Clipping Internacional

Clipping Internacional - 13/07/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

13/07/2020 09:16

Richard Curtis, à esquerda, Abigail Disney e Jerry Greenfield estão entre os signatários de carta que pede a seus governos que aumentem impostos sobre

Créditos da foto: Richard Curtis, à esquerda, Abigail Disney e Jerry Greenfield estão entre os signatários de carta que pede a seus governos que aumentem impostos sobre "pessoas como nós. Imediatamente. Substancialmente. Permanentemente." (Getty Images)

 
1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

ÍNDIOS. A pandemia interrompe o luto dos povos indígenas do Brasil: "Precisamos chorar em nossas aldeias". As comunidades pedem um debate para conciliar seus rituais com os protocolos restritivos do governo pela covid-19. (El País, Espanha) | bit.ly/3iX8FAR

MILÍCIAS. O crime de Marielle Franco. Bolsonaro e a polícia assassina. O presidente do Brasil está envolvido nas relações estreitas de sua família com as milícias ultraconservadoras do Rio de Janeiro. Era o álibi perfeito para um miliciano do oeste do Rio de Janeiro. Os irmãos Leandro e Leonardo Gouvêa da Silva - apelidados de Tonhão e Mad -, líderes do grupo paramilitar “Escritório do crime”, foram presos na semana passada em conexão com o assassinato de 27 meses atrás da vereadora Marielle Franco. O assassinato de Franco permanece incerto. Mas investigações sobre as relações íntimas entre as milícias e a família Bolsonaro estão começando a ser muito perigosas para o controverso presidente ultraconservador. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/2WgZQrU

COVID-19. Covid-19: brigadas em campo contra Bolsonaro em São Paulo. Na maior cidade do Brasil, os profissionais de saúde estão fazendo prevenção no Covid-19 e tentando contrariar a retórica do presidente de extrema direita em bairros desfavorecidos, as primeiras vítimas da epidemia. o grupo de profissionais de saúde em uma excursão de prevenção contra a Covid-19 no Jardim Mitsutani, um subúrbio desfavorecido do sul de São Paulo, epicentro de epidemia no Brasil. A ACS, sigla em português dessas brigadas de saúde formada principalmente por mulheres, é um pilar do robusto sistema de saúde pública implantado pelo Brasil no final da ditadura (1964-1985). (Libération, França) | bit.ly/3iVuO2x

AMARELO. Brasileiros pedem para mudar as cores da camisa do time de futebol depois de se tornar um símbolo da extrema direita. Um grupo de torcedores inicia uma campanha para substituir a camisa amarela da Seleção Brasileira por outra sem conotações políticas, depois que os seguidores de Bolsonaro se apropriaram. É o símbolo mais reconhecível da identidade brasileira: a camisa amarela emblemática com a qual grandes figuras do futebol como Pelé e Rivaldo contribuíram para o país manter o recorde de cinco campeonatos mundiais. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3iZymB2

COVID-19. Se prediz um aumento nas mortes por Covid-19 no Brasil. Universidade Federal do Paraná prevê 1600 mortes em menos de duas semanas. Até agora, o vírus matou 71.151 pessoas e infectou 1,8 milhão, incluindo Bolsonaro. "A realidade do futuro de toda família brasileira deve ser despolitizada da pandemia. Os números reais dessa guerra aparecerão em breve", disse Jair Bolsonaro no domingo, quando o Brasil teve 659 novas mortes e 23.361 infecções por covid-19. O próprio presidente é um dos 1,9 milhões de infectados. Mas Bolsonaro rejeita esses números. Além da descrença e das declarações de governadores e prefeitos que denunciam maiores problemas de saúde, um estudo da Universidade Federal do Paraná (UFPR) alerta que o gigante sul-americano pode ter 1.600 mortes diárias ou mais em duas semanas. A partir do uso de algoritmos evolutivos, concluiu-se que casos positivos atingirão 48.000 a cada 24 horas. (El Periodico, Espanha) | bit.ly/2C5uhuo

COVID-19. O Brasil ultrapassa 70 mil mortes por coronavírus e está próximo a 2 milhões de infecções. De acordo com o Ministério da Saúde, nas últimas 24 horas foram adicionados 45.048 novos casos e 1.214 mortes por doença. Segundo o Ministério da Saúde, houve 45.048 novos casos e 1.214 mortes nas últimas 24 horas, elevando o número de infectados para 1.800.827 e o número de mortes para 70.398. O Brasil, um país de dimensões continentais com 212 milhões de habitantes, é o segundo em número de infectados e falecidos, atrás dos Estados Unidos. O número de mortos dobrou em 35 dias (houve atingiu 35.000 em 5 de junho), com saldos altos em São Paulo (17.442 mortos) e no Rio de Janeiro (11.280). (El Mercurio, Chile) | bit.ly/2Wvquh9

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

CUBA. Cuba enviou neste domingo uma brigada de 115 profissionais médicos e de enfermagem ao Azerbaijão para combater a pandemia de Covid-19 no país da Ásia Central, onde pela primeira vez as autoridades cubanas de saúde servirão. Esta é a 42ª brigada do contingente internacional "Henry Reeve" que viaja para o exterior desde março para lutar contra o Covid-19, e o Azerbaijão é o 35º país que recebe médicos de Cuba para ajudar nessa emergência, segundo a mídia estatal. (El Desconcierto, Chile) | bit.ly/3iSeKyJ

SUPERRICOS. Um grupo de 83 das pessoas mais ricas do mundo instou os governos a aumentar permanentemente os impostos sobre eles e outros membros da elite rica para ajudar a pagar pela recuperação econômica da crise de Covid-19. Os membros superrricos pediram para “nossos governos aumentar impostos sobre pessoas como nós. Imediatamente. Substancialmente. Permanentemente”, escreveram em carta compartilhada. “Não, não somos nós que cuidamos dos doentes em enfermarias de terapia intensiva. Não estamos dirigindo as ambulâncias que levarão os doentes aos hospitais. Não estamos reabastecendo as prateleiras dos supermercados ou entregando comida de porta em porta”. “Mas nós temos dinheiro, muito dinheiro. Dinheiro que é desesperadamente necessário agora e continuará sendo necessário nos próximos anos, à medida que nosso mundo se recuperar dessa crise.” (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3j2gRjE

BOLÍVIA. Na Bolívia, a agitação social diante da crise está crescendo. Haverá marchas pela Confederação Boliviana dos Trabalhadores (COB) e pelos mineiros. As demandas vão desde a saída dos Ministros da Educação e Trabalho até uma política de saúde que falta ao regime Jeanine Áñez para enfrentar a pandemia. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3gYuiyT

CORONAVÍRUS/EUA. Florida registra um recorde de novos casos de vírus para um dia nos EUA. Com mais de 15.000 novas infecções, a Flórida eclipsou o recorde anterior do país em Nova York durante o pior de seu surto. O número reflete tanto um aumento nos teste, quanto um aumento na transmissão que sobrecarregou os hospitais e amplificou os temores sobre a suspensão das restrições e provocaram escassez de um medicamento antiviral e ampliaram os temores sobre o ritmo em que o Estado suspendeu as restrições de movimentação e comércio. E é uma nova marca vermelha nos esforços do país para combater o vírus. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/3iY61el

CORONAVÍRUS/CHILE. Chile ultrapassa 11.000 mortes por coronavírus, acrescentando casos "prováveis". De acordo com o Departamento de Estatística e Informação em Saúde, estabelece que houve 7.743 mortes confirmadas com um teste de zaragatoa e 3.484 mortes "prováveis". (Diario Correo, Peru) | bit.ly/38TjXSo

CORONAVÍRUS/MÉXICO. O México se torna o quarto país com mais mortes.. O México se tornou o quarto país com mais mortes por Covid-19 no domingo, à frente da Itália, de acordo com um relatório da AFP, segundo fontes do governo. (La Presse, Canadá) | bit.ly/3gRI2eX

POLÔNIA. O ultraconservador Duda foi reeleito presidente da Polônia. Com mais de 99% contados, o presidente obteve 51,2% dos votos, contra 48,8% do centro-direita Rafal Trzaskowski. As eleições, uma das mais próximas em 30 anos de democracia desde a queda do comunismo, mostraram a força de uma oposição cujo candidato, o prefeito de Varsóvia Rafal Trzaskowski (48,8%), político da Coalizão Cívica de centro-direita (KO), com uma visão oposta do que deveria ser o relacionamento da Polônia com Bruxelas e a política interna, foi nomeado um mês após o primeiro turno e soube mobilizar o eleitorado em tempo recorde. (El País, Espanha) | bit.ly/3j093P1

ESPANHA. Eleições na Galícia e Biscanha. Feijóo conquista maioria absoluta na Galiza, Urkullu sai reforçado no País Basco. Eleitores apostaram na continuidade e deram mais poder aos dois partidos que governam a Galiza e o País Basco. Esquerda nacionalista sai reforçada nas duas regiões, enquanto o Podemos afunda-se. (Público, Portugal) | bit.ly/3iXeePV

ESPANHA. Unidos Podemos desaparece na Galiza e desmorona no País Basco. Galicia en Común é deixada de fora do Parlamento Autônomo, no qual foi a segunda força em 2016 com 14 deputados. Elkarrekin Podemos passa de 11 para seis representantes e acrescentaria o hipotético tripartido com EH Bildu e PSE que os socialistas rejeitam. (El Diário, Espanha) | bit.ly/2C5ujT2

EUA. Joe Biden e Bernie Sanders dão um grande passo em direção à "unidade" democrática. Unidos para derrotar Donald Trump, os dois principais adversários e seus aliados elaboraram nos últimos meses uma agenda política de compromisso. Apresentado nesta semana, marca uma mudança acentuada à esquerda para o Partido Democrata e o ex-vice-presidente. (Libération, França) | bit.ly/2BXYJGZ

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Naomi Klein, entrevista – Pós pandemia (The Guardian, Inglaterra) | “Não podemos voltar ao status pre-Covid apenas piorado” | bit.ly/2DE08mn

Cesar Victora, entrevista – Brasil (Democracy Now, EUA) | “Enquanto o presidente testa positivo para o Covid, epidemiologista critica fortemente a resposta do presidente de extrema direita à pandemia.” | bit.ly/3j03Hnd

Irina Hauser – Argentina (Página 12, Argentina) | “Roda demora judicial é política” | bit.ly/303pPUR

José Soeiro – Precariado (Esquerda.net, Portugal) | “A hora dos 'emprecários'” | bit.ly/308pUXx

Charles M. Blow – EUA/coronavírus (The New York Times, EUA) | “O horror norte-americano, estrelando Donald Trump. A pandemia do coronavírus está se expandindo fora de controle, em grande parte em consequência do presidente.” | nyti.ms/329z7S1

Andy Robinson – Brasil (La Vanguardia, Espanha) | “Por que metade do Brasil se rendeu à extrema direita? O apoio aos mercados financeiros foi a peça que faltava para o candidato presidencial de extrema direita” | bit.ly/3j1dwB5

Laurent Bonelli – Polícia (Le Monde Diplomatique, França) | “As forças da ordem social. Violência policial, as raízes de uma desconfiança” | bit.ly/2CwOHfy

Dedrick Asante-Muhammad – Desigualdade (The Guardian, Inglaterra) | “A maneira mais simples de diminuir a diferença de riqueza racial? Pagamentos diretos em dinheiro” | bit.ly/2DuTEWK






Conteúdo Relacionado