CM8 Internacional

Clipping Internacional - 31/10/2019

Notícias internacionais sobre o Brasil e especial sobre o caso Bolsonaro e Marielle; Notícias do Mundo; e Artigos

31/10/2019 08:55

 

 

1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

BOLSONARO
. Notícias falsas do WhatsApp durante eleição no Brasil 'favoreceram Bolsonaro'. A grande maioria das informações falsas compartilhadas no WhatsApp no Brasil durante as eleições presidenciais favoreceu o vencedor da extrema direita, Jair Bolsonaro, sugere uma análise de dados do Guardian. Em uma amostra de 11.957 mensagens virais compartilhadas em 296 bate-papos em grupo na plataforma de mensagens instantâneas no período da campanha, aproximadamente 42% dos itens da direita continham informações consideradas falsas pelos verificadores de fatos. Menos de 3% das mensagens de esquerda analisadas no estudo continham falsidades verificadas externamente. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2Nq8j6Y

LULA. Juíza só decidirá semiaberto de Lula após julgamento de suspeição de Moro no STF. A juíza responsável pela execução penal do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva informou que só decidirá sobre a progressão de pena do petista após o julgamento no STF sobre a suspeição de Sergio Moro. Em seu despacho, Carolina Lebbos considera que Lula cumpre todos os requisitos para ser beneficiado com o regime semiaberto. O julgamento no Supremo Tribunal Federal ainda não tem data marcada. Nele, a defesa espera provar que o ex-juiz e atual ministro da Justiça atuou de forma parcial e com objetivo pré-concebido de condenar o ex-presidente. Sputnik News, Rússia) | bit.ly/2WyvO1N

MARIELLE FRANCO. Marielle, um símbolo universal contra a opressão. Lutadora contra a desigualdade. Nascido na favela da Maré, no Rio de Janeiro, Franco já é um ícone na história do Brasil. Em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, seu nome foi cantado pela maioria dos participantes das manifestações que ocorreram em várias cidades da gigante sul-americana. Além disso, seu rosto e nome - impressos em camisetas - já são sinônimos de revolução, e seu assassinato marcou um antes e um depois no ativismo brasileiro. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2NqDPC0

MEIO AMBIENTE
. Resposta a desastres ambientais no Brasil é 'inoperante'. Ao enfrentar duas crises ambientais em 2019, a explosão dos incêndios na Amazônia e o óleo no Nordeste, a gestão de Jair Bolsonaro mostrou ser "inoperante". A avaliação é da engenheira Suzana Kahn Ribeiro. Vice-diretora da Coppe/UFRJ e ex-secretária de Mudança Climática do Ministério do Meio Ambiente, Ribeiro acredita que "faltou comando" nos recentes episódios. Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo afirma que que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, demorou 41 dias após o surgimento das primeiras manchas para acionar Plano Nacional de Contingência, política pública para lidar com desastres do gênero. (Sputnik News, Rússia) | bit.ly/2N1a4bU

DERRAMAMENTO DE ÓLEO
. Preocupação profunda da ONU com o derramamento de óleo que atingiu o Brasil. Um derramamento de óleo atingiu quase um quarto da costa atlântica brasileira em dois meses, sem que as causas dessa maré ainda fossem conhecidas. Na terça-feira da ONU expressou sua "profunda preocupação" com o misterioso derramamento de óleo que atinge o nordeste do Brasil há dois meses e ofereceu sua ajuda às autoridades locais. (L’Express, França) | bit.ly/2BXoW4u

BOLSONARO.
'A Amazônia não está pegando fogo': líder brasileiro Bolsonaro ataca críticos. Ela é por definição uma floresta tropical. Ela, por definição não pode ser atingida pelo foro, afirma o Presidente falsamente. Jair Bolsonaro defendeu as políticas de seu governo de extrema direita em um discurso furioso no qual ele parecia reivindicar que a floresta amazônica não pegava fogo. "A região amazônica nos pertence", disse o homem de 64 anos em um ponto. (The Independent, Inglaterra) | bit.ly/2N3eKxL

O CASO DE BOLSONARO E O ASSASSINATO DE MARIELLE FRANCO

RFI, França | “Estamos assistindo a uma guerra de facções”, diz Jean Wyllys sobre repercussão do envolvimento de Bolsonaro no caso Marielle. O ex-deputado federal Jean Wyllys analisou as repercussões após a reportagem da Jornal Nacional que revelou uma possível ligação dos assassinos de Marielle Franco com a família Bolsonaro e a “live” do presidente brasileiro nesta madrugada, direto da Arábia Saudita. Jean Wyllys falou sobre as forças políticas em jogo neste novo tabuleiro de xadrez, onde Bolsonaro parece perder peças importantes, mas cujo peso mobiliza a entrada em cena de atores de instâncias superiores, como o Supremo Tribunal Federal. | bit.ly/2NrsNMO

L’Humanité, França |
Jair Bolsonaro em fúria vs. TV Globo. O canal de TV brasileiro TV Globo informou que, de acordo com um vazamento judicial, em 14 de março de 2018, poucas horas antes do assassinato da líder de esquerda do Rio de Janeiro Marielle Franco, um dos suspeitos foi ao complexo onde Jair Bolsonaro morava, até mesmo visitando-o. A informação viria das declarações do porteiro, embora o futuro presidente de direita não estivesse na cidade na época. De Riad, onde ele está nesta semana, o presidente brasileiro transmitiu um vídeo incomum, onde afirma, entre outros: "É uma porcaria de verdade, Globo, uma porcaria”. | bit.ly/2N4vN2o

The Guardian, Inglaterra
. | O presidente de extrema direita do Brasil lançou um ataque furioso antes na madrugada à mídia "pútrida" e "imoral" depois de um relatório da maior emissora do país envolver Jair Bolsonaro em investigações sobre o mais notório assassinato político em sua história recente. A reportagem alegou que os supostos assassinos de Marielle Franco - a política de esquerda que foi morta a tiros em março de 2018 - haviam se encontrado no condomínio à beira-mar de Bolsonaro no Rio de Janeiro nas horas anteriores ao seu assassinato. Um desses homens, Élcio Queiroz, teria entrado no complexo por volta das 17h10, informando a um segurança que estava visitando Bolsonaro, o dono da casa no 58. Bolsonaro estava, de fato, a centenas de quilômetros de distância em Brasília naquele dia. Mas uma pessoa não identificada em sua casa - que o segurança identificou como "Jair" - autorizou a entrada de Queiroz. | bit.ly/2WtYLvJ

Página 12, Argentina
. | Vincularam Bolsonaro ao assassinato de Marielle Franco. O presidente ficou em fúria com a Globo após ela revelar que ele aparece nas investigações. Segundo reportagem de um jornal, um porteiro do complexo residencial onde Jair Bolsonaro morava disse que um dos acusados pelo crime do município esteve lá algumas horas antes do condomínio. Ele disse que no registro de renda o homem disse que estava visitando o então deputado e precandidato à presidência da república. | bit.ly/2JCc9IW

El País, Espanha. |
O nome do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, foi mencionado por um porteiro na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco, morta a tiros no Rio de Janeiro no ano passado. Segundo o canal Globo na noite de terça-feira, o porteiro da urbanização de luxo onde Bolsonaro mora disse à polícia que um dos suspeitos de matar a política de esquerda, o ex-policial militar Élcio Queiroz, pediu para ir à casa do então deputado horas antes do crime. Segundo a polícia, Queiroz e Lessa, presos pelo caso desde que foram presos após um ano do crime, saíram minutos depois para matar a vereadora, segundo a polícia. Naquele dia, o então deputado Bolsonaro estava em Brasília, onde participou de algumas votações. | bit.ly/331betm

Esquerda.net, Portugal |
Adensa-se o mistério do envolvimento de Bolsonaro no assassinato de Marielle. Os dois executores do crime encontraram-se no condomínio onde reside o presidente; um deles informou ao porteiro que ia à casa de Bolsonaro. Alguém dessa casa autorizou a entrada. Não pode ter sido Bolsonaro, que estava em Brasília. Mas quem foi? Por Luis Leiria. | bit.ly/334XY6X

Página 12, Argentina |
Da incerteza inicial às pistas que salpicam em Bolsonaro. Marielle Franco: cronologia desde o assassinato. | bit.ly/2N3stoo

El Mundo, Espanha |
Jair Bolsonaro rechaça sua vinculação ao assassinato de Marielle Franco: "O tempo todo fazendo minha vida um inferno, fodam-se!". O nome do presidente Jair Bolsonaro aparece na investigação do assassinato da vereadora de Rio Marielle Franco, uma importante defensora dos direitos humanos e das minorias mortas a tiros no Rio de Janeiro em março de 2018. O nome do presidente é citado na investigação oficial, que pode ser passada ao Supremo Tribunal Federal. | bit.ly/36mUCyg

El Periódico, Espanha |
A ultradireita no Brasil. Investigação vincula Bolsonaro ao crime da vereadora, um assassinato que abalou o Brasil em 2018. O presidente entrou em fúria e acusou a rede Globo e o governador do Rio de Janeiro de conspirar contra ele. | bit.ly/2WBrleY

Diário de Notícias, Portugal |
Bolsonaro furioso, a briga do filho e Moro investiga: citação no caso Marielle abre crise no governo. Vice-presidente Hamilton Mourão diz que "o caso não derruba mas perturba" o governo. Governador do Rio, acusado de ser responsável pela fuga de informação, desmente o presidente. Carlos Bolsonaro admitiu à polícia ter brigado com assessor da vereadora em depoimento. Sergio Moro é nomeado pelo chefe de Estado para investigar o depoimento explosivo. | bit.ly/2Wvm2h9

La Nación, Argentina
. | Um líder mais radicalizado e sem rede de contenção. Uma vez mais, Jair Bolsonaro demonstrou que é o seu pior inimigo. A reação intepestiva do presidente eleito contribuiu a danificar ainda mais sua já desgastada imagem como chefe do Estado brasileiro. | bit.ly/2PzB8Rh

OUTROS

ABC, Espanha | bit.ly/2r0bRW4

Le Nouvel Observateur, França | bit.ly/31YXM81


La Presse, Canadá | bit.ly/2r0bVoM


Financial Times, Inglaterra | on.ft.com/32198bC


La Repubblica, Itália | bit.ly/2Pw51BT


Público, Portugal | bit.ly/34mrLIN
| bit.ly/2BZnNtj

Diário de Notícias, Portugal | bit.ly/334AO0B


The Washington Post, EUA | wapo.st/2Wt1x4B


La Diária, Uruguai | bit.ly/2NqnGwl | bit.ly/2PzJUyI


El Clarín, Argentina | bit.ly/2Nq94gk


La Nación, Argentina | bit.ly/2NtHP4p


El Espectador, Colômbia | bit.ly/36ejo3A


El Mercurio, Chile | bit.ly/2Ww8H8k


Últimas Notícias, Venezuela | bit.ly/36mV8fG


2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

CHILE
. Manifestantes do Chile: 'Somos subjugados pelos ricos. Está na hora de isso acabar '. A pior agitação do Chile em décadas se transformou em uma revolta nacional por mudanças. Aqui sete manifestantes explicam pelo que estão lutando. A faísca que acendeu a chama foi um aumento de 3% nas tarifas do metrô, mas após 12 dias de protestos em massa e violência nas ruas, a pior agitação do Chile em décadas se transformou em um levante nacional exigindo mudanças dramáticas no sistema econômico e político do país. O movimento sem líderes forçou o presidente bilionário Sebastián Piñera a ficar na defensiva, levando-o a substituir oito ministros e a anunciar uma série de medidas de emergência, incluindo um pequeno aumento no salário mínimo e impostos mais altos sobre os ricos chilenos. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/333dmRl

CHILE. Uma nova Constituição, o caminho que pode levar ao Chile ao fim de sua crise. O presidente não descarta "nenhuma reforma estrutural", nem mesmo a atual Magna Carta, que foi projetada e implementada sob a ditadura de Pinochet. A proposta que acrescenta mais consenso é chamar um plebiscito para perguntar ao público se eles querem ou não iniciar um processo constituinte. As manifestações continuam vivas, embora a partir de terça-feira com envergadura menor. (El Diário, Espanha) | bit.ly/2PyBmba

CHILE
. Protestos em massa e conferências canceladas escurecem a visão sobre o presidente chileno. Sebastian Piñera vendeu seu país como um lugar pacífico e próspero para fazer negócios, mas a agitação destruiu algumas grandes oportunidades. Hoje, ele enfrenta uma imagem muito mais sombria, pois 17 dias de manifestações que deixaram pelo menos 23 pessoas mortas e levaram Piñera na quarta-feira a dizer que o país não seria capaz de sediar duas grandes conferências internacionais que serviriam de vitrine. (The Wall Street Journal, EUA) | on.wsj.com/3335YFJ

ISRAEL
. WhatsApp processa empresa israelense NSO, suspeito de espionar ativistas. A empresa do Facebook e a plataforma WhatsApp processaram hoje a empresa de tecnologia israelense NSO, suspeita de espionar defensores dos direitos humanos e jornalistas para a plataforma de mensagens, confirmou uma porta-voz à Efe. "O WhatsApp apresentou uma queixa em um tribunal dos EUA que atribui o ataque (maio) a uma empresa de spyware chamada NSO Group e sua empresa controladora, Q Cyber Technologies", explicou ele em comunicado sobre a primeira ação legal que esse provedor de Correio leva contra uma entidade privada. O serviço de mensagens criptografadas do WhatsApp detectou em maio uma vulnerabilidade em seu sistema que permitia a instalação de spyware nos telefones para acessar dados dos dispositivos. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/2PFDpKN

BOLÍVIA.
A OEA auditará as eleições sem Carlos Mesa. O rival de Evo rejeitou o acordo com a organização regional como "unilateral". O ministro das Relações Exteriores Diego Pary anunciou que a Organização dos Estados Americanos iniciará amanhã a auditoria vinculativa das eleições de 20 de outubro. Existem mobilizações a favor e contra o governo. (Página 12, Argentina) | bit.ly/333AWNY

EUA
. Os democratas, antes receosos sobre o voto pelo inquérito do impeachment de Trump, uniram-se numa mudança política. Os membros que Os membros que há muito resistiam a uma votação formal agora estão solidamente apoiando da ideia. A mudança reflete o forte controle da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, sobre seu caucus. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/31ZDhrJ

TWITTER .
Twitter proíbe anúncios políticos em sua plataforma em todo o mundo. O líder da empresa, Jack Dorsey, anuncia que o faz para evitar os "riscos" que os algoritmos das máquinas representam para o debate público. (El País, Espanha) | bit.ly/2N3wBVB

ARGENTINA
. O tecnocrata e a populista. A vice-presidente argentina, Cristina Fernandez de Kirchner e o presidente, Alberto Fernandez têm o mesmo sobrenome: Fernández. Mas não têm qualquer ligação de parentesco. E estavam distantes há já algum tempo. (La Presse, Canadá) | bit.ly/2N4MoU6

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Eric Nepomuceno – Brasil (Página 12, Argentina) | “A morte de Marielle salpica em Bolsonaro” | bit.ly/2qVu4ny

João Ruela Ribeiro
– Brasil (Público, Portugal) | “Um pesadelo negro envenena o Nordeste há mais de 60 dias.” | bit.ly/2r0cqiE

Mempo Giardinelli
– Argentina (Página 12, Argentina) | “Dois países e os mortos que vos matais” | bit.ly/2N3Gz9g

Mario Wainfeld
- Argentina (Página 12, Argentina) | “Ganhadores e perdedores em movimento” | bit.ly/36o1UBN

Javier Gonzalez –
Chile (El País, Espanha) | “Crônica de uma explosão social anunciada” | bit.ly/2qSSqhI

Ernesto Semán
– Argentina e Chile (Financial Times, Inglaterra) | “Os apelos antipopulistas fracassam no Chile e na Argentina” | on.ft.com/2C2nLAM


Conteúdo Relacionado