CM8 Internacional

Clipping Internacional - 25/03/2020

Repercussões do pronunciamento de Bolsonaro e outras notícias do Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos/entrevistas

25/03/2020 09:03

(Reprodução/Brasil Wire)

Créditos da foto: (Reprodução/Brasil Wire)

 

1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

REPERCUSSÕES DO PRONUNCIAMENTO DE BOLSONARO

La Vanguardia, Espanha | Bolsonaro reclassifica o coronavírus como "gripezinha" e critica o confinamento. "O vírus chegou" e "passará em breve", disse o líder da extrema direita brasileira em comunicado televisionado ao país. Bolsonaro voltou a criticar as medidas adotadas por alguns governadores do país, que, como no estado de São Paulo desde terça-feira, declararam toda a população em quarentena e se opuseram à "proibição de transporte" e ao "confinamento em massa". Como aconteceu nos últimos dias da noite, em muitas cidades do país o pronunciamento de Bolsonaro foi acompanhado por panelaços, organizados nas redes sociais por pessoas que protestam quase diariamente pelo desprezo do governo contra a pandemia. | tinyurl.com/tpa2lw7

El Mundo, Espanha | Bolsonaro em plena crise: "Este é uma gripezinha, devemos voltar ao normal". O presidente Jair Bolsonaro surpreendeu metade do Brasil com um pronunciamento especial transmitido na televisão na noite de terça-feira. Em apenas cinco minutos, acusou a "histeria" da imprensa, criticou as medidas de prevenção e isolamento e minimizou novamente o drama do novo coronavírus, que começa a mostrar seu domínio sobre o Brasil, com mais de 2.200 casos confirmados e 46 mortes. Na mesma terça-feira, entrou em vigor um decreto que proíbe toda atividade econômica não essencial nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro (os mais afetados no momento). Milhões de brasileiros começaram a se trancar em casa sozinhos, apesar das mensagens vindas da presidência. | tinyurl.com/rbb7dg9

El Mercurio, Chile | Bolsonaro chama o Covid-19 de "gripezinha" e critica as medidas de quarentena. O presidente brasileiro ressaltou que "a vida deve continuar", "empregos devem ser mantidos" e "a renda das famílias deve ser preservada". Como aconteceu nos últimos dias da noite, em muitas cidades do país o pronunciamento de Bolsonaro foi acompanhado por panelaços sonoros, organizados nas redes sociais por pessoas que protestam quase diariamente pelo desprezo do governo contra a pandemia. | tinyurl.com/tf762pa

Brasil Wire, EUA | Bolsonaro e Coronavírus: uma tragédia prevista. No que pode ser a hora mais sombria, o Brasil está à mercê de um lunático enlouquecido. Isso não é exagero. “Não há espaço para sentimentos”, disseram gente de Wall Street em 2018, quando seu homem Jair Bolsonaro subiu à Presidência do Brasil. Diante do Coronavírus, o povo do Brasil agora vive as consequências mortais dessa colusão. Em um discurso televisionado na noite de 24 de março de 2020, enquanto o som dos protestos de Panelaço reverberava pelas cidades brasileiras, ele acusava os governadores de Estado, que impuseram medidas autônomas para conter a doença, de espalhar “pânico e histeria”. Em algum lugar entre as filosofias malthusianas dos conservadores do norte, a eugenia corporativa de Wall Street e os instintos genocidas dos neonazistas, está a mente do presidente de extrema-direita do Brasil, Jair Bolsonaro. Agora, esse homem é responsável pelo bem-estar de 210 milhões de pessoas, que enfrentam uma pandemia cruel e sem precedentes. Mas tem inspiração: Em 23 de março de 2020, o tenente-governador do Texas, Dan Patrick, sugeriu à Fox News que os avós estariam preparados para morrer para proteger a economia de seus netos. | tinyurl.com/vmmkkud

The Guardian, Inglaterra. | O presidente de extrema direita do Brasil, Jair Bolsonaro, alegou que "não sentiria nada" se infectado com coronavírus e atacou os esforços para conter a doença em quarentena em larga escala, enquanto as duas maiores cidades de seu país foram fechadas em uma tentativa desesperada de salvar vidas. Mas em seu discurso de cinco minutos - que provocou protestos altos no Rio e em São Paulo - Bolsonaro criticou essas medidas e atacou a mídia por espalhar um "sentimento de pavor" entre a população, ao relatar o número de mortos na Itália. | tinyurl.com/ujck9zz

Diário de Notícias, Portugal. | Bolsonaro pede fim do isolamento no Brasil. Ao contrário do que recomenda o seu ministro da saúde, o presidente brasileiro critica, sob panelaços da população, "o conceito de terra arrasada, a proibição de transportes, o fecho do comércio e o confinamento em massa". "O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco são pessoas acima de 60 anos, então, por quê fechar escolas? Raros são os casos fatais de pessoas com menos de 40 anos de idade", continuou. | tinyurl.com/thkp3vy

Sputnik News, Rússia. | Políticos reagem à fala de Bolsonaro sobre COVID-19: 'País precisa de liderança séria'. O pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro na noite desta terça-feira gerou fortes reações de políticos e governadores, sobretudo pelo fato do mandatário defender medidas contrárias ao que especialistas pregam no combate ao novo coronavírus. | tinyurl.com/sf8kuoy

Le Monde, França | tinyurl.com/vvjrm4o

ABC, Espanha | tinyurl.com/rdwhosh

La Presse, Canadá | tinyurl.com/r5km5d2

Le Parisien, França | tinyurl.com/v6dn678

Expresso, Portugal | tinyurl.com/t7tj4t9

DiárioCorreo, Peru | tinyurl.com/r2fb4jg

La Nación, Argentina | tinyurl.com/wc8yksp

OUTRAS NOTÍCIAS DO BRASIL

CORONAVÍRUS/LULA. Quando o Covid-19 confirma os projetos de sociedade. A estratégia de choque não resistiu ao clamor dos deputados. A estratégia de choque não resistiu ao clamor dos deputados. O presidente brasileiro de extrema-direita, Jair Bolsonaro, ontem reverteu as primeiras medidas econômicas ligadas à crise do coronavírus. Este último pretendia autorizar a suspensão de contratos e salários de trabalho por um período máximo de quatro meses. Para lidar com a epidemia, o ex-presidente Lula propõe a criação de um subsídio temporário para trabalhadores precários (Uber, trabalhadores de restaurantes ...) para que o confinamento não seja privilégio de uma única classe. É somente "depois de salvarmos as pessoas que discutiremos como salvar a economia", afirmou. (L’Humanité, França) | tinyurl.com/qq4l4ev

CORONAVÍRUS. Brasil regista 46 mortos e mais de dois mil infetados. Em apenas 24 horas, o Brasil registou mais 310 casos de infeção, elevando o número de casos positivos para 2201. (Diário de Notícias, Portugal) | tinyurl.com/ty2wtej

CORONAVÍRUS/FAVELA. Favelas no Brasil temem um 'massacre viral'. Sem condições para um verdadeiro confinamento e com milhares de lares pouco saudáveis, mais de 15 milhões de brasileiros temem que o impacto do coronavírus nesses bairros seja devastador. (El Mundo, Espanha) | tinyurl.com/qv4wevk

CORONAVÍRUS/ECONOMIA. Coronavírus: extensão do apoio financeiro aos mais pobres é debatida no Brasil. Medidas para proteger as empresas e os mais vulneráveis foram anunciadas, mas são consideradas insuficientes. O gigante latino-americano registrou 46 mortes e quase 2.200 casos confirmados. Depois de uma certa atitude de esperar para ver, as autoridades brasileiras multiplicaram os anúncios de ajuda que equivale, no papel, a várias dezenas de bilhões de euros. No terreno, no entanto, a realidade é menos brilhante e a população é mergulhada em dúvida. A preocupação está crescendo em um país que já possui 12 milhões de pessoas desempregadas e mais de 30 milhões de pessoas trabalhando no setor informal, a maioria delas sem cobertura de seguridade social. (Les Echos, França) | tinyurl.com/uyr66wo

CORONAVÍRUS/ECONOMIA. Covid-19 entra nas favelas do Rio e até os traficantes vão à luta. Os maiores receios da Organização Mundial de Saúde começam concretizar-se. Depois de a Covid-19 ter começado a alastrar-se em África, agora, com o primeiro caso confirmado nas favelas do Rio de Janeiro, teme-se que o Brasil possa vir a sofrer um agravamento acentuado dos casos. O medo a apoderar-se da zona é tal que até os traficantes de droga que controlam algumas destas zonas estão a impor o recolher obrigatório aos residentes. A falta de condições sanitárias e económicas nestas comunidades tem sido terreno fértil para diversas doenças como o VIH (Aids) ou a tuberculose. (Euronews, Portugal) | tinyurl.com/wejnyar

CORONAVÍRUS/CHINA. Xi diz que a China está pronta para ajudar o Brasil a combater o COVID-19. O presidente chinês, Xi Jinping, disse na noite de terça-feira que a China está pronta para prestar assistência dentro da sua capacidade para a batalha do Brasil contra o COVID-19 e ajudar a conter a disseminação global da doença por coronavírus. Ele fez as observações em uma conversa por telefone com seu colega brasileiro, Jair Bolsonaro. (Global Times, China) | tinyurl.com/yxx83yju

BOLSONARO
. Crise do coronavírus mostra 'desidratação' de Bolsonaro. "Ele está efetivamente perdendo capital político", afirma o professor da UFOP Antônio Marcelo Jackson. "Isso fica evidente na medida em que todas as noites temos os chamados panelaços nas cidades brasileiras, nas capitais principalmente. Antônio Marcelo Jackson afirma que Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, buscam atender "exclusivamente" o empresariado nacional durante a atual crise. A Medida Provisória editada na segunda-feira e que previa a suspensão do pagamento de salários para trabalhadores por até quatro meses, deixa patente o foco do Palácio do Planalto. Diante da pressão, Bolsonaro desistiu da MP 927. (Sputnik News, Rússia) | tinyurl.com/qsksn8p

BOLSONARO/TRUMP. Trump e Bolsonaro veem o coronavírus mais como um aborrecimento político do que como uma ameaça de saúde pública. Os dois principais nacionalistas do hemisfério ocidental sentaram-se para um jantar infeliz este mês na Flórida. Sua aparente indiferença diante de uma pandemia global faz parte de uma disposição política compartilhada. Tanto Trump quanto Bolsonaro estão frustrados com as medidas que estão sendo adotadas em seus países para contar com a propagação do vírus. Eles temem os impactos dessas políticas na economia e em seus futuros políticos. À medida que a crise se desenrola, os dois líderes recuaram para governadores e prefeitos de estado mais proativos. Durante todo o tempo, eles acenderam as chamas das guerras culturais. (The Washington Post, EUA) | tinyurl.com/vq3j4qh

BOLSONARO. Bolsonaro subestima a pandemia e gera protestos e indignação no Brasil. As medidas erráticas do presidente brasileiro são cada vez menos apoio entre os que votaram em 2018.. As panelas soaram pela sétima noite consecutiva nas principais cidades do Brasil, onde o desconforto com o presidente Jair Bolsonaro cresce como espuma. Incentivado por seu guru econômico, Paulo Guedes, Bolsonaro autorizou na segunda-feira passada que as empresas param de pagar salários a seus funcionários por quatro meses. A iniciativa causou tanta rejeição que o governo de extrema direita teve que refazer seus passos. (El Periódico, Espanha) | tinyurl.com/ux5c5es

EDUCAÇÃO. Sobral é pobre. Os empregos são escassos, os salários são escassos, as gangues são a única opção para muitos. Para as crianças, é um começo difícil para a vida. Ana Farias, diretora de uma escola de educação infantil em um bairro de baixa renda controlado por uma gangue, sabe disso muito bem. Alguns de seus alunos não comeriam se não fossem refeições escolares gratuitas. Este é um dos últimos lugares que alguém esperaria ser um modelo de excelência educacional. No entanto, Sobral passou por uma metamorfose extraordinária e agora é o melhor lugar do Brasil para obter uma educação estatal. A cidade está no topo dos 5.000 distritos no índice de desenvolvimento educacional do Brasil. Quinze anos atrás, estava em 1.366º. Desde 2015, as taxas de alfabetização aumentaram de 52% para 92%, e o número de famílias que vivem em extrema pobreza diminuiu 89%. (The Guardian, Inglaterra) | tinyurl.com/t8mznh9

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

EUA/CORONAVÍRUS
. Coronavírus na América: por que os EUA têm lutado para enfrentar uma crise crescente. Falta de preparação, disfunção profunda e um presidente imprudente - agora os EUA enfrentam o centro da pandemia. Exatamente um mês depois que Donald Trump twittou que os EUA tinham o surto de coronavírus "muito sob controle", a Organização Mundial de Saúde emitiu uma chocante realidade: a América enfrenta o centro de uma pandemia que paralisou grande parte do mundo. A verdadeira escala de infecção nos EUA é quase certamente muito pior, com uma grave falta de testes que frustraram os esforços para conter o Covid-19, uma vez que surgiu perto de Seattle. Trump inicialmente se referiu à cobertura da mídia sobre o surto como uma "farsa" antes de proibir a viagem da China, onde o vírus se originou, e alegando que ele havia sido quase vencido em solo americano. (The Guardian, EUA) | tinyurl.com/vv4ql67

MÉXICO/CORONAVÍRUS. "Vou lhe dizer quando não sair mais", disse o populista de esquerda, explicando que a pandemia ainda estava em sua primeira fase. "Se você é capaz e tem os meios para fazê-lo, continue levando sua família para comer ... porque isso fortalece a economia". López Obrador, que mais conhece como Amlo, respondeu com indiferença à crise dos coronavírus - nunca perdendo a oportunidade de contradizer o conselho das autoridades de saúde pública ou pintar a pandemia como uma conspiração para impedir sua presidência. Nas últimas semanas, Amlo evitou rotineiramente o distanciamento social e comícios organizados no estilo de campanha repletos de boas-vindas, abraços e beijos de bebê. (The Guardian, Inglaterra) | tinyurl.com/tnswuks

MÉXICO/CORONAVÍRUS. No México, punição dupla para os pobres. Na capital, vendedores ambulantes e trabalhadores domésticos, sem cobertura da seguridade social, veem sua saúde e renda ameaçadas pelo Covid-19. "Aqui está todo o meu sustento ...", admite Marin Pérez, enquanto coloca pedaços de carne e cebola na grelha gordurosa de sua barraca de taco, no centro da capital. Como milhões de mexicanos, esse homenzinho, com seu avental branco já manchado pelo trabalho da manhã, trabalha na rua sete dias por semana, dez horas por dia. "Quatro dos meus oito filhos dependem da minha renda diária", diz ele. Ele consideraria interromper o trabalho se o vírus se espalhar na aglomeração de 22 milhões de habitantes? Em resposta, o dono da rua pega um prato de plástico e alinha uma fileira de tacos, protestando contra "essa informação que o deixa doente". (L’Express, França) | tinyurl.com/vnczxgq

ITÁLIA/CORONAVÍRUS. Relatos em primeira mão dos horrores do coronavírus na Itália. Os membros da família não são permitidos em hospitais nem podem participar de funerais. Os crematórios estão sobrecarregados. Os horrores do coronavírus ainda estão firmes no norte da Itália. (Der Spiegel, Alemanha) | tinyurl.com/rrzl67k

EUA/CHINA. EUA vs China: duas narrativas sobre o coronavírus. A disputa no discurso é agregada à guerra comercial. Enquanto Trump fala sobre "vírus chinês", o governo Xi sugere que os militares dos EUA podem ter trazido a doença para Wuhan, epicentro da cidade de Covid-19. (Página 12, Argentina) | tinyurl.com/s3d59oc

FRANÇA/CORONAVÍRUS. França reforça confinamento e proíbe mercados externos. As saídas para o exercício serão limitadas a uma hora, dentro de um raio de um quilômetro da casa, sozinhas e uma vez por dia. (La Vanguardia, Espanha) | tinyurl.com/vj2fst2

EUA/CORONAVÍRUS. Trump versus cientistas: o cabo de guerra do presidente com especialistas sobre a política de coronavírus. Numa representação teatral de alto risco entre Trump e um de seus mais importantes auxiliares na área da saúde é apenas parte da tensa dinâmica na Casa Branca: um esquadrão de cientistas e experts na área da saúde colhidos num desconfortável cabo de guerra com Trump à medida em que eles oferecem uma visão geral baseada em dados e evidências que o presidente desdenha como curas milagrosas. (The Washington Post, EUA) | tinyurl.com/sture4q

ÁFRICA DO SUL/CORONAVÍRUS. Chegada do coronavírus causa espanto em um bairro de Johanesburgo. Os 200.000 habitantes de Diepsloot estão se preparando para viver as consequências da pandemia de Covid-19 sem ainda acreditar muito quando o confinamento foi decretado por vinte e um dias no país. (Le Monde, França) | tinyurl.com/wqahg6j

ÍNDIA/CORONAVÍRUS. O enorme desafio do confinamento na Índia: 1,3 bilhão de habitantes devem ficar em casa. "Esqueça de sair de casa por 21 dias. Fique onde está agora", disse o primeiro-ministro indiano. (El Diário, Espanha) | tinyurl.com/sfzj644

EUA. Casa Branca e Congresso alcançam acordo sobre estímulo de US $ 2 trilhões. A legislação prevê o pagamento direto e auxílio desemprego a indivíduos, é o maior pacote de estímulo econômico da história americana moderna. (The New York Times, EUA) | tinyurl.com/whauck5 | tinyurl.com/rnqjz94

CHINA. Dois meses depois, a China está a voltar ao (novo) normal. Os novos casos de origem local caem, o isolamento de dois meses da província de Hubei chega esta quarta-feira ao fim. Pelo país, fábricas e escolas reabrem e engarrafamentos regressam. Mas o regresso à normalidade é tímido, a informação nem sempre inspira confiança e peritos temem segunda vaga. A economia tem de recuperar - mas a que custo? (Público, Portugal) | tinyurl.com/qtxmqxn

ISRAEL. Entre o coronavírus e o racismo, o declínio institucional continua em Israel. A crise política continua a sobrevoar o país, onde duas pessoas morreram da pandemia. Enquanto o número de confirmados pelo coronavírus em Israel se aproxima de 1.700, na terça-feira foi anunciada a segunda morte pelo vírus. Paralelamente, o governo continuou a adotar mais medidas de isolamento social, embora sem decidir pela quarentena total, enquanto a prolongada crise política atingiu um novo pico. (La Diária, Uruguai) | tinyurl.com/vss6tw4

EUA. Ações globais disparam quando EUA concluem acordo de estímulo. (The Wall Street Journal, EUA) | tinyurl.com/u63eznw

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Carla Gimenez – Brasil (El País, Espanha) | “Bolsonaro, o presidente mórbido que sabota o Brasil”. | tinyurl.com/ukh4ex9

George Monbiot
- Coronavírus (The Guardian, Inglaterra) | “Covid-19 é um chamado da natureza para que uma civilização complacente desperte” | tinyurl.com/shemsju

Nouriel Roubini – Crise Econômica (The Guardian, Inglaterra) | “A pandemia do coronavírus produziu o mais profundo e rápido choque econômico na história” | tinyurl.com/v7we8cm

Vincent Bevins – Brasil (The New York Review of Books, EUA) | “No Brasil, Bolsonaro põe suas fichas numa guerra cultural coronavírus” | tinyurl.com/vccp9y4

David Smith – Coronavírus/Trump (The Guardian, Inglaterra) | “A pressão de Trump para abreviar a paralização do coronavírus prova que o ‘capitão’ está voando às cegas” | tinyurl.com/waxklxb

Jonathan Watts – Coronavírus/Extrema direita (The Guardian, Inglaterra) | “O que Covid-19 nos diz sobre como enfrentar a crise climática: Atrasar é mortal. Os governos de direita negaram o problema e demoraram a agir. Com o coronavírus e o clima, isso custa vidas.” | tinyurl.com/vnl43gs

Mario Wainfeld – Argentina (Página 12 Argentina) | “Pandemia e ditadura: as grandes diferenças do 24 de março” | tinyurl.com/sa3hpoj

Carlos Ruiz Encina, entrevista – Chile (Página 12, Argentina) | “Chile: protesto social em tempos de coronavírus” | tinyurl.com/qkrtqbj

Jennifer Senior – Coronavírus/EUA (The New York Times, EUA) | “Trump para New York: caia morta. Sem intervenção federal milhares morrerão.” | tinyurl.com/ueew2dl

Lina Sankari – Coronavírus/Brasil (L’Humanité, França) | “Brasil: quando o Covid-19 confirma os projetos de sociedade.” | tinyurl.com/qq4l4ev

Richard McGregor – China (El Diário, Espanha) | “China, cada vez mais segura de si, ante um mundo em crise” | tinyurl.com/srre4m4

Jeffrey Sachs, entrevista - Crise Coronavirus (Democracy Now, EUA) | “Trump ‘nada entende e nada escuta’ enquanto a pandemia se amplia nos EUA” | tinyurl.com/vwqls9b

Conteúdo Relacionado