CM8 Internacional

Clipping Internacional - 22/11/2019

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

22/11/2019 11:49

(Joaquin Sarmiento/AFP via Getty Images)

Créditos da foto: (Joaquin Sarmiento/AFP via Getty Images)

 

1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

LULA
. ‘Bolsonaro está atrasando o relógio no Brasil”, diz Lula da Silva. Em sua primeira entrevista para um jornal estrangeiro desde que ele foi libertado da prisão, há duas semanas, o presidente de dois mandatos disse que sua missão agora era "lutar pela democracia". O ex-líder sindical e presidente de dois mandatos disse que sua missão agora era "batalhar pela democracia". O ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, prometeu liderar a oposição ao líder de extrema-direita do país, Jair Bolsonaro, alertando que seu país está retrocedendo em anos de árduo progresso. “Bolsonaro já deixou claro o que ele quer para o Brasil: ele quer destruir todas as conquistas democráticas e sociais das últimas décadas”, disse ele ao Guardian. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2XAtZ56

LULA.
Lula assume o desafio de buscar uma mudança no Brasil. Após sua libertação, o ex-presidente e seu grupo político (PT) se concentram em ser o contrapeso do governo de Jair Bolsonaro. A liderança do Partido dos Trabalhadores (PT) do Brasil se reuniu ontem com seu principal líder, ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Salvador, capital do Estado da Bahia. Essa reunião fez parte dos preparativos para o VII Congresso Nacional da organização política que será realizada em São Paulo durante todo o fim de semana. (El Telégrafo, Equador) | bit.ly/2KKcNoA

PT
. Casa de Portugal recebe Congresso do PT com Lula como estrela. Antigo presidente fará nesta sexta-feira o primeiro discurso, desde que saiu da prisão, voltado para o país e não apenas para a militância, na instituição luso-brasileira de São Paulo, como é tradição. O APB, novo partido de Bolsonaro, já realizou, entretanto, a primeira convenção, ao vivo, na internet. (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/2OFT8Hk

MARIELLE FRANCO
. Porteiro recua e diz que errou ao mencionar Bolsonaro no caso Marielle. O porteiro do condomínio onde o presidente brasileiro tem casa recuou no que antes tinha dito à polícia, admitindo que errou ao citar o nome de Jair Bolsonaro no caso do homicídio da vereadora Marielle Franco. (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/2Oc7aS8

MARIELLE FRANCO. Polícia trabalha hipótese de participação de filho de Bolsonaro no assassinato de Marielle Franco. O assassinato da vereadora feminista Marielle Franco teve um novo capítulo na noite de quarta-feira, quando a jornalista Kennedy Alencar, da Rádio CBN, revelou que a Polícia Civil (semelhante ao PDI brasileiro) da cidade do Rio de Janeiro trabalha com a hipótese que um dos envolvidos no crime é Carlos Bolsonaro, filho do presidente brasileiro Jair Bolsonaro. (El Desconcierto, Chile) | bit.ly/2KKcPNe

MARIELLE FRANCO.
Bolsonaro na mira da justiça pelo assassinato de Marielle Franco. O assassinato de Marielle Franco roça, ou mais do que isso, a família do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Vazou que a polícia trabalha com hipóteses de um possível vínculo. A Rádio CBN, do grupo Globo, informou na quarta-feira à noite que a polícia do Rio de Janeiro está trabalhando com a "hipótese" de que Carlos Bolsonaro, filho do capitão aposentado e vereador no Rio de Janeiro, pode estar ligado ao crime de Marielle Franco. (Página 12, Argentina) | bit.ly/37xXqcK

BOLSONARO
. O presidente Bolsonaro cria um novo partido à sua medida, o Aliança pelo Brasil. A mudança de partido é um movimento arriscado pelos infinitos trâmites necessários para a formalização a tempo para as eleições municipais de 2020. (El País, Espanha) | bit.ly/35pGgfh

BOLSONARO. Bolsonaro, que enfrenta a responsabilidade pelo aumento do desmatamento na Amazônia, diz que a destruição não terminará porque "é cultural". Os novos comentários do presidente brasileiro vieram depois que dados confirmaram que "2019 foi um ano sombrio para a floresta tropical no Brasil". (Common Dreams, EUA) | bit.ly/2OaRdvp

BOLSONARO
. Bolsonaro apresenta seu novo partido, conservador, religioso e liberal. A Aliança para o Brasil terá como principais princípios "respeito a Deus e à religião" e "a memória e a cultura do povo brasileiro", além da "defesa da vida" e das "garantias de ordem e segurança", afirmou. no ato Karina Kufa, advogada da nova formação. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/2rgxhOV

BOLSONARO
.O presidente anunciou o envio de um projeto sobre o excludente de ilicitude. O projeto foi protocolado na Câmara dos Deputados “um projeto nosso que fala, são quatro projetos, foi o primeiro projeto, que fala do excludente de ilicitude para o pessoal que está no artigo 144 da Constituição. Entram as Forças Armadas, Polícia Federal, Rodoviária, Polícia Civil, Polícia Militar”, disse. A medida contemplaria membros das Polícias Federal, Civil, Militar, Rodoviária Federal, Ferroviária Federal, bombeiros e integrantes das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica), os órgãos de segurança listados no artigo 144 da Constituição. (Sputnik News, Rússia) | bit.ly/2OECoR3

BOLSONARO
. Bolsonaro lança um novo partido em torno de Deus, família e pátria. A Aliança para o Brasil apresenta em seu programa "respeito a Deus e à religião" e "defesa da vida, autodefesa e família". (Le Parisien, Franã) | bit.ly/2pFXllW

BOLSONARO
. Com Deus, contra o comunismo e à espera de 500 mil assinaturas, Bolsonaro criou o seu partido. Presidente brasileiro deixou o Partido Social Liberal, com o qual se elegeu. Mas persistem muitas dúvidas sobre a viabilidade do seu Aliança pelo Brasil. Uma delas é se conseguirá concorrer às eleições municipais de 2020. (Público, Portugal) | bit.ly/2XHD1NQ

ESTADO POLICIAL |
Helicópteros da polícia estão espalhando terror nas favelas do Rio. Para os habitantes das favelas do Rio de Janeiro sob o domínio da violência, o perigo também vem do céu, com atiradores da polícia que disparam, de helicópteros, perto de creches ou escolas, como em um país em guerra. (La Presse, Canadá) | bit.ly/2KLJTUU

PINOCHET.
Polêmica no Brasil por uma tentativa de homenagear Pinochet no parlamento regional de São Paulo O ato - que aconteceria em 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos - é promovido pelo deputado Frederico D'Avila e já gerou uma ampla rejeição. (El Mercúrio, Chile) | bit.ly/2XEH9xY

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

BOLÍVIA.
Uma marcha que buscou ser pacífica em La Paz, em que foi uma homenagem aos cinco dos oito mortos durante os protestos na terça-feira passada em Senkata, terminou com novos confrontos entre cidadãos e um exército que parecia tentar suprimir o protesto. O exército, por outro lado, só conseguiu provocar manifestantes que haviam perdido seus entes queridos nas mãos desses agentes. Foi então que começaram os confrontos que deixaram uma imagem triste nas ruas de La Paz, com caixões abandonados no chão e parentes chorando, novamente, por uma despedida muito dura. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/2rfacvS

CHILE. Cultura sai às ruas no Chile para apoiar protestos. O movimento é apoiado por artistas internacionais como Patti Smith, Peter Gabriel ou Daddy Yankee. Concertos, performances e vinhetas são carregados de ativismo. (El País, Espanha) | bit.ly/2OaAXuh

CHILE.
Vídeo mostra carro dirigindo contra a multidão de manifestantes no Chile após semanas de violência. A polícia chilena afirmou que o motorista não tem conexão com a polícia, mas alguns muitos na rede social se mostraram céticos. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/2s1qzfR

FEMINICÍDIO. 87.000 mulheres mortas em 2017. Um estudo da ONU faz um balanço do número de mulheres mortas intencionalmente em todo o mundo. (Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/2OaGroS

ISRAEL
. Netanyahu acusado oficialmente de corrupção e fraude. O procurador-geral de Israel acusou o primeiro-ministro de corrupção, fraude e abuso de confiança em três processos distintos. Netanyahu recusa demitir-se e afirmar estar a ser alvo de uma "tentativa de golpe". (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/2QJfv1w

ESPECIAL: COLÔMBIA

The Guardian, Inglaterra. | Centenas de milhares de colombianos foram às ruas em uma demonstração de apoio ao processo de paz em conflito com rebeldes de esquerda do país - e para protestar contra seu governo profundamente impopular. Pensionistas, estudantes, professores e membros do sindicato juntaram-se a marchas em todo o país em uma das maiores manifestações de massa nos últimos anos. A greve nacional foi motivada por cortes nas aposentadorias semanas atrás. Embora a reforma nunca tenha sido formalmente anunciada, tornou-se um para-raios por insatisfação generalizada com o governo do presidente Iván Duque, cuja taxa de aprovação caiu para apenas 26% desde que assumiu o cargo em agosto do ano passado. | bit.ly/2pLuZqC

Página 12, Argentina. |
Centenas de milhares de pessoas saíram às ruas para denunciar o presidente Duque. Com marchas massivas, Colômbia se junta à onda chilena. As organizações sociais estimam que um milhão de pessoas teriam saído às ruas em todo o país. Críticas a projetos de reforma trabalhista e previdenciária. Participaram indígenas, mulheres, estudantes, afro, sindicalistas e muitas famílias. Esta, a maior marcha dos últimos anos na Colômbia, terminou com as mesmas notas e tumultos no centro da capital. Por volta das cinco horas da tarde, a polícia de choque cercou os cantos do Plaza e se encheu de gás lacrimogêneo, causando caos e confusão. Alguns homens encapuzados começaram as agressões, enquanto as pessoas criaram uma cerca humana para separá-las dos uniformizados. | bit.ly/2QHhenO

El País, Espanha |
Colômbia se mobiliza massivamente contra o governo de Iván Duque. As manifestações, principalmente pacíficas, são a maior onda de protestos contra o presidente. A atmosfera de medo anterior aos protestos, após buscas policiais de grupos de artistas e da mídia, além da presença de soldados nas ruas de Bogotá, contrasta com a atmosfera festiva e, de maneira geral, que marcou a mobilizações. Os incidentes foram concentrados em Bogotá e Cali. Neste último, o toque de recolher foi decretado | bit.ly/2KMvBTY

La Vanguardia, Espanha |
Colômbia se une à ira latino-americana com fortes protestos contra o presidente Duque. A rejeição das políticas do presidente Iván Duque e o descontentamento geral dos colombianos continuam aumentando e agora, com mais força do que nunca. Nesta última quinta-feira, dezenas de milhares de pessoas decidiram sair às ruas para expressar sua insatisfação com uma situação que se prolonga há meses para exigir do governo mudanças na política econômica e social para conter a desigualdade e a pobreza que abalam o país. "Essa greve nacional visa basicamente rejeitar as reformas trabalhista, previdenciária e tributária do governo de Iván Duque, que vão contra os direitos conquistados pelo movimento sindical e pelos trabalhadores em anos de luta", disse à Efe Carlos García, membro. do Coordenador de Organizações Sociais (COS). | bit.ly/2XBXXWc

Le Monde, França | Na Colômbia, mais de 200.000 pessoas protestam contra as políticas do governo de direita. Estudantes, ONGs e oposição marcharam contra o presidente Ivan Duque, que é impopular após menos de dezoito meses no poder. O movimento lançado pelos sindicatos teve um efeito de bola de neve na Colômbia. Na greve e marchas convocadas por organizações sociais, juntaram-se quinta-feira, 21 de novembro, estudantes, indígenas, organizações ambientais e oposição para denunciar as políticas do governo de direita. | bit.ly/2OyXTm4

La Repubblica, Itália |
Centenas de milhares de manifestantes se reuniram na praça contra o presidente Ivan Duque da Colômbia. O Movimento de protesto sem precedentes conjugou-se com uma greve geral no país sul-americano contra o governo de direita de Bogotá. | bit.ly/2saEwbB

The New York Times, EUA |
Colombianos enchem ruas em protesto, onda de descontentamento da região. Dezenas de milhares de pessoas protestaram de tudo, desde a desigualdade econômica à violência contra líderes cívicos, testando um governo impopular enquanto a agitação toma conta da região. | nyti.ms/2OEO7yM

Público, Portugal |
Megaprotesto na Colômbia acaba com gás lacimogénio e recolher obrigatório em Cali. Manifestantes receiam o fim do salário mínimo e do direito às pensões. E exigem que Ivan Duque melhore a vida dos cidadãos. “Ele já está no poder há um ano e ainda não fez nada”. | bit.ly/2QJfEC6

El Diário, Espanha | bit.ly/2D8jtZy

Le Monde, França | bit.ly/37vIXxG

Les Echos, França | bit.ly/35q1idF


Le Parisien, França | bit.ly/2OaBcpb


Financial Times, Inglaterra | on.ft.com/2O9KB0g


Tribune de Genève, Suíça | bit.ly/334TtIY


El Telégrafo, Equador | bit.ly/2XAW7oL


El Mercúrio, Chile | bit.ly/2qBHkhp


La Diária, Uruguai | bit.ly/2OFTTAa


3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

David Miranda – Brasil (The Guardian, Inglaterra) | “Bolsonaro quer acabar com a democracia no Brasil. Eis como pode vir a fazê-lo” | bit.ly/2OEbDMe

Stephen Price
– Capitalismo (The Guardian, Inglaterra) | “Eu sou um multimilionário e eu penso que o sistema tributário dos EUA não serve à maioria dos norte-americanos. Como um CEO afirmo que é evidente que meus colegas CEOs não usam suas isenções de impostos para reinvestir e mantêm tudo para si mesmos.” | bit.ly/2s4nI5P

Atilio Boron
– Uruguai (Página 12, ?Argentina) | “Uma eleição de música ligeira” | bit.ly/2QGe040

Juan Manuel Karg
– Bolívia (Página 12, Argentina) | “Bolívia, os intelectuais e a inquietação” | bit.ly/2s3SOuo

Paul Krugman
– EUA (The New York Times, EUA) | “Trump e seu velho partido corrupto. Para os republicanos não há fundo” | nyti.ms/2OzzexH

Conteúdo Relacionado