Clipping Internacional

Clipping Internacional - 02/12/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil, especial eleições; Notícias do Mundo; e Artigos

02/12/2020 10:02

(Reprodução/The Guardian)

Créditos da foto: (Reprodução/The Guardian)

 
1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

MORO. Juiz e parte: Moro agora trabalha na consultoria que administra a falência da Odebrecht. Antes no comando da Lava Jato. O ex-juiz e ex-ministro da Justiça do Brasil Sérgio Moro foi contratado como advogado pela empresa norte-americana que administra o processo de falência da construtora Odebrecht, eixo do sistema de suborno descoberto pela Operação Lava Jato, da qual estava o ex-magistrado de extrema direita por quatro anos. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pediu explicações ao ex-juiz federal de Curitiba para sua nova função, já que foi Moro quem acatou as denúncias de corrupção do grupo Odebrecht, cujos proprietários e executivos condenou e reduziu a pena em troca de confissões . (Página 12, Argentina) | bit.ly/3mAjc6z | bit.ly/2Vp9h7W

BOULOS. Boulos, o ativista que dá esperança à esquerda no Brasil. Candidato do PSOL não chega à prefeitura de São Paulo, mas empolga quem se desencanta com o partido de Lula. formação que governou o Brasil por 13 anos vive seu pior horário, embora ainda mantenha sua musculatura. O PSOL mas é visto pelos eleitores como sinônimo de futuro, de esperança. É como se Boulos e o PSOL fossem um filho adolescente vigoroso entrando na idade adulta, enquanto o PT e Lula mais pareciam um cavalheiro com um passado glorioso que envelhece mal. (El País, Espanha) | bit.ly/3mvqRmA

GOVERNO BOLSONARO/MACARTISMO. O governo de Bolsonaro recebeu relatório classificando jornalistas, professores universitários e youtubers como "detratores", "neutros" ou "favoráveis". No trabalho, são sugeridas medidas como o "acompanhamento preventivo das publicações" dos opositores do Executivo e em particular do ministro da Economia, Paulo Guedes, e da sua pasta. O governo brasileiro liderado por Jair Bolsonaro contratou uma empresa de comunicação que produziu uma reportagem sobre as publicações de mais de 80 jornalistas e outros formadores de opinião, como professores universitários e conhecidos youtubers. Este novo relatório vai um pouco além, pois classifica os profissionais como "detratores", "neutros" e "favoráveis", em linguagem semelhante. a que os órgãos repressivos da ditadura militar costumavam enquadrar as pessoas que eram objeto de suas investigações. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3qkkUv9

PAÍS A MERCÊ. Assaltantes de banco armados com armas de nível militar sitiaram uma cidade no sul do Brasil, incendiando veículos, sequestrando funcionários do governo, explodindo um banco e se envolvendo em um tiroteio de duas horas enquanto o prefeito implorava aos moradores para ficarem em casa. Um comboio de veículos de luxo, incluindo Audis, Land Rovers e BMWs, cruzaram a cidade carregando um pelotão de invasores mascarados cujo arsenal incluía rifles de calibre 50 capazes de derrubar helicópteros. Uma deputada local disse que “uma situação de guerra” se desenrolava na cidade e um jornalista comparou a greve a um filme de faroeste. Em período recente houve três assaltos de mesmo tipo no país. (The Guardian, Inglaterra; The New York Times, EUA; Público, Portugal; Diário de Notícias, Portugal; The Washington Post, EUA; The Wall Street Journal, EUA; Jornal de Notícias, Portugal) | bit.ly/2JGOlqf | bit.ly/3mAjgTR | nyti.ms/3fZv1R8 | bit.ly/39ASg2M | bit.ly/2Vyz6lT | wapo.st/36toRpk | on.wsj.com/3mx5cKU | bit.ly/2VoI7hD

BOLSONARO/ELEIÇÕES. Imprensa francesa: Eleições foram "severa advertência” a Bolsonaro, que perde apoio para 2022. Os jornais franceses desta terça-feira (1°) analisam os resultados das eleições municipais no Brasil e apontam que o principal perdedor do pleito foi o presidente Jair Bolsonaro. "Da derrota de seu aliado Donald Trump à chegada da segunda onda de Covid-19 no Brasil, passando pelo tapa que recebeu nas eleições municipais, em três semanas, Bolsonaro acumulou fracassos e inconvenientes, um prenúncio de dias difíceis para o futuro do seu governo", diz o Le Figaro. (RFI,França) | bit.ly/3fXOx0u

ECONOMIA. OCDE: Brasil conseguiu evitar recessão acentuada, mas situação das contas públicas preocupa. O Brasil deve registrar um crescimento de seu Produto Interno Bruto (PIB) de 2,6% em 2021 e de 2,2% em 2022, segundo novo relatório de previsões da OCDE. O documento, que releva as perspectivas da entidade para a economia mundial, foi divulgado nesta terça-feira (1), em Paris. A entidade considera que a forte resposta da política fiscal e monetária do governo brasileiro à crise gerada pela pandemia de Covid-19 conseguiu evitar uma contração econômica mais acentuada. (RFI,França) | bit.ly/36AaOP7

CORONAVÍRUS/VACINA. O Brasil dará prioridade a idosos, profissionais de saúde e indígenas na vacinação contra a Covid-19, segundo uma estratégia "preliminar" de vacinação divulgada hoje pelo Ministério da Saúde. O plano será dividido em quatro etapas de prioridade, sendo a primeira destinada a trabalhadores da área da saúde, população idosa a partir dos 75 anos, cidadãos com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência, como lares ou instituições psiquiátricas, e à população indígena. A segunda fase abrange pessoas entre os 60 e 74 anos, a terceira fase é destinada a pacientes com comorbidades. (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/2Vpzrr1

COVID-19. Brasil ultrapassa 173 mil mortes por coronavírus. O país soma mais 21 mil infectados em 24 horas e ultrapassa 6,3 milhões de casos. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/36w7fcI

AMAZÔNIA. Novo surto de desmatamento no Brasil. O desmatamento na Amazônia aumentou 9,5% em um ano. Um fraco desempenho que confirma os receios das ONG. A pressão internacional contra o governo Bolsonaro deve se intensificar. (Les Echos, França; Le NOuvel Observateur, França; Deutsche Welle en, Alemanha; Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/36xBdNs | bit.ly/3fYzWSx | bit.ly/3lAAnn3 | bit.ly/2JGOdXN

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

EUA/TRUMP. O Procurador geral de Trump, William Barr declara não haver qualquer evidência de uma fraude eleitoral que pudesse alterar o resultado da eleição. Ele William Barr disse que o Departamento de Justiça dos EUA não descobriu evidências de fraude eleitoral generalizada que mudaria o resultado da eleição presidencial de 2020. Os comentários do procurador-geral vêm apesar das repetidas alegações de que a eleição de Trump foi roubada e sua recusa em conceder a Joe Biden. Mas Trump, através de seus advogados de campanha insiste em manter a acusação de fraude nas eleições. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2VqM0mf

CUBA. Artistas protestam e conseguem acordo com Ministério da Cultura. Na passada quinta-feira, a polícia cubana despejou de uma casa jovens que faziam greve da fome contra a prisão de um rapper. Ao longo do dia, foram-se concentrando pessoas junto ao ministério e trinta representantes reuniram com o vice-ministro durante várias horas. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/3mAnhaM

ESPANHA. Maré Branca: milhares nas ruas de Madrid em defesa da saúde pública. Cerca de dez mil pessoas protestaram contra a gestão da pandemia da Comunidade de Madrid, governada pela direita. Contestam a operação de propaganda em torno da construção de um “hospital de emergência”, enquanto fecham camas e falta pessoal nos cuidados de saúde primária. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/3lsemqN

ARGENTINA. A recessão na Argentina será a maior entre os países do G20. A OCDE prevê um colapso de 12,9% em 2020, superior ao da Espanha e do Reino Unido. O México cairá 9,2% e o Brasil 6%. As restrições da pandemia vão devastar um cenário que já apontava para números vermelhos no primeiro trimestre, produto de dois anos de recessão, dívida externa inadimplente e inflação que continua em disparada. As restrições da pandemia fecharam o círculo de um negro 2020, ainda mais do que aquele 2002 da crise do ‘corralit’, quando a atividade despencou 10,9%. (El País, Espanha) | bit.ly/3mwGQAJ

POBREZA EXTREMA. A pandemia Covid-19 colocou milhões de pessoas na pobreza extrema. Quase 235 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária em todo o mundo, um novo recorde de acordo com a ONU, que está lançando um apelo humanitário de 35 bilhões de dólares para 2021. (Le Monde, França) | bit.ly/2VoTgii

TRUMP. Trump discutiu o perdão a 3 filhos, a Kushner e a Giuliani. O presidente Trump disse ter falado sobre perdões preventivos para Donald Jr., Eric e Ivanka Trump, bem como para Jared Kushner. Rudolph W. Giuliani, que está promovendo alegações infundadas de fraude eleitoral generalizada, falou sobre um perdão com o presidente Trump na semana passada. O presidente Trump discutiu com os conselheiros se deve conceder perdões preventivos a seus filhos, a seu genro e a seu advogado pessoal Rudolph W. Giuliani, e conversou com o Sr. Giuliani sobre perdoá-lo na semana passada, de acordo com a duas pessoas informadas sobre o assunto. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/3mrPCjA

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS/REPORTAGENS

David Adler e James Schneider – Trabalho (The Guardian, Inglaterra) | Os trabalhadores da Amazon lutam por seus direitos. A pandemia tornou Jeff Bezos inconcebivelmente rico - mas seus trabalhadores estão trabalhando longas horas na linha de frente da pandemia. Devemos pensar neles.” | bit.ly/2I0F4ce

Gustavo Veiga – Argentina/Rugby (Página 12, Argentina) | “Los Pumas, ou civilização e barbárie. Reflexões sobre a distância entre a seleção nacional de rugby e a sociedade” | bit.ly/3lttAM1

Emir Sader – Brasil (Página 12, Argentina) | “Brasil sai melhor das eleições municipais” | bit.ly/3lw3TKT

Pol Pareja – Assange (El Diário, Espanha) | “Por que o futuro de Assange deve preocupar jornalistas (e cidadãos) ao redor do mundo” | bit.ly/3mJXNYV

Robert Reich – EUA (Commondreams, EUA) | “Voltar ao ‘normal’ é perigoso demais para ser considerado” | bit.ly/3mx5e5u

Tom Engelhardt – EUA (Commondreams, EUA) | “A história do declínio e queda do Império Norte-Americano” | bit.ly/2Vt8jYo

John Cassidy – EUA (The New Yorker, EUA) | “O maior desafio enfrentado pela nova equipe econômica de Joe Biden” | bit.ly/3fXOxh0

Gianni De Bellis e Mario Fragnito – Capitalismo (Sinistra in Rete, Itália) | “2001-2016: Centralização do capital e crise financeira, ou crise, portanto centralização do capital?” | bit.ly/2HZv8Qa



Conteúdo Relacionado