CM8 Internacional

Clipping Internacional - 29/09/2019

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

29/09/2019 11:21

(F. Vieira/Getty)

Créditos da foto: (F. Vieira/Getty)

 

1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

LULA
. Na semana em que o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva cumpriu um sexto de sua sentença em Curitiba, os promotores da operação Lava Jato pediram à Justiça brasileira sua progressão para o regime semiaberto da legislação brasileira. Em um comunicado, o advogado de Lula, Cristiano Zanin, disse na segunda-feira que discutirá o pedido do promotor com o ex-autor. "O ex-presidente Lula deve ser restabelecido em plena liberdade porque não cometeu nenhum crime e foi condenado por um processo ilegítimo e corrompido por nulidades flagrantes. Sem preconceitos, conversaremos novamente com Lula na próxima segunda-feira sobre o direito em questão para que ele tomar sua decisão sobre o assunto ", diz ele. (El País, Espanha) | bit.ly/2mO9NP9

LULA
. Lula a um passo da semiliberdade. O ministério público: “pode ir para casa”. Mas ele se opõe: "Eu não reconheço esse processo e essa sentença. Se eu sair, tenho que sair completamente inocentado". (La Repubblica, Itália) | bit.ly/2oh7O6d

LULA
. Lula poderia se beneficiar da semiliberdade. O ex-presidente brasileiro até agora se recusou, dizendo que deveria "recuperar completamente a liberdade". "Lula precisa recuperar completamente sua liberdade porque não cometeu nenhum crime e foi condenado após um julgamento ilegítimo e por irregularidades flagrantes", disse seu advogado, Cristiano Zanin. No entanto, ele deve apresentar o caso a Lula para uma decisão. (Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/2oli4KW

LULA
. Defesa de Lula da Silva pede libertação total para o ex-presidente. Depois de cumprir 539 dias de prisão política, a defesa de Luiz Inácio Lula da Silva pediu a total liberdade do ex-presidente antes de um pedido do Ministério Público para aprovar o regime semiaberto. O advogado Cristiano Zanin Martins, que faz parte da defesa do ex-sindicalista, disse que Lula "deve recuperar sua liberdade total porque não cometeu nenhum crime e foi condenado por um processo ilegítimo e corrompido por nulidades flagrantes", escreveu em nota. (Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/2nEixaD

LAVA JATO
. Ontem, o Superior Tribunal de Justiça do Brasil aceitou um apelo que poderá resultar na anulação de dezenas de sentenças deste caso, incluindo uma que afeta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Hoje Dallagnol saiu para defender o trabalho dos promotores, observando que o establishment está "se vingando" para interromper as investigações. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2mETlko

IDEOLOGIA NEOPENTECOSTAL.
Os pastores ultraconservadores de Trump chegam a Brasília de Bolsonaro. O ex-jogador de basquete Ralph Drollinger fundou o Ministério do Capitólio em 1996 para "criar discípulos de Jesus Cristo na arena política em todo o mundo". "Nossa idéia é atingir o nível da presidência da República e dos ministros. Temos um slogan que é 'primeiro os primeiros', ou seja, primeiro o primeiro", diz o representante dos Ministérios do Capitólio no Brasil. Os Ministérios do Capitólio abriram escritórios em cinco países da América Latina: México, Honduras, Paraguai, Costa Rica e Uruguai. Ele anunciou que abrirá em outros dois, Nicarágua e Panamá, e acaba de desembarcar no Brasil. (El Diário, Espanha) | bit.ly/2m4cWKh

AMAZÔNIA
. Brasil busca investidores interessados nas riquezas da Amazônia. Ricardo Salles, ministro brasileiro do Meio Ambiente, está na França para encontrar potenciais investidores. (Les Echos, França) | bit.ly/2olR6CT

ESTADO POLICIAL
. Em nome de Agatha: as crianças das favelas escrevem para o governador e para a polícia: "Basta de matar inocentes". A iniciativa se segue após o assassinato da menina de 8 anos de idade, morta por uma bala disparada durante uma broca policial. No vademecum, uma lista do que a polícia não deve fazer ao entrar na comunidade. (La Repubblica, Itália) | bit.ly/2nIKwpv

BOLSONARO
. Bolsonaro e o governador do Rio, de aliados a uma crescente inimizade. Antes da queda da popularidade do presidente, Witzel se distanciou e afirmou que o povo não o escolheu para o apoio do presidente; "Ele nunca disse que votou em mim", lembrou. (La Nación, Argentina) | bit.ly/2oenbwe

JANOT
. Quando um procurador-geral brasileiro planejou matar um juiz no Supremo. O ex-promotor-chefe Janot revela que em 2017 ele entrou no tribunal armado alto para assassinar o juiz Mendes por diferenças pessoais relacionadas ao 'caso Lava Jato'. (El País, Espanha) | bit.ly/2oend7k

JANOT. O ex-procurador-geral do Brasil admite ter desejado assassinar um juiz. O ex-procurador-geral do Brasil, Rodrigo Janot, semeou consternação na sexta-feira ao admitir ter sido armado no Supremo Tribunal Federal (STF) com a intenção de assassinar um de seus juízes e depois cometer suicídio. (La Presse, Canadá) | bit.ly/2oliRvo

JANOT
. Um potencial fascínora na Procuradoria-Geral da República”: Gilmar Mendes reage a Janot. Em coletiva de imprensa desta sexta-feira (27) em Brasília, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, falou sobre a declaração de Rodrigo Janot à imprensa brasileira, na qual assume o planejamento do assassinato de Mendes em 2017. “Não imaginávamos que tivéssemos um potencial fascínora à frente da Procuradoria-Geral da República (PGR)”, disse o ministro aos jornalistas presentes no II Encontro dos GMFs, no Tribunal Superior Eleitoral. (RFI, França) | bit.ly/2oeyg0j

JANOT
. Ex-procurador-geral brasileiro pensou em matar um juiz supremo e cometer suicídio. O ex-procurador-geral brasileiro Rodrigo Janot disse em entrevista ao jornal "O Estado de São Paulo" que durante o exercício de seu cargo ele pensou em "matar" um juiz do Supremo Tribunal que semeava suspeitas sobre sua filha e depois cometeu suicídio. "Não seria uma ameaça, seria um assassinato. Isso iria matá-lo (Mendes) e depois ele me mataria", disse ele ao contar ao jornal seu momento mais tenso como procurador-geral do Brasil. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/2mEL1RH

JANOT
. O antigo procurador-geral da República quis matar um juiz. O ex-procurador geral do Brasil, Rodrigo Janot, semeou consternação na sexta-feira ao admitir ter ingressado no Supremo Tribunal Federal (STF) com a intenção de assassinar um de seus juízes e depois cometer suicídio. O episódio, que remonta a maio de 2017, é narrado nas memórias do promotor, "Nada menos que tudo", a ser publicado na próxima semana. (Le Figaro, França) | bit.ly/2mFzaTp

JANOT. Ex-procurador brasileiro revela que quis matar juiz do Supremo. Rodrigo Janot, que exerceu no auge da Lava-Jato e dos escândalos em torno de Michel Temer, chegou a ter a mão no gatilho para matar Gilmar Mendes, um dos mais controversos membros da corte. Ele conta o episódio na primeira pessoa. O alvo aconselha-o a "procurar ajuda psiquiátrica". (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/2nH52qA

JANOT.
O Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil ordenou a busca e apreensão da residência e o escritório do exfiscal geral Rodrigo Janot, que afirmou em uma entrevista que durante o exercício da carga pensada em "assistencial" ao magistrado de a máxima Gilmar Mendes. (El Telégrafo, Equador) | bit.ly/2ohhFsM

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

EUA.
Como uma política externa oculta de Trump na Ucrânia levou a um inquérito de impeachment. A história de como o presidente Trump e seu advogado Rudy Giuliani operavam na Ucrânia foi apresentada em mais detalhes nesta semana. As revelações mostram que os dois executaram o que representou uma política externa sombria na Ucrânia que se desenrolou no cenário das eleições nos dois países. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/2o8AkH7

ÁUSTRIA
. A Áustria vota hoje nas primeiras eleições nas quais o ex-chanceler conservador Sebastian Kurz começa como um favorito claro. Os surrados social-democratas procuram manter a honra do segundo lugar. O panorama é completado com o retorno previsto ao Parlamento dos Verdes, que foram deixados de fora nas eleições de 2017 e agora ressurgem na onda contra a crise climática que está passando pela Europa e pelo mundo; e com a ascensão moderada do NEOS, a formação liberal em busca de sua influência. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/2okHQix

AFEGANISTÃO
. Os afegãos vão às urnas neste sábado, 28 de setembro, para escolher um presidente em uma eleição que está sendo realizada sob a tripla ameaça de ataques do Taliban, fraude e abstenção de eleitores. Permanece como conversas entre os americanos e os talibãs, tornando a perspectiva de um diálogo interafegão (entre o governo e os insurgentes) o mais distante possível para alcançar a paz. (Le Figaro, França) | bit.ly/2o8Y9yR

ARGENTINA
. O presidente Macri, com problemas, lança sua campanha pela reeleição. Todas as pesquisas preveem uma derrota contundente do chefe de Estado nas eleições presidenciais de 27 de outubro contra Alberto Fernandez. O último poderia até reivindicar a vitória no primeiro turno se obtiver pelo menos 45% dos votos ou pelo menos 40% e dez pontos à frente do candidato que vem em segundo. (La Presse, Canadá) | bit.ly/2mOcekL

EUA
. Elisabeth Warren e Bernie Sanders: aliança ou luta fratricida? Os dois senadores dos EUA, em disputa pelo voto progressista dos democratas nas primárias, concluíram um pacto de não agressão, mesmo que ocupem, mais ou menos, o mesmo espaço político. (L’Humanité, França) | bit.ly/2olSaGT

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Eric Nepomuceno – Brasil ( Página 12, Argentina) | “Armadilha” | bit.ly/2oezhFF

José Pablo Feinmann
– Argentina (Página 12, Argentina) | “Os piores” | bit.ly/2nAYB8K

Ramon Aymerich
– Greta Thunberg (La Vanguardia, Espanha) | “Por que tanto ódio a Greta Thunberg?” | bit.ly/2nCmNHG

Santiago O’Donnell
– Edward Snowden (Página 12, Argentina) | “Snowden: Estado e democracia em tempos de ‘big data’”. | bit.ly/2mNRXvy

Andrew Rawnsley
– Reino Unido (The Guardian, Inglaterra) | “Boris Johnson busca dividir e conquistar com sua retórica incendiária” | bit.ly/2mQrBsR

Sarah Churchwell
– EUA (The Guardian, Inglaterra) | “Trump age como se estivesse acima da lei. A lei começa a reagir” | bit.ly/2mEN7Rz

Amy Davidson Sorkin
– EUA e Reino Unido (The New Yorker, EUA) | “Donald Trump e Boris Johnson: um conto de duas crises” | bit.ly/2mx61tn


Conteúdo Relacionado