à presidência. Ele denunciou as desigualdades que aumentaram. "É uma pena a desigualdade que se acumulou neste país. Eles falam de uma reforma tributária e não planejam aumentar os impostos dos ricos? O governo de Jair Bolsonaro quer criar impostos mesmo para o seguro-desemprego", disse ele, em uma de suas poucas menções ao atual presidente do Brasil. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2plFPTU

LULA
. Ao participar de uma reunião da Executiva Nacional do PT, em Salvador, Lula disse que o partido não precisa fazer nenhuma autocrítica e não nasceu para ser coadjuvante. “Vocês já viram alguém pedir para FHC fazer autocrítica? [...] Quem quiser que o PT faça autocrítica, que faça a crítica ela mesma [...] Nosso partido tem que sair mais forte, mais disposto a brigar. Sabe quem polariza? Quem disputa o título. Um partido só cresce quando disputa”, disse. (Sputnik News, Rússia) | bit.ly/379WNFW

LULA
. Lula, "mais humano", denuncia o aumento das desigualdades: "uma vergonha" para o Brasil. O ex-presidente brasileiro Lula, libertado da prisão na semana passada, denunciou as desigualdades sociais e raciais que prejudicam o primeiro encontro do Brasil com o Partido dos Trabalhadores (PT) após sua libertação. "É uma pena ver quanta desigualdade cresceu em nosso país", disse Lula diante do legado dos programas sociais estabelecidos durante seus dois mandatos (2003 -2010) foram ameaçados pelo governo do presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro. "Eles falam sobre reformar o sistema tributário, mas não pensam em aumentar os impostos dos mais ricos. O governo Bolsonaro ainda quer criar impostos sobre o seguro-desemprego ", afirmou. (Le Figaro, França) | bit.ly/2QoNrA6

LULA
. Lula disse que o PT deve ter um candidato nas eleições de 2022 "que esteja à altura da tarefa" e que não teme a polarização. "Deixei a prisão mais forte, mais humana e mais convencida das lutas que temos para dar", disse o ex-presidente. Durante uma sessão do órgão executivo do Partido dos Trabalhadores (PT), realizada nesta quinta-feira na cidade de Salvador, o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva traçou as linhas que ele entende que devem viajar setor político para retornar ao poder nas eleições a serem realizadas em 2022, bem como nas eleições municipais do próximo ano. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/2Ok2EA1

LIBERDADE DE IMPRENSA
. Governo ataca liberdade de expressão no Brasil e o povo não se dá conta, diz Leandro Demori, do Intercept. Leandro Demori, editor-executivo do site de jornalismo investigativo Intercept Brasil, passou por Paris após um giro por vários países no qual participou de conferências sobre a liberdade de imprensa. Vítima de ameaças desde que fez revelações que sacudiram a política brasileira, ele tenta alertar a comunidade internacional para o recrudescimento gradativo da repressão visando jornalistas no Brasil. (RFI, França) | bit.ly/2Xicmqs

BRICS
. Analistas ouvidos pelo Le Figaro incitam líderes do Brics a explorar grande potencial do grupo. O seleto clube de cinco países emergentes, formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, está mais heterogêneo do que nunca do ponto de vista econômico, mas permanece complementar e tem interesses em comum para compartilhar, dizem três analistas franceses ouvidos pelo Figaro. (RFI, França) | bit.ly/2Kr5O3y

BRICS
. Reunião dos BRICS, notabilizada por evitar os problemas mais difíceis. A cúpula reuniu os chefes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, mas evitou as questões mais espinhosas. Xi Jinping, Vladimir Putin e colegas líderes das principais economias emergentes do mundo não mencionaram algumas das crises mais prementes que seus países enfrentam na conclusão de sua cúpula no Brasil. (The Sydney Morning Herald, Austrália) | bit.ly/2Ojz0dR

FOME
. Ex-diretor-geral da FAO diz que Brasil descuidou da política alimentar. Após anos como exemplo no combate à fome, o Brasil voltou a se preocupar, nos últimos anos, com um possível retorno desse grave problema, estagnando na luta para erradicar a desnutrição. Por quê? Estima-se que, hoje, mais de 5 milhões de brasileiros ainda passem fome, cinco anos depois de o país deixar o Mapa da Fome das Nações Unidas. (Sputnik News, Rússia) | bit.ly/2Ok79dC

DERRAMAMENTO DE ÓLEO.
O misterioso derramamento de óleo se estende para o sul do Brasil. A Marinha enviou dois navios e fuzileiros navais para Recife para limitar os danos. O derramamento de óleo atingiu o litoral do estado do Espírito Santo, ao norte do Rio. (Les Echos, França) | bit.ly/352xzHJ

BOLSONARO
. Jair Bolsonaro muda ideologia de pragmatismo e aprofunda sua relação com a China. (La Nación, Argentina) | bit.ly/2Oh6utC

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

AMÉRICA LATINA
. A América Latina está se enchendo de "Guaidós", diz ex-presidente colombiano. Ernesto Samper descreve o que aconteceu na Bolívia como um golpe de estado e critica governos que reconhecem presidentes que não foram eleitos em processos eleitorais. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/33SQKn3

BOLIVIA
. A cristã de direita Jeanine Áñez promete 'pacificar' o país. Mas seu ministério não tem indígenas, aumentando a polarização. O desrespeito à bandeira indígena de Wiphala gera revolta. A controversa nova presidenta interina da Bolívia revelou um novo gabinete que, segundo os críticos, poderia aumentar ainda mais a polarização no país, ainda profundamente dividida com a expulsão de seu antecessor, Evo Morales. "Queremos ser uma ferramenta democrática de inclusão e unidade", disse a conservadora religiosa de 52 anos, sentada a uma mesa com uma enorme bíblia e crucifixo abertos. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/359n9pU

BOLÍVIA. A direita se prepara para ocupar o poder na Bolívia após a era de Morales. A primeira medida da nova presidente foi autorizar o destacamento do exército para "pacificar o país" e, especificamente, enfrentar os apoiadores de Evo Morales, que responderam furiosamente nas ruas de La Paz ao que consideram um golpe de Estado contra o líder indígena do grupo étnico Aymara que ocupava a presidência por 13 anos. Ontem, milhares de Aymaras agitando as bandeiras multicoloridas do movimento indígena desceram à capital da cidade vizinha de El Alto para protestar. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/2Ks9wtP

BOLÍVIA
. Após a saída de Evo Morales. Com reparos, a Rússia reconhece Jeanine Áñez como presidente interina da Bolívia. Foi comunicado pelo vice-ministro das Relações Exteriores, Sergei Riabkov, que também alertou para a falta de quórum no Parlamento no momento da proclamação. (El Clarín, Argentina) | bit.ly/2qgEtKE

BOLÍVIA.
Ocasio-Cortez se une ao grupo de críticos que condenam o golpe na Bolívia que forçou o presidente socialista. "O que está acontecendo agora na Bolívia não é democracia", disse ela. (Common Dreams, EUA) | bit.ly/2Qn81kw

CHILE
. Uma Constituição a partir do zero: o acordo histórico da classe política para dar lugar à crise. Embora nem todos os partidos políticos tenham assinado, foi considerado um "fato histórico" pela maioria dos senadores, deputados e presidentes das coletividades. A proposta apresenta um referendo para os cidadãos escolherem entre duas opções que permitirão que a Constituição de 1980 seja alterada. (El Desconcierto, Chile) | bit.ly/2Of2zxo

CHILE.
Empresas chilenas contabilizam os custos das manifestações. Surgem preocupações sobre o crescimento econômico após semanas de protestos e a violência cobra seus custos. (Financial Times, EUA) | on.ft.com/2KnfrjF

CHILE.
Cerca de 230 chilenos perderam a vista atingidos por ‘balines’ da polícia. Em um país acostumado a ver cenas de enfrentamentos entre manifestantes e a polícia, há algo que alarmo por ser não usual e deliberdado: o uso de “balinês” pelas forças de segurança para cegar as pessoas. (La Jornada, México) | bit.ly/33RDZJy

ARGENTINA
. O presidente Macri autorizou um pagamento milionário para as empresas de petróleo pela desvalorização. O desembolso foi de 24.524 milhões por diferenças de câmbio. Em meio a crescentes restrições fiscais, que levaram o governo a cortar gastos de todos os tipos e até a renovar dívidas de curto prazo, as empresas de petróleo cobrarão uma dívida com o Estado. "O compromisso era deixar a discussão para o próximo ano, o que o governo fez agora é, diretamente, atuar como funcionários dos interesses das empresas de petróleo e beneficiá-los em detrimento da população", o especialista e ex-funcionário da Secretário de Energia Andrés Repar, do Instituto de Energia Scalabrini Ortiz. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2Ql8AuX

HONG KONG
. Princípio de "um país, dois sistemas" ameaçado pela violência, diz Xi Jinping. "Acabar com o caos e restaurar a ordem é a tarefa mais urgente", disse o presidente chinês, pois o território foi paralisado novamente na quinta-feira. (Le Monde, França) | bit.ly/2NQYFMk

ALEMANHA
. A Guerra Fria retorna à Alemanha. Pouco antes de sua conclusão, os Estados Unidos pretendem torpedear o projeto de oleoduto Nord Stream 2, que transportaria gás natural da Rússia para a Alemanha. Berlim está presa entre as frentes de um conflito global por energia. (Der Spiegel, Alemanha) | bit.ly/2rO3DAM

BRICS
. Pragmatismo prevalece quando BRICS rejeita protecionismo e guerras comerciais. The Hindu, India) | bit.ly/2Omw6FA

EUA
. Nancy Pelosi acusa Trump de "corrupção". Após o primeiro dia do processo de impeachment em audiências históricas no Congresso, a líder dos democratas falou em "evidências esmagadoras" contra o presidente dos EUA. (Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/2Xku2BH

ESPANHA
. Na Espanha, o esboço de uma coalizão de esquerda. Concluído após as eleições legislativas, o acordo entre o Partido Socialista e Podemos ainda não é suficiente para formar um governo. Pedro Sánchez deve agora negociar com separatistas catalães. (Libération, França) | bit.ly/2NPHlXH

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS


Alfredo Serrano Mancilla – Bolívia (Página 12, Argentina) | “Os nove responsáveis pelo golpe na Bolívia – um golpe de estado nunca aparece como um fato isolado” | bit.ly/37bvo6i

Gustavo Veiga
– Bolívia (Página 12, Argentina) | “O golpe na Bolívia como modelo neoliberal” | bit.ly/37c1JKg

Vijay Pashad
– Bolívia (Truthdig, EUA) | “O golpe boliviano se resume a um metal precioso. O lítio.” | bit.ly/353dmBw

Eduardo Febbro
– América Latina (Página 12, Argentina) | “Golpe a golpe. Da Honduras de Zelaya à Bolívia de Evo” | bit.ly/35aj1ph

Jorge Ramos
– América Latina (The New York Times em espanhol, EUA) | “O mal-estar na América Latina – na região mais desigual do mundo, os cidadãos deixaram de calar seu descontentamento.” | nyti.ms/351uMOM

George Monbiot –
Ciganos no Reino Unido (The Guardian, Inglaterra) | “Roma, Ciganos e Viajantes. A demonização dos ciganos por Priti Patel é um ataque aos vulneráveis visando ganhos políticos. Uma proposta do governo que ameaça confiscar as casas dos suspeitos de invasão alimentará preconceito e intolerância.” | bit.ly/32Nr8Xy

Gary Younge
– Imprensa (The Guardian, Inglaterra) | “Os conservadores não podem vencer sem a imprensa. Não é assim que a democracia funciona. O poder da mídia de direita corroeu o debate público.” | bit.ly/32QndJt

Paul Krugman
– EUA (The New York Times, EUA) | “Trump e seu Partido da Poluição. A destruição ambiental pode ser seu maior legado.” | nyti.ms/2CJq1gO

Conteúdo Relacionado