Clipping Internacional

Clipping Internacional - 18/06/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

18/06/2020 09:26

(Ian Cheibub/Reuters)

Créditos da foto: (Ian Cheibub/Reuters)

 

1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

ESTADO POLICIAL. Em São Paulo, PM é preso acusado de assassinar adolescente negro. O policial militar Adriano Fernandes de Campos foi preso em São Paulo acusado de assassinar Guilherme Guedes, um adolescente negro de 15 anos. Guilherme Guedes foi encontrado morto na região da Zona Sul de São Paulo. Junto ao corpo, atingido por dois tiros, havia uma tarjeta com patente e "nome de guerra" de um policial militar. A morte do adolescente deflagrou uma série de protestos na periferia paulistana. Na segunda-feira (15), sete ônibus foram depredados ou queimados na região e no dia seguinte uma passeata percorreu o bairro. (Sputnik News, Rússia) | bit.ly/2zHS42i

ESTADO POLICIAL 2. Matança de um adolescente provoca protestos de vidas negras no Brasil. Quando Rafaela Matos viu helicópteros da polícia em sua favela e ouviu tiros, ela caiu de joelhos e pediu a Deus para proteger seu filho, João Pedro. Então ela ligou para o garoto para garantir que ele estava bem. "Fique calmo", respondeu João Pedro, explicando que estava na casa de sua tia e que estava tudo bem, disse Rafaela à Associated Press. Minutos depois que ele enviou a mensagem, a polícia invadiu e atirou no garoto de 14 anos no estômago com um rifle de alto calibre a curta distância. João Pedro Matos Pinto foi uma das mais de 600 pessoas mortas pela polícia no estado do Rio de Janeiro nos primeiros meses deste ano. Isso é quase o dobro do número de pessoas mortas pela polícia no mesmo período em todo o país, que tem 20 vezes a população do Rio. Como João Pedro, a maioria dos mortos no Rio era negra ou birracial e morava nos bairros mais pobres da cidade, ou favelas. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/2BfV4U2

ESTADO POLICIAL 3. A violência policial no Brasil. “São os Estados Unidos à décima potência”. Cerca de 6.000 pessoas foram mortas pela polícia brasileira em 2019, a maioria jovens negros e pobres. Ao contrário de George Floyd, morto durante sua prisão em Minneapolis, nos Estados Unidos, a trágica morte de João Pedro não moveu o planeta. É porque não foi filmado? Ou porque, aqui, é monstruosamente banal? A polícia brasileira é a força pública mais violenta do mundo, com quase 6.000 pessoas mortas em 2019 (cinco vezes mais do que nos Estados Unidos, que tem uma população muito maior). Em 75% dos casos, são homens negros, geralmente jovens e de bairros desfavorecidos. (Le Monde, França) | bit.ly/3fyfTsL

AROEIRA. Associação internacional de cartunistas denuncia intimidações a Aroeira, Laerte e outros brasileiros. A associação internacional Cartooning for Peace, que defende a liberdade de expressão de cartunistas do mundo inteiro, denunciou nesta quarta-feira (17) as “intimidações" que atingem cinco profissionais brasileiros: Renato Aroeira, Laerte, Montanaro, Alberto Benett e Claudio Mor. A entidade também se uniu a uma petição de apoio a Aroeira, contra quem o ministro da Justiça do Brasil, André Luiz Mendonça, ameaçou instaurar inquérito depois da publicação de uma charge do cartunista. (RFI França) | bit.ly/2Clq9Gr

BOLSONARO vs STF. Bolsonaro diz que é hora de acabar com os 'abusos' da Suprema Corte. O presidente de direita do Brasil, Jair Bolsonaro, lançou na quarta-feira um novo ataque ao Supremo Tribunal do país que autorizou investigações em algumas de suas atividades, acusando o tribunal de "cometer abusos" e dizendo que era hora de colocar "tudo em seu devido lugar". O tribunal autorizou investigações sobre as alegações de que Bolsonaro fez nomeações da polícia federal por motivos pessoais. Também está investigando os comícios antidemocráticos, uma investigação que resultou na prisão dos líderes mais militantes e na invasão de residências e escritórios de supostos organizadores. O tribunal está buscando os financiadores do movimento, e também levantando selos em contas bancárias e emitindo intimações para registros de comunicação de legisladores federais perto de Bolsonaro. (The New York Times, EUA; Últimas Notícias, Venezuela) | nyti.ms/2YcDhpJ | bit.ly/3hHcF8c

MILITARES. Bolsonaro testa a lealdade dos militares, consentindo reféns de seu regime. Incapazes de controlar Bolsonaro, os generais lutaram para encontrar seu lugar no poder. No entanto, eles nunca estiveram tão presentes desde a ditadura. (L’Express, França) | bit.ly/3dfbKbq

BOLSONARO. O presidente brasileiro Jair Bolsonaro garantiu que não permanecerá em silêncio antes do que considera "perseguição de suas ideias" depois que a Justiça ordenou uma série de medidas contra seguidores, parentes e aliados do líder de extrema direita acusados de promover atos não democráticos. Na segunda-feira, a Polícia Federal prendeu seis militantes de um grupo radical acusado de liderar manifestações nas quais são defendidas ideias antidemocráticas como o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal e uma "intervenção militar" que permite ao líder de extrema-direita governar sem vínculos. Na terça-feira, 21 propriedades pertencentes a pessoas próximas a Bolsonaro foram acusadas de financiar grupos radicais que promovem atos antidemocráticos. Da mesma forma, a Suprema Corte autorizou o levantamento do sigilo bancário de onze parlamentares leais ao presidente acusado de financiar e promover tais manifestações. (Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/37Ev4hn

CHINA. Cargill preocupada com 'insultos' do governo brasileiro ao principal parceiro comercial da China. Insultos de funcionários do governo brasileiro voltados para a China, principal parceiro comercial do país, são prejudiciais aos interesses comerciais do Brasil e "nem muito inteligentes", disse quarta-feira o diretor executivo das operações locais da Cargill. Seu filho Eduardo Bolsonaro, legislador, em março acusou a China de espalhar o novo coronavírus para outros países, e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, sugeriu em abril que a doença ajudaria a China a "dominar o mundo" em um post no Twitter que zombava do sotaque chinês. A Cargill é a maior exportadora de soja do Brasil. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/37DvDIc

ECONOMIA. Vírus agrava prolongada crise econômica do Brasil. Paralisia política prejudica a resposta a uma pandemia que atingiu duramente o país. (Financial Times, Inglaterra) | on.ft.com/2N6oerv

COVID-19. Mais 1.269 mortos e 32.188 infetados no Brasil. O Brasil registou 1.269 mortos e 32.188 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, estando ainda a ser investigada uma eventual relação de 4.033 óbitos com a doença, informou hoje o executivo. O país sul-americano totaliza agora 46.510 óbitos e 955.377 casos confirmados desde o início da pandemia, registada oficialmente no Brasil no final de fevereiro. A pandemia de coronavírus continua a se espalhar fortemente no Brasil, onde o governo diz que a situação está sob controle e o desconfinamento continua gradualmente na maioria dos estados. (Diário de Notícias, Portugal; La Presse, Canadá; La Stampa, Itália; La Jornada, México)) | bit.ly/3ddTWxp | bit.ly/3egHtuf | bit.ly/2UYi68O | bit.ly/2UVMPTX

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

AMÉRICA LATINA. A questão tributária na América Latina. Vozes crescentes para fazer os ricos pagar mais enquanto o Covid-19 drena as finanças públicas. (Financial Times, Inglaterra) | on.ft.com/3ddKrye

PERU. Desnutrição no Peru: a doença que complica o oitavo país com a maioria dos casos de covid-19 no mundo Aproximadamente 75% dos pacientes hospitalizados no país vizinho têm desnutrição, situação que prejudicaria ainda mais as pessoas que contraem o coronavírus. (El Mercurio, Chile) | bit.ly/2NaBkEc

ARGENTINA. O presidente da Argentina, Alberto Fernández, entrou em isolamento voluntário em meio a crescentes preocupações com o aumento de infecções por coronavírus, incluindo vários casos entre a elite política do país. A decisão de colocar o presidente em quarentena - cuja popularidade está em alta em sua resposta sem sentido à pandemia - foi tomada devido ao "aumento significativo na circulação do vírus", disse o médico presidencial Federico Saavedra em comunicado nesta quarta-feira. Até agora, o forte bloqueio da Argentina por coronavírus, tinha sido um sucesso de destaque na contenção da pandemia que está se espalhando por seus vizinhos sul-americanos, Brasil e Chile. Mas isso pode começar a mudar depois que os casos relatados na Argentina mais que quadruplicaram no último mês após o relaxamento gradual do bloqueio iniciado em 10 de maio. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/37HVVcs

BOLÍVIA. Foi lançada uma campanha para exigir a libertação dos asilados na embaixada mexicana. Há sete ex-funcionários do governo Evo Morales trancados na sede diplomática. Os juízes Eugenio Raúl Zaffaroni participaram da apresentação; o cientista político Atilio Borón; o advogado da família de Sebastián Moro, Lyllan Luque; e a filha do refugiado Hugo Moldiz, Patricia Moldiz. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2N6wgk7

CHILE. O Congresso do Chile endurece as penas por violar a quarentena até cino anos. As autoridades do país enfrentam dificuldades para conseguir com que os cidadãos respeitem as medidas preventivas pela pandemia. (El País, Espanha) | bit.ly/2NbUsl7

DESIGUALDADE. Uma comissão internacional de economistas postula a cobrança de mais impostos de setores concentrados e o combate aos paraísos fiscais. As consequências econômicas da pandemia são uma boa oportunidade para estabelecer um sistema tributário progressivo em nível internacional. Economista francês, especialista em distribuição de renda, Thomas Piketty; Jayati Gosh, especialista em finanças internacionais; o Prêmio Nobel de Economia Joseph Stiglitz e o ex-ministro das Finanças da Colômbia, José Antonio Ocampo, apresentaram um relatório preparado pela Comissão Independente para a Reforma do Imposto Internacional sobre Empresas (Icrict), onde propõem medidas para mitigar a crise econômica global. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2NbbRKM

CORONAVÍRUS. Relatório global: cluster de Covid-19 em Pequim pode ter começado um mês antes. A capital chinesa relata 21 novos casos; Nova Zelândia registra nova infecção em viajante retornado; Índia tem maior salto diário em infecções. O Brasil está se aproximando de um milhão de infecções, à medida que o número de casos positivos de Covid-19 aumenta. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2YbgRFm

TRUMP. John Bolton diz que Trump deu favores a 'ditadores que ele gostava' e o acusa de buscar a ajuda da China para sua reeleição. O livro do ex-conselheiro de segurança nacional John Bolton diz que a Câmara deveria ter analisado atos potencialmente impocáveis além da Ucrânia. Em seu novo livro, John R. Bolton, ex-consultor de segurança nacional, descreve casos em que o presidente tentou interromper investigações criminais. Ele também diz que os partidários do presidente Trump zombavam dele pelas costas. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/37KdFUj

EUA. O movimento "Boogaloo", a nova ameaça de extrema direita. Pouco organizados, esses ativistas que defendem a guerra civil e racial reúnem ativistas antigovernamentais e pró-armas, neonazistas e supremacistas brancos. (Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/30RJlG0

CHINA. Autoridades chinesas fecham Pequim diante da expansão do Covid-19. Os moradores da capital só podem deixar a cidade por força maior. Limitações de capacidade retornam ao transporte e movimentos são proibidas em bairros próximos ao surto. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/2YLAovb

ITÁLIA. Ataques racistas na Itália em ascensão, alimentados pela retórica xenofóbica de grupos de extrema direita. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/3daU1Sr

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Oliver Milman – EUA (The Guardian, Inglaterra) | “Como os erros de Trump minaram a recuperação dos EUA da pandemia.” | bit.ly/2Y9WSaa

Unberto Eco – Futebol (Página 12, Argentina) | “Ódio aos fanáticos de futebol” | bit.ly/2NbbKPm

Angela Davis, entrevista – EUA (El Diário, Espanha) | “Estou aprendendo muito com pessoas 50 anos mais jovens que eu” | bit.ly/3edqwRB

Bello – Brasil (The Economist, Inglaterra) | “Jair Bolsonaro ameaça a democracia brasileira? E o exército o apoiaria se ele tentasse algo precipitado?” | econ.st/2YcYP5R

Julien Vercueil – Leste Europeu (Le Monde Diplomatique, França) | “Terapia de choque ou gradualismo? Polônia e Eslováquia, duas vias diante do mercado.” | bit.ly/3dcBx4i

Conteúdo Relacionado