Clipping Internacional

Clipping Internacional - 05/05/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

05/05/2020 09:03

Uma campanha chamada

Créditos da foto: Uma campanha chamada "Pela vida de nossas mães" exige que as empregadas recebam licença remunerada do trabalho. (Dado Galdieri/Bloomberg/Getty)

 

1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

A TRAGÉDIA BOLSONARO

Público, Portugal | Bolsonaro nomeia subordinado de Alexandre Ramagem para comandar Polícia Federal. Divergências sobre a chefia da PF levaram à saída de Moro do Governo. A primeira escolha de Bolsonaro era Alexandre Ramagem, mas STF bloqueou-a. Ramagem é amigo íntimo do Presidente e do seu filho Carlos Bolsonaro, vereador do Rio de Janeiro. A chefia da PF tornou-se nas últimas semanas num dos temas mais polémicos no debate político no Brasil. Foi a insistência de Bolsonaro em nomear alguém da sua confiança para comandar a polícia nacional que levou o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, a demitir-se do Governo, criando a cisão mais profunda na base de apoio do Presidente. | bit.ly/2A1IsiN

Página 12, Argentina |
Bolsonaro nomeou o comissário Rolando de Souza como o novo chefe de polícia. Justiça vetara anteriormente o amigo do presidente Alexandre Ramagem. De Souza atuou como secretário de Planejamento e Gestão da Agência Brasileira de Inteligência e é o braço direito de Ramagem, segundo a mídia local. | bit.ly/2WrsTIQ

Esquerda.net, Portugal | Novo chefe da polícia afasta responsável por investigações à família Bolsonaro. Rolando Alexandre de Souza demorou dez minutos entre ser nomeado diretor da Polícia Federal e tomar posse e apenas mais vinte para fazer o que dele se esperava. Depois da cerimónia reservada que aconteceu esta segunda-feira no Palácio do Planalto, tratou imediatamente de mudar a superintendência da polícia no Rio de Janeiro, que tem sob sua alçada casos sensíveis como investigações a milicianos, aliados políticos e filhos do presidente brasileiro. O ex-candidato presidencial Guilherme Boulos considerou "inacreditável” a decisão de trocar o chefe da Polícia Federal no Rio de Janeiro “que investigava milicianos e o assassinato de Marielle”, mas também o "gabinete do ódio" montado por Carlos Bolsonaro. | bit.ly/2WtIDef

Sputnik News, Rússia |
Analista: 'soldado' Bolsonaro usa táticas de guerra e vislumbra estado de sítio. Um dia após Jair Bolsonaro participar de um novo ato em que manifestantes pediam intervenção militar, especialistas ouvidos pela Sputnik Brasil avaliaram a postura do presidente e as consequências da intensificação da crise política para o país. | bit.ly/2yu4YAp

The New York Times, EUA | O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse que ele testou duas vezes negativo para o coronavírus, mas muitos, incluindo um juiz federal, estão exigindo que ele compartilhe os resultados reais. Ainda assim, o líder recusou. O impasse surreal é o ponto mais recente de uma batalha mais ampla entre um presidente que testou repetidamente os limites de seu poder e instituições democráticas. Há preocupações de que, ao empurrar Bolsonaro, isso possa desencadear uma crise constitucional. | nyti.ms/2Yz98Bw

The New York Times, EUA | Ministério da Defesa do Brasil diz estar comprometido com a democracia e rejeita protestos pró-golpe. O Ministério da Defesa do Brasil divulgou uma declaração relativamente rara na segunda-feira, dizendo que as forças armadas são dedicadas à sua missão constitucional e à democracia e que a violência contra membros da imprensa não é aceitável. No domingo, o presidente Jair Bolsonaro encabeçou uma manifestação em que centenas de apoiadores pediram um golpe militar. Pelo menos três membros da imprensa foram atacados por manifestantes. | nyti.ms/3b84b5i

La Vanguardia, Espanha | O líder da extrema-direita brasileira afirmou perante um grupo de seguidores nos portões do Palácio da Alvorada, sua residência oficial em Brasília, que o ataque a jornalistas durante o protesto é resultado de "infiltrados" e "loucos" e apoiou os responsáveis ser "punido”. Apesar de afirmar que não sabia o que aconteceu, o governante aparece em um vídeo publicado em suas redes sociais perguntando o que estava acontecendo entre os manifestantes, ao qual um conselheiro responde: "Eles estão expulsando jornalistas". A Associação Brasileira de Jornalistas Investigativos condenou o ataque e afirmou que foi "o resultado da posição de Bolsonaro", que ontem participou pela segunda vez em menos de um mês de um ato contra os poderes legislativo e judicial. | bit.ly/3cbftHq

La Vanguardia, Espanha | Bolsonaro move peça em seu complexo xadrez político e jurídico com Moro. O presidente brasileiro Jair Bolsonaro nomeou um novo diretor da Polícia Federal na segunda-feira, o órgão responsável por investigações que podem ameaçar sua posição e que estão sob acusações de seu ex-ministro e ex-juiz Sergio Moro. O novo chefe da Polícia Federal será o comissário Rolando De Souza, que substitui Mauricio Valeixo, demitido por Bolsonaro em uma decisão que não foi muito bem explicada e que precipitou a renúncia de Moro, que por sua vez acusou o presidente de tentar "interferir politicamente" "nesse órgão investigativo autônomo. | bit.ly/35Aju5W

La Diária, Uruguai | "As forças armadas estarão sempre do lado da democracia e da liberdade", afirmou o ministro da Defesa do Brasil. A frase se refere às declarações de Bolsonaro, nas quais ele ocultou um golpe de estado ameaçado. Por meio de comunicado divulgado nesta segunda-feira, o ministro da Defesa do Brasil, general Fernando Azevedo e Silva, afirmou que "as Forças Armadas cumprem sua missão constitucional. A Marinha, o Exército e a Força Aérea são agências estatais, que consideram independência e harmonia entre os poderes essenciais para a governabilidade do país ”. | bit.ly/2W2Pz30

Financial Times, Inglaterra |
Líderes empresariais do Brasil se preocupam com Bolsonaro. Níveis de confiança caem à medida que crescentes crises políticas se acrescentam aos danos econômicos do coronavírus. | on.ft.com/3fmawgX

La Repubblica, Itália | Bolsonaro diz: "As medidas contra o vírus são danosas". No país sul-americano ultrapassou 100 mil casos. O presidente sai para a praça, sem luvas e máscara. A luta de Bruno Covas, o prefeito da metrópole paulista, ao contrário, pede aos cidadãos que fiquem em casa. A dissidência também está crescendo. Muitos, muitos, quase 45% da população saem de casa, quebram o bloqueio, confiam no acaso e retornam para fazer o que sempre fizeram. Eles trabalham, procuram novos, se apressam em pegar algo que faz com que eles e suas famílias comam. Um quarto da população (210 milhões) são trabalhadores informais, que vivem na estrada e na estrada. Existem 15 milhões de desempregados. O Brasil acaba por ser o primeiro país da América Latina em termos de número de Covid 19 infectados e vítimas. | bit.ly/2SErTQh

Tiempo Argentino, Argentina | Bolsonaro, na frente de uma multidão, prepara um contragolpe. O presidente brasileiro voltou a comparecer diante de uma demonstração de apoio em Brasília pedindo intervenção militar. Eles atacaram jornalistas que estavam cobrindo o ato. A tensão cresce diante do descontentamento do presidente e da rejeição das instituições políticas. O que as Forças Armadas farão? | bit.ly/2SAlS75

The Statesman, Índia | bit.ly/2SFvwFH

El Clarín, Argentina | bit.ly/3c9Rhp0

La Jornada, México | bit.ly/3dpfbwZ

La Nación, Argentina |
bit.ly/2SCqREA

OUTRAS NOTÍCIAS DO BRASIL

TRABALHO DOMÉSTICO. "Pela vida de nossas mães": Covid-19 provoca luta pelos direitos das empregadas domésticas no Brasil. Milhões de trabalhadores domésticos foram instruídos a continuar trabalhando ou demitidos sem remuneração. Agora suas famílias estão lutando contra um sistema "estruturalmente racista". (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2WxKdMl

CORONAVÍRUS. Covid-19: Manaus é o epicentro de uma crise que ameaça todo o Brasil. As imagens de caixões em valas comuns percorreram o mundo. O Amazonas é um dos estados mais afetados pela pandemia e agora convive também com uma crise política. Para se ter noção da dimensão da catástrofe que se abateu sobre o estado, hoje as autoridades não referem o receio do colapso do sistema de saúde – esse já aconteceu há quatro semanas. Hoje, fala-se, sobretudo, do colapso do sistema funerário. (Público, Portugal) | bit.ly/2A4Crlz

ÍNDIOS. Povos indígenas brasileiros pedem fundo de emergência da OMS para combater o coronavírus. Líderes indígenas no Brasil solicitaram na segunda-feira à Organização Mundial de Saúde (OMS) um fundo de emergência para ajudar a proteger suas comunidades da ameaça da pandemia de coronavírus. Muitos dos 850.000 indígenas do Brasil vivem em áreas remotas da Amazônia, com pouco acesso a cuidados de saúde, e grupos indígenas dizem que o governo do presidente Jair Bolsonaro não incluiu as comunidades nos planos nacionais de combate ao vírus. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/3c2cp0a

CRISTO REDENTOR. O Cristo Redentor também usa uma máscara. O principal símbolo turístico do Brasil usava uma máscara projetada no domingo. (El País, Espanha) | bit.ly/3fgS6yd

MORO. A influência do FBI na polícia foi aprofundada enquanto Moro era ministro da Justiça no Brasil. Uma investigação revela que havia agentes dos EUA em centros de inteligência e eles receberam dados biométricos de cidadãos brasileiros. Uma longa investigação realizada por vários meses pela Agência Pública Brasileira revelou que, durante o tempo em que o ex-juiz Sérgio Moro atuou como Ministro da Justiça e Segurança Pública, vários acordos foram assinados com o FBI que aumentou a influência de agentes estrangeiros na Polícia Federal brasileira e em outros departamentos estaduais dedicados ao combate ao crime. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3fm5pNQ

CORONAVÍRUS. O coronavírus se alastra pelo Brasil, uma terra mal equipada para combatê-lo. Casos e mortes passam a China no gigante da América do Sul, com favelas densas, poucos testes e um líder que despreza o vírus. O Covid-19, que concentrou sua fúria mais fortemente nos países mais ricos, agora está martelando o Brasil. O Brasil acaba de ultrapassar a China, a origem da pandemia, tanto em casos confirmados, 105.222, quanto em mortes, 7.288, tornando-se o país mais atingido no mundo em desenvolvimento. Ao contrário da China, que controlou o vírus através de restrições severas, espera-se que as coisas no maior país da América Latina piorem. (The Wall Street Journal, EUA) | on.wsj.com/3fjRAiN

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

VENEZUELA.
Venezuela detém dois americanos supostamente envolvidos em ataque fracassado para remover Maduro. “Eles estavam bancando Rambo ”, disse Maduro. As autoridades venezuelanas detiveram dois cidadãos norte-americanos supostamente trabalhando com um veterano militar dos. Oito pessoas foram mortas durante a tentativa frustrada de incursão no domingo, disseram autoridades venezuelanas. Maduro mostrou o que ele disse serem os passaportes dos EUA e outros cartões de identificação pertencentes a Airan Berry e Luke Denman, que ele estava sob custódia e estava trabalhando com Jordan Goudreau, um veterano militar americano que lidera uma empresa de segurança com sede na Flórida chamada Silvercorp USA . (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3fmSeMv

VENEZUELA
. Venezuela, a tentativa de invadir um grupo de mercenários que saíram da Colômbia fracassa. O comando formado por cerca de trinta pessoas bloqueadas pelas forças especiais bolivarianas ao tentar desembarcar em La Guaira, perto de Caracas. O regime de Maduro denuncia o envolvimento na ação do governo de Bogotá e o apoio dos EUA. (La Repubblica, Itália) | bit.ly/2W4mLqH

VENEZUELA. Saiba como foi a primeira tentativa de intervenção armada na Venezuela no último domingo, 3 de maio, através do desembarque frustrado de um grupo de paramilitares e mercenários em Macuto, La Guaira. (Telesur, Venezuela) | bit.ly/3fowBve

ARGENTINA. Apoio unânime à renegociação de dívidas. O presidente Alberto Fernández recebeu apoio unânime dos setores empresarial, rural e da CGT para a proposta de renegociação da dívida, que entrou na sua fase mais difícil de negociação ontem com uma carta de advertência do Ministro da Economia, Martín Guzmán, aos credores, que devem dar sua resposta nesta semana. O apoio foi estendido à estratégia de controle do coronavírus. O Presidente recebeu em Olivos o apoio dos líderes da CGT e das principais câmaras de negócios da indústria, agricultura, comércio, bancos e construção pela proposta de Guzmán de renegociar a dívida externa. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2YAIoAJ

COLÔMBIA. Unidade de inteligência colombiana usou equipamento dos EUA para espionar políticos e jornalistas. Ferramentas de vigilância destinadas a impedir rebeldes marxistas foram usadas para controlar os ativistas de direitos humanos e outros no ano passado. (The Wall Street Journal, EUA) | on.wsj.com/2W62VeQ

EUA. Modelos projetam aumento acentuado de mortes à medida que os Estados reabrem. Um relatório interno da administração Trump espera cerca de 200.000 casos diários até junho. A Casa Branca proíbe funcionários da força-tarefa de coronavírus de testemunharem no Congresso sem aprovação. Enquanto o presidente Trump pressiona os estados a reabrir suas economias, seu governo está projetando em particular um aumento constante no número de casos e mortes de coronavírus nas próximas semanas. O número diário de mortos chegará a cerca de 3.000 em 1º de junho, de acordo com um documento interno obtido pelo The New York Times, um aumento de 70% em relação ao número atual de cerca de 1.750. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/2W7jebj

EUA. A pandemia de coronavírus está levando a América a uma crise de saúde mental. A ansiedade e a depressão estão aumentando. Os EUA está mal preparado, com algumas clínicas já à beira do colapso. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/35zPE1p

FRANÇA. Jean-Luc Mélenchon: "Este não é o momento da colisão frontal" com o governo. O líder da França Insubmissa e o principal crítico de Macron muda sua estratégia de "conflito" e "choque" com o executivo francês durante a crise dos coronavírus e aposta em uma oposição "proativa", (El País, Espanha) | bit.ly/3fqFy7A

LATAM. Jorge Said Yarur, acionista rebelde da LATAM Airlines: “Eles distribuem dividendos e os diretores continuam a cobrar dividendos como se nada tivesse acontecido”. "Eu não distribuiria dividendos, já que os trabalhadores foram solicitados a baixar seus salários em 50% e, como eles aceitaram e estão fazendo um tremendo esforço junto com suas famílias, a empresa e os acionistas precisam participar. Os diretores precisam reduzir seus honorários com muita força, se não a zero ", disse Said Yarur, em uma assembleia geral realizada via Webex. (El Desconcierto, Chile) | bit.ly/2ylhxhx

CORONAVÍRUS. A OMS diz que não tem evidências para apoiar a teoria laboratorial 'especulativa' do Covid-19. O órgão de saúde diz que qualquer "investigação agressiva de irregularidades" em relação à origem do vírus dificulta o entendimento. A mídia estatal chinesa atacou as alegações norte-americanas, com a emissora estatal CCTV rotulando-as de "insanas e evasivas. "Se Washington tem evidências sólidas, deve permitir que institutos de pesquisa e cientistas a examinem e verifiquem", disse o editorial do Global Times, jornal chinês. Não basta dizer que há enormes evidências, Pompeo deve apresentá-las ao mundo. O governo republicano está dando um show. Ao exigir a investigação do laboratório de Wuhan, eles estão tentando criar controvérsia e foco contínuos, para enganar o público americano. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/35zPDKT

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Dominique de Moisi – Economia Global (Project Syndicate, EUA) | “O vírus! “’Dejà-vu?’” | bit.ly/2zW5mrD

Federico Finschelstein e Jason Stanley – Extrema direita e coronavírus (Project Syndicate, EUA) | “A política fascista na pandemia” | bit.ly/3dk7Wq4

Jonuel Gonçalves – Brasil (Público, Portugal) | “Brasil e a curta vida das alianças políticas” | bit.ly/3fmaw0r

Eduardo Febbro – Neoliberalismo (Página 12, Argentina) | “A noite do liberalismo. Quarentena em uma Paris que lembra a anterior à exploração e gentrificação” | bit.ly/35zPCqj

Paulo Krugman –
EUA (The New York Times, EUA) | “Trump e seus conselheiros infalíveis. Tome cuidado com pessoas que jamais reconheçam o erro.” | nyti.ms/2W5qfJF

Nick Burns – Brasil (New Statesman, EUA) | “Como o coronavírus pode derrubar Jair Bolsonaro” | bit.ly/3fiT3WR

Conteúdo Relacionado