Cinema

'De Olhos Bem Abertos' começa na terça-feira

Mostra internacional de cinema engajado: cinema, vídeo, mesas-redondas e debates de 3 a 15 de agosto de 2004 no Centro Cultural Banco do Brasil - Rio de Janeiro

02/08/2004 00:00

 

Em sua segunda edição, a mostra De Olhos Bem Abertos é uma oportunidade rara de conhecer o cinema militante, mas não panfletário, produzido nos quatro continentes, da Europa à África, da Ásia às Américas. Longas recentes, em ficção e documentário, denunciam em primeiro plano a realidade social, política e econômica do mundo em que vivemos. Após setembro de 2001, o cenário não é mais o mesmo. Além de velhos e, aparentemente, insolúveis conflitos regionais, novas guerras foram desencadeadas, causando um número ainda maior de vítimas. No quadro econômico, ressalta o empobrecimento decorrente da mundialização, no social persistem as velhas lutas contra o racismo, a intolerância étnica e religiosa.



De Olhos Bem Abertos 2004 homenageia o boliviano Jorge Sanjinés, um dos mais expressivos cineastas engajados da América Latina. Criador do grupo Ukamau, Sanjinés trabalhou junto às comunidades indígenas e aos operários de seu país, realizando um cinema de forte impacto, seguindo os preceitos de Vertov e Eisenstein. Sanjinés vem especialmente apresentar seu mais recente trabalho: Los hijos del último jardín.

O movimento operário europeu tem hoje grande expressão no cinema e, para representá-lo convidamos o diretor Luc Decaster, com o filme Rêve d’usine (Sonho de fábrica).



É, também, convidado, o argelino Jean-Pierre Lledo, diretor de Un rêve algérien (Um sonho argelino) e Algéries mês fantômes (Argélias meus fantasmas). Exilado na França desde 1993, Lledo é engajado na luta contra o atual regime integrista que se apoderou de seu país.



Na teia:



O filme Sweet Sixteen, de Ken Loach, será exibido pela primeira vez no Brasil (veja trailer).



Confira a programação completa da mostra:



3/8 - Terça

Cinema
14h30 – A razão do mais forte/ La raison du plus fort, de Patric Jean. Bélgica, 2003 (85 min)


16h30 - Além de Gibraltar / Au delà de Gibraltar, Taylan Barman e Mourad Boucif. Bélgica, 2003 (105 min)


18h30 – Sacrifícios/ Sunduk al Dunya, de Oussama Mouhamad. Síria 2002 (112 min)


20h30 - Agadez Nomade FM, de Christian Lelong, Pierre Mortimore. França/Nigéria, 2003 (75 min)

Vídeo
16h- O conformista, de Bernardo Bertolucci. Itália, 1970 (115 min)


19h- A nação clandestina/ La nación Clandestina, de Jorge Sanjinés. Bolívia, 1989 (128 min)



4/8 - Quarta - Novas formas de produção e o fim do trabalho

Cinema
14h30 – O lado esquerdo da geladeira/ La moitié gauche du frigo, de Philippe Falardeau. Canadá, 2000 (90 min)


16h30- Defeito zero/ Zero defaut, de Pierre Shoeller. França, 2002 (95 min)


18h30- Sonho de fábrica/ Rêve d’usine, de Luc Decaster. França, 2002 (98 min)


Sessão seguida de debate com o diretor Luc Decaster e convidados



Vídeo

16h- A coragem do povo/ El corage del pueblo, de Jorge Sanjinés. Bolívia, 1971 (90 min)


19h- Frontierland, de Jesse Lerner. EUA, 1995 (77 min)



5/8 – Quinta - Da mundialização à regressão social



Cinema

14h30 – Pária/ um anjo em perigo / Paria/ Un ange en danger, de Nicolas Klotz. França, 2001 (125 min)


16h30 – Nativos/ Natives, de Jesse Lerner. EUA, 1995 (25 min); O lucro e nada mais / Le profit et rien d’autre, de Raoul Peck. Haiti, 2002 (57 min)


18h – Sweet sixteen, de Ken Loach. Inglaterra, 2002 (106 min)


Sessão seguida de debate com o sociólogo Emir Sader e o jornalista Pedro Butcher

Vídeo
16h- A batalha de Argel/ La battaglia di Argeli, de Gillo Pontecorvo. Itália, 1975 (117 min)


19h- Argélias, meus fantasmas/ Algéries, mês fantômes, Jean-Pierre Lledo. Argélia, 2003. Versão francesa, subtítulos em inglês (106 min)



6/8 – Sexta

Cinema
14h30 – O fundo do ar é vermelho / Le fond de l’air est rouge, de Chris Marker. França, 1977 (180 min)


18h30 – Escolhidos/ Chosen, de Alexis Kouros. Finlândia, 2003 (68 min)


20h – Um sonho argelino/ Un rêve algérien, de Jean-Pierre Lledo. Argélia, 2003 (110 min)


Com a presença do diretor Jean-Pierre Lledo


Vídeo
16h- Site 2 - À margem das fronteiras/ Site 2/ Aux abords des frontières, de Rithy Panh. Camboja, 1989 (105 min)


19h- Roger e eu/ Roger & me , de Michael Moore. EUA, 1989 ( 90min)




7/8 - Sábado

Cinema
16h30 – A paixão de Maria Elena / La pasión de María Elena, de Mercedes Moncada Rodríguez. México, 2003 (76 min)


18h30 – O lado esquerdo da geladeira/ La moitié gauche du frigo, de Phillippe Falardeau. Canadá, 2000(90 min)


20h30 - Ernesto Che Guevara, diário da Bolívia/ Ernesto Che Guevara, journal de Bolivie, de Richard Dindo. França, 1994 (92 min)



Video
16h - Zapatista (54 min)


19h - Para receber o canto dos pássaros/ Para recibir el canto de los pájaros, de Jorge Sanjinés. Bolívia, 1995 (97 min)



8/8 – Domingo

Cinema
16h30 - Passagem para Jerusalém/ Ticket to Jerusalem, de Rachid Masharawi. Palestina, 2002 (85 min)


18h30 - Children: Kosovo 2000, de Ferenc Moldovanyi. Bósnia, 2002 (90min)


20h30- A terra das almas errantes/ La terre des âmes errantes, de Rithy Panh. Camboja, 1999 (98 min)



Vídeo
16h - Ukamau/ Assim é..., de Jorge Sanjinés. Bolívia, 1966 (75 min)


19h - O atentado/ L’attentat, de Yves Boisset. França, 1972 (120 min)



10/7 – Terça

Cinema
14h30 - A razão do mais forte/ La raison du plus fort, de Patric Jean. Bélgica, 2003 (85 min)


16h30 – Um sonho argelino/ Un rêve algerien, de Jean-Pierre Lledo. Argélia, 2003 (110 min)


18h30 - Sweet Sixteen, de Ken Loach. Inglaterra, 2002 (106 min)


20h30 – Abouna / Meu pai, de Mahamat-Saleh Haroun. Chade, 2002 (84 min)



Vídeo
16h - Bophana, uma tragédia do Camboja/ Bophana, une tragédie cambodgienne, de Rithy Panh. Camboja, 1996 (60 min)


19h - O sangue do Condor/ Yawar Mallku, de Jorge Sanjinés. Bolívia, 1996 (87 min)



11/8 - Quarta - O choque das imagens e das palavras – o engajamento do cineasta



Cinema

14h30 – Passagem para Jerusalém / Ticket to Jerusalem, de Rachid Masharawi. Palestina, 2002 (85 min)


16h30 – Children: Kosovo 2000, de Ferenc Moldovanyi. Bósnia, 2002 (90min)


18h30 - Texas-Cabul, de Helga Reidemeister. Alemanha, 2004 (94 min)


Sessão seguida de debate com o jornalista e escritor João Carlos Rodrigues e a cineasta Maria Augusta Ramos.



Vídeo
16h - A grande ilusão/ All the king’s men, de Robert Rossen. EUA, 1949 (109 min)


19h - Danton, o processo da revolução/ Danton, de Andrzej Wajda. Polônia, 1983 (136 min)



12/8 – Quinta

Cinema
14h30- Agadez Nomade FM, de Christian Lelong e Pierre Mortimore. França/Nigéria, 2003 (75 min)

16h30 – Os filhos do último jardim/Los hijos del ultimo jardín, de Jorge Sanjinés. Bolívia, 2004 (220 min)


Sessão seguida de debate com os cineastas Jorge Sanjinés, Orlando Senna e o deputado Fernando Gabeira



Vídeo

16h - O discreto charme da burguesia/ Le charme discret de la bourgeoisie, de Luis Buñuel. França, 1972 (102 min)


19h - Eles não usam black-tie, de Leon Hirzshman. Brasil, 1981 (120 min)



13/8- Sexta

Cinema
14h30 – Abouna / Meu pai, de Mahamat-Saleh Haroun. Chade, 2002 (84 min)


16h30 – Sonho de fábrica / Rêve d’usine, de Luc Decaster. França, 2002 (98 min)


18h30 - Nativos/ Natives, de Jesse Lerner. EUA, 1995 (25 min); O lucro e nada mais / Le profit et rien d’autre, de Raoul Peck. Haiti, 2002 (57 min)


20h30 – Pária/ um anjo em perigo / Paria/ Un ange en danger, de Nicolas Klotz. França, 2001 (125 min)





Vídeo
16h –Diamante bruto, de Orlando Senna. Brasil, 1977 (103 min)


19h – Rosa Luxemburgo, de Margarethe Von Trotta. Alemanha, 1986 (122 min)



14/8 - Sábado

Cinema

16h30 - Texas-Cabul, de Helga Reidemeister. Alemanha, 2004 (94 min)


18h30 - Sweet Sixteen, de Ken Loach. Inglaterra, 2002 (106 min)


20h30 – A paixão de Maria Elena / La pasión de María Elena, de Mercedes Moncada Rodríguez. México, 2003 (76 min)



Vídeo
16h - Isto é o que chamam democracia/ This is what democracy looks like, de Jill Friedberg, Rick Rowley . EUA, 2000 (72 min)


19h - Pão e rosas / Bread and Roses, de Ken Loach. Inglaterra, 2000 (110 min)



15/8 – Domingo



Cinema
16h30 - Sacrifícios/ Sunduk al Dunya, de Oussama Mouhamad. Síria 2002 (112 min) 18h30 - Defeito zero/ Zero defaut, de Pierre Shöeller. França, 2002 (95 min)


20h30 - Escolhidos/ Chosen, de Alexis Kouros. Finlândia, 2003 (68 min)


Vídeo
16h - Kedma, de Amös Gittai. Israel, 2002 (100 min)


19h - Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita/ Indagine su un cittadino al di sopra di ogni sospetto, de Elio Petri. Itália, 1970 (112 min)






Mostra Internacional de Cinema Engajado – De Olhos Bem Abertos
03 a 15 de agosto (de terça a domingo)


Sessões da sala de cinema - 14:30/16:30/18:30/20:30


Sessões da sala de vídeo – 16:00/ 19:00


CCBB Rio - Sala de Cinema / Sala de Vídeo - R. Primeiro de Março, 66 - Centro


Telefone: (21) 3808-2020


Capacidade sala de Cinema: 110 lugares


Capacidade Sala de Vídeo: 100 lugares


Preço: Gratuito. Retirar senha meia hora antes.

foto: Jorge Sanjinés dirigindo (Jump Cut)




Conteúdo Relacionado