Cidades

O que as cidades brasileiras estão fazendo para reduzir as desigualdades?

Terceira edição do Prêmio Cidades Sustentáveis, entre 16 e 20 de setembro, destaca boas práticas e políticas públicas inovadoras, com foco em raça e gênero

05/09/2019 17:32

(Paulo Pereira)

Créditos da foto: (Paulo Pereira)

 
As cidades brasileiras com as mais inovadoras e bem-sucedidas políticas públicas no combate às desigualdades serão o destaque do 3o. Prêmio Cidades Sustentáveis, que será realizado entre os próximos dias 16 e 20 de setembro, em São Paulo, durante a segunda edição da Conferência Internacional Cidades Sustentáveis.

As boas práticas serão avaliadas de acordo com os temas desigualdade econômica, com foco em raça e gênero; acesso a serviços (saúde, educação e infraestrutura) e acessibilidade.

O objetivo é destacar casos exemplares da gestão pública que possam se transformar em referência para outros municípios do país. As políticas inspiradoras e de bons resultados podem melhorar os indicadores em todas as áreas da administração pública.

As desigualdades brasileiras vão muito além da distribuição de renda. Elas estão presentes na falta de acesso adequado a serviços públicos de educação e saúde, na oferta de equipamentos de qualidade à população, e como essa precariedade de serviços impacta principalmente a vida da população negra e das mulheres.

Segundo pesquisa de opinião pública que fizemos no início deste ano em parceria com o Instituto Datafolha, 2 em cada 3 brasileiros coloca o acesso à saúde como uma das prioridades para se ter uma vida de qualidade. Além disso, a maioria dos brasileiros defende a universalidade do ensino público fundamental e médio e do atendimento em postos de saúde e hospitais.

No Brasil, é enorme o abismo que separa regiões extremamente pobres de lugares com índices de países desenvolvidos. Por isso a importância do enfrentamento à desigualdade na esfera pública e a necessidade de políticas que priorizem os investimentos nos locais que mais precisam de recursos.

"Esse é um prêmio muito importante porque estimula as cidades a adotarem práticas que contribuam para a redução das desigualdades no país. Os grandes centros urbanos têm que ser protagonistas nesse esforço coletivo já que uma grande parte da população brasileira vive nas cidades. Nós da Oxfam Brasil estamos muito orgulhosos de participar dessa premiação, que é uma iniciativa da sociedade civil para alimentar o urgente e necessário debate sobre desigualdades, e buscar soluções para esse grande desafio nacional", afirma Katia Maia, diretora executiva da Oxfam Brasil.








Conteúdo Relacionado