Clipping Internacional

Clipping Internacional - 14/09/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

14/09/2020 09:41

O candidato do MAS, partido de Evo Morales, está à frente de Carlos Mesa por 10 pontos. As eleições devem ocorrer no próximo 18 de outubro (EFE)

Créditos da foto: O candidato do MAS, partido de Evo Morales, está à frente de Carlos Mesa por 10 pontos. As eleições devem ocorrer no próximo 18 de outubro (EFE)

 
1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

BOLSONARO. A deputada Maria do Rosário Nunes repudiou o comentário do presidente brasileiro com conotações sexuais a um youtuber de dez anos de idade. Jair Bolsonaro será levado à justiça esta semana por ter "ultrajado moralmente" um menor com comentários de conotação "sexual". Entre risos, o governador perguntou à pequena youtuber Esther Castilho quando a sua "iniciação" tinha sido, ao mesmo tempo que procurava, e obtinha, a cumplicidade dos conselheiros que o acompanhavam no Palácio da Alvorada durante o seu programa semanal ao vivo com alta audiência nas redes sociais transmitidas simultaneamente pela mídia. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3khc90Y

BOLSONARO. Bolsonaro veta perdão de dívidas de igrejas, mas diz que se fosse deputado derrubaria próprio veto. O presidente Jair Bolsonaro atendeu à pedido do ministro da Economia, Paulo Guedes, e vetou perdão a dívidas de igrejas no país, medida que poderia ter impacto de R$ 1 bilhão. Por meio do Facebook, Bolsonaro explicou sua decisão, afirmando que vetou "dispositivo que isentava as igrejas da Contribuição sobre o Lucro Líquido (CSLL)" para evitar "um quase certo processo de impeachment". Por outro lado, afirmou que, "caso fosse deputado ou senador", derrubaria o veto aplicado por ele próprio. (Sputnik News, Rússia) | bit.ly/33p1LO8

 PANTANAL. O Pantanal sofre a maior devastação de sua história. A área queimada é equivalente a Israel. O maior risco para a vida selvagem é acabar em áreas onde uma camada de restos de plantas em decomposição queima, queimando as pernas de veados, onças-pintadas e antas. Os incêndios que assolam o Pantanal há dois meses são os maiores da história. Dados do Centro Nacional de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Prevfogo) mostram que 15% do Pantanal, uma área de 2,2 milhões de hectares, equivalente ao território de Israel, foi queimada. Os incêndios na maior planície de inundação do mundo são, acima de tudo, uma tragédia devastadora para um dos biomas mais preservados do país até agora, um refúgio para animais extintos em outras regiões, como a onça pintada. (El País, Espanha) | bit.ly/3khlyFT

GOVERNO BOLSONARO. Amazônia: Orçamento de Bolsonaro reduz recursos para controle e fiscalização em 2021. Os controles da atividade na Amazônia estão praticamente suspensos e a situação vai piorar no próximo ano. A minuta de orçamento enviada pelo governo Jair Bolsonaro ao Congresso projeta para 2021 uma redução de recursos para dois institutos que se dedicam ao controle e fiscalização das atividades na Amazônia, apesar do aumento das queimadas e do desmatamento. A iniciativa prevê não só a redução dos recursos repassados a essas entidades, mas também o aumento dos recursos cuja destinação está sujeita à aprovação expressa do Congresso em determinada situação. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/2DYObIq

RIO DE JANEIRO. Sem samba, turismo ou carnaval: a pandemia afoga o Rio de Janeiro. A capital cultural do Brasil depende da ajuda econômica do Governo e das campanhas de arrecadação de fundos. O Covid-19 atingiu fortemente o coração do Rio de Janeiro. As atividades criativas e turísticas na cidade, referência da cultura nacional e principal destino turístico do Brasil, respondem por grande parte de sua economia. Esses são precisamente dois dos setores mais afetados pela pandemia. Passadas cinco décadas, os tradicionais fogos de artifício do Réveillon não serão mais vistos na Praia de Copacabana. Os carnavais não vão acontecer pela primeira vez desde o início do século passado. (El País, Espanha) | bit.ly/32roxFy

PANDEMIA. Coronavírus no Brasil: As praias do Rio de Janeiro registram aglomerações. Milhares de pessoas se aglomeraram sem respeitar o distanciamento social. As emblemáticas praias de Ipanema e Copacabana, as mais tradicionais do Rio de Janeiro, registraram neste domingo multidões, roubos e um forte movimento em meio à desaceleração e retorno das atividades que várias cidades brasileiras realizaram em função da pandemia do coronavírus. Sem respeitar a distância recomendada pelas autoridades sanitárias e a obrigatoriedade do uso de máscaras, milhares de pessoas se amontoaram nas ensolaradas praias cariocas, onde se multiplicaram os "arrastões" ou roubos em massa. O Rio de Janeiro, que estava prestes a ver o colapso do sistema de saúde, com o segundo maior pico de mortes e infecções atrás de São Paulo, retomou a maior parte de suas atividades. (Página 12, Argentina; el Clarin, Argentina) | bit.ly/2ZAMlVD | bit.ly/35ztu0Z

COVID-19. O Brasil registou 415 mortos e 14.768 novos infetados com Covid-19 nas últimas 24 horas, informaram hoje as autoridades de Saúde do país, acrescentando ainda que estão a investigar a relação de 2.474 óbitos com a doença. O Brasil totaliza agora 131.625 vítimas mortais e 4.330.455 casos confirmados desde o início da pandemia, registada oficialmente no país no final de fevereiro. A taxa de incidência da Covid-19 no Brasil, pais lusófono mais afetado pela pandemia, é hoje de 62,6 mortes e de 2.060,7 casos por cada 100 mil habitantes, e a taxa de letalidade mantém-se em 3,0%. (Diário de Notícias, Portugal; La Vanguardia, Espanha; El Periódico, Espanha; El Mercurio, Chile; Global Times, China) | bit.ly/32uSV1K | bit.ly/3ivJqFp | bit.ly/2ZBCq28 | bit.ly/32qq5zF | bit.ly/33qztCS

INFLAÇÃO. Os preços dos alimentos disparam. Em um contexto marcado pelo coronavírus, os brasileiros enfrentam a inflação exacerbada por exportações recordes para a China. O feijão preto cresceu quase 30%, a carne bovina quase 40% . Os brasileiros estão enfrentando o aumento dos preços dos alimentos, causado em particular por exportações recordes para a China e forte demanda doméstica. Essa onda, que ocorre em um contexto de crise econômica e social ligada à pandemia do coronavírus, levou o presidente Jair Bolsonaro a pedir aos varejistas que mostrem "patriotismo" e "mantenham suas margens de lucro o mais baixas possível. " (Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/35ztvSB

NEYMAR. A vitória do Marselha na noite de domingo (1-0) terminou em confusão, com cinco cartões vermelhos e Neymar acusando o zagueiro do OM, Álvaro Gonzalez, de insultos racistas. Os fatos: uma enxurrada de expulsões antes (do parisiense Laywin Kurzawa, do Marseilha Jordan Amavi) e depois (Neymar) da consulta ao vídeo da arbitragem, cinco tintos no total e um Neymar que escreve no Twitter: “VAR é fácil mas agora quero ver a imagem do racista que me chama de "Mono Hijo de Puta" ["macaco filho da puta" em espanhol, sendo o resto do tweet em português, língua nativa do brasileiro, que sugere uma citação, nota do editor] (macaco filho da puta) que eu quero ver! " (Libération, França) | bit.ly/2RtphUg

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

ARGENTINA. Preocupado com o lugar que Rodríguez Larreta está ocupando, Macri tentou ofuscá-lo, divulgando uma carta que busca arrastar ‘Juntos por el Cambio’ a um confronto total com o Governo. Ele garante que medidas sanitárias contra a pandemia atentam contra a Constituição e pede resistência nas ruas. Mas, não teve muito sucesso, as marchas da oposição de ontem foram muito menos gente que o esperado. O ex-presidente divulgou um texto onde “quebra o silêncio”, mas nenhum referente da oposição juntou-se à sua carta, fortemente retórica contra as medidas sanitárias e polarizando violentamente com o Governo. Mas no ‘Juntos por el Cambio’ prevaleceu o silêncio. (Página 12, Argentina) | bit.ly/35ztwWF

BOLÍVIA. A 35 dias antes das eleições presidenciais na Bolívia. Luis Arce lidera as pesquisas, mas não evitaria um novo turno. O candidato do MAS, partido de Evo Morales, está à frente de Carlos Mesa por 10 pontos, pelas eleições de 18 de outubro. 35 dias antes das eleições na Bolívia, existem apenas duas certezas. O futuro político do país será definido nas condições impostas pelos golpistas e o Movimento pelo Socialismo (MAS), que lidera todas as urnas, garantiu sua passagem para um eventual segundo turno. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3mkYZSI

PERU. A ameaça do Congresso peruano de destituir o presidente perde força. O presidente da Assembleia Legislativa, que assumiria a presidência, apelou às Forças Armadas para "darem tranquilidade". A transmissão de uma série de áudios na semana passada foi o que reanimou o confronto entre o Congresso e o presidente do Peru, Martín Vizcarra. Lá, o chefe de Estado, um conselheiro e um funcionário presidencial são ouvidos concordando com a declaração de um assistente administrativo perante o Ministério Público. Investiga se foram cometidas irregularidades na contratação pelo governo de uma cantora que participou da campanha de Vizcarra. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/2FBImku

COLÔMBIA. Bogotá realiza reconciliação no dia seguinte às mortes por abuso policial. Bogotá pediu perdão e reconciliação em um dia em que lembrou as 13 mortes nas violentas manifestações contra a brutalidade policial, cujos parentes pediram o fim da violência. Pais, irmãos e filhos das pessoas que morreram ou foram feridas com tiros de bala, o que segundo a prefeita Claudia López, ocorreu apesar de ela ter ordenado à Polícia que nunca chegasse à Plaza de Bolívar, em Bogotá usar "armas de fogo em protestos de cidadãos". (El Periódico, Espánha) | bit.ly/33uVjou

TRUMP. Em visita à Califórnia, Trump confronta uma realidade científica que nega. Quando o presidente Trump voar para a Califórnia na segunda-feira para avaliar os incêndios violentos no estado, ele ficará cara a cara com as terríveis consequências do aquecimento do planeta. Um presidente que zombou das mudanças climáticas e promoveu políticas que as aceleram deve ser informado sobre a terra arrasada e os céus cheios de cinzas que os especialistas dizem ser o resultado previsível. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/2ZAQMQe

EUA/INCÊNDIOS. O número de mortos em incêndios florestais que sufocam a costa oeste dos EUA continuou a aumentar no domingo, com as autoridades temendo que mais corpos fossem encontrados nas ruínas carbonizadas de cidades em vários estados, e políticos criticaram Donald Trump por sua resposta à crise crescente. A Casa Branca anunciou que Trump visitaria a Califórnia na segunda-feira para "um briefing", uma medida que atraiu fortes críticas de Eric Garcetti, o prefeito de Los Angeles: “Ele virá aqui e provavelmente nos dirá ‘vou mandar ancinhos’ em vez de mais ajuda”. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/32ugY1a

ISRAEL. O bloqueio de três semanas fará de Israel o primeiro país do mundo a impor uma segunda vez tais restrições rigorosas em escala nacional. O governo de Israel decidiu impor um bloqueio com duração de três semanas, o primeiro país a reimpor tais restrições severas em escala nacional, após um ressurgimento dramático de casos de coronavírus. Netanyahu disse que as pessoas serão forçadas a permanecer a 500 metros de suas casas, com exceções para exercícios isolados. Escolas e todas as lojas, exceto lojas essenciais, serão fechadas. Um afrouxamento gradual das regras só seria implementado se a taxa de infecção cair. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2FydGkf

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Nicolás Ester – Argentina (Tiempo Argentino, Argentina) | “A estratégia da direita para criar um vazio de legitimidade” | bit.ly/32uihNj

Eduardo Aliverti – Argentina (Página 12, Argentina) | “Polícias, golpismo, ações e truques” | bit.ly/32teNe4

Octavio García Soto – Chile (Jacobin, EUA) | “A extrema direita do Chile está pegando armas” | bit.ly/2ZBCkHO

Richard Wolffe – Trump (The Guardian, Inglaterra) | “Trump contou a um repórter seu maior segredo: que ele é um perigo para o povo americano” | bit.ly/2Zw0xPY

Leïla Shahid – Palestina (L’Humanité, França) | “A questão dos refugiados é central para a Palestina” | bit.ly/2RrZvjk

Christides et allii... – Refugiados (Der Spiegel, Alemanha) | “A catástrofe de Moria e a política de refugiados hipócrita da União Europeia” | bit.ly/33l9DQo

Sue Halpern – Trump (The New Yorker, EUA) | “Como o aplicativo móvel de Trump está coletando grandes quantidades de dados do eleitor. Os métodos de coleta de dados do aplicativo Trump 2020 da empresa de software Phunware são uma reminiscência daqueles usados pela Cambridge Analytica.” | bit.ly/3iwEobt

David Vine, entrevista – EUA (Democracy Now, EUA) | “Custos da guerra: após os ataques de 11 de setembro, as guerras dos EUA deslocaram pelo menos 37 milhões de pessoas em todo o mundo” | bit.ly/3huI9wP

Robert Reich - Big Tech (Common Dreams, EUA) | “Cidadão Musk. Estamos de volta aos excessos da Era Dourada, e Elon Musk (Tesla) é um barão ladrão moderno.” | bit.ly/3ivJEfJ

Andrea Muratore – Globalização (Sinistra in Rete, Itália) | “As cadeias globais de valor após a pandemia” | bit.ly/2FA3fgc



Conteúdo Relacionado