Clipping Internacional

Clipping Internacional - 11/08/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

11/08/2020 09:29

(Ricardo Stuckert)

Créditos da foto: (Ricardo Stuckert)

 
1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

LULA. Lula da Silva ataca Bolsonaro: "É pior que uma bomba atômica". O ex-presidente do Brasil garantiu que o atual presidente assumiu a pandemia com grande "desdém" e "lutou" contra cientistas emulando Donald Trump. “Se analisarmos a situação atual, vemos que chegamos a 100.000 mortes pelo vírus e a bomba atômica de Hiroshima matou 90.000 pessoas, o Sr. Bolsonaro já é responsável por mais mortes do que em Hiroshima”, disse Lula. “Sem lançar uma única bomba, ele lançou a bomba da ignorância”, continuou o líder do PT. Neste final de semana o Brasil ultrapassou 100.000 mortes e 3 milhões de contaminados pela Covid-19. O Brasil é o segundo país do mundo mais afetado pela SARS-CoV-2, algo que Bolsonaro parece não ter notado, disse Lula. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/31KHotG

AMAZÔNIA. 'A Amazônia é a vagina do mundo': por que as mulheres são a chave para salvar as florestas do Brasil. A líder indígena Célia Xakriabá e a autora dos ‘Monólogos da Vagina’, V (Eve Ensler), discutem a crise da biodiversidade no Brasil e por que este é o século da mulher indígena. Célia Xakriabá é a voz de uma nova geração de lideranças indígenas que lideram a luta contra a destruição das florestas brasileiras na Amazônia e no menos conhecido Cerrado, uma savana que cobre um quinto do país. V, ex-Eve Ensler, é a autora premiada dos Monólogos da Vagina, ativista e fundadora do V-Day, um movimento global para acabar com a violência contra todas as mulheres e meninas e a Terra. Os dois recentemente mantiveram uma conversa em que V perguntou a Xakriabá sobre o que está acontecendo com a biodiversidade e os povos indígenas do Brasil e por que as mulheres são a chave para a mudança. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3fMqOyA

TRABALHADORES NA SAÚDE. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha denunciou, nesta segunda-feira, que 232.993 trabalhadores da saúde no Brasil contraíram coronavírus desde o início da pandemia, e alertou sobre a falta de proteção para os profissionais que atuam na linha de frente da luta contra Covid19. O Comitê Internacional do organismo informou que 530 profissionais morreram em decorrência da doença. O Brasil é o segundo país mais afetado pela pandemia, com 3.057.470 casos confirmados. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3fK6gGZ

MICHELLE BOLSONARO. Michelle Bolsonaro cada vez mais implicada nas investigações a Flávio Bolsonaro. A mulher do Presidente brasileiro recebeu mais de 70 mil reais ao longo de vários anos do ex-assessor do filho de Bolsonaro e pode tornar-se alvo das investigações. Ao todo, foram realizados 21 depósitos por Queiroz na conta de Michelle Bolsonaro entre 2011 e 2016 que totalizaram 72 mil reais (11.300 euros). Também a mulher de Queiroz, Márcia, que trabalhou no gabinete do então deputado estadual, fez vários depósitos para a futura primeira-dama durante a primeira metade de 2011 no valor de 17 mil reais (2.600 euros). (Público, Portugal) | bit.ly/3gOaFdh

ESTADO POLICIAL Governo do Brasil recusa entregar dossiê sobre monitorização de grupos antifascistas. Dossiê contém dados de 579 opositores do atual Governo. Em causa está uma ação preliminar instaurada pelo MP brasileiro. O objetivo do MP é verificar a eventual "existência de elementos que indiquem uma atuação estatal de eventual cerceamento ou limitação da livre expressão do pensamento de cidadãos e profissionais, por meio dossiê ou relatório sigiloso elaborado pela Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça". Em causa está uma ação preliminar instaurada pelo MP brasileiro sobre a monitorização de 579 funcionários da área de segurança pública e de professores que integram movimentos ou defendem ações contra o fascismo, e que terá sido realizada pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi) do Ministério da Justiça. (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/2PJ46Nf

DESIGUALDADE E PANDEMIA. Uma doença. Dois Brasis. Um médico rico e um comerciante de favela foram hospitalizados com Covid-19. A partir daí, suas histórias divergiram. Dois homens estavam indo para o hospital, sem saber se voltariam. Era abril, quando os piores temores do Brasil sobre o novo coronavírus estavam começando a se concretizar. A doença começou a matar todo o país. Agora tinha chegado para eles também. O coronavírus jogou roleta em todo o mundo: Quem vive? Quem morre? Na maioria dos países, um conjunto familiar de variáveis - idade, sexo, doenças preexistentes - ajudou a dar pelo menos algum sentido à doença confusa. Mas no Brasil, um dos países mais desiguais do mundo, outro fator decisivo crucial tem sido a classe. Os pobres estão morrendo em uma taxa muito maior do que os ricos. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/3fK6hux

MANDETTA. Ministro demitido critica 'ocupação militar' da resposta ao vírus do Brasil. O ex-ministro Mandetta diz que o surto piorou com a negação do coronavírus por Bolsonaro. (Financial Times, Inglaterra) | on.ft.com/2PKGo3m

BOLSONARO 1. Brasil: entre a negação e luto. O país ultrapassou a marca de 100.000 mortes por coronavírus, enquanto o presidente Bolsonaro, governadores e prefeitos entram em confronto sobre como lidar com a crise. (Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/3fK6hL3

BOLSONARO 2. Bolsonaro mais uma vez enfurece os brasileiros: garantiu que foi o confinamento que causou as 100 mil mortes que seu país acrescenta por conta da pandemia. O presidente voltou a emitir declarações polêmicas sobre o Covid-19, justamente no momento em que seu país bateu recorde de mortes, no final de semana. “Parece que o confinamento causou a morte de duas em cada três pessoas no Reino Unido. No Brasil, sem ainda ter números oficiais, os números não seriam muito diferentes ”, garantiu. (El Desconcierto, Chile) | bit.ly/30QR7Qd

BOLSONARO 3. O Ministério Público pede para processar Bolsonaro por frases machistas. O Ministério Público Federal do Brasil apresentou nesta segunda-feira uma ação para processar o presidente Jair Bolsonaro e vários de seus ministros pelo uso de expressões machistas. Em nota o Ministério Público Federal afirmou que “lideranças do Governo Federal fizeram uma série de declarações e atos administrativos que revelam um viés preconceituoso e discriminatório contra o público feminino, reforçando estigmas e estimulando a violência ”. Incluem-se nesta ação os Ministros da Economia, Paulo Guedes; das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves. “Quem quiser vir aqui para fazer sexo com uma mulher é bem-vindo”, é uma das frases categóricas do presidente Bolsonaro que constam da denúncia feita pelo Ministério Público. (Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/2DWxYTW

PANDEMIA. Amazonas torna-se o primeiro estado a reabrir escolas públicas na pandemia Covid-19. O Amazonas, com quatro milhões de habitantes e fronteira com Colômbia, Venezuela e Peru, registrou 3.359 mortes e 106.950 casos confirmados até domingo. (Diário Correo, Peru) | bit.ly/30Lu34Z

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

UBER. Um juiz da Califórnia emitiu uma liminar que impediria o Uber e o Lyft de classificar seus motoristas como contratados independentes, em vez de empregados, em um golpe para a ‘economia gig’. Uma liminar preliminar na Califórnia segue uma ação judicial do estado contra empresas por causa de uma nova lei trabalhista. A ação na segunda-feira veio em resposta a uma ação de maio movida pelo estado da Califórnia contra as empresas, que alegou que elas estão classificando erroneamente seus motoristas de acordo com a nova lei trabalhista do estado. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3acJWoq

ARGENTINA. Os movimentos sociais apresentaram seu plano de reativação do trabalho pós-pandemia. o O Plano Marshall ‘criollo’ para a pós-pandemia. O centro da proposta é a geração de 4 milhões de empregos garantidos pelo Estado em áreas-chave para a economia como obras públicas, urbanização de bairros, colônias agrárias e tarefas de cuidado. Eles compartilharam o projeto com sindicatos importantes. Movimentos populares e dirigentes sindicais apresentaram na sede da Uocra o Plano Integral de Desenvolvimento Humano, que visa empregar 4 milhões de pessoas da economia popular. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3is1KyL

BOLÍVIA. Tensão crescente na Bolívia: outra denúncia do Executivo contra Evo Morales foi admitida. Enquanto isso, organizações vinculadas ao MAS continuam se mobilizando, fazendo piquetes e denunciando as ações de grupos paramilitares. O promotor observou que o governo de fato chefiado por Jeanine Áñez apresentou queixas contra os líderes, devido aos inúmeros cortes de estradas e rodovias que ocorreram desde a semana passada em muitas partes do país. Essa etapa dá início a uma investigação sobre a suposta responsabilidade dessas e de outras pessoas nos protestos que estão ocorrendo há uma semana no país. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/2XQZ3Pd

VENEZUELA. Batalha campal em Caracas pela sede de um emblemático partido da oposição. Simpatizantes do partido Ação Democrática, divididos entre duas lideranças, envolveram-se em confrontos violentos. Os confrontos aconteceram quando militantes e políticos que simpatizam com o líder oposicionista Henry Ramos Allup foram à sede do AD para reivindicá-lo devido a denúncias de que havia sido "tomado por grupos armados", que o grosso da oposição concorda em chamar de paramilitares. (El Clarín, Argentina) | bit.ly/2PHjSZd

CORONAVÍRUS. Casos de coronavírus no mundo chegam a 20 milhões, dobrando em 45 dias. O número de casos confirmados de coronavírus em todo o mundo ultrapassou 20. Uma análise dos dados da AP até 9 de agosto mostrou que os EUA, Índia e Brasil juntos foram responsáveis por quase dois terços de todas as infecções relatadas desde que o mundo atingiu 15 milhões de casos de coronavírus em 22 de julho. Autoridades de saúde acreditam que o número real é muito maior do que a contagem mantida pela Universidade Johns Hopkins, dadas as limitações dos testes e o fato de que até 40% das pessoas infectadas não apresentam sintomas. Demorou seis meses ou mais para chegar a 10 milhões de casos depois que o vírus apareceu pela primeira vez na China central no ano passado. Demorou pouco mais de seis semanas para esse número dobrar. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/2DSnFAc

VACINA. A OMS contata as autoridades russas para avaliação da vacina Covid-19. Nesta terça-feira, o presidente russo Vladimir Putin anunciou ao planeta o registro da primeira vacina contra o coronavírus. (Diário Correo, Peru) | bit.ly/3aftSC6

EUA. A agitação em Chicago e Portland mostra que o verão de protestos na América está longe do fim. Em Portland, Oregon, os manifestantes atearam fogo na sede do sindicato da polícia. Em Chicago, centenas de jovens responderam a relatos de um tiroteio envolvendo a polícia saqueando lojas no centro da cidade. As tensões aumentaram novamente em duas das cidades mais inflamáveis do país, após uma relativa calmaria na violência de protesto depois que a administração Trump retirou os agentes federais em Portland e pareceu recuar de sua ameaça de implantar amplamente agentes em outros lugares. Os eventos do fim de semana mostram que o longo e quente verão dos Estados Unidos de protestos de rua e violência ainda não acabou, e Trump - que construiu sua campanha de reeleição com imagens de cidades em chamas e medo de criminosos - quer capitalizar. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/2PJMuAY

LÍBANO. Líbano: arruinado, devastado e sem governo ... O que vem a seguir? O principal inimigo dos libaneses parece ser sua classe política, acusada de ser incapaz e corrupta. Nesta segunda-feira, após a explosão no porto de Beirute, o governo teve que renunciar. (El Espectador, Colômbia) | bit.ly/3fOwqIO

SUPERRICOS. A pandemia, um bom negócio para os ultrarricos dos EUA. A dupla crise econômica e de saúde pública devastou a vida de milhões, mas para alguns bilionários, a pandemia acabou sendo um bom negócio para bilionários nos Estados Unidos. Entre 18 de março e o início de agosto, a riqueza total dos bilionários americanos (aqueles com fortunas superiores a US $ 1 bilhão) aumentou em US $ 685 bilhões. Hoje, os bilionários da América desfrutam de uma riqueza combinada de mais de US $ 3,65 trilhões, revelaram pesquisadores do inequality.org, um projeto do Institute for Policy Studies (IPS). Cerca de 467 bilionários viram sua riqueza aumentar desde meados de março, quando uma emergência nacional foi oficialmente declarada devido à pandemia, com a riqueza total deste clube aumentando em 30 por cento desde o início da pandemia até hoje. (La Jornada, México) | bit.ly/3gLSuoM

BIELORÚSSIA. A líder da oposição se refugia na Lituânia depois de duas noites de protestos duramente reprimidos na Bielorrússia. Tijanóvskaya, que denuncia fraude nas eleições presidenciais que conferem a Lukashenko o sexto mandato, recorreu da contagem à comissão eleitoral, onde foi detida por horas. (El País, Espanha) | bit.ly/2PKi8y4

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Eliane Brum – Brasil (El País, Espanha) | “A marcha dos mortos” | bit.ly/2DSUAV8

Financial Times, artigo – Brasil (Financial Times, Inglaterra) | “Bolsonaro e os generais: os militares defenderão a democracia do Brasil? Como sua posição ficou ameaçada, o presidente levantou a perspectiva de intervenção política do exército” | on.ft.com/3armh3P

Paul Krugman – EUA (The New York Times, EUA) | “Trump envia os charlatães econômicos. Agora ele está prescrevendo hidroxicloroquina para combater a recessão.” | nyti.ms/3iyiPqy

Alfredo Serrano Mantillo e Silvina Romano – América Latina (Página 12, Argentina) | “O antitrumpismo na América Latina” | bit.ly/3gOhkV0

Benjamin Dixon – EUA (The Guardian, Inglaterra) | “Joe Biden precisa dos eleitores negros. Então, por que ele continua nos insultando?” | bit.ly/3fNeDBJ

The Guardian, editorial – Bielorússia (The Guardian, Inglaterra) | “’O último ditador da Europa' perde o controle” | bit.ly/3gOhlbw

Daniel Rubinsal – Brasil (Página 12, Argentina) | “Lições da história: os danos autoinfligidos. A experiência brasileira” | bit.ly/31Gppob

Eileen Jones – Cinema (Jacobin, EUA) | “Bacurau é o filme mais imperdível desde o parasita” | bit.ly/3ahu5Vn

Frédéric Lemaître – China (Le Monde, França) | “Os vinte anos que transformaram o sistema universitário chinês” | bit.ly/2ClFR4O

Thierry Falise – Vietnã (L’Express, França) | “Reatividade, rapidez e patriotismo: como o Vietnã geriu a volta do Covid” | bit.ly/2PEDgGa

Peter Hessler – China (The New Yorker, EUA) | “Como a China controlou o coronavirus” | bit.ly/2DAJAMy

Pierre Rimbert – França (Le Monde Diplomatique, França) | “Quando um grupo social acumula o saber, o poder e o dinheiro. A burguesia intelectual, uma elite hereditária” | bit.ly/30IZTzw

Ayesha Sharma – EUA (Other News, Itália) | “Morte civil: como milhões de norte-americanos perderam seu direito de voto” | bit.ly/3fNIha7



Conteúdo Relacionado