Cinema

Cinema e Realidade em casa 4

Voltamos a sugerir um cardápio de três filmes, dando continuidade ao projeto Cinema e Realidade em Casa, de ampla repercussão e em cartaz há um mês

28/07/2017 11:51

 

Voltamos a sugerir um cardápio de três filmes para o fim de semana. Deste modo damos continuidade ao projeto Cinema e Realidade em Casa, de ampla repercussão e em cartaz há um mês. Ele tem por objetivo oferecer, não só entretenimento, mas também estimular a reflexão sobre as realidades no mundo e no Brasil. Desta vez, nós sugerimos a produção americana Syriana, de 2005, um grande sucesso na época. Com a sua atualidade permanente é um filme imperdível. A segunda é A terra prometida, também americana, do diretor Gus Van Sant com o ator Matt Dimon, e a terceira, o clássico de Francesco Rosi, um dos mais brilhantes diretores da época de ouro do cinema político italiano. Chama-se O Caso Mattei. É uma história verídica, com o grande ator Gian Maria Volonté no papel principal fazendo o engenheiro Enrico Mattei, defensor do óleo e, em especial das reservas de gás, descobertos, na época, no Vale do Rio Pó – o que traria energia suficiente para propiciar a forte industrialização do norte da Itália.
 
Os três filmes têm um denominador comum. Denunciam manobras sórdidas de bastidores que podem até levar ao assassinato de líderes e personagens que contrariem o interesse das mega petroleiras. São tramas que se desenrolam até hoje, por parte das mesmas empresas petrolíferas que financiam o retalhamento do Oriente Médio, a destruição de países ricos em reservas de combustível - Iraque, Líbia, Síria – e cuja cobiça se volta para o óleo da Venezuela, Irã e – sim! – para o petróleo do Brasil.
 
As histórias desses filmes nos trazem à realidade deste momento, no nosso país, com a Petrobrás sendo liquidada numa espécie de hora da xepa, em fim de feira, e praticamente oferecida a preço vil às petroleiras internacionais, de origem americana e europeia.
 
 
Syriana poderia se chamar “Corrupção S/A”, diz o jornalista André Lux, na sua resenha. “ Dirigido por Stephen Gaghan, roteirista do excelente filme Traffic, conta com elenco de primeira linha liderado por George Clooney (também um dos produtores executivos) para mostrar, com tintas realistas e engajamento político, a podridão que envolve o mundo dos negócios - no caso o de exploração e venda de petróleo no Oriente Médio.’’ A pergunta de Lux: será que os porta vozes da difusão da tão propagada “necessidade” das privatizações, nas últimas décadas, terão que rever seus valores após assistir ao filme?
 
Confira a resenha aqui: http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Midia/-Syriana-um-filme-que-poderia-chamar-se-Corrupcao-S-A-/12/13170
 
Divulgação
A terra prometida (2012) “é uma história bem conhecida em praticamente todos os cantos do mundo,’’ escreveu o jornalista Marco Aurelio Weissheimer em Carta Maior. “Funcionários de uma grande corporação são enviados a uma pequena cidade do interior, de base agrícola e em decadência econômica, para fazer uma proposta aparentemente irrecusável. Dirigido por Gus van Sant, ela se passa no interior dos Estados Unidos. Steve Butler e Sue Thomason são funcionários de uma grande corporação da área de energia e desembarcam em uma pequena cidade rural dos grotões dos EUA, para tentar negociar com os moradores os direitos de perfuração de suas propriedades para a exploração de gás natural. ‘’
 
Confira a resenha aqui:  http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Cultura/A-Terra-Prometida-e-a-identidade-perdida-da-America-/39/29186
 
Arquivo
O Caso Mattei é do mesmo diretor de outro filme clássico, O bandido Giuliano. Diz o jornalista Flavio Aguiar, na sua apreciação do filme, em Carta Maior: “ (...) o engenheiro italiano Enrico Mattei foi assassinado (hoje isto está judicialmente aceito, embora sem apontar os culpados) em 1962, num atentado contra o avião em que ia da Sicília para Milão e que matou também o piloto e um jornalista que o acompanhava.  Mattei (1906/1962) foi o engenheiro nomeado presidente da companhia Agip (Azienda Generale Italiana Petrolio), fundada por Benito Mussolini, para fechá-la. Ao invés disto, convocando técnicos demitidos no pós-guerra, ele reativou-a, dinamizou-a e refundou-a sob o nome de Ente Nazionale Idrocarburi (ENI).”
 
Confira a resenha aqui: http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Petrobras-um-filme-a-ser-revisto/4/32548
 
Estas produções mostram a atuação e as consequências do domínio das corporações e do sistema financeiro em vários países do globo. Uma ingerência nos governos de países com instituições democráticas mais vulneráveis, como é o caso do Brasil, e um ataque intolerável que começa agora a ser desvendado pela mídia alternativa digital à soberania das nações.
 
A velha mídia se apresenta, em todas essas tramas criminosas, como parte desse aparato político que impõe o mais brutal neoliberalismo.
 
Nós, como Mídia Alternativa, e com poucos recursos, estamos lutando pela democratização da comunicação.
 
Carta Maior está nesta trincheira há mais de 16 anos e hoje depende, integralmente, da colaboração de seus leitores. Para que possamos continuar nesta luta precisamos que você se torne parceiro da Carta Maior (saiba como aqui).
 
Confira os três ótimos filmes desta semana. Não deixe de chamar os seus amigos e parentes para debatê-los e, se quiser, envie um texto para nós resumindo essa discussão.
 
Bom fim de semana e bons filmes.

* Estas produções estão disponíveis em DVD, no Now, Netflix e youtube.
 
 **  Jornalista







Conteúdo Relacionado