Cartas do Editor

Carta Maior precisa de você

 

31/05/2021 16:28

(Arte/Carta Maior)

Créditos da foto: (Arte/Carta Maior)

 
Aos amigos de Carta Maior,

Nós escolhemos uma abordagem diferente. Ao contrário de outros veículos, optamos por manter nossa página livre de anúncios, porque nos recusamos a dar dinheiro às multinacionais que dominam e impedem a circulação do conhecimento pelo mundo afora. Como vocês sabem, os algoritmos definem quem vai ler o quê, por isso mantemos nossa página sem publicidade, muitas vezes das mesmas empresas que participaram do Golpe de 2016.

Carta Maior não busca “cliques”, nem compartilha “polêmicas”. Nós buscamos qualidade, a começar pelo cuidado com a página, livre de anúncios, porque priorizamos o conforto dos nossos leitores, e queremos que vocês cheguem até o final dos artigos, sem distrações.

Acreditamos que cada pessoa, aqui no Brasil ou nos países que nos leem, precisa ter acesso a visões de mundo, conhecimentos, culturas, ciências que compõem o campo progressista e de esquerda, a partir de conteúdos com profundidade e bem selecionados.

Esse é o jornalismo que fazemos. É o que praticamos há 20 anos e o que nos dá a credibilidade que ostentamos.

Movido pelo sonho de fazer jornalismo de esquerda no Brasil, eu assumi financeiramente todas as despesas deste projeto. Cinco anos depois, Carta Maior estava sólida para firmar contratos de publicidade com as empresas do poder público. Neste período, nós nos consolidamos enquanto veículo de mídia, realizando coberturas jornalísticas, promovendo eventos nacionais e participando ativamente dos internacionais, além de produzirmos uma série de publicações e especiais online.

Em 2016, porém, assim que empossado “presidente interino”, Michel Temer cortou, em plena vigência, todos os contratos do poder público com a Mídia Alternativa, em autoritária medida aplaudida de pé pelo jornalismo profissional em dar golpes.

O embargo econômico tinha como intuito calar a voz da mídia alternativa que, naquele momento, denunciava: É GOLPE!

Desde então, Carta Maior vem sendo financiada por leitores que abraçaram o nosso projeto.

Carta Maior nunca foi bancada com recursos do exterior e, contrariamente a outros veículos, com situação financeira já garantida, nós nunca tivemos mecenas.

Nosso modelo para o jornalismo é independente e nacional. Carta Maior representa uma alternativa concreta de comunicação engajada.

Se você valoriza o nosso trabalho e quer mais, clique aqui e conheça as possibilidades de parceria.

Precisamos de todos,

Joaquim Ernesto Palhares
Diretor de Carta Maior



Conteúdo Relacionado