Clipping Internacional

Clipping Internacional - 17/11/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil, especial eleições; Notícias do Mundo; e Artigos

17/11/2020 09:44

(Reprodução/Fotomontagem/Carta Maior)

Créditos da foto: (Reprodução/Fotomontagem/Carta Maior)

 
1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

ELEIÇÕES/BOLSONARO. Jair Bolsonaro é derrotado em seu primeiro teste eleitoral e busca se distanciar da derrota de seus aliados nas eleições municipais. Dos treze candidatos apoiados pelo presidente para prefeitos do país, nove foram reprovados, dois mal conseguiram passar ao segundo turno e apenas dois foram eleitos em municípios sem projeção nacional. Dos 13 candidatos que apoiou nas capitais, só dois foram eleitos. Seu revés mais notório ocorreu em São Paulo, a capital econômica e financeira do país, onde seu pupilo Celso Russomano ficou em quarto lugar. Em vez disso, preferiu referir-se a um alegado enfraquecimento da esquerda e criticar o sistema de contagem de votos em vigor no país. (ABC, Espanha; Página 12, Argentina; La Vanguardia, Espanha; La Diária, Uruguai; El Mundo, Espanha; Les Echos, França; Le Parisien, França; Expresso, Portugal; El Mercurio, Chile; El Desconcierto, Chile; Últimas Notícias, Venezuela; Al Jazeera, Catar) | bit.ly/3kE522z | bit.ly/3f5Lv9W | bit.ly/3pEKfzt | bit.ly/32UGoVc | bit.ly/35DAKZz | bit.ly/2Uzo3bJ | bit.ly/3kE54aH | bit.ly/2IIouxE | bit.ly/3nxb5Ia | bit.ly/3lEqcPx | bit.ly/3lEE9g1 | bit.ly/2UwtKay

ELEIÇÕES/LULA. Os dois "aliados" de Lula, às portas do governo em São Paulo e Porto Alegre. Manuela D´Avila e Guilherme Boulos, foram para o segundo turno na cidade mais populosa do Brasil e na capital do Rio Grande do Sul. Foram abençoados pelo ex-presidente, mas não são do PT. Ela é do Partido Comunista Brasileiro e foi vice-candidata de Fernando Haddad em 2018. Ele é líder do Movimento Sem Terra e do PSOL. Eles têm 38 e 39 anos, respectivamente. Lula disse que eles são o futuro. (Tiempo Argentino, Argentina) | bit.ly/3pDufh5

ELEIÇÕES. As eleições municipais no Brasil mostraram que o capital político do presidente diminuiu, inclusive com perda de votos no próprio clã Bolsonaro. Disputa nas cidades também traz desafios à esquerda, de Boulos e Lula, e à centro-direita que está de olho em 2022. O presidente Jair Bolsonaro, puxador de votos em 2018, viu um cenário bem diferente este ano e foi o grande derrotado nas urnas no primeiro turno das eleições municipais. (RFI, França; El País, Espanha; The Washington Post, EUA) | bit.ly/3kLdsp2 | bit.ly/35BOcwU | wapo.st/3f5ivPT

ELEIÇÕES. A ressurreição da política tradicional nas eleições municipais, o naufrágio de Bolsonaro e o hacker português. Partidos de centro-direita, como PSDB, DEM e MDB, e o chamado "centrão", todos abalados pela Lava-Jato, dominaram nas maiores cidades e no número total de prefeitos. Presidente só elegeu nove dos 59 candidatos que apoiou. Ataque cibernético a partir de Portugal pode ter ligação com extrema-direita brasileira. (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/3lE5rmN

ELEIÇÕES/SEGUNDO TURNO. Novo líder de esquerda e sobrinho de Edir Macedo na 2.ª volta em São Paulo e no Rio. Segundo as sondagens à boca da urna, Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Sem Teto, e Marcelo Crivella, o atual prefeito, vão defrontar os favoritos Bruno Covas e Eduardo Paes, respetivamente, nas duas metrópoles. No Recife, duelo de primos como esperado. 7 capitais já elegeram seu prefeito e 15 vão a segundo turno. (Diário de Notícias, Portugal; La Vanguardia, Espanha; La Diária, Uruguai; Jornal de Notícias, Portugal) | bit.ly/32Rjtdo | bit.ly/3pxL9xN | bit.ly/2IN3x57 | bit.ly/32OZ2Ox

COVID-19. Mais 140 mortes e 14.134 infeções no Brasil. O Brasil contabilizou 140 mortes e 14.134 novos casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, informou hoje o Ministério da Saúde no seu boletim epidemiológico. No total, o país sul-americano concentra 165.798 óbitos e 5.863.093 casos de infeção desde o início da pandemia de Covid-19, registada oficialmente no Brasil no final de fevereiro. (Diário de Notícias, Portugal; El Periodico, Espanha; Global Times, China) | bit.ly/2UuoOTl | bit.ly/3lGfHLk | bit.ly/3kxSUQE

TSE/HACKERS. O presidente do TSE do Brasil, Luis Roberto Barroso, disse nesta segunda-feira que pediu à Polícia Federal que investigue o ataque cibernético contra o sistema de informática da entidade que atrasou o escrutínio das eleições municipais de domingo. Ele acrescentou que os "tiroteios em massa simultâneos" foram realizados por robôs de computador do Brasil, Estados Unidos e Nova Zelândia, mas esclareceu que o ataque não conseguiu superar as barreiras de segurança do sistema de informática do tribunal. (La Vanguardia, Espanha; El diário, Espanha; El Periodico, Espanha) | bit.ly/2IAzWvW | bit.ly/3kxSV7a | bit.ly/3kxSVEc

ELEIÇÕES/MANUELA D’ÁVILA. Manuela d´Avila: tapete vermelho para a candidata comunista em Porto Alegre. Apesar do assédio diário de ativistas do presidente Bolsanaro, a parlamentar comunista Manuela d´Avila está posicionada para o segundo turno das eleições municipais na capital do extremo sul do Brasil. E mais um revés para Jair Bolsonaro. Apesar de seu apelo à "erradicação do comunismo" por ocasião das eleições municipais, o presidente de extrema direita observou apenas que a esquerda havia marcado pontos neste domingo nas principais cidades de São Paulo, Belém do Pará ou Recife. (L’Humanité, França) | bit.ly/35Bs5Xm

MARIANA FERRER. A humilhação de uma vítima de estupro por um advogado indigno do Brasil. Mariana Ferrer, uma blogueira brasileira de 23 anos, foi menosprezada no tribunal durante o julgamento do homem que ela acusa de estuprá-la e que acabou absolvido. (Le Monde, França) | bit.ly/3f9FRDG

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

ARGENTINA. Com maioria necessária, governo argentino buscará aprovar nesta terça-feira um imposto sobre grandes fortunas na Câmara de Deputados. O Foro de Convergência Empresarial descreveu o projeto como uma "iniciativa confiscatória" e pediu que fosse retirado da discussão. O governo argentino tentará aprovar esta terça-feira em Deputados o projeto de Contribuição Extraordinária de Solidariedade às Grandes Fortunas, com o qual pretende arrecadar mais de 300 bilhões de pesos daquele país (mais de 3.000 milhões e meio de dólares) para planos produtivos e de saúde. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3lKOOWU

BOLÍVIA. O presidente da Bolívia, Luis Arce, mudou toda a liderança das Forças Armadas com o complexo “desafio que o povo volte a confiar” nelas. Aos militares que tomaram posse, Arce exigiu que "respeitem os processos democráticos" que foram violados pela forte repressão durante o governo de fato chefiado por Jeanine Áñez. Os militares facilitaram a derrubada do ex-presidente Evo Morales em novembro do ano passado e foram fundamentais para sustentar o governo interino de Áñez. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2IBglf7

PERU. Congresso do Peru elege líder veterano Francisco Sagasti como presidente interino. Parlamento desbloqueia a grave crise política iniciada com o afastamento de Martín Vizcarra e a renúncia de Manuel Merino. (El País, Espanha) | bit.ly/2IIaN1R

PERU. Nicolás Maduro sobre a crise política no Peru: “Podemos enviar Guaidó para se proclamar presidente”. “O que vemos daqui é que o povo peruano está acordando em rebelião, com coragem”, disse o presidente venezuelano. (Diario Correo, Peru) | bit.ly/3f9FRUc

PERU. Quem é Francisco Sagasti, o novo presidente do Peru. Seu partido se opôs à remoção de Vizcarra. Desde a crise política e social desencadeada em seu país, Sagasti criticou duramente a atuação das bancadas parlamentares, já que votou contra a destituição de Martín Vizcarra, que levou Merino à chefia de Estado.(Página 12, Argentina) | bit.ly/38OB3m7

CHINA. China está vencendo a economia na pandemia. A China deve ser o único país do G20 a ter uma economia em crescimento neste ano. Enquanto vastas áreas do mundo desenvolvido lutam com uma segunda onda de Covid-19, a vida na China está voltando ao normal, e o país está a caminho de fazer o que praticamente nenhum outro país alcançará este ano: aumentar sua economia em meio à pandemia. (Huffington Post, EUA) | bit.ly/35BO6p2

EUA. Trump buscou opções para atacar o Irã e interromper seu crescente programa nuclear. O presidente foi dissuadido de seguir em frente por seus assessores que advertiram que isso poderia se transformar em um conflito mais amplo em suas últimas semanas no cargo. Trump perguntou a seus principais assessores de segurança nacional quais opções estavam disponíveis e como responder, disseram as autoridades. Depois que Pompeo e o general Milley descreveram os riscos potenciais de uma escalada militar, as autoridades deixaram a reunião acreditando que um ataque com míssil dentro do Irã estava fora da mesa, de acordo com funcionários do governo com conhecimento da reunião. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/38PD3dT

EUA. Trump diz que Biden venceu por fraude, mas depois recua. O presidente dos Estados Unidos indica que não concede vitória ao candidato democrata. À sua maneira, Trump começou a admitir que perdeu enquanto continua a alimentar suas alegações infundadas de fraude, pelo contrário. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/38QRkqU

VACINA. A pandemia desencadeia uma corrida entre grandes potências e empresas farmacêuticas para aproveitar o novo mercado de vacinas. O acúmulo de soros como os da Pfizer ou Moderna pelos países ricos, que em alguns casos garantiram o fornecimento de até cinco doses por habitante, abre caminho para a expansão de projetos na China e na Rússia. ( El Diário, Espanha) | bit.ly/38PD3up

VACINA/EUA. Aqui estão os principais obstáculos para a distribuição da vacina Covid-19. Os EUA devem empreender a campanha de vacinação mais difícil do ponto de vista logístico da história, desde a confiança até os requisitos extremos de armazenamento. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2UB8foU

CORONAVÍRUS/EUROPA. Multiplicam-se as restrições na Europa pelo aumento de casos do coronavírus. Áustria, Grécia, Portugal e Itália, dentre outros, aumentam o confinamento social e impõem restrições. (Le Nouvel Observateur, França) | bit.ly/35BlM6k

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS/REPORTAGENS

Martin Pengelly, reportagem – EUA (The Guardian, Inglaterra) | “Obama repreende o "petulante" Trump, mas revela simpatias conservadoras. "Eu simpatizo com um certo tipo de conservadorismo" e elogia o ‘polido’ George Bush”. | bit.ly/36FZoIo

Emir Sader – Brasil (Página 12, Argentina) | “As eleições desenham o Brasil pós Bolsonaro. O esgotamento do discurso do presidente.” | bit.ly/2Uzo3sf

Leonardo Avritzer, entrevista – Brasil (RFI, França) | “Eleições municipais mostram brasileiro com voto menos ideológico e mais pragmático” | bit.ly/3f8rXBT

Paul Krugman – EU (The New York Times, EUA) | “Por que as eleições de 2020 tornam difícil ser otimista sobre o futuro. Se não podemos enfrentar uma pandemia, como podemos evitar o apocalipse?” | nyti.ms/3pDyUzG

Cristiano Zanin, entrevista – Brasil (Diário de Notícias, Portugal) | "Uma parceria de Moro com EUA visou destruir Lula" | bit.ly/3f8fzSD

Federico Fuentes – Américas (Jacobin, EUA) | “Já é tempo de abolir a OEA” | bit.ly/3f4fJKE

Giacomo Marchetti – Finanças (Sinistra in Rete, Itália) | “A moeda digital da China mudará as finanças” | bit.ly/3nubuLi




Conteúdo Relacionado