Cartas do Editor

Carta Maior, 20 anos no ar

 

12/01/2021 12:32

(Arquivo/Carta Maior)

Créditos da foto: (Arquivo/Carta Maior)

 
Em 2001, quando Carta Maior surgiu, a tecnologia era uma tristeza. Não havia banda larga como hoje, e tirar fotos pelo celular era privilégio. Mesmo assim, com uma equipe de primeira linha, Carta Maior foi ar em 25 de janeiro daquele ano, com a cobertura do Fórum Social Mundial (FSM) de Porto Alegre, que acontecia entre 25 e 30 de janeiro.

Momento chave para a esquerda nacional e mundial, o FSM 2001 se apresentava como aliança global contra o neoliberalismo. Ali, como vimos acontecer décadas depois, foram pactuados muitos dos caminhos que nos permitiram vislumbrar, mesmo que brevemente, aquele “Outro Mundo Possível”. Hugo Chávez (Venezuela), Lula (Brasil), Evo Morales (Bolívia), Rafael Correa (Equador), Fernando Lugo (Paraguai), Tabaré Vásquez (Uruguai) e o grande Pepe Mujica (Uruguai), entre outros. Todos passaram pelas edições do FSM, construindo os passos de uma agenda soberana no continente.

Aliás, nunca é demais salientar a importância de Chávez para a América Latina. Eleito em 1998, com 56% dos votos na Venezuela, ele propôs uma nova Constituição, tomou as rédeas do petróleo venezuelano e deu início a imensa distribuição de renda, por meio de programas de bem-estar social e de políticas públicas. Resultado: em 11 de abril de 2002, Chávez sofria uma tentativa fracassada de golpe; e quatro anos depois, em 2006, ele seria reeleito com 63% dos votos, fortalecendo seu projeto de socialismo para o século XXI.

Somente quem viveu o FSM de 2001 sabe o que foram aqueles cinco dias. E é justamente sobre essa experiência, e o surgimento de Carta Maior em meio àquilo tudo, que vocês poderão conhecer ou rememorar, a partir do próximo dia 25 de janeiro, no especial Carta Maior 20 Anos.

A ideia é marcar essas duas décadas com depoimentos e análises dos que contribuíram com o surgimento de Carta Maior, durante a “aventura” que foi cobrir um evento daquela magnitude e naquelas condições; e de todos os que seguem conosco na luta por uma comunicação de esquerda neste país.

Neste mês de comemorações, Carta Maior também estará na cobertura do Fórum Social Mundial de 2021, que acontece de 23 a 31 de janeiro, com transmissão online e uma pauta marcada pela reflexão desses vinte anos de FSM. Aos que desejam participar das atividades, as inscrições já estão abertas.

Carta Maior precisa de ajuda

Desde meados de 2016, quando o governo Temer quebrou contratos de publicidade junto à imprensa progressista no país, visando asfixiar economicamente os que usaram corretamente a palavra golpe, Carta Maior vive da contribuição de seus leitores. Ao longo de 2020, por conta das dificuldades financeiras, e de toda a instabilidade gerada pela pandemia, muitos deles deixaram de ser doadores de Carta Maior. Isso nos levou a uma situação financeira bastante crítica.

É por isso que pedimos aos parceiros-doadores que permaneçam conosco. Aos que doaram há mais de seis meses que nos ajudem também neste ano. E, sobretudo, aos leitores assíduos de Carta Maior, que abracem este projeto e busquem aqui uma entre as várias possibilidades de doação que oferecemos.

Isto posto, desejamos a todos um excelente 2021.

E para abrir os trabalhos, oferecemos uma breve seleção de artigos publicados na página nesta primeira semana do ano. Boa parte deles foi escrita para ou traduzida por Carta Maior.

Trump não tomará cianeto
Boaventura Sousa Santos

''O mundo enfrentou esta pandemia em desordem e sem solidariedade'', diz Ignacio Ramonet
Entrevista Ignácio Ramonet (tradução Mariana Serafini)

PT rebaixa programa ao apoiar Baleia Rossi pra Câmara, dizem deputados
Bia Barbosa

Para rebobinar as ideias, depois do colapso e Sob os escombros, as digitais de um responsável
José Luís Fiori

Para Assange nada menos que perdão e liberdade plena
Mariana Serafini

A eletrizante história dos bastidores do 'Aurélio'
Léa Maria Aarão Reis

Democracia não combina com racismo
Samuel Vida

Não, o país não está quebrado
Lygia Jobim

Neoliberalismo e psicopolítica
Liszt Vieira

EUA 2020: Uma eleição não como as outras. Implicações internacionais
Sebastião Velasco

A preguiça na cadência do samba
Maria Rita Kehl

O que esperar de 2021?
Paulo Kliass

Good bye, míster Guaidó
Manuel Cabieses Donoso

E uma última indicação para aqueles que não acompanharam a cobertura da imprensa mundial (em particular, neste caso, a latino-americana) sobre o golpe frustrado nos Estados Unidos: confiram as matérias selecionadas por César Locatelli no clipping Violência, tiros, mortes: golpe fracassa nos EUA, mas expõe monstro nascido do moedor neoliberal.

Boas leituras,

Redação Carta Maior

Conteúdo Relacionado