Cinema

Uma mulher forte em Lampedusa

No filme italiano 'Respiro' o símbolo da mulher libertária e o desassossego para existir

06/04/2021 13:28

(Divulgação)

Créditos da foto: (Divulgação)

 

O filme é produto do que o diretor italiano Emanuele Crialese observou em um período de férias que ele passou em Lampedusa, no sul da Itália, a ilha ao sul da Sicília, destino predileto, porque mais acessível, dos refugiados africanos que fugiam e ainda hoje fogem, dos sangrentos conflitos ocasionados no seu continente e no oriente médio por governos ocidentais. Lampedusa, cenário de Respiro, se passa naquele pedaço de território italiano pobre onde uma colônia de pescadores se encontra bem distante do estado decantado do bem estar social europeu.

Produzido há quase vinte anos, o filme foi incluído este mês no catálogo da plataforma de streaming Belas Artes/À la carte e vem atraindo novos espectadores. Aqui, o seu título, num país onde a atmosfera sanitária e política se tornou irrespirável, conquista o público, mesmo sendo ele um filme eminentemente comercial. Acena com ar fresco apesar da história dramática.

Respiro não se relaciona com a tragédia que estamos vivendo há um ano, do Brasil à mercê de um governo bronco com um administrador doente mental.

O filme foi realizado simplesmente para a bela estrela italiana Valéria Golino brilhar. Ela encarna, no caso, a protagonista símbolo da ânsia, naquela época não muito distante - ano de 2002, quando ele recebeu o premio da Crítica do Festival de Cannes -, no rastro do começo do novo milênio, quando as mulheres começavam a praticar com efetividade o feminismo estrutural que ia se organizando em ampla escala.



A história é esta: mãe de três filhos, Grazia mora com o marido em uma ilha italiana. Como todas as mulheres da colônia de pescadores lá existente ela trabalha na limpeza da profusão de peixes, polvos, sardinhas e calamares que os homens trazem diariamente. Sonha em viajar. Mas apenas se permite tomar banhos de mar nua, com os filhos, nas praias desertas, o que é motivo para o escândalo imperdoável e previsto.

Trata-se da clássica história da mulher bonita, diferente das demais porque é vigorosa, cheia de energia e deseja seguir sua trajetória de vida sem se formatar aos valores e preceitos vigentes. Desafia o conservadorismo da comunidade no quadro das bonitas imagens do Mediterrâneo oferecidas por Crialese.

Como a pequena população da vila à beira mar a considera ''louca'' - em especial as mulheres, é claro - pressiona seu marido para que a rebelde seja levada para Milão onde será internada num hospício. Ele se recusa, mas aterrorizada com a perspectiva Grazia foge.

O elenco do filme é amador, composto pelos habitantes da vila, a grande maioria garotos e adolescentes rudes, quase bestiais, o que deve ter surpreendido Crialese nas suas férias em Lampedusa. A garotada, para marcar o primitivismo do ambiente tem papel de definição direta nas primeiras sequências de apresentação do drama.

Respiro é de qualidade cinematográfica mediana. Mas nos dá oportunidade para fantasiar, mergulhando nas águas mediterrâneas e aspirando um ar menos nauseabundo neste momento.



Conteúdo Relacionado