CM8 Internacional

Clipping Internacional - 19/02/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

19/02/2020 09:25

Petroleiros marcham contra demissões na Petrobras, no Rio de Janeiro, Brasil, na terça-feira (AP)

Créditos da foto: Petroleiros marcham contra demissões na Petrobras, no Rio de Janeiro, Brasil, na terça-feira (AP)

 
1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

GREVE DOS PETROLEIROS
. Petroleiros brasileiros em greve massiva sobre a Petrobras. A Federação Unificada de Petroleiros disse que 21.000 funcionários em 13 estados aderiram à greve desde o início de 1º de fevereiro - cerca de 60% da força de trabalho da empresa. Os petroleiros brasileiros e a gigante petrolífera Petrobras estão travados em uma disputa de poder pelos planos de privatização da empresa, com o sindicato dizendo que milhares de funcionários estão em greve por tempo indeterminado. (The Sydney Morning Herald, Austrália) | tinyurl.com/wdn8auq

GREVE DOS PETROLEIROS
. A longa greve na Petrobras coloca Bolsonaro nas cordas. A greve completou 18 dias na empresa mais importante do Brasil. Uma das principais exigências é impedir a galopante "entrega" da empresa encarregada de seu presidente, Roberto Castelo Branco, afilhado político e ideológico do ministro da Economia, Paulo Guedes. Com seus macacões laranja, os trabalhadores da Petrobras fizeram 18 dias de greve que incomoda (e muito) o regime liderado por Jair Bolsonaro. É a primeira grande greve até agora neste governo e afeta a empresa mais importante do país. O juiz do Tribunal Superior do Trabalho, Ives Gandra Martins Filho, vinculado à Opus Dei, declarou ilegal a medida de força, além de autorizar a demissão por "justa causa" dos grevistas e o desconto dos dias não trabalhados, em decisão cujo conteúdo e redação foram O caráter de um ultimato. (Página 12, Argentina) | tinyurl.com/t8af5jo

GREVE DOS PETROLEIROS. Caminhoneiros participam da greve dos petroleiros contra a demolição da Petrobras. Os trabalhadores da empresa estão parados há 18 dias. A justiça declarou ilegal a greve e 21.000 funcionários da companhia de petróleo podem ser demitidos. As transportadoras reclamam dos preços dos combustíveis, que desde que demitiram Dilma Rousseff, são fixados com valores internacionais. Apesar das ameaças do judiciário, que declarou ilegal a greve dos trabalhadores da Petrobras, que ocorre há 18 dias, o sindicato que os reúne, a Federação Única de Petroleiros do Brasil (FUP), dobrou a aposta e ratificou também A medida indefinida de força fará uma grande marcha até a sede da empresa semiestatal no Rio de Janeiro. (Tiempo Argentino, Argentina) | tinyurl.com/yx7ctq3w

GREVE DOS PETROLEIROS. A justiça brasileira suspende temporariamente as demissões na Petrobras. As demissões na Fábrica de Fertilizantes do Paraná (Fafen-PR) foram uma das causas que motivaram a greve dos trabalhadores da Petrobras. A juíza Rosalie Michaele Bacila Batista, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da nona região do Brasil, suspendeu na terça-feira as demissões em uma fábrica de fertilizantes, subsidiária da companhia de petróleo Petrobras. Através do Twitter, o tribunal informou que Batista Bacila "determina a suspensão das demissões até 6 de março, enquanto as negociações conduzidas". A onda de demissões na Fábrica de Fertilizantes do Paraná (Fafen-PR) foi uma das causas que motivou a greve dos trabalhadores da Petrobras que chegaram já no décimo oitavo dia. (Telesur, Venezuela) | tinyurl.com/w4jkorg

GOVERNO BOLSONARO/GOVERNADORES. Governadores se unem para criticar Bolsonaro com um olho nas eleições. Um presidente suspenso de cabelo lançado ou governador da Bahia em relação à morte de um dos dois criminosos mais tentados no Brasil deixou indignados governadores. Vinte governadores brasileiros de diferentes partidos e correntes políticas uniram-se para criticar Jair Bolsonaro, acusando-o de não contribuir para “a evolução democrática do Brasil”. (Público, Portugal) | tinyurl.com/qkd7u3b

EMPRESAS NACIONAIS. Tentativa de atrair empresas estrangeiras prejudiciais como nacionais, diz Associação de Empresários. O governo do presidente brasileiro Jair Bolsonaro mudou as regras de licitação, facilitando a participação de empresas estrangeiras e não de países. Publicada no dia 11 de fevereiro, no Jornal Oficial da União, a Instrução Normativa no 10/2020 do Ministério da Economia entrará em vigor a partir de 11 de maio. O governo alega que, ao incentivar a concorrência, a diminuição de preços e também o aumento da qualificação dos serviços oferecidos. Ao Sputnik Brasil ouviu Luiz Fernando Santos Reis, presidente-executivo da AEERJ, que explicou as críticas à nova Instrução Normativa. (Sputnik News, Rússia) | tinyurl.com/vwmxn7r

ÍNDIOS. Maia diz que momento não é 'adequado' para discutir projeto sobre mineração em terras indígenas. Projeto enviado no início do mês pelo presidente Jair Bolsonaro prevê que indígenas poderão vetar o garimpo nas terras, mas não a instalação de usinas hidrelétricas. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou nesta terça-feira (18) que a proposta "não terá por parte da Câmara a urgência que alguns gostariam". | tinyurl.com/skvzg9k

GOVERNO BOLSONARO/MÉDICOS CUBANOS. O governo oferecerá a 1.800 profissionais que ficaram quando Havana suspendeu o programa Mais Médicos para trabalhar em áreas pobres e remotas que os brasileiros evitam. Brasil readmitirá médicos cubanos para não poderem preencher vagas. Durante a campanha eleitoral do outono de 2018, Bolsonaro repetiu que os cubanos que chegaram ao país por meio do programa Mais Médicos - instalado pelo governo Dilma Rousseff - estavam no Brasil para "formar núcleos de guerrilha" e compararam o modelo de contratação com o " escravidão ". Os médicos cubanos trabalharam no Brasil através de um acordo com Cuba, no qual o governo da ilha mantinha 70% do salário. (El País, Espanha) | tinyurl.com/tdy58mw

CARNAVAL. No carnaval carioca, plumas e paetês contra Bolsonaro. O Carnaval do Rio sempre serviu como um desabafo popular, mas os participantes nunca adotaram temas tão políticos quanto este ano.. Este ano, os refrões visam diretamente o poder. Os ouvidos de Jair Bolsonaro provavelmente apitarão durante o Carnaval do Rio. (L’Express, França) | tinyurl.com/thu2mqg

BOLSONARO. Bolsonaro afirma que o policial investigado pela morte da vereadora do Rio poderia ter sido assassinado. O presidente brasileiro colocou em dúvida que Adriano Magalhães da Nóbrega morresse em uma troca de tiros com a polícia, o que poderia ter preparado sua morte para impedir que ele comparecesse perante os tribunais, assegurou. (El Mercúrio, Chile) | tinyurl.com/v64maar

A AGRESSÃO DE BOLSONARO À JORNALISTA

BOLSONARO. A frase machista de Bolsonaro: "Ela queria dar o que falar a qualquer custo". O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, desencadeou uma nova polêmica com a mídia, sugerindo que um jornalista de renome do jornal Folha de São Paulo procurasse informações em troca de sexo. Patrícia Campos Mello investigou uma empresa privada acusada de espalhar notícias falsas contra o Partido dos Trabalhadores (PT) durante a campanha presidencial de 2018. As Associações de imprensa repudiaram as declarações do presidente. "Ela queria dar o 'furo' a qualquer preço contra mim", disse Bolsonaro, rindo, em sua reunião habitual com jornalistas e apoiadores na saída da residência presidencial, o Palácio da Alvorada. (Página 12, Argentina) | tinyurl.com/uadra9b

BOLSONARO. Bolsonaro insulta repórter com insinuação sexual. "Troca furo a qualquer preço", disse o presidente da República ecoando depoimento falso de testemunha em comissão parlamentar de inquérito sobre o uso de ‘fake news’ nas eleições de 2018 "Ela queria um furo. Ela queria dar um furo a qualquer preço contra mim", disse o presidente, enquanto ria, e perante gargalhadas dos apoiantes presentes à saída do Palácio do Alvorada. Hans River disse perante os parlamentares que a jornalista, Patrícia Campos Mello, queria "sair" com ele. A repórter, para desmentir a versão de River, tornou então públicas as mensagens que trocaram. Nelas, ficou provado que o depoente mentiu não apenas nessa parte do depoimento como em mais oito passagens. Horas depois daquele depoimento, entretanto, já o deputado Eduardo Bolsonaro divulgava o teor do depoimento de River com o comentário "eu não duvido que a senhora possa se ter insinuado sexualmente". O pai dele e presidente da República voltou a falar do assunto esta manhã. (Diário de Notícias, Portugal) | tinyurl.com/rgnhrgg

BOLSONARO. Bolsonaro sugere que um jornalista tentou reunir informações contra ele em troca de sexo. O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, atacou na terça-feira um conhecido jornalista brasileiro, implicando que ele havia tentado obter informações em troca de favores sexuais com o funcionário de uma empresa que foi denunciada por espalhar notícias falsas contra o PT durante a campanha eleitoral de 2018, que o líder da extrema direita acabou vencendo. (La Vanguardia, Espanha) | tinyurl.com/uxlwf2a

BOLSONARO. O machismo de Bolsonaro emerge novamente com uma insinuação sexual contra jornalista. O insulto se segue à crescente agressividade do presidente, seus filhos e seguidores contra a imprensa. Jair Bolsonaro caiu mais baixo em sua narrativa agressiva. Desta vez, ele tinha dois objetivos à vista: a imprensa e as mulheres. O presidente do Brasil insultou o jornalista da Folha de S.Paulo, Patrícia Campos Mello, com ironias de cunho sexual. “A jornalista queria um furo”. “Eu queria fazer um furo a qualquer custo ”, disse ele, rindo, diante de um grupo de apoiadores que ficava em frente ao Palácio da Alvorada, em um trocadilho deliberado que sugere que ele trocasse informações por sexo. O insulto se segue à crescente escalada de agressividade do presidente - e de seus filhos e seguidores - contra a imprensa. (El País, Espanha) | tinyurl.com/tqf4he5

BOLSONARO. O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, atacou uma conhecida jornalista brasileira, implicando que ele havia tentado obter informações em troca de favores sexuais com o funcionário de uma empresa que foi denunciada por espalhar notícias falsas contra o Partido dos Trabalhadores (PT) durante a campanha eleitoral de 2018. A jornalista premiada do jornal 'Folha de São Paulo' Patrícia Campos Mello foi assediada por apoiadores de Bolsonaro através de redes sociais depois de revelar como várias empresas de marketing teriam enviado informações falsas sobre mídias sociais e WhatsApp O PT e seu candidato à Presidência do Brasil no passado, Fernando Haddad. "Ela queria um 'furo'. Eu queria dar um 'furo' a qualquer preço contra mim", disse Bolsonaro entre os risos de seus apoiadores na saída do Palácio da Alvorada. A palavra 'furo' em português tem um duplo significado, pois significa 'colher' e 'buraco', com conotações sexuais. (El Periódico, Espanha) | tinyurl.com/qvbspto

BOLSONARO. Bolsonaro faz insinuação sexual contra jornalista da “Folha” e jornal reage: “Vilipendia a dignidade, a honra e o decoro que a lei exige”. (Expresso, Portugal) | tinyurl.com/rzrctwt

La Diária, Uruguai | tinyurl.com/wvhaz6s

El Clarín, Argentina | tinyurl.com/uz74595

Telesur, Venezuela | tinyurl.com/t8utx3b

Tiempo Argentino, Argentina | tinyurl.com/wyy3q3c

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

ARGENTINA
. Ultimato do governo aos bancos pelas taxas cobradas no cartão. O Banco Central alertou que irá intervir se as entidades demorarem. O presidente do BCRA, Miguel Pesce, e o ministro do Desenvolvimento Produtivo, Matías Kulfas, exigiram dos bancos uma proposta de redução de juros. As autoridades pediram às instituições financeiras a necessidade de reduzir as taxas do cartão, porque é essencial melhorar a renda da classe média e aumentar o consumo. Pesce pediu que eles abordassem uma proposta para reduzir as taxas. Ele lhes disse que, se um acordo não for alcançado, a autoridade monetária forçará a retirada por meios regulatórios. (Página 12, Argentina) | tinyurl.com/tftpar7

ARGENTINA. O presidente argentino Alberto Fernández criticou a lei e pediu "nunca mais a detenção arbitrária de oponentes". O presidente argentino Alberto Fernández disse na terça-feira que "nos últimos anos" a "lei foi instalada na Argentina" e disse que "havia uma complacência judicial e da mídia com o poder político, o que permitiu a perseguição e detenção arbitrária de opositores". “Nos últimos anos, a lei foi instalada na Argentina. Então questionei a complacência judicial e da mídia com o poder político, o que permitiu a perseguição e detenção arbitrária de oponentes. Nunca mais para uma Justiça que decide e persegue de acordo com os ventos políticos ”, disse o líder da Frente de Todos no poder através de sua conta no Twitter. (La Diária, Uruguai) | tinyurl.com/s8csund

COLÔMBIA. Afronta às vítimas. As declarações do ex-comandante do Exército colombiano antes da Jurisdição Especial para a Paz refletem pouca ou nenhuma vontade de colaborar com a justiça. (El País, Colômbia) | tinyurl.com/vhtcv2k

EUA. Trump concede perdão a criminosos de colarinho branco proeminentes. O presidente Trump comutou a sentença de 14 anos de prisão do ex-governador Rod Blagojevich, de Illinois, que foi condenado por tentar vender essencialmente uma vaga no Senado. . O presidente Trump, citando o que ele disse como conselhos de amigos e parceiros de negócios, concedeu clemência na terça-feira a quem é quem de criminosos de colarinho branco da política, esportes e negócios que foram condenados por acusações de fraude, corrupção e mentiras - incluindo o financista Michael R. Milken, o chamado “rei do bônus”. (The New York Times, EUA) | tinyurl.com/wnmzx78

CHINA/ CORONAVIRUS. China publica o maior estudo sobre o novo coronavírus e revela as chaves do seu comportamento. As autoridades chinesas publicaram os detalhes dos casos e mortes comprovados que distinguem idades, sexo e doenças anteriores. (El Diário, Espanha) | tinyurl.com/qnh85jc

EUA. No post-impeachment Trump se declara “responsável chefe pela observação da lei“ dos EUA. Durante seu julgamento de impeachment no Senado, os democratas afirmaram repetidamente que o presidente Trump "não está acima da lei". Mas desde sua absolvição, há duas semanas, segundo analistas, o presidente tomou uma série de medidas destinadas a mostrar que, essencialmente, ele é a lei. (The Washington Post, EUA) | tinyurl.com/ueq9oqd

PORTUGAL. Dez banqueiros portugueses acumulam tantas multas como bancos. os últimos quinze anos, apenas dez antigos gestores bancários acumularam multas de 16,8 milhões de euros, um montante que iguala todas as coimas decididas pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a todos os bancos infratores durante o mesmo período, avança o “Jornal de Notícias” esta terça-feira. Segundo o “JN”, no caso dos "banqueiros", a maior parte das sanções da CMVM e do Banco de Portugal (BdP) fica por pagar. Por vezes, os tribunais dão mesmo como provada a sua inocência. Ora, de 2008 a 2018, os encargos do Estado com os bancos ascenderam a mais de 18 mil milhões de euros. (Expresso, Portugal) | tinyurl.com/r8ygmu6

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Emir Sader – Brasil (Página 12, Argentina) | “O neoliberalismo necessita a militarização” | tinyurl.com/tqnhnpv

Nouriel Roubini – Crise Mundial (The Guardian, Inglaterra) | “Os cisnes brancos que anunciam a crise econômica global já estão por aí.” | tinyurl.com/ub3252p

George Monbiot – Meio Ambiente (The Guardian, Inglaterra) | “Eu matei um cervo – e ainda acredito que foi a coisa ética a fazer.” | tinyurl.com/wb25b5c

Stefan Stern – Desigualdade (The Guardian, Inglaterra) | “Por que Jeff Bezos não paga mais impostos, ao invés de lançar um fundo verde de US $ 10 bilhões?” | tinyurl.com/yx3xyel6

Alejandro Garzón – Argentina (Página 12, Argentina) | “Colocar o Estado em pé” | tinyurl.com/vp37snp

José Mujica, entrevista – Política (El Diário, Espanha) | “As forças conservadoras estão substituindo os velhos golpes de Estado por campanhas publicitárias” | tinyurl.com/r3bpgvt

Jeffrey Toobin - EUA (The New Yorker, EUA) | “O problema com as clemências e perdões de Donald Trump” | tinyurl.com/sjsoplt

José Sócrates – Eutanásia (Expresso, Portugal) | “A última palavra” | tinyurl.com/rbk3cu7



Conteúdo Relacionado