Cinema

Cinema em casa em tempos de coronavírus (IV)

 

31/03/2020 13:04

(Arte/Carta Maior)

Créditos da foto: (Arte/Carta Maior)

 
LEIA TAMBÉM:
:: Cinema em casa em tempos de coronavírus (I)
:: Cinema em casa em tempos de coronavírus (II)
:: Cinema em casa em tempos de coronavírus (III)
::
Um presente sedutor vem de Portugal

Amenizar a solidão e a mesmice trazidas pelo regime de quarentena e o consequente confinamento obrigatório é necessário. (Que os genocidas do Planalto se calem e se retirem.) Criar e estabelecer uma nova rotina para as próximas semanas também. A companhia de filmes de diversas origens e com temas variados pode ajudar a aproveitar esse tempo inquietante e incerto de agora com lazer e reflexão. Cinema, música, leituras, cultura são bem-vindos.

Esta semana propomos um clássico, o célebre e premiado documentário Democracia em vertigem, de Petra Costa. Para ser revisto com calma. É um recado reiterado para que não se esqueça o que ocorreu e como aconteceu o processo inominável do impedimento político da presidente Dilma Rousseff.

Outro documentário, de Michael Moore, pode ser reprisado. Sicko aborda a violência contida na mercantilização do sistema de saúde e aponta a necessidade vital de uma rede pública de atendimento universal e de referência. O SUS está aí para ser respeitado, subsidiado, financiado e aperfeiçoado.

Ficção de alto nível, o japonês Assunto de família, do mestre Hirokazu Kore-eda.

Os terraplanistas são o tema do filme Negação, baseado em fatos reais. O oscarizado Roma, do mexicano Alfonso Cuarón, um excelente programa, assim também como Trumbo, o escritor e roteirista americano uma das principais vítimas da era macartista dos anos 40 nos Estados Unidos.

Cartazes recentes, La antena e Diga quem eu sou. E sempre, Karl Marx, aquele que iluminou os caminhos - desde a sua juventude em Paris - reencontrado no filme O jovem Karl Marx.

***

(Divulgação)

Democracia em vertigem
''Na extraordinária montagem do filme (feita a 12 mãos mais 18 adicionais!), dois momentos se destacam pelo teor dramático e de revelação. No primeiro, Petra Costa chama atenção para a tensão e a coreografia de Michel Temer na cerimônia de posse da Dilma, evidenciando já ali seu alheamento em relação ao que se passava. No outro, a edição destaca o olhar misto de indignação e desafio de Dilma diante de um Congresso faminto para metralhá-la na audiência do impeachment.'' Carlos Alberto Mattos. Um filme para ser visto e revisto várias vezes. Para não esquecermos. E para não se repetir. Na Netflix.
:: Leia mais :: Como um país muda de pele
:: Leia mais :: O que aconteceu com o Brasil


***



Negação
Este cartaz da Netflix focaliza a Era da Negação, a Era da Boçalidade, a Era do Mal-Estar.
Entramos nos tempos da negação a tudo que contrarie interesses pessoais, políticos, geopolíticos, econômicos, militares, a História, a Ciência, o Meio Ambiente. Provas cabais são destituídas pelos ''negacionistas'', profissionais de plantão do grupo daqueles que provocam e ou dos que vomitam absurdos. Negação relembra um caso rumoroso, de 1993, envolvendo uma escritora, historiadora, pesquisadora e professora universitária americana, do Texas, e um escritor aventureiro de Londres, um ''negacionista'' da carnificina de Hitler. Detalhe: ele era bem recebido em alguns círculos de historiadores e cientistas britânicos.
:: Leia mais :: Mentiras e falsificação da verdade

***

 

Roma
Na resenha de Carta Maior: ''Acompanhamos por cerca de um ano uma família da alta classe média do bairro de Roma, na Cidade do México, entre 1970 e 1971. Era ainda o longo período de governo autoritário do PRI e suas milícias que massacravam esudantes.'' Disponível na Netflix.
:: Leia mais :: A Macabéa mexicana

***



Sicko - SOS Saúde
Imperdível. Assunto: a mercantilização da saúde. Carta Maior publicou um ótimo texto sobre o doc de Michael Moore, de autoria de Amy Goodman (Democracy Now) com a reação dos grupos dos planos de saúde privados nos Estados Unidos quando do lançamento de Sicko. Goodman escreve: " Denúncia de um informante do nosso noticiário alertou para comentários de executivos de empresas de planos de saúde que pensaram que talvez fosse necessário colocar em marcha um plano para “atirar Moore pelo precipício.” No Youtube.
:: Leia mais :: A indústria dos planos de saúde contra Michael Moore
:: Leia mais :: SICKO – S.O.S. SAÚDE

***



Trumbo
Trata-se da história dramática do escritor e roteirista de filmes produzidos pela máquina de Hollywood, James Dalton Trumbo, adorado pelo público por conta das histórias e dos diálogos memoráveis que criou para muitos filmes. Anos 40. Uma noite, ao sair de uma sessão de cinema em Los Angeles, e reconhecendo-o como a mesma pessoa que vira momentos antes, no cine jornal, sendo acusado de comunista e traidor, um midiota, perguntou: ’você é o Trumbo?’. Diante da afirmativa do escritor insultou-o e atirou um copo cheio de bebida na sua cara. O filme mostra o calvário de Dalton Trumbo durante a era macartista. Disponível na Amazon Prime vídeo, Telecine Play, GloboPlay.
:: Leia mais :: Trumbo: O homem íntegro diante de um tribunal de exceção

***



Contágio
O professor da Universidade da Califórnia e membro do Conselho Editorial da New Left Review, Mike Davis, ilustre militante socialista americano, escreveu recentemente: ''Hollywood, é claro, abraçou com tudo esses surtos e produziu uma série de filmes para nos provocar e amedrontar. Contágio, de 2001, dirigido por Steven Soderbergh, se destaca pela precisão científica e pela sua espantosa antecipação do caos atual.'' No HBO Go, NOW e Youtube.
:: Leia mais :: Bastidores de uma epidemia letal

***

(Divulgação)

O jovem Karl Marx
O objetivo do filme, segundo o seu diretor haitiano, é comemorar os 170 anos (em 2017/2018) do lançamento em alemão do Manifesto Comunista de Marx. O seu exílio, em Paris, aos 26 anos; os primeiros anos do casamento com Jenny e, sobretudo, o encontro com o rico e burguês Friedrich Engels que viria ser o amigo dileto e coautor do documento fundador da filosofia da classe trabalhadora. Na Amazon Prime Vídeo, Telecine Play, GloboPlay.
:: Leia mais :: Marx, quem diria, aplaudido na Barra da Tijuca

***



La Antena
Distopia. ''Numa cidade não identificada, num tal ano XX que evoca as décadas de 1920/30, as vozes dos habitantes foram sequestradas por um certo Sr. TV, figura mabuseana que domina as atenções e o consumo da população. As pessoas se comunicam por leitura de lábios e se alimentam apenas com o biscoito Alimento TV, que os mantém escravos do fabricante.'' Trecho de resenha de Carlos Alberto Mattos. Filme disponível na Netflix.
:: Leia mais :: A cidade sem voz

***



Assunto de família
Assunto de família, do japonês Hirokazu Kore-eda, confunde, espicaça, mobiliza e põe em xeque um dos mais importantes ‘‘fundamentos da ideologia da direita brasileira, atolada no neopentecostalismo, ’’ como escreveu Luiz Gonzaga Belluzzo. Trabalhando pelo avesso, o filme desconstrói a crença da célula familiar convencional necessária a uma determinada estabilidade social e ancoradouro de um grupo de indivíduos partilhando a mesma identidade por meio de vínculos de sangue; e subverte o culto da imagem familiar idealizada que existe apenas nos álbuns de fotografias. Disponível na Netflix e no Youtube
:: Leia mais :: A imagem da família fora do álbum de fotografias

***



Diga quem eu sou
''Tell Me Who I Am coloca Alex e Markus diante da câmera para contarem essa incrível história. No primeiro ato, Alex narra do seu ponto de vista como foi preencher o vazio e estruturar uma identidade a partir do que o irmão lhe contava. No segundo ato, Markus relata suas mentiras piedosas, que serviam também para aliviar em si mesmo um trauma sobre abuso sexual na infância. No terceiro ato, os dois se confrontam para uma revelação ainda mais dolorosa.'' Resenha de Carlos Alberto Mattos para esse filme com excelente argumento. No catálogo da Netflix.
:: Leia mais :: Mentiras fraternas

***



Um presente sedutor vem de Portugal

Acaba de ser liberada pelos seus respectivos autores uma seleção de filmes portugueses para assistir gratuitamente, em casa e com calma. Animação para as crianças, curta-metragem de bom gosto, o papel da mulher na ditadura salazarista, um perfil de Carmen Miranda, ficções e documentários que vêm do país europeu mais disciplinado - e com índices não tão sinistros de óbitos como os da Itália e da Espanha. Isolamento cumprido com zelo e responsabilidade, a quarentena de lá está incluída, é claro, na relação de todos os países do planeta. Exceto em duas governanças vergonhosas - Brasil e Bielorússia.

***



Água Mole
Que tal uma viagem com (ou sem) os miúdos até Trás-Os-Montes e ao Alto Douro? Esta curta-metragem de animação documental conta-nos várias histórias de tradição popular narradas pelos poucos residentes de algumas aldeias nortenhas. Os desenhos cruzam-se com as vozes de senhoras e senhores e fazem-nos pensar na desertificação do interior e na preservação cultural. Um filme de Alexandra Ramires (Xá) e Laura Gonçalves.
:: CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR

***



Maria do Mar
Quem não dava tudo por um fim-de-semana com amigos e amigas numa casa de praia? Sol, mar, juventude, férias: tudo o que poderia acontecer na quinzena de Páscoa, só que não. A curta-metragem de João Rosas passeia-nos pela areia enquanto sorrimos das pequenas histórias banais ou dançamos ao som do mar. Um verão adolescente com direito a sestas em camas de rede.
:: CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR

***



Menina
Como é que em 12 minutos compreendemos a vida numa família de classe média durante o Estado Novo? Assistindo a esta curta de Simão Cayatte. Qual o lugar da mulher? Em casa. Como deve ser? Prendada. Para que serve? Cuidar da casa e dos filhos. A vida de uma mulher fechada em casa e sem poder respirar - uma herança da qual nós ainda fazemos parte. Uma viagem a outros tempos para desconstruirmos os atuais.
:: CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR

***



Tragam-me a cabeça de Carmen M.
Uma história do passado contada no presente, uma crítica à aparente vida bela e uma ode à real vida dura. "Americanizada" dizem uns, "traidora" outros, tropical em Portugal e exótica no Brasil: não faltam adjetivos para descrever a famosa cantora Carmen Miranda. Esta longa dirigida por Felipe Bragança e Catarina Wallenstein leva-nos a um Brasil do agora com uma narrativa de outrora.
:: CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR

***



Sophia, na Primeira Pessoa

Um documentário sobre Sophia de Mello Breyner contado pela própria. A voz feminina guia-nos por vídeos, fotografias, paisagens, como se ela própria tivesse realizado o filme. Uma forma pessoal de vermos a obra e vida da escritora num filme realizado por Manuel Mouzos para a RTP.
:: CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR

***



O Sapo e a Rapariga
Uma adaptação para os tempos modernos do conto tradicional português "O Sapo e a Rapariga". A história de uma rapariga que tem de lavar a roupa mas a lavandaria está fechada... O cruzamento entre o moderno e o antigo, entrelaçado numa história de encantar sobre um sapo, delicadamente realizado por Inês Oliveira.
:: CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR

***



Os olhos do Farol
Filha de um faroleiro, o único amigo da rapariga é o mar: traz prendas, ondas e faz companhia. Uma curta de animação passeia-nos na costa portuguesa, entre imagens reais e desenhos animados. Uma caminhada na praia num fim-de-semana solarengo, mas a noite é escura, e nas grutas escondem-se medos... Uma obra de Pedro Serrazina.
:: CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR

***



Revolução Industrial
Numa viagem pela margem do Rio Ave conhecemos uma das regiões portuguesas onde a revolução industrial chegou. Entre fábricas cheias de gente, máquinas barulhentas, e edifícios abandonados onde outrora tantos trabalharam, conhecemos a história de um lugar - Vale do Ave - e das suas gentes. Um filme documental de Tiago Hespanha e Frederico Lobo.
:: CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR

Conteúdo Relacionado