Carta Maior 20 anos

Prosseguir esperançando

 

25/01/2021 11:17

(Reprodução/unb.br)

Créditos da foto: (Reprodução/unb.br)

 
Há 20 anos cobri para Carta Maior o que aconteceu no Fórum Social Mundial de Porto Alegre na área de Comunicação Social. Foi minha primeira contribuição. Desde, então, continuo colaborando com uma ideia e um projeto que abracei desde o primeiro momento e do qual, modestamente, me orgulho muito de ser parte. Hoje sou um contribuidor ocasional, mas já fui, por vários anos, um colunista semanal.

No FSM de 2001 foram inúmeros os eventos que contaram com a presença de algumas das personalidades mundiais mais importantes do setor. Ao final de cada dia, um artigo fazia o balanço das atividades. Não os encontrei mais. Creio ter escrito cinco ou seis, talvez o último, uma apreciação geral de tudo que tenha acontecido.

Eram outros tempos. Estávamos otimistas com as possiblidades que se anunciavam na América Latina. Os que trabalhávamos com políticas públicas de comunicação, acreditávamos em sua democratização, na regulação que não permitiria a perpetuação dos oligopólios privados, garantiria a universalização da liberdade de expressão e evitaria a continuidade da “cultura do silêncio”, marca secular da exclusão de vozes entre nós. Acreditávamos também que sistemas públicos de comunicação, alternativos à hegemonia privada, seriam fortalecidos ou criados na região.

Lutamos muito por tudo isso.

Por uma série de razões, pouco avanço aconteceu no setor de Comunicações. Em alguns casos, como o brasileiro, na verdade, retrocedemos.

A resiliente permanência da Carta Maior, enfrentando todas as adversidades e dirigida com o entusiasmo contagiante do nosso querido Palhares, certamente é uma boa notícia desses 20 anos.

Vamos prosseguir com a esperança freireana do verbo esperançar, aquele que significa “se levantar, ir atrás, construir, não desistir! Levar adiante, juntar-se com outros para fazer de outro modo.”

Assim seja!

Brasília, 20 de janeiro de 2021.

Venício A. de Lima é Colunista de Carta Maior, de 2001 até hoje



Conteúdo Relacionado