Cidades

Celebrar a liberdade com ou sem conciliação?

O filme/entretenimento 'Capitão Fantástico' é uma fábula que pretende reforçar a ilusão da liberdade conciliada com o sistema que tem mostrado, na realidade, ser uma solução improvável.

10/11/2019 11:21

(Divulgação)

Créditos da foto: (Divulgação)

 
Capitão Fantástico é uma divertida fábula cinematográfica sobre a liberdade. Para alguns, uma mistura de dois filmes - Pequena Miss Sunshine e Na Natureza Selvagem. Apesar dos clichês e da mistura atabalhoada de gêneros, em particular a partir do meio para o final da narrativa, é um dos filmes mais acessados nas plataformas de streaming pago e se encontra à disposição do espectador brasileiro. Seu título vem de uma canção de Elton John, Captain Fantastic And The Brown Dirt Cowboy, que inspirou Matt Ross, o roteirista e diretor, um ex-ator coadjuvante de filmes comerciais, O Aviador Americano e Psicopata Americano, e que há alguns anos trabalha no cinema como diretor.

A fábula, ou fantasia, estreou há três anos na mostra Un Certain Regard do Festival de Cannes. Relata a origem e o desdobramento da história de um casal que decide se isolar da sociedade civilizada no meio de uma cerrada floresta e lá criar os seis filhos fora da pressão de normas conservadoras, da histeria do consumismo e da mediocridade da vida cotidiana planejada para crianças/robôs, obedientes.

Os pais querem ensinar aos filhos, longe da vida urbana, a possibilidade de sobreviver de modo mais satisfatório, mais espontâneo (embora disciplinado e produtivo) e mais prazeroso.

Um antissistema situado além da existência hipócrita e consumista, refém de preconceitos, hábitos e costumes esterilizados. Conjunto de normas que, décadas atrás, os libertários chamavam de sistemão.

Isto foi possível, em termos, no passado, com os grandes hippies. Hoje, ainda? Uma ode à vida libertária, Capitain Fantastic pretende, no fundo, fazer o elogio da experiência do hipismo dos anos 60/70 e refletir sobre a impossibilidade provável da sua continuidade neste século 21.

Mesmo com o coquetel de comédia, fantasia, drama e roadmovie sucessivos numa mesma narrativa, o argumento é atraente, nessa fábula revisitada do bom selvagem, com vegans reciclados e voltados à esquerda, estudantes dedicados aos estudos de ideologias relacionadas a direitos humanos, leitores infantis que não são hipnotizados pela TV e pelos super heróis. Crianças discípulas de... Noah Chomsky.

Um dos momentos mais divertidos do filme é a tribo libertária, com o pai e os filhos festejando ‘’o dia de Noah Chomsky’’ em substituição ao ‘’dia do natal. ’’

Um dos suportes de Capitão Fantástico é o elenco. Viggo Mortensen no personagem do pai libertário e o veterano Frank Langella no papel do vilão, detestável avô das crianças que não aceita a opção de vida do genro e dos netos. Ambos seguram a história.

Tocantes canções, como a conhecida Sweet Child O’ Mine, determinam o delicado ritmo musical desse bonito conto emoldurado pelas florestas da costa do Pacífico, na sua primeira metade, e que resultou em gordas bilheterias desde sua estréia, dirigido que foi à platéia não só adulta como também de adolescentes interessados em alternativas de vida.

Garimpando neste filme interessante de cinema/entretenimento podem ser recolhias passagens e pensamentos úteis. Desde a crítica às "refeições fáceis, baratas" mencionadas pela tribo dos libertários à onda da massificação da religião organizada: ‘’Toda essa conversa de Jesus que está voltando para nos ver", como diz o filho adolescente.

Mas uma observação relevante é a que faz o pai ao filho que parte para viver independente a trajetória escolhida por ele. É relembrada a partir da canção de Elton John: ’’ Daqui para a frente, meu filho ‘’ diz o pai ao jovem que parte, ‘’ é uma escalada longa e solitária.’’

Terminar um filme de modo enxuto não é fácil. Ross contemporiza, se perde nas sequências/reflexões ingênuas finais e sugere encontrar o meio termo, o festejado bom senso, para apontar a solução do meio termo. A ilusão da liberdade conciliada – na vida contemporânea, praticamente impossível.

Assista ao trailer de 'Capitão Fantástico':



Versão completa legendada em português disponível no Youtube:





Conteúdo Relacionado