Clipping Internacional

Clipping Internacional - 15/02/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

15/02/2021 09:18

Atendimento médico em Manaus (Raphael Alves/EPA)

Créditos da foto: Atendimento médico em Manaus (Raphael Alves/EPA)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

ARMAS/ Bolsonaro facilita acesso a armas. Cidadãos passam a poder comprar seis armas por ano. Sócios de clubes de tiro podem comprar 60. A oposição de esquerda quer levar a questão ao Supremo Tribunal Federal. Marcelo Freixo diz que este “mercado legalizado abastece o clandestino” e que o presidente quer armar apoiantes fanáticos “e colocar a democracia na mira”. PSOL e PC do B já anunciaram que vão levar os decretos de Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/37fzDj7

COVID-19/Especialistas preveem recrudescimento da pandemia. O Brasil registrou nas últimas 24 horas mais 713 mortes e 24.759 novos casos de Covid-19, elevando o número total de óbitos pela doença para 239.245 e alcançando quase 10 milhões de infetados. Foram 24.759 novos casos nas últimas 24 horas, o que eleva o número acumulado de infeções para 9.834.513. Os especialistas acreditam que os dados pandêmicos podem piorar nas próximas duas semanas, entre outros fatores, devido ao feriado virtual de Carnaval, que o país tem vindo a viver desde a última sexta-feira e que continuará até à próxima quarta-feira. (Jornal de Notícias, Portugal; Xihuanet, China) | bit.ly/3pldmGL | bit.ly/37geTYw

BANCO CENTRAL/A armadilha do banco central independente. Bolsonaro o impulsiona com firmeza. Lenín Moreno quer antes de partir. Não é por acaso que, logo após deixar seu governo, e na semana seguinte ao primeiro turno eleitoral, o presidente Lenín Moreno pretende privatizar o Banco Central do Equador. Nem que quando o Supremo Tribunal Federal do Brasil começa a desvendar o complô para mandar Lula da Silva à prisão e o ex-chefe das Forças Armadas reconhece a operação para não libertar o ex-presidente antes das eleições de 2018, Jair Bolsonaro conseguiu aprovar a autonomia de Banco Central do Brasil. (Tiempo Argentino, Argentina) | bit.ly/3jNWBmy

LAVAJATO/A Lava jato agiu como partido e ‘esquadrão da morte’. Lava Jato agiu como um "esquadrão da morte" disse o ministro da Suprema Corte Gilmar Mendes. Em entrevista, ele lançou um ataque contundente contra Sérgio Moro e a força-tarefa da Operação Lava Jato. O juiz comparou a força-tarefa Lava Jato em Curitiba a “um grupo de esquadrões da morte, totalmente fora dos parâmetros legais”. Mendes exigiu uma resposta política: “Como vimos, era uma ameaça à democracia. No final das contas havia um ‘partido Lava Jato’, eles estavam interferindo no processo político, eles estavam prendendo um candidato e definindo a eleição, tudo em um jogo combinado. Eles envergonharam a Polícia da Alemanha Oriental, a Stasi.”. (Brasil Wire, EUA) | bit.ly/3tTZpTE

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

AMÉRICA LATINA/ A virada de esquerda na América Latina: entre "herança" e moderação. A esquerda latino-americana mostra um ressurgimento morno, prova disso são as presidências de Arce, na Bolívia, Fernández, na Argentina, e López Obrador, no México, e o desafio será superar o fardo dos "pais fundadores" do ciclo dourado do início do século. Pode também ser incluído o candidato a presidente do Equador, Andrés Araus, o candidato da esquerda à frente na votação de primeiro turno. (UYpress, Uruguai) | bit.ly/3u0nnNb

AMÉRICA LATINA/PIB cai mais onde a gestão foi pior: Brasil e México. O PIB cai mais nos países da América Latina com o maior número de mortes por covid-19. Um estudo dos principais países da região mostra a relação entre a recuperação econômica e a melhor gestão da pandemia. Segundo o estudo, países como Uruguai e Paraguai foram “menos atingidos ou devastados por menos tempo” e conseguiram manter um nível de atividade econômica mais próximo do observado em 2019. O contrário ocorreu com países como México e Brasil, “onde os indicadores de contágio permaneceram elevados por mais tempo”. Os dois países demoraram a aplicar as medidas de distanciamento social recomendadas pela Organização Mundial da Saúde e os dois presidentes minimizaram os efeitos da doença. (El País, Espanha) | bit.ly/3qoE02X

ARGENTINA/A morte de Menen, o presidente do neoliberalismo. O ex-presidente Carlos Saúl Menem morreu aos 90 anos. E ele o fez. Desmontou o Estado eliminando todos os organismos de controle. Privatizou todos os serviços, empresas, rotas e até a YPF. Também as aposentadorias. Ele indultou os militares condenados pelos crimes da ditadura e os órgãos de direitos humanos não esquecem, nem perdoam. Ele vendeu as ferrovias, fechou filiais e condenou milhares de cidades à morte. Ele inventou as relações carnais com os EUA e o guarda-chuva para as Malvinas. Ele se envolveu com o Oriente Médio e o país sofreu dois ataques terroristas. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3ajEHVE | bit.ly/2ZiuZfL

EQUADOR/ Manobras no Equador contra o correísmo. O candidato de direita Guillermo Lasso e o ambientalista Yaku Pérez concordam em recontar as cédulas. O segundo turno da eleição presidencial está ameaçado. As manobras continuam no Equador, onde ainda não se sabe com certeza o nome do candidato que enfrentará o progressista Andrés Arauz no segundo turno das eleições presidenciais. Na sexta-feira, sob os auspícios do Conselho Nacional Eleitoral e observadores da OEA - envolvidos, com seus dados falsificados, no golpe eleitoral de 2019 contra o presidente Evo Morales, na Bolívia - realizou-se um encontro na entre os dois candidatos que disputam o segundo lugar. (L’Humanité, França) | bit.ly/3bbJvLO

PERU/Altos funcionários e ministros furam fila da vacina. O escândalo desencadeado no Peru depois que foi confirmado neste fim de semana que o ex-presidente Martín Vizcarra recebeu secretamente uma vacina contra Covid-19 em outubro passado, quando ainda estava no poder, não para de crescer. A confissão do ex-presidente gerou indignação em um dos países mais atingidos pela pandemia, com mais de 43 mil mortes, também às vésperas das eleições presidenciais convocadas para abril. Ministros e altos funcionários. Dezenas de altos funcionários foram imunizados sem tornar público com doses de Sinopharm que chegaram a Lima em setembro. A chanceler Elizabeth Astete, que foi vacinada em janeiro, renuncia. | bit.ly/3ddJU39

EUA/Meio ambiente e racismo estrutural em Chicago. Uma fábrica de Chicago provocou uma greve de fome em meio a reivindicações de racismo ambiental. Uma usina de reciclagem de metal deve ser inaugurada no poluído Sudeste meses depois que a mesma empresa fechou um ferro-velho em uma parte branca e rica da cidade. A nova usina de reciclagem abrigará uma trituradora de metal, que usa maquinário conhecido por produzir partículas de poeira perigosas que podem causar graves problemas cardíacos e pulmonares. O lado sudeste de Chicago é a área mais industrial da cidade, lar de empresas que despejam mais de meio milhão de quilos de toxinas no ar todos os anos. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2ZifZyz

ESPANHA/ Eleições na Catalunha: Independentistas reforçam maioria absoluta. O Partido Socialista da Catalunha (PSC) foi o mais votado e o seu líder anunciou a candidatura a presidente da Generalitat. Vox torna-se o partido mais votado da direita.. A subida do PSC é digna de registro pois passou de 17 para 33 deputados. Em termos de votos a subida não é tão acentuada, devido à elevada abstenção, tendo passado de 606 mil que teve em 2017 para 648 mil votos. A extrema direita leva votos da direita. Vox cresce às custas do PP. (Esquerda.net, Portugal; El Diário, Espanha) | bit.ly/2ZjbeoA | bit.ly/3jO9tcp

HAITI/Manifestação antigovernamental. Milhares de manifestantes contra o retorno da ditadura. Milhares de haitianos nas ruas no domingo desafiaram a legitimidade do poder contínuo de Jovenel Moïse no poder, que afirma que ainda tem um mandato. (Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/2N6PeKZ

MIANMAR/Repressão militar é ampliada. Na Birmânia, uma repressão militar em grande escala é organizada. Veículos blindados patrulharam Yangon na segunda-feira e vários deles assumiram posições em alguns cruzamentos estratégicos da cidade. Após a relativa tranquilidade dos últimos dias, enquanto dezenas de milhares de birmaneses ainda tomavam as ruas das grandes cidades, no domingo, 14 de fevereiro, o regime militar está organizando uma repressão em larga escala ao movimento de desobediência de civis que ameaçam paralisar o país. (Le Monde, França) | bit.ly/2NqPzYH

KOSOVO/Esquerda vitoriosa nas eleições parlamentares. O partido anti-establishment Vetevendosje (Autodeterminação) parece destinado a ganhar as eleições de Kosovo por uma grande margem, depois que os Kosovares enfrentaram temperaturas congelantes e a pandemia de coronavírus para votar. O partido antiestablishment obteve cerca de 48% dos votos, com cerca de 90% dos votos já contados, de acordo com a Comissão Eleitoral Central. Previa-se que o governo de longa data Partido Democrático do Kosovo (PDK) receberia cerca de 17% dos votos, e a conservadora Liga Democrática do Kosovo (LDK) 13%. (Deutsche Welle, Alemanha) | bit.ly/3rSNJyI

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Ben Norton – Equador (The Gray Zone, EUA) | “Como o candidato ‘ecossocialista’, apoiador de golpes e apoiado pelos EUA, ajuda a direita” | bit.ly/2LSUzFd

Miguel Andrade – Brasil (World Socialist Web Site, Europe) | “Quem está por detrás da reabertura das escolas em São Paulo? | bit.ly/3jQbynU

Luis Bruschtein – Argentina (Página 12, Argentina) | “Morreu Carlos Menem. O homem que nasceu para uma coisa, mas fez o oposto” | bit.ly/2N9dv2T

Raúl Dellatorre – Argentina (Página 12, Argentina) | “O legado da conversibilidade e Domingos Cavallo” | bit.ly/37gcz3z

Juan Pablo Csipka - Argentina (Página 12, Argentina) | “Carlos Menem, o presidente dos escândalos de perdão, neoliberalismo e corrupção” | bit.ly/3pk80vn

Christian Chavagneux – Paraísos Fiscais (Alternatives Économiques, França) | “Luxemburgo, a fábrica de um paraíso fiscal” | bit.ly/3k2gd6F

Wang Youming – EUA/América Latina (Watching America, EUA: Huanquiu, China) | “Mudanças e permanências na política norte-americana na América Latina” | bit.ly/3b8UsxD

David Smith – EUA/Trump (The Guardian, Inglaterra) | “A absolvição de Trump no impeachment sela seu domínio do Partido Republicano” | bit.ly/3ub6fEC

David Scott Mathieson- Mianmar (The Nation, EUA) | “Exército das Trevas de Mianmar. Os militares nunca estiveram interessados em paz ou transição democrática - e nem Aung San Suu Kyi.” | bit.ly/3tZKXtg

Amy Goodman e Denis Moynihan – EUA (Democracy Now, EUA) | “A supremacia branca também deve ser julgada no impeachment de Trump” | bit.ly/3rXWx6G

Richard Wolff – Capitalismo global (Counterpunch, EUA) | “Os centros do capitalismo global estão migrando dos EUA, Europa e Japão” | bit.ly/2Zk5ta8

Giacomo Marchetti – Capitalismo (Sinistra in Rete, Itália) | “BlackRock, como o capital financeiro controla a política nos EUA e União Europeia” | bit.ly/3dgMQMy



Conteúdo Relacionado