Clipping Internacional

Clipping Internacional - 11/01/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo e a crise política nos EUA; e Artigos

11/01/2021 09:31

(Reprodução/Twitter)

Créditos da foto: (Reprodução/Twitter)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

BOLSONARO/GOLPE. Como impedir Bolsonaro, um presidente que insiste na fraude e segue o modelo de Trump. Os adversários do presidente brasileiro pesam em uma ampla frente política para promover um ‘impeachment’. A invasão do Capitólio, instigada pelo presidente derrotado nas últimas eleições americanas, enviou um sinal de alerta ao Brasil, principalmente depois que Jair Bolsonaro apontou que o movimento insurgente pró-Donald Trump poderia ter uma versão tropical em dois anos. “Se usarmos o voto eletrônico em 2022, o mesmo acontecerá”, comentou o presidente. E a pergunta que analistas, partidos de oposição e outros políticos fazem é outra: o que fazer para evitar uma possível tentativa de chutar o cenário institucional ou mesmo ensaiar um golpe mais clássico nas próximas eleições? (El País, Espanha) | bit.ly/2MWVfcV

BOLSONARO/PANDEMIA. “Lamentamos os mortos. A vida continua”. Foi assim que Jair Bolsonaro reagiu friamente quando o Brasil atingiu 200 mil mortes causadas pelo Covid-19. Um recorde condenatório, o mais pesado do mundo depois dos Estados Unidos. Isso sem falar nos oito milhões de casos confirmados em todo o país. 200 mil mortos e duas vacinas em mãos. Em meio a rivalidades políticas, o número de mortos continua a aumentar enquanto as vacinas Sinovac e Astra Zeneca aguardam o sinal verde das autoridades de saúde para serem colocadas no mercado. (La Croix, França) | bit.ly/2Lfomro

VACINA E POLÍTICA. A corrida pela vacina contra o coronavírus no Brasil, prelúdio da briga pela presidência. Submerso na segunda onda da pandemia e com mais de 202 mil mortes e 8 milhões de casos de coronavírus, o iminente início da vacinação nesta semana reacendeu a rivalidade política entre o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e o governador de centro-direita de São Paulo, João Doria, que passou de ex-aliado do governante a amargo adversário desde então que insinuou suas aspirações presidenciais. (El Clarín, Argentina) | bit.ly/2LfomYq

AMAZÔNIA/DESTRUIÇÃO. Amazônia, ano negro de 2020: 8.500 quilômetros quadrados de floresta devastada. Nem mesmo a pandemia de Covid, que atingiu o Brasil de forma particularmente forte, não foi capaz de conter o desastre ambiental na floresta amazônica. A informação é do Instituto Nacional de Investigações Espaciais (Inpe). Um número preocupa os ambientalistas: só no mês de dezembro, 216 quilômetros quadrados teriam sido destruídos, uma área 14% superior à que desapareceu em dezembro de 2019. | bit.ly/38vK3MC

JAPÃO/CORONAVÍRUS DO BRASIL. Japão detecta nova estirpe em passageiros vindos do Brasil. Quatro pessoas infetadas passaram "uma temporada" nas Amazônia. Variante tem semelhanças com as estirpes identificadas recentemente no Reino Unido e na África do Sul, mas parece ser a primeira vez que é identificada. (Expresso, Portugal; El Mercúrio, Chile; Diario Correo, Peru) | bit.ly/3sdHBlF | bit.ly/3btMkd6 | bit.ly/3q6zFkg

VACINA RUSSA. O Brasil vai lançar a produção da vacina russa contra o coronavírus, o Sputnik V, no dia 15 de janeiro. Em 6 de janeiro, a farmacêutica brasileira União Química informou que havia recebido material celular da Rússia para produzir o Sputnik V. No dia 6 de janeiro, a farmacêutica brasileira União Química informou ter recebido material celular da Rússia para produzir o Sputnik V. Foi especificado que a vacina será fabricada nas fábricas de Brasília e Guarulhos. No dia 8 de janeiro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitou dados adicionais sobre o produto russo. (Agência Tass, Rússia) | bit.ly/3q6zFRi

PANDEMIA. ‘Vigilantes’ da Covid mostram festas com aglomerado de pessoas no Brasil enquanto as mortes ultrapassam 200 mil, que envergonham o Brasil. Ativistas anônimos dizem que não é um "cão de guarda moral", mas promete continuar os esforços na esperança de persuadir os foliões a ficarem em casa. “É ultrajante, bizarro, é horrível - um genocídio coletivo”, diz um ativista que varre a internet em busca de imagens de festas sendo realizadas, apesar da rápida deterioração da crise de Covid.. “Eu realmente acredito que as pessoas foram infectadas com o vírus da estupidez”, acrescentou outro que publica imagens em uma conta no Twitter chamada Covidfest Brasil. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2MWVip7

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

A CRISE POLÍTICA NOS EUA

IMPEACHMENT DE TRUMP. Nanci Pelosi, a presidente da Câmara de Deputados dos EUA, diz que a Câmara prosseguirá com os esforços para remover Trump 'com urgência'. A Câmara está preparada para iniciar um processo de impeachment contra Donald Trump já esta semana se o vice-presidente Mike Pence e o gabinete se recusarem a destituí-lo do cargo por seu papel em incitar uma multidão que realizou um ataque mortal à sede do governo americano. Embora ela não tenha especificado um cronograma exato, os principais democratas sugeriram que a Câmara poderia iniciar os procedimentos logo no meio da semana, com um julgamento do Senado atrasado - possivelmente por meses - para não distrair da agenda de Joe Biden. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2Lpvyku

POLICIAIS/INVASÃO DO CAPITÓLIO. Dois policiais de Seattle são suspensos por participarem do ataque ao Capitólio. Eles tiraram licença e voaram para Washington. E suas fotos foram tiradas em meio ao tumulto. Dois policiais da cidade americana de Seattle foram suspensos por sua participação no ataque ao Capitólio, realizado por partidários do presidente Donald Trump. A suspensão dos agentes foi anunciada em nota divulgada pela polícia local, após se saber que as tropas estiveram presentes na breve tomada do Congresso dos Estados Unidos graças a uma foto divulgada nas redes sociais. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3sf8KVu

TRUMP E SEU DISCURSO À TURBA. Incitação ao motim? O que Trump disse aos apoiadores antes que a multidão invadisse o Capitólio. Aqui estão alguns trechos notáveis das observações de Trump. O discurso que o presidente Trump fez aos seus apoiadores pouco antes de atacarem o Capitólio na semana passada é um foco central enquanto os democratas da Câmara preparam um artigo de impeachment contra ele por incitar o tumulto mortal. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/3btMpNR

INVASÃO DO CAPITÓLIO/CUMPLICIDADE POLICIAL. Chefe de saída diz que oficiais de segurança impediram esforços para chamar a Guarda Nacional. Mesmo enquanto manifestantes invadiam violentamente suas forças, o chefe de polícia do Capitólio, Steven Sund, disse em uma entrevista exclusiva, os sargentos em armas da Câmara e do Senado levaram mais de uma hora para aprovar seu pedido. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/2XBf9ff

PAÍS CINDIDO. Conflitos entre apoiadores e detratores de Trump na Califórnia. Pelo menos três pessoas foram presas em San Diego após uma série de confrontos entre manifestantes de ambos os lados e policiais. Partidários do presidente Trump participaram de uma "Marcha Patriótica" no sábado à tarde em San Diego em defesa de "nossa república, nossa Constituição e nossa liberdade". Manifestantes a favor e contra o presidente dos EUA Donald Trump, entraram em confronto entre si e com policiais em Pacific Beach, San Diego (sul da Califórnia), e pelo menos três foram presos. A reunião foi declarada ilegal. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/2Xwhrws

ALTA FINANÇA E POLÍTICA. A invasão do Capitólio leva alguns grandes bancos e empresas a interromper o financiamento político. Dois dos maiores bancos e outras corporações dos EUA disseram que estão interrompendo ou revisando suas doações para o comitê de ação política após o tumulto da semana passada no Capitólio. JPMorgan e Citigroup interrompem todas as doações do ‘PAC’; Blue Cross e Marriott suspendem financiamento para republicanos que se opuseram aos resultados do Colégio Eleitoral. (The Wall Street Journa, EUA) | on.wsj.com/35wR6Td

PARLER/A NOVA MÍDIA DE TRUMP. O que é Parler, a rede que as pessoas pró-Trump frequentam em vez do Twitter? Falar se tornou um refúgio para alguns usuários da Internet ulcerados pela política de moderação de redes convencionais como o Twitter, que encerrou definitivamente a conta de Donald Trump. O aplicativo foi vítima de seu sucesso no sábado: o fluxo de assinantes chamou a atenção. (Le Nouvel Observateur, França) | bit.ly/3nAwf7C

TRUMP/APOIO DE RELIGIOSOS. Alguns líderes de igreja apoiam Trump. O que eles disseram do púlpito no domingo? O apoio ao presidente Trump tem sido consistentemente forte entre os evangélicos, com alguns o chamando de o melhor amigo que os cristãos já tiveram na Casa Branca. Desde então, as mensagens dos púlpitos dos líderes da igreja pró-Trump eram tão díspares quanto as opiniões dos cidadãos da nação como um todo. Eles incluíram recitações de teorias da conspiração desmascaradas de quem era o responsável, chamadas para a cura e seguir a Cristo em vez de qualquer outro indivíduo e sermões que não faziam menção ao caos de quarta-feira ou suas implicações para o futuro. (Los Angeles Times, EUA) | lat.ms/3btMIIo

OUTRAS NOTÍCIAS DO MUNDO

PERU/VIOLÊNCIA POLICIAL. Centenas de peruanos marcharam contra a impunidade policial neste sábado no centro de Lima para protestar contra 166 mortes sem resposta que ocorreram em protestos de cidadãos nos últimos 17 anos. Os familiares dos manifestantes que morreram ou ficaram feridos no passado mês de Novembro na repressão policial às manifestações que derrubaram o então presidente Manuel Merino, formaram uma associação para procurar justiça face ao risco de impunidade. (El País, Espanha) | bit.ly/3bqTIFV

PERU/FUJIMORI. Ministério Público do Peru apresenta acusações contra Fujimori por programas de esterilização forçada para mulheres. Na década de 1990, cerca de 350 mil indígenas foram submetidos a esse tipo de procedimento, que às vezes terminava com a morte. (ABC, Espanha) | bit.ly/38wheiT

EUA/CORONAVÍRUS. Covid: 4 recordes sombrios nos Estados Unidos. O número de mortos de Covid-19 nos Estados Unidos atingiu a marca de 4.000 em um dia na quinta-feira, onde 265,00 infecções foram registradas. O país enfrenta uma terceira onda mais mortal do que a da primavera. (Les Echos, França) | bit.ly/3nAwfo8

COLÔMBIA/VIOLÊNCIA POLÍTICA. A paz não para a violência. A assinatura do acordo de paz entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) há quatro anos não impediu os massacres de civis e líderes de direitos humanos no país. Longe dali. A situação piorou até no meio da pandemia Covid-19. Houve nada menos que 90 massacres em 2020, que ceifaram a vida de 385 pessoas. Inédito há 15 anos. (La Presse, Canadá) | bit.ly/35uf5Cm

VENEZUELA/TRUMP. O Presidente da República, Nicolás Maduro, reiterou neste domingo sua denúncia contra o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que há quatro anos tinha o plano de atacar a Venezuela. “O objetivo principal de Trump era destruir a Venezuela, me matar. Agora, nos Estados Unidos, eles estão descobrindo que ele é um mafioso, racista, com sorte os documentos sairão onde a ordem para me matar foi dada ", disse ele. (Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/3bnKavw

ARGENTINA/LAWFARE. "Preso político": pedem a liberdade do ex-presidente argentino Amado Boudou. Eles denunciaram que “a perseguição política contra militantes e dirigentes da experiência Kirchner persiste na Argentina apesar da vitória popular nas últimas eleições”. No texto “Liberdade para Amado Boudou” os signatários denunciaram que “a perseguição política contra militantes e dirigentes da experiência kirchnerista persiste na Argentina apesar da vitória popular nas últimas eleições”, dias após o decisão que revogou sua prisão domiciliar decretada em meio à pandemia do coronavírus e em meio à polêmica sobre o pedido de um setor do partido no poder ao presidente Alberto Fernández de conceder perdão a ex-funcionários condenados por corrupção. (El País, Uruguai) | bit.ly/3qauCiY

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Alex Hern – Redes Sociais/Bigtechs (The Guardian, Inglaterra) | “Os usuários do WhatsApp são realmente clientes do Facebook agora - está cada vez mais difícil esquecer isso” | bit.ly/2MO69Bn

Robert Reich - EUA (The Guardian, Inglaterra) | “Trump tentou um golpe: ele deve ser removido enquanto aqueles que o ajudaram devem pagar. Um impeachment rápido é imperativo, mas de Rudy Giuliani a Fox News e Twitter, o presidente não agiu sozinho” | bit.ly/2K4degk

Eric Nepomuceno – Brasil (Página 12, Argentina) | “Bolsonaro, Bolsonaro e Bolsonaro” | bit.ly/39kkSM5

Guy Rolnik – Redes Sociais/Big tech (Haaretz, Israel) | “Facebook e Twitter não desenvolveram uma consciência. Eles sabem por que realmente bloquearam Trump” | bit.ly/3buHIUa

Bruno Meyerfeld - Brasil (Le Monde, França) | “No Brasil, chegou a hora de Jair Bolsonaro” | bit.ly/3gXfQJ1

Richard Keiser – EUA (Le Monde Diplomatique, França) | “Os Estados Desunidos da América” | bit.ly/3i2i226

Rafael Khachaturian e Stephen Maher – EUA (Jacobin, EUA) | “A rebelião de Washington foi uma derrota para a extrema direita, não um triunfo” | bit.ly/3nAwgZe



Conteúdo Relacionado