Clipping Internacional

Clipping Internacional - 14/05/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

14/05/2020 09:06

(Xinhua)

Créditos da foto: (Xinhua)

 

1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

PANDEMIA. O Brasil registrou um número recorde de novos casos do novo coronavírus na quarta-feira, superando a contagem da França para se tornar o sexto pior país atingido, já que a doença envia a economia para o pior ano desde 1900. O governo confirmou 11.385 novos casos nas últimas 24 horas, elevando sua contagem total para 188.974 casos de coronavírus desde o início do surto. No início da quarta-feira, a França revisou o número total de casos confirmados e suspeitos em queda de 0,3%, para 177.700. (The New York Times, EUA; El Mundo, Espanha) | https://nyti.ms/2zE5fAO | https://bit.ly/2Ak9oKD

PANDEMIA. Covid-19. Brasil tem muitos problemas e Bolsonaro é um deles. País ultrapassa Alemanha e França em dois dias seguidos e já é o sexto com mais casos, mesmo testando pouco. Ter um presidente a semear a confusão prejudica, avaliam o prefeito de Manaus, a principal revista da área e uma ex-ministra. O total de óbitos até esta quarta-feira era de 12.703. O número de casos de 181.518. Escreve a revista Lancet: talvez a maior ameaça à resposta à Covid-19 para o Brasil seja o seu presidente, Jair Bolsonaro, que continua semeando confusão e desprezando e desencorajando abertamente as sensatas medidas de distanciamento físico e confinamento introduzidas pelos governadores de estado e pelos prefeitos das cidades". (Diário de Notícias, Portugal) | https://bit.ly/2WSuh7y

PANDEMIA. Quase 750 mortos em 24 horas. Coronavírus no Brasil: com mais de 13.000 mortos, Bolsonaro pressiona seu ministro da Saúde e governadores a parar de "hibernar". O ceticismo do ministro Nelson Teich sobre os efeitos da cloroquina no combate ao Coviv-19 fez dele o alvo de ataques dos bolsonaristas. O real depreciou-se para 5,90 unidades por dólar. (El Clarín, Argentina; El Telégrafo, Equador) | https://bit.ly/2Wtc6Gl | https://bit.ly/3dWbAqv

PANDEMIA. Negros são mais vulneráveis a contrair e morrer pela COVID-19 no Brasil, diz especialista. Dados disponibilizados semanalmente pelo Ministério da Saúde sobre o comportamento da COVID-19 mostram que a população negra já corresponde à maior parte dos mortos pela pandemia no Brasil. (Sputnik News, Rússia) | https://bit.ly/2y1YXKZ

PANDEMIA. O COVID-19 já circulava no Brasil durante o Carnaval do Rio. O novo coronavírus já estava se espalhando no Brasil no início de fevereiro, várias semanas antes do anúncio do primeiro caso confirmado, inclusive durante as festividades do Carnaval do Rio, quando milhões de pessoas festejavam nas ruas, segundo estudo da Instituto de referência da Fiocruz. Coronavírus, o paciente 'zero' do Brasil que morreu no final de janeiro: o primeiro surto foi o carnaval do Rio (La Presse, Canadá; La Repubblica, Itália) | https://bit.ly/2yTMzNu | https://bit.ly/3dHzA0e

PANDEMIA. O governador de São Paulo colocou os pingos nos is em Bolsonaro. João Doria não permitiu a reabertura de cabeleireiros e academias. Dos 26 estados que compõem o Brasil, 13 se recusaram a cumprir a ordem do presidente. A reabertura de atividades está no centro da disputa entre Bolsonaro e vários governadores. (Página 12, Argentina) | https://bit.ly/2yWIND1

BOLSONARISMO. Manifestantes antiquarentena no Brasil “são minoritários, mas barulhentos e bem organizados”. O jornal Le Monde desta quarta-feira (13) publica um artigo sobre os manifestantes “antiquarentena e pró Bolsonaro” que saem às ruas todos os finais de semana no Brasil. “Minoritários, mas barulhentos e muito bem organizados, os manifestantes negam o perigo do coronavírus e defendem o presidente brasileiro contra um suposto golpe de Estado que eles acreditam estar em preparação pelos representantes da "velha política”. (RFI, França) | https://bit.ly/2yVgwwL

BOLSONARO. Bolsonaro, encurralado pela investigação do Supremo e pelo gerenciamento do coronavírus. A popularidade do presidente brasileiro atinge o mínimo quando o país ultrapassa 13.000 mortes e faz fronteira com 190.000 casos de contágio. À medida que o Brasil adiciona mortes e infecções por coronavírus para se tornar o país emergente mais afetado, os cidadãos estão perdendo a paciência com seu presidente. Um Jair Bolsonaro enfraquecido persiste em brigar com os governadores sobre como lidar com isso e se defende de ataques à medida que a investigação da Suprema Corte avança sobre sua alegada interferência na liderança da polícia para proteger sua família. Os três ministros mais próximos do presidente de extrema direita - três generais, um ativo - foram interrogados em Brasília horas depois de uma pesquisa apontar números para o colapso de sua popularidade. Então busca antigos rivais para se aliar, no Centrão. (El País, Espanha; Expresso, Portugal; La Jornada, México; La Nación, Argentina) | https://bit.ly/2WVRg1l | https://bit.ly/2yVgGUT | https://bit.ly/2zHllcX | https://bit.ly/2T6lH3P

BOLSONARO. “Não vou esperar f... alguém da minha família.” Vídeo mostra pressões de Bolsonaro sobre Moro. A gravação em vídeo de uma reunião do Governo brasileiro revela o Presidente a ameaçar o ex-ministro da Justiça Sergio Moro se este não afastasse comandante da Polícia Federal do Rio. (Público, Portugal) | https://bit.ly/2yVgyon

BOLSONARO. O futuro do Bolsonaro depende de um vídeo do Conselho de Ministros. A gravação é chave para abrir um processo penal contra o presidente brasileiro. (La Vanguardia, Espanha; El Espectador, Colômbia) | https://bit.ly/2WWgxs9 | https://bit.ly/2yKMITD

BOLSONARO. Bolsonaro cai nas pesquisas, mas mantém um núcleo duro. O desprezo de Jair Bolsonaro pela severidade do coronavírus está cobrando seu preço nas pesquisas de opinião do presidente brasileiro, embora ele continue mantendo um amplo núcleo duro de apoiadores que aceitam as ocorrências e declarações criticadas do líder de extrema direita. 43,4% dos brasileiros consideram que a administração do governo é ruim ou muito ruim, segundo pesquisa do instituto MDA para a Confederação Nacional dos Transportes, divulgada ontem. Como é uma pesquisa trimestral confiável, esses dados refletem a opinião no meio de uma pandemia. Na consulta anterior, em janeiro, a rejeição de Bolsonaro foi de 31%. No entanto, o governo mantém um apoio próximo a um terço da população (32%), embora tenha diminuído ligeiramente de 34,5% em janeiro. (La Vanguardia, Espanha) | https://bit.ly/2Ltqyb2

BOLSONARO. O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, negou novamente nesta quarta-feira qualquer tentativa de interferir nas investigações policiais contra sua família, apesar dos vazamentos esmagadores na imprensa de seus comentários feitos em uma reunião ministerial. Apesar dos vazamentos esmagadores, o presidente brasileiro nega que queira substituir o chefe da Polícia Federal para "proteger sua família e amigos". (Tribune de Gevève, Suíça) | https://bit.ly/3fMlxZ6 | https://bit.ly/3cypTkr

BOLSONARO. O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse na quarta-feira que está considerando lançar um vídeo que, segundo fontes, o mostra explicando que ele precisa de um chefe de polícia amigável no Rio de Janeiro para proteger sua família de investigações. (The New York Times, EUA) | https://nyti.ms/35WyzyC

INDÍGENAS. Povos indígenas buscam se isolar com aumento de casos de coronavírus na Amazônia. A epidemia de coronavírus pode ter consequências dramáticas para os povos indígenas da Amazônia, que já começam a contar os primeiros mortos pela Covid-19. Nessa região, o sistema de saúde está à beira do colapso, e as comunidades se protegem aplicando o isolamento social. Mas ao vírus se sobrepõe o problema recorrente da invasão de terras pelos garimpeiros, grileiros e madeireiros ilegais, gerando conflitos e riscos sanitários. (RFI, França) | https://bit.ly/2T4qbbn

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

AMÉRICA LATINA. Número recorde de mortes no México e no Brasil aumenta os temores do aumento do Covid-19 na América Latina. Países registram os mais altos números de mortes em um dia até o momento, em meio a reações ambivalentes e atrasadas dos governos. O Brasil e o México registraram seus mais altos números de mortes por coronavírus em um único dia até o momento, aumentando o medo de que a pandemia esteja surgindo na América Latina em meio a reações ambivalentes e adiadas dos governos de seus dois países mais populosos. No Brasil - onde o presidente Jair Bolsonaro descartou o vírus como "um pouco de gripe" - o Ministério da Saúde relatou um novo registro sombrio de 881 mortes em 24 horas na terça-feira à noite. Ele já confirmou 12.461 mortes, o sexto maior número de mortes no mundo e 178.214 casos. (The Guardian, Inglaterra) | https://bit.ly/2Z0qFTo

CHILE. O coronavírus revela a desigualdade estrutural do modelo chileno que vem desde Pinochet. A crise econômica decorrente do coronavírus retornou ao Chile imagens que não eram vistas desde a época da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990): milhares de pessoas que vivem em bairros populares comem todos os dias graças a "panelas comuns", símbolos a fome e a pobreza que assombram o país novamente. Nos arredores de Santiago, esse tipo de assistência se multiplicou nas últimas semanas, à medida que mais famílias ficaram sem renda após o fechamento de muitas lojas, obras de construção e a ampliação da quarentena obrigatória. (Página 12, Argentina) | https://bit.ly/3fGPolE

CHILE. A estratégia no Chile fracassou, agora é quarentena obrigatória. O governo chileno admitiu hoje tacitamente o fracasso de sua estratégia de "quarentenas dinâmicas" que aplicou seletivamente para controlar a expansão da peste Covid-19, organizando que, a partir das 22h de sexta-feira, 15, toda a área metropolitana de Santiago e seis outras comunas vizinhas (municípios) entrarão em quarentena estrita que afetará 8 milhões de pessoas por um período não especificado. (La Jornada, México) | https://bit.ly/2Z3Bog8

VENEZUELA. Guaidó acusado de ter estado com um ex soldado norte-americano. Maduro acusa Guaidó de ter encontrado um ex soldado norte-americano durante sua visita à Casa Branca três meses antes do golpe frustrado. (Tribune de Genève, Suíça) | https://bit.ly/2Z2Ytzx

MÉXICO. O México apresenta um plano trifásico para o "novo normal" após o confinamento da covid-19 "Já existe a luz que indica que vamos deixar o túnel em que estávamos e em que ainda estamos", assegurou o presidente Andrés Manuel López Obrador. (El Mercúrio, Chile) | https://bit.ly/2WUMUrd

EUA. Fed (o Banco Central dos EUA) alerta que é necessário mais dinheiro, pois números dos EUA revelam desigualdade crescente. Os americanos mais mal pagos são os mais atingidos pela pandemia de coronavírus. Mais evidências de como a pandemia de coronavírus está aumentando a desigualdade de renda surgiram depois que o Federal Reserve anunciou que 40% das famílias que ganham menos de US $ 40.000 incluíam alguém que perdeu o emprego desde fevereiro. Os latinos registraram a maior taxa de desemprego em abril, 18,9%, enquanto o desemprego para afro-americanos aumentou de 6,7% para 16,7%, eliminando os ganhos obtidos desde a última recessão. Aqueles sem formação universitária foram particularmente prejudicados. A taxa de desemprego dos adolescentes atingiu 31,9% em abril, ante 14,3% em março. (The Guardian, Inglaterra) | https://bit.ly/2WTRkPl

EUA. Por que certos estados dos EUA eles se apressam tanto para levantar a quarentena. A vida é negra, o dinheiro é branco. Por que certos estados dos EUA eles se apressam tanto para levantar a quarentena. Os mais apressados são aqueles que mostram a maior divergência entre a porcentagem de habitantes afro-americanos e as mortes por raça. (Página 12, Argentina) | https://bit.ly/3dDIls6

JAPÃO. O Japão tem sua própria divisão Trump-Cuomo (governador do Estado de New York). E é tão tenso quanto. É uma luta que os americanos reconhecerão - um líder nacional desesperadamente focado na economia contra um governador cuja popularidade disparou com as tentativas de controlar o coronavírus. O Japão tem sua própria versão. Desempenhando o papel de presidente Trump, está o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, a quem os críticos acusam de hesitar diante da ameaça do vírus em uma tentativa equivocada de escapar da dor econômica. A parte do governo de Nova York Andrew M. Cuomo (D) é interpretado pelo governador de Tóquio, Yuriko Koike, que luta por uma resposta muito mais resoluta à ameaça do covid-19. (The Washington Post, EUA) | https://wapo.st/3cxmLW3

EVANGÉLICOS EM ISRAEL. O proselitismo cristão evangélico sob ameaça na TV israelense. Nos últimos dias, um canal de televisão evangélica transmitiu "a boa palavra de Jesus" em hebraico, uma prática que pode ser contrária à lei do país. Na semana passada, o ministério das comunicações israelense foi forçado a investigar um canal de televisão evangélica cristã, que aparentemente concedeu uma licença para transmitir seus programas em Israel em hebraico. (Le Monde, França) | https://bit.ly/2TkIpWf

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Robert Reich – EUA (Common Dreams, EUA) | “A verdadeira razão porque Trump quer reabrir a economia” | https://bit.ly/2yWINTx

Gabriel Leão – Brasil (Counterpunch, EUA) | “Povos indígenas brasileiros enfrentam uma dupla ameaça: da COVID-19 e das políticas de Bolsonaro” | https://bit.ly/3fMlBYQ

Kenneth Peres – EUA (Common Dreams, EUA) | “Assassino em Chefe: Donald Trump e os dezenas de milhares de mortos pelo coronavírus” | https://bit.ly/2Z3IDoi

Lorenzo Marsili e Ulrike Guérot – Europa (The Guardian, Inglaterra) | “As elites falharam conosco. Já é hora de criar a República Europeia – após a pandemia, os cidadãos europeus precisam aproveitar o momento e construir uma democracia de iguais que participem das mesmas proteções” | https://bit.ly/2WTRnL1

Eric Nepomuceno – Brasil (Página 12, Argentina) | “Bolsonaro desmente um general ministro – a crise política e sanitária se aprofunda no país” | https://bit.ly/3fKTGbH

Ana Catarina Marques – Brasil (Esquerda.net, Portugal) | “13 de maio: o dia em que a Lei Áurea aboliu a escravatura no Brasil” | https://bit.ly/3dHshFO

Alain Frachon- EUA/China (Le Monde, França) | “Trump contra Xi: quem vai parar? Até que ponto irá o confronto ideológico, econômico e tecnológico entre os Estados Unidos e a China " | https://bit.ly/3dHzAgK

Matheww Miranda – EUA (Jacobin, EUA) | “Michael Jordan era um ícone capitalista. A última dança é seu comercial de criação de mitos.” | https://bit.ly/2WNVJ64

Conteúdo Relacionado