Cinema

2021: O Oscar da diversidade

Cada vez mais as mulheres que trabalham na indústria de cinema americana e as várias etnias concorrem à estatueta dourada

22/04/2021 11:33

(Arte/Carta Maior)

Créditos da foto: (Arte/Carta Maior)

 
*Este conteúdo foi atualizado no domingo, 25/04/2021, às 13h30

Vários dos filmes comentados recentemente em Carta Maior são encontrados em plataformas de streaming e podem ser vistos antes da festa do Oscar 2021, no próximo domingo. Na festa do Oscar deste ano dois ícones masculinos da indústria do cinema de Hollywood serão mestres de cerimônia. Brad Pitt e Harrison Ford acompanharão a atriz Reese Witherspoon, e a lista anunciada ainda inclui Joaquin Phoenix, Renée Zellweger, Laura Dern e Bong Joon-ho entre outras estrelas.

Este ano votaram cerca de oito mil membros inscritos na Academia das Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood de 50 países, a maioria americana. Os eleitores brasileiros incluídos de 2018 para cá são os diretores de fotografia Affonso Beato, Heloísa Passos e Walter Carvalho; os diretores Cacá Diegues, Karim Aïnouz e Kléber Mendonça Filho; o ator Rodrigo Santoro, a editora de som Miriam Biderman e o roteirista Mauricio Zacharia. Nelson Pereira dos Santos, falecido em 2018, pertenceu ao grupo que até três anos atrás, no seu conjunto, era visto com tons racistas, e velho e misógino.

Com os eventos de protesto contra a violência policial pipocando nos Estados Unidos e mirando em especial os negros e os mais pobres, com a repercussão mundial do assassinato de George Floyd e a sucessão de denúncias de assédio sexual por parte de poderosos personagens da indústria de cinema, a pressão do público e da comunidade artística aumentou no sentido de abrir o número de eleitores do Oscar para diversas etnias - asiáticos, latinos, afro-americanos.

E com a afirmação sempre crescente dos movimentos feministas e de gênero, acabou abrindo também para o reconhecimento do trabalho de atrizes, produtoras, diretoras, fotógrafas, montadoras e roteiristas. O número de mulheres, de estrangeiros, asiáticos e negros, entre os eleitores da Academia mais do que dobrou em relação a 2015.

Desde 2020 foram observados novos sinais da mudança e da presença de eleitores mais progressistas. Atualmente, a diversidade é bem maior do que antes e pela primeira vez em 93 anos mais de uma mulher disputará o Oscar de direção.

Chloé Zhao, diretora de Nomadland, e Emerald Fennell, de Bela Vingança estão entre os concorrentes ao troféu de direção. Os demais indicados são Thomas Vinterberg, por Druk – Mais uma Rodada; David Fischer, por Mank; e Lee Isaac Chung, por Minari.

Zhao é a primeira mulher não branca indicada na categoria. Nascida e criada na China, ganhou o Globo de Ouro deste ano. A americana Kathryn Bigelow foi a primeira e única cineasta até agora a receber o troféu de Melhor Direção, em 2010, pelo seu Guerra ao terror.

Viola Davis (A Voz suprema do blues) é a atriz negra com mais indicações ao Oscar. Concorre este ano pela quarta vez. E Frances McNormand (Nomadland) também é fortemente cotada para Melhor Atriz.

Anthony Hopkins (Meu pai), Riz Ahmed (O som do silêncio), Chadwick Boseman (A voz suprema do blues), Gary Oldman (Mank) e Steve Yeun (Minari) são os mais cotados para Melhor Ator.

***

(Divulgação)

Mank
Indicado em dez categorias, incluindo Melhor Filme, Direção, Ator, Design de Produção, Fotografia, Figurino, Edição e Mixagem de Som, Atriz Coadjuvante, Trilha Sonora e Cabelo e Maquiagem. Disponível na Netflix.
bit.ly/3att3rN

***



Meu pai
Está no Now, Itunes (Apple TV) e Google Play
bit.ly/3uqHSC9

***

(Divulgação)

Druk- mais uma rodada
No Now, Vivo Play, Sky Play, iTunes/Apple TV, Google Play e YouTube.
bit.ly/3lACGIu

****




Nomadland

Um dos mais fortes candidatos à estatueta dourada, ainda não estreou no streaming. O crítico de cinema Carlos Alberto Mattos escreveu sobre ele. Trecho do seu comentário: ''A ação se passa em 2011. Frances encarna a viúva Fern (esse é o codinome de estada da própria atriz, adepta dos trailers), que pega a estrada depois que o marido morre e a fábrica onde ela trabalhava é fechada. A quem pergunta se é homeless, ela responde ''Não. Sou houseless''. Diferença importante entre casa e lar. A bordo de sua van, estaciona onde lhe permitem e viaja em busca de empregos temporários – ora num centro de empacotamento da Amazon, ora em faxinas ou numa mega plantação de batatas.''
bit.ly/3dEPNpF

***

(Divulgação)

Os 7 de Chicago
Indicado nas categorias de Roteiro Original, Ator Coadjuvante, Fotografia, Edição e Canção Original. Disponível na Netflix.
bit.ly/3xiYoGo

***

(Divulgação)

A voz suprema dos blues
Indicado nas categorias de Melhor Atriz, Ator, Design de Produção, Figurino, e Cabelo e Maquiagem. Na Netflix.
bit.ly/3gB1Hmr

***



O tigre branco
Indicado em uma categoria: Roteiro Adaptado. Também na Netflix.
bit.ly/3uep0XB

***



Destacamento Blood
Candidato em Melhor Trilha Sonora. Pode ser visto na Netflix.
bit.ly/3nf2FX0

***

(Divulgação)

Relatos do mundo
Indicado nas categorias Design de Produção, Fotografia, Edição e Mixagem de Som, Trilha Sonora. Netflix.
bit.ly/3aIM7Sv

***

(Divulgação)

O Som do silêncio
Concorre em seis categorias: Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Roteiro Original, Melhor Som e Melhor Edição. Disponível na Amazon Prime Video.
bit.ly/32DciVR A

***



Borat 2
O filme tem duas indicações: Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Atriz Coadjuvante.Pode ser visto na Amazon Prime Video

***



Era Uma Vez Um Sonho
O filme é indicado nas categorias de Melhor Atriz Coadjuvante e Cabelo e Maquiagem. Netflix.

***

(Divulgação)

Quo Vadis Aida
''Radiografia ficcional do massacre de Srebrenica, Quo Vadis Aida concorre ao Oscar de filme internacional. A denúncia da selvageria sérvia e da inércia global repercute com agudeza e vitalidade.'' Por Carlos Alberto Mattos.
bit.ly/3n8MCKc

***

 

Time
Documentário usa um aparato cinematográfico baseado na intimidade e na emoção para contar uma saga de resiliência à americana. Por Carlos Alberto Mattos. Disponível no Amazon Prime.
bit.ly/32KJ2fI

***

(Divulgação)

Uma Noite em Miami
Filme é intensa conflagração de posturas sobre ativismo, comercialismo, vaidade, liberdade individual e responsabilidade coletiva. Por Carlos Alberto Mattos. Disponível no Amazon Prime.
bit.ly/2QZpC45

***

Para conhecer a relação completa de indicados em todas as categorias, clique aqui.





Conteúdo Relacionado