Clipping Internacional

Clipping Internacional - 12/08/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

12/08/2020 09:14

Alex Azar, secretário de Saúde dos EUA, pôs em dúvida a segurança e a eficácia da vacina russa (AFP)

Créditos da foto: Alex Azar, secretário de Saúde dos EUA, pôs em dúvida a segurança e a eficácia da vacina russa (AFP)

 
1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

AMAZÔNIA. Bancos europeus convocados para parar de financiar o negócio de petróleo na Amazônia. Povos indígenas na região das cabeceiras dizem que o financiamento prejudica as comunidades e os ecossistemas. Indígenas que vivem nas cabeceiras da Amazônia pediram aos bancos europeus que parassem de financiar o desenvolvimento do petróleo na região, pois isso representa uma ameaça para eles e danifica um ecossistema frágil, depois que um novo relatório encontrou US $ 10 bilhões em financiamento não divulgado anteriormente para o petróleo em a região. Muitos bancos se comprometeram a interromper ou limitar o financiamento que fornecem a projetos de combustíveis fósseis, especialmente em ecossistemas delicados, mas o novo relatório se concentra em uma área cinzenta dos empréstimos bancários: em vez de financiamento de projetos, os autores analisaram o financiamento do comércio. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3fPAvfU

DESMATAMENTO. HSBC soa alarme sobre investimento na gigante da carne devido à inação diante do desmatamento. O banco argumenta que o JBS 'não tem plano de ação' para lidar com a ligação entre os fornecedores indiretos e a destruição da Amazônia após a investigação do Guardian. Analistas do gigante bancário global HSBC soaram o alarme sobre os riscos potenciais de investir na JBS, a maior empresa de carnes do mundo, após uma série de investigações que levantaram preocupações sobre questões de desmatamento na Amazônia em sua cadeia de abastecimento de carne. A gigante da carne “não tem visão, plano de ação, cronograma, tecnologia ou solução” para monitorar se o gado que compra provém de fazendas envolvidas na destruição da floresta tropical, segundo análise do banco, que tem investimentos substanciais no problemático frigorifico. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3kAHXip

BOLSONARO. Bolsonaro diz que os incêndios na Amazônia são uma 'mentira'. O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, negou com raiva a existência de incêndios na floresta amazônica, chamando-o de "mentira", apesar de dados produzidos por seu próprio governo mostrarem que milhares de incêndios estão ocorrendo na região. Os incêndios na Amazônia brasileira no mês de agosto atingiram um recorde de nove anos em 2019 e este mês até agora parece ainda pior. Mais de 10.000 incêndios foram registrados nos primeiros 10 dias de agosto, um aumento de 17% em relação ao mesmo período do ano anterior, de acordo com dados do Inpe, agência nacional de pesquisas espaciais do país. Bolsonaro interferiu no Inpe depois que ele divulgou dados desfavoráveis sobre o desmatamento na Amazônia no ano passado, demitindo o chefe da agência, Ricardo Galvão, que defendia os números de sua agência que mostravam destruição crescente. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/31OkPEJ

GOVERNO BOLSONARO. Czar da Privatização do Brasil renuncia em meio à desaceleração econômica. O secretário de privatizações do Brasil, Salim Mattar, renunciou na terça-feira, disse o ministro da Economia, Paulo Guedes, sugerindo que estava deixando o governo por causa do ritmo lento das privatizações até agora, que foi afetado pela pandemia do coronavírus. Guedes, que quer privatizar muitas empresas estatais, disse que ainda espera privatizar a estatal Eletrobrás, os correios dos Correios, a Capitania dos Portos de Santos e a Pré-Sal Petróleo S.A. "Se o presidente quer ser reeleito, temos que agir dentro do nosso orçamento", disse ele a repórteres. A certa altura, Guedes sugeriu que o presidente de direita Jair Bolsonaro poderia enfrentar o impeachment se permitisse o aumento dos gastos. Ele disse que seu ministério da economia não apoiaria esta medida, mesmo que ganhasse força em outras partes do governo Bolsonaro. (The New York Times, EUA; La Vanguardia, Espanha; El Periódico, Espanha) | nyti.ms/31YZHM7 | bit.ly/2ClN9Fz | bit.ly/2PMehk9

VACINA RUSSA. O Estado do Paraná estabelece negociações para a fabricação da vacina russa para o Covid-19. O anúncio feito nesta terça-feira pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) surpreendeu reguladores e especialistas em saúde do Brasil, e alguns levantaram dúvidas sobre a capacidade do instituto de produzir grandes volumes de uma nova vacina a partir do zero. (The New York Times, EUA; Diario Correo, Peru) | nyti.ms/3isI4dY | bit.ly/3kz9D7v

RENDA BÁSICA. Brasil encara a recuperação econômica com a renda mínima emergencial como muleta. O governo fala em reativação, enquanto economistas garantem que o desempenho positivo dos índices se deve ao auxílio às famílias. A economia brasileira começa a dar alguns sinais positivos após o colapso de março e abril, em meio às medidas de isolamento social impostas pela pandemia do coronavírus. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção industrial, por exemplo, cresceu 8,9% em junho, em relação a maio. É o segundo mês em que a indústria sobe, mas ainda é insuficiente para eliminar a perda de 26,6% acumulada nos dois primeiros meses de paralisia quarentenária. Entre as atividades que mais cresceram estão a produção de veículos, bebidas e indústrias extrativas. (El País, Espanha) | bit.ly/3kCnwSf

COVID-19. Brasil registra 1.274 mortos e 52.160 casos nas últimas 24 horas. O Brasil contabilizou 1.274 mortos e 52.160 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 103.026 óbitos e 3.109.630 infetados desde o início da pandemia, informou hoje o executivo. De acordo com o Ministério da Saúde, 413 das 1.274 mortes ocorreram nos últimos três dias, mas foram incluídas nos dados de hoje, quando ainda está a ser investigada a eventual relação de 3.580 óbitos com a Covid-19. O Brasil, que ocupa a segunda posição na lista de países mais afetados pelo novo coronavírus, apenas atrás dos Estados Unidos da América, é também a segunda nação com maior número de recuperados, com 2.243.124 pacientes a superarem a doença. (Diário de Notícias, Portugal; La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/3gRh1su | bit.ly/2FlpAOx

LUTO. O Congresso do Brasil está tingido de verde em luto pelas vítimas do As fachadas dos prédios do Congresso Nacional do Brasil foram tingidas de verde nesta terça-feira em uma homenagem para lembrar os mais de 100 mil brasileiros que perderam suas vidas ao coronavírus. Organizada por organizações estudantis e com autorização prévia da Câmara Alta, a projeção sobre as torres da sede da Câmara dos Deputados e do Senado destacou o luto pela "triste marca" alcançada por 100 mil mortes da Covid-19 em O Brasil. (La Vanguardia, Espanha; El Periódico, Espanha) | bit.ly/3apDSJd | bit.ly/2PMzsTq

PEDRO CASALDÁLIGA. Grande defensor dos povos indígenas da Amazônia, Dom Pedro Casaldáliga morreu. Há cinquenta anos no Brasil, o espanhol, também poeta, escritor e ativista, foi um dos principais representantes da teologia da libertação. Ele tinha 92 anos. (Le Monde, França) | bit.ly/30N9Yvm

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

VACINA RUSSA. Putin lançou o Sputnik sem informar sobre a pesquisa. Quando tudo parecia apontar para os Estados Unidos, China ou Grã-Bretanha como o primeiro país a receber a vacina contra o coronavírus, o presidente Vladimir Putin anunciou que a Rússia aprovou e registrou a sua, que chamaram de Sputnik. A OMS reagiu com cautela porque os dados científicos sobre os testes não foram divulgados. Os especialistas não duvidam da capacidade da Rússia de obter uma vacina, mas discutem sobre o produto obtido, pois acreditam que ela precisa ser testada. O que disse a OMS sobre a vacina russa. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3gLHaJ8 | bit.ly/2DMjDcH

BOLÍVIA. Pelo menos 40 prisioneiros morreram de coronavírus e 159 foram infectados. Prisões superlotadas na Bolívia, o outro lado do colapso da saúde. Na Bolívia, existem 98 estabelecimentos que abrigam mais de 18 mil detidos. As prisões estão superlotadas em 269%, um dos números mais altos da região. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3fPydx6

MÉXICO. Ex-presidente mexicano Enrique Peña Nieto acusado de corrupção pelo ex-chefe do petróleo. O ex-executivo da Pemex também implica o ex-ministro das finanças mexicano, alegando que os subornos foram feitos na campanha presidencial de 2012, diz o procurador-geral do México. (The Wall Street Journal, EUA) | on.wsj.com/33RbQ8j

GUATEMALA. Emoção e indignação após o assassinato de um humanitarista francês. O ativista da causa camponesa e indígena Benoît Maria foi morto segunda-feira em uma emboscada na Guatemala, país onde viveu por 20 anos. (Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/30PCD31

CORONAVÍRUS. 20 milhões de casos em todo o mundo. Ainda não é tarde demais, diz OMS. Cinco meses após a declaração oficial da pandemia Sars-Cov2, a Rússia aprova uma vacina ainda por testar. Registam-se cinco milhões de casos nos EUA, três milhões no Brasil e dois milhões na Índia, com um total de 737 mil mortos em todo o mundo. O cenário evolui de forma muito desigual. Na Grécia, tal como noutros países, relatórios diários apontam cada vez mais para uma segunda vaga pandémica. Mas na Nova Zelândia celebram-se 100 dias sem novos casos. Portugal conseguiu nos últimos 14 dias uma redução rápida de 30% de novos casos de Covid-19, conjuntamente com a Suécia, a Croácia, Letónia e Eslovénia. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/30NoFhS

EUA. Kamala Harris é a escolha de Biden para vice-presidente. Uma ex-rival para a indicação presidencial democrata, ela será a primeira mulher negra a ser indicada para um cargo nacional por um grande partido político. A Sra. Harris, 55, é a primeira mulher negra e a primeira pessoa de ascendência índia a ser nomeada para um cargo nacional por um partido importante, e apenas a quarta mulher nos EUA história a ser escolhido para uma passagem presidencial. Ela traz para a corrida um estilo de campanha muito mais vigoroso do que o de Biden, incluindo um presente para capturar momentos de eletricidade política crua no palco do debate e em outros lugares, e uma identidade pessoal e história familiar que muitos consideram inspiradora. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/3kGhxf5

LÍBANO. Uma semana depois, Beirute entre o luto e as manobras políticas. Raiva e meditação, oito dias após a explosão mortal. As tramas da classe dominante continuam, com o apoio da França e dos Estados Unidos, com o objetivo de manter o regime no lugar. (L’Humanité, França) | bit.ly/30P941l

BIELORÚSSIA. A líder da oposição da Bielorússia aparece em um vídeo estranho aceitando os resultados das eleições pouco antes de deixar o país. Svetlana Tikhanovskaya foi detida durante horas quando foi à comissão eleitoral para registrar uma queixa sobre suposta fraude nas eleições presidenciais. Mas, nesta terça-feira, Svetlana Tikhanovskaya, aparece lendo um comunicado no qual aceita os resultados das eleições e pede a seus seguidores que parem de se manifestar nas ruas. (El Diário, Espanha) | bit.ly/30RRlXf

UBER. Um tribunal californiano íntima a Uber para requalificar seus motoristas como funcionários. O promotor da Califórnia culpa Uber e Lyft, os dois líderes americanos no transporte com motorista, por impor status precário a seus motoristas. (Le Monde, França) | bit.ly/30Q2aZD

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Gonzalo Vecina Neto, entrevista – Vacina russa (RFI, França) | Vacina de Putin contra Covid dificilmente será aceita fora da Rússia, diz sanitarista Gonzalo Vecina | bit.ly/3gP3Hoo

Eduardo Febbro – Vacina Russa (Página 12, Argentina) | “Feita em Moscou e ainda por cima, estatal, um alerta vermelho para o Ocidente.” | bit.ly/3gSjHWD

Natalia Pasternak – Brasil/Covid-19 (RFI, França) | “Governo federal é responsável pelas mais de 100 mil mortes de Covid no Brasil” | bit.ly/3gRq4tw

Travis Waldron e Grasielle Castro – Brasil (HuffPost, EUA) | “Jair Bolsonaro está levando a democracia brasileira ao ponto de ruptura.” | bit.ly/2PYKhSt

Andrew Leung – EUA/China (South China Mornig Post, Hong Kong) | “Por que a nova ‘ameaça chinesa’ nos EUA é forte em pressão, mas curta na visão.” | bit.ly/3kKBmlN

David Smith – EUA (The Guardian, Inglaterra) | “Ao escolher Kamala Harris, Biden pode ter encontrado a antiTrump” | bit.ly/30OwHqG

Bernie Sanders – EUA (The Guardian, Inglaterra) | “A pandemia está ajudando a deixar os ricos ainda mais ricos. Já é tempo de taxar a riqueza obscena” | bit.ly/31La2uL

Mohamed El-Erian – Economia (Project Syndicate, EUA) | “Interpretando o enfraquecimento do dólar. O que significa para a economia global” | bit.ly/31HEdmM

Vanessa Barbara – Brasil (The New York Times, EUA) | “Nosso presidente pegou o vírus. Eu mal percebi. Eu estava muito ocupada cozinhando, limpando e cuidando de minha filha.” | nyti.ms/30Qwu6k

Eric González – Argentina (El País, Espanha) | “Martín Guzmán, o ministro inalterável. Responsável econômico da Argentina acredita que negociação da dívida com o FMI vai durar pelo menos seis meses” | bit.ly/3fYbK1b

Charles Nahas – Líbano (L’Humanité, França) | “Uma negociação norte-americana-iraniana está em ação no Líbano” | bit.ly/3gR0Efz

Robert Fisk – Líbano (La Jornada, México) | “Missão impossível no Líbano” | bit.ly/2XW6wwq






Conteúdo Relacionado