Cinema

Odisseias na empresa e no espaço

''O Chão sob Meus Pés'' e ''High Life'', disponíveis no streaming, têm personagens em situações limítrofes no drama profissional e na ficção científica

11/10/2020 14:42

O Chão sob Meus Pés

Créditos da foto: O Chão sob Meus Pés

 
Inferno profissional

Para vencer na vida, as mulheres de negócios contemporâneas precisam ser impiedosas, cumprir turnos de trabalho extenuantes e manter um condicionamento físico e emocional impecável. Precisam, principalmente, deixar seus assuntos particulares completamente separados (se possível, escondidos) do ambiente profissional.

A protagonista de O Chão sob Meus Pés (Der Boden unter den Füssen) é assim. Lola Wegenstein (Valerie Pachner) é uma consultora de reengenharia que vive na ponte aérea entre a Áustria e a Alemanha, correndo contra o relógio para dar conta do trabalho, dos exercícios físicos, dos cuidados com a irmã portadora de esquizofrenia paranoica e da relação amorosa que mantém com sua chefe (Mavie Hörbiger). Preservar o segredo sobre tudo isso é fundamental para sua performance no trabalho.

As coisas se complicam quando a irmã de Lola tenta o suícídio e passa a requerer uma assistência mais efetiva. Sob o peso de tanta responsabilidade e em meio a sobressaltos, ela tem a sua própria sanidade mental posta em risco.

Lola é especialista em salvar empresas da falência mediante o corte de pessoal e a repaginação de estruturas. Para preservar sua imagem de eficiência, ela precisa colocar os afetos de lado, o que vem fazendo há algum tempo em seu próprio prejuízo.

O filme da austríaca Marie Kreutzer faz um estudo minucioso dessa mulher à beira de um ataque de nervos. A performance de Valerie Pachner, acompanhada em qualidade por todo o elenco, dá credibilidade a cada nuance da trip psicológica de Lola. Ao mesmo tempo, temos uma visão dura e crua de uma sociedade que provê os melhores recursos de atendimento (vide a pensão para animais domésticos), mas exige das pessoas uma dedicação mortífera e uma frieza tumular. Nesse círculo de estresse e competição, Lola verá que não há chance nem para o amor, nem para a sororidade.

O Chão sob Meus Pés está no Now e no Vivo Play.


***

High Life

Ficção dentro de uma geladeira

Não se pode negar que Claire Denis é uma realizadora peculiar em sua predileção por subverter expectativas de filmes de gênero. Em seu primeiro exercício de ficção científica e primeiro filme falado em inglês, ela pretendeu especular sobre maternidade, paternidade, redenção e condenação.

High Life, roteiro original de Claire e seu frequente colaborador Jean-Pol Fargeau, não se incomoda de soar bizarro aqui, macambúzio ali, inconsistente quase sempre. Numa estranha nave espacial que mais parece um apartamento gigante com estufa de plantas e espaços que nunca se integram visualmente, um homem cuida de sua filha bebê entre corpos de companheiros desfalecidos. Monte (Robert Pattinson) é um dos criminosos que trocaram o corredor da morte por participar dessa viagem espacial em busca de extrair energia de um buraco negro. Eles desconfiam de que nunca mais voltarão à Terra, mas podem em troca se transformar em heróis da Humanidade.

A narrativa retroage para mostrar como Monte e sua filhinha chegaram até ali. Conhecemos, então, seus companheiros de viagem, entre os quais uma médica condenada por filicídio (Juliette Binoche), que conduz experiências de inseminação artificial dentro da nave a fim de obter uma criança saudável que a redima. Mais não convém contar para não estragar as insólitas – e frequentemente bisonhas – surpresas que virão. Basta dizer que um erotismo psicótico inclui estupro e leva Binoche, com uma cabeleira de Medusa, a protagonizar uma das mais esdrúxulas cenas de sexo solitário da história do cinema.

O filme parece se passar dentro de uma grande geladeira. Imagens bonitas porém frias se sucedem ao som de um constante hummm. O estilo gélido, característico da diretora, é por vezes quebrado por irrupções de violência e muito sangue e esperma, como que para cumprir ao menos um dos mandamentos da ficção científica mais cruenta. Desse balanço entre aspereza, algidez e escatologia nasceu um filme mais obscuro que ousado.

High Life está nas plataformas Now, GooglePlay, Looke e iTunes







Conteúdo Relacionado