Clipping Internacional

Clipping Internacional - 14/02/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

14/02/2021 10:17

(Reprodução/bit.ly/3b0A69U)

Créditos da foto: (Reprodução/bit.ly/3b0A69U)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

LULA/O general Villas-Boas revela que conspirou contra a libertação de Lula. Conteúdo escandaloso do livro "General Villas Boas: conversas com o comandante". O ex-chefe do Exército Brasileiro revelou que lideranças militares conspiraram contra a libertação de Lula da Silva. Villas Boas admite que o texto disparado via Twitter ameaçava os ministros do STF. As revelações e afirmações que surgiram nos últimos dias abalam o Brasil. O depoimento que surpreendeu veio um dia antes, por intermédio de Gilmar Mendes, um dos veteranos do Supremo Tribunal Federal, em resposta às revelações sobre a forma como o ex-desembargador Sérgio Moro atuou no julgamento que o ex-presidente Lula da Silva condenou prisão, Mendes admitiu se sentir "perturbado". (Página 12, Argentina; Público, Portugal; El Telégrafo, Equador) | bit.ly/3rNTuhe | bit.ly/37vlJcX | bit.ly/3ddNGt5

LAVAJATO/Moro é parcial e suspeito. Advogado comemora fim da Lava Jato e acusação contra Moro no STF: "O ex-juiz é parcial e suspeito". O advogado e professor Fabiano Silva dos Santos, coordenador do grupo Prerrogativas, que denuncia a violação das prerrogativas profissionais dos advogados de defesa durante a Lava Jato. "A operação Lava Jato é talvez um dos maiores escândalos jurídicos de que se tem notícia, não só no Brasil, mas no mundo. Para o Estado Democrático de Direito e para nós, professores, que temos como missão ensinar milhares de alunos a operar adequadamente o Direito, seria muito produtivo que ela fosse de fato extinta e ficasse como um péssimo exemplo de como se aparelhar e como se utilizar mal o poder judiciário", disse o advogado. (RFI, França) | bit.ly/3u0ytl6

GOVERNO BOLSONARO/Ministério da Cidadania paga o apoio do ‘Centrão’. O presidente brasileiro Jair Bolsonaro nomeou na sexta-feira o deputado João Roma, do partido republicano e integrante do chamado "Centrão", bloco de centro-direita que fortaleceu a base do presidente. Roma, advogado de 48 anos, era o chefe de gabinete do prefeito de Salvador, ACM Neto, atual presidente do DEM, outra formação daquele bloco alinhado em sua vasta maioria com Bolsonaro para apoiar os candidatos do presidente para comandar o Congresso. O Partido Republicano, com forte presença evangélica, um dos setores que mais apoia o Bolsonaro, não tinha ministério no atual governo. O Ministério da Cidadania cuida dos programas de assistência social do Governo. As mudanças ministeriais visam as eleições de 2022. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3u027qX | bit.ly/2Oyyb4N

CRIMINALIDADE/ Homicídios voltam a subir no Brasil em 2020. Mortes violentas que voltam a aumentar depois de dois anos de queda. De acordo com os dados do Monitor de Violência, cinco pessoas morreram por hora o ano passado. Compra de armas quase duplicou em relação a 2019. O confinamento imposto pela pandemia daC-19 no Brasil não foi suficiente para travar a subida de mortes violentas, contrariando uma tendência de queda dos últimos dois anos. O Nordeste foi a região mais assolada pelo aumento de homicídios. (Público, Portugal) | bit.ly/3dkxC8W

ARMAS/A obsessão de Bolsonaro: ampliar a liberação de armas a civis. O presidente brasileiro Jair Bolsonaro deu um novo passo em seu objetivo de promover a "autodefesa" e flexibilizar ainda mais o acesso dos civis às armas, por meio de um decreto publicado neste sábado no Diário Oficial da União. De acordo com o texto, os cidadãos que possuem as licenças correspondentes agora poderão comprar até seis armas e 2.000 munições por ano; Flexibilizar o acesso às armas foi uma das ofertas que Bolsonaro apresentou aos brasileiros na campanha eleitoral de 2018, mas várias das medidas que tem adotado nesse sentido foram moderadas ou mesmo anuladas pelo Parlamento ou pela Justiça. (El Diário, Espanha; El Espectador, Colômbia; Jornal de Notícias, Portugal) | bit.ly/2N5NC47 | bit.ly/3agIxPh | bit.ly/3qoAjKG

AMAZÔNIA/Redes de supermercado acusadas de comprar carne de desmatamento. Três das maiores redes de supermercados dos Estados Unidos vendem carne brasileira produzida por uma polêmica empresa de carnes ligada à destruição da floresta amazônica, revelou uma investigação. Os gigantes do setor alimentício Walmart, Costco e Kroger - que juntas totalizaram vendas líquidas de mais de meio trilhão de dólares no ano passado - estão vendendo carne bovina brasileira importada da JBS, a maior empresa de carne do mundo, que está associada ao desmatamento. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2MYD07g

COVIDKIT/Médicos também entraram nas prescrições do Dr. Bolsonaro. A reportagem relata o que aconteceu com um casal da Amazônia. “Minha esposa e eu tivemos Covid-19. Nosso médico prescreveu um medicamento usado para tratar parasitas em gado”. Um coquetel de pílulas - o Covid Kit - varreu o Brasil devastado por coronavírus, apesar das poucas provas científicas de que ajuda. Foram muitos os médicos que recomendaram o tratamento recomendado por diretrizes do governo Bolsonaro como a azitromicina e a ivermectina. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/3rR703r

NEGACIONISMO BOLSONARISTA/Pastores evangélicos mentem a índios sobre vacinas. Os indígenas da floresta convencidos pelas falsas notícias e piadas do negador presidente Bolsonaro sobre as doses de imunizante que "se transformam em crocodilos". A tensão está crescendo entre as tribos da Amazônia brasileira e as equipes médicas envolvidas na assistência e tratamento contra Covid. Os indígenas não querem ser vacinados e desconfiam dos profissionais de saúde. Eles temem ser infectados pelo coronavírus ou outras doenças. O clima é particularmente tenso. A nova onda do coronavírus com as cenas angustiantes de centenas de pacientes enfileirados, à espera de oxigênio que é escasso e em muitos casos exausto, exasperam os ânimos em Manaus e na mata circundante. (La Repubblica, Itália) | bit.ly/3qlvS3b

RIO DE JANEIRO/A cidade que se comporta como se a pandemia não existisse. Revista francesa visita o Rio de Janeiro, “um mundo onde a pandemia nunca existiu”. A revista francesa Le Point traz em sua edição desta semana uma longa reportagem realizada no Rio de Janeiro. O enviado especial da publicação conta que as praias continuam lotadas e as festas incitam aglomerações em uma cidade que não parece enfrentar uma pandemia. (RFI, França) | bit.ly/3bkcIVd

CARNAVAL/O Rio de Janeiro sem carnaval. ‘É tudo tão triste’: o Rio lamenta a perda do barulho e da paixão do carnaval. As escolas de samba lutam para se manter otimistas, já que o cancelamento dos desfiles prejudica empregos e diminui a esperança nas favelas. Para os acadêmicos da Rocinha, a escola de samba da favela mais famosa do Brasil, 2021 deveria anunciar um novo amanhecer. O surto de coronavírus, que matou cerca de 240 mil brasileiros, forçou o cancelamento dos desfiles que deveriam ter começado na sexta-feira, pela primeira vez desde que começaram em 1932. (The Guardian, Inglaterra; Le Monde, França; Jornal de Notícias, Portugal) | bit.ly/3b6KvRy | bit.ly/37dtP9O | bit.ly/3ajPv5X

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

EUA/A supremacia branca venceu ontem. 'A supremacia branca venceu hoje': críticos condenam a absolvição de Trump como voto racista. Analistas dizem que a "brancura protege a si mesma" depois que apenas sete republicanos votaram para condenar Trump por incitar motins mortais no Capitólio. Em um discurso anterior, Trump exortou seus seguidores a ‘lutar’ contra o voto e chamou seu público de maioria branca de ‘o povo que construiu esta nação’. O ex-presidente foi julgado esta semana por seu papel na incitação à insurreição de 6 de janeiro no Capitólio dos EUA, onde muitos de seus seguidores agitaram bandeiras confederadas e usaram roupas e símbolos racistas e antissemitas enquanto invadiam o prédio. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3jPo86R

EUA/Trump escapa do impeachment. Os senadores votaram 57-43 a favor da condenação, não conseguindo alcançar os 67 votos (2/3) necessários para declarar o ex-presidente Trump culpado de incitar a rebelião no Capitólio. 7 republicanos rompem com ex-presidente na votação do segundo impeachment. O veredicto traz um fim abrupto ao quarto julgamento de impeachment presidencial nos EUA história, concluindo depois de apenas cinco dias. Trump escapou, mas não foi liberado. É improvável que seja a palavra final para Trump, seu partido mal dividido ou as feridas inflamadas que o motim de 6 de janeiro deixou para trás. O presidente que saiu do julgamento de impeachment do ano passado se sentindo encorajado emerge deste isolado a portas fechadas na Flórida e enfrentando um futuro político e jurídico incerto.( The New York Times, EUA) | nyti.ms/3rXPRFz | nyti.ms/37dhtP8

EUA/ Senado McConnell vota não mas condena Trump. O "inocente" de McConnell e o dilema republicano. O senador que simbolizou a aliança de Trump com o partido vota para absolver o ex-presidente cujos excessos lhe custam mais, mas o considera "crítico e moralmente responsável". Quando Mitch McConnell foi questionado no verão de 2017 como era ser um líder da maioria no Senado dos Estados Unidos, ele respondeu que era "um pouco como ser um gerente de cemitério. Todos estão abaixo de você", explicou ele, "mas ninguém ouve você." (El País, Espanha) | bit.ly/3rTNqnq

EQUADOR/Recontagem dos votos com a aprovação da OEA. AntiCorreísmo concordou com uma recontagem massiva. Num acordo em que participaram apenas os dois candidatos que ficaram em segundo lugar, sem consultar o que ganhou amplamente no primeiro turno, foi aprovada uma revisão massiva da eleição. As autoridades eleitorais não explicaram os motivos nem fixaram prazos para o fazer. A decisão da CNE ocorreu após uma reunião em que participou apenas o candidato Guillermo Lasso, da coligação CREO-Partido Social Cristão (PSC), segundo nas eleições, Yaku Pérez, do partido Pachakutik, terceiro no resultado eleitoral e a OEA. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3bkcJIL

ARGENTINA/’Lawfare’ na Argentina: decisões judiciais contestadas por Fernández. Após uma série de decisões judiciais alinhadas com a lei anti-governamental, o Presidente e o Ministro da Justiça sublinharam que uma democracia não pode coexistir com juízes que concordaram com o PRO em “estabelecer causas para perseguir os seus adversários” e que agora garantem a impunidade de macrismo. Alberto Fernández destacou a necessidade de "mudanças urgentes". O ministro Losardo questionou os juízes que "concordaram" com Macri em suas decisões e agora garantem a impunidade de ex-funcionários do governo ‘Juntos por el Cambio’ de Macri. “É difícil construir uma democracia melhor e uma República mais sólida com juízes que vêm em auxílio de seus constituintes políticos ou corporativos”, tuitou o presidente Fernández. O jurista Raul Zaffaroni juntou-se aos críticos. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3bkcJZh | bit.ly/3rMjCZI

AMÉRICA LATINA/ A esquerda retoma o voo na América Latina. As presidências de Arce na Bolívia, Fernández na Argentina, López Obrador no México e um eventual triunfo de Arauz no Equador são evidências do de um tíbio retorno do progressismo regional. O desafio é superar o fardo dos pais fundadores do ciclo dourado do início do século. Arauz é um jovem político de apenas 36 anos. No entanto, as pesquisas mostraram que as simpatias pelo chamado socialismo do século 21 ainda não desapareceram e agora representam uma nova esperança para seus aliados internacionais, que esperam consolidar um novo eixo de esquerda na região. (El País, Espanha) | bit.ly/3ahpUdS

ESPANHA/Eleições na Catalunha. A Catalunha vai este domingo às urnas na esperança de que os boletins de voto lhe apontem na direção de uma saída do labirinto político, institucional, constitucional, económico e social em que se encontra metida desde os últimos meses de 2017, quando uma série de projetos e proclamações independentistas, promovidos pelos seus líderes políticos e civis, e acolhidos por uma parte significativa da sua população, esbarraram na inflexibilidade do Governo central e na ação implacável da Justiça. Possível abstenção elevada, devido à pandemia, aumenta ainda mais a incerteza sobre o futuro da região autonómica espanhola. (Público, Portugal) | bit.ly/3ddcKAw

CHILE/O país exige mudanças na polícia, os ‘carabineros’: Os Carabineros do Chile, no olho do furacão após um novo episódio de violência. A refundação do órgão será uma das questões prioritárias das eleições constituintes de abril. Em 5 de fevereiro, Francisco Martínez Romero fazia malabarismos em uma esquina. Um policial o considerou suspeito por brincar com sabres e não hesitou em pedir seus documentos de identidade. O artista de rua se recusou a encerrar seu show. Ele foi baleado primeiro. Então outro. E assim por diante, até que foi atingido por cinco balas. O policial disse que foi um ato de legítima defesa. Mas as imagens desmentem. Não havia dúvida: o agente Juan González decidiu encerrar a discussão com sua arma. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/2OrWQb9

VENEZUELA/Para relatora da ONU, as sanções dos EUA agravaram a situação. Uma relatora da ONU afirma que as sanções dos Estados Unidos à Venezuela "agravaram as calamidades" no país caribenho Elena Douhan apresentou suas conclusões após uma visita de 12 dias à Venezuela. A relatora especial das Nações Unidas sobre o impacto negativo das medidas coercivas unilaterais no gozo dos direitos humanos garantiu nesta sexta-feira que as sanções aplicadas pelos Estados Unidos à Venezuela agravaram as calamidades no país sul-americano. “As sanções impostas, cada vez mais, pelos Estados Unidos têm exacerbado as calamidades relatadas anteriormente”, afirmou. (El Mercurio, Chile) | bit.ly/37vlPkP

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Dall’Alba e outros – Brasil/Pandemia (The Lancet, EUA) | “COVID-19 no Brasil: muito além da biopolítica” | bit.ly/3pocRf4

Emir Sader – Brasil/Lula (Página 12, Argentina) | “Razões e dilemas de Lula” | bit.ly/3allse4

Ricardo Romero – Brasil (Tiempo Argentino, Argentina) | “No Brasil, outra vez, desponta a primavera” | bit.ly/2OyyfBz

Luis Bruschtein _Argentina/Lawfare (Página 12, Argentina) | “’Lawfare’ a todo vapor. Bombas e bombachas: o lixão deixado pelo macrismo na justiça” | bit.ly/3phG6Qz

Marco Teruggi – Equador (Página 12, Argentina) | “Eleições no Equador: o anticorreísmo pactou uma massiva recontagem” | bit.ly/3bkcJIL

Dante Barontini – Itália (Dinistra in Rete, Itália) | “"O que Draghi fará? Ele já explicou isso, basta ler” | bit.ly/3bkcKMP

Geminello Preterossi – Itália (Dinistra in Rete, Itália) | “Draghi e e governo das finanças: não prevalecerão!” | bit.ly/3u5ZaFp

Robert Reich – EUA/Trump (The Guardian, Inglaterra) | “Condenado ou não, Trump é história – Biden está transformando os EUA” | bit.ly/3tSSkD3

Abdellatif Zeroual – Socialismo (Esquerda.net, Portugal) | “Desenvolvimento e socialismo em Samir Amin: uma perspectiva do Sul” | bit.ly/3dgK4Xp

Sergio Halimi – França/ Mitterrand (Le Monde Diplomatique, França) | “O legado envenenado de François Mitterrand – As ‘Memórias de Jean-Pierre Chevènement” | bit.ly/3rRiHHx

Jonah Birch – França/Mitterrand (Jacobin, EUA) | “A ascenção e a queda do socialismo francês” | bit.ly/2NnU9Ha





Conteúdo Relacionado