Clipping Internacional

Clipping Internacional - 19/10/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo e especial sobre as eleições na Bolívia; e Artigos

19/10/2020 09:20

David Choquehuanca, candidato a vice-presidente pelo MAS, ao lado do candidato à presidente, Luiz Arce, na madrugada de segunda-feira (Cortesia)

Créditos da foto: David Choquehuanca, candidato a vice-presidente pelo MAS, ao lado do candidato à presidente, Luiz Arce, na madrugada de segunda-feira (Cortesia)

 
1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

RIO DE JANEIRO. Samba faz tentativa de retorno no Rio de Janeiro interrompido pela Covid. O lendário sambista Moacyr Luz passou grande parte da pandemia confinado em sua casa à beira-mar, mas está retomando suas jam sessions semanais à medida que o bloqueio diminui. Enquanto a Covid-19 sacudia a terra natal de Luz, matando mais de 150.000 e infectando milhões, ela também causou estragos no som característico do Rio, com todos os shows cancelados, o carnaval adiado até que uma vacina fosse encontrada e vários defensores do samba entre os mortos. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3o5Z4ug

VIOLÊNCIA. Mais de 25 mil pessoas foram assassinadas no Brasil no primeiro semestre do ano, período em que também foram registados 648 casos de feminicídio, indicou o último relatório do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Apesar das restrições de confinamento social impostas entre Abril e Maio devido à pandemia do novo coronavírus, os homicídios aumentaram 7,1% nos primeiros seis meses de 2020 em relação ao mesmo período de 2019 (Público, Portugal; La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/2ICZA2w | bit.ly/37kO7z6

GOVERNO BOLSONARO. Ministra da Agricultura do Brasil: “Não precisamos desmatar a Amazónia para fazer pecuária”. Tereza Cristina defende o trabalho do Governo brasileiro em termos ambientais e está convicta de que no próximo ano haverá “resultados melhores” no que respeita à desflorestamento na Amazónia. De Lisboa, levou o apoio de Portugal ao acordo UE-Mercosul. (Público, Portugal) | bit.ly/3dCRrGV

COVID-19. O Brasil confirmou 230 novos óbitos por coronavírus nas últimas 24 horas, com os quais o número total de óbitos pela doença já chega a 153.905, informou o Ministério da Saúde neste domingo. O boletim divulgado diariamente por aquela agência também relatou 10.982 novas infecções no último dia, o que elevou o número de casos confirmados no país para 5.235.344. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/355suji

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

ELEIÇÃO NA BOLÍVIA: A VITÓRIA DE ARCE/MORALES

(matérias e artigos)

MATÉRIAS.

Página 12, Argentina | Ampla vitória do MAS acabaria com a farsa do golpe. Uma pesquisa de boca de urna tardia deu a vitória a Luis Arce no primeiro turno.. O canal Unitel divulgou o que até então era apenas um boato: uma surra de Luis Arce com 52 por cento dos votos, contra 31,5 por cento de Carlos Mesa, seu principal adversário. A contagem do Tribunal Supremo Eleitoral foi sugestivamente lenta, sem fornecer dados o que gerou desconfiança e grande desconforto por parte dos eleitores nas redes sociais. De Buenos Aires, Evo Morales comemorou: “recuperamos a democracia”. | bit.ly/2HmWdMo | bit.ly/359LvkV | bit.ly/3jdhvcE

El País, Espanha | As urnas dão a vitória no primeiro turno ao partido de Evo Morales nas eleições bolivianas. A contagem não oficial é de cerca de 53% para Luis Arce, do MAS, contra 32% do ex-presidente Carlos Mesa. De acordo com duas contagens rápidas não oficiais, Arce obteve cerca de 53% dos votos, o mesmo que Morales conquistou em 2005, quando venceu sua primeira eleição. Imediatamente após a divulgação desses resultados não oficiais, a presidente interina, Jeanine Áñez, reconheceu em um tweet. “Ainda não temos uma contagem oficial, mas pelos dados que temos, o Sr. Arce e o Sr. (David) Choquehuanca venceram as eleições. Parabenizo os vencedores e peço que governem pensando na Bolívia e na democracia”. (El País, Espanha) | bit.ly/2ILylD5

Público, Portugal; Diário de Notícias, Portugal | Candidato escolhido por Morales vence eleições presidenciais na Bolívia. Luis Arce alcançou uma vitória assinalável ao garantir a eleição logo no primeiro turno, de acordo com as projeções. Os resultados oficiais apenas serão conhecidos dentro de alguns dias, de acordo com o El País, mas a solidez da vantagem de Arce evidenciada pelas projeções tornam bastante improvável outro desfecho que não a vitória do candidato do MAS. "Vamos trabalhar por todos os bolivianos, vamos constituir um Governo de unidade nacional", declarou numa conferência de imprensa Luis Arce, 'delfim' do ex-líder socialista Evo Morales. | bit.ly/37kRtSL | bit.ly/2IKV95W

La Vanguardia, Espanha | O MAS de Evo Morales varre as eleições na Bolívia. As sondagens dão vitória no primeiro turno a Luis Arce. O candidato do partido de Evo Morales nas eleições bolivianas quase certamente ganhou as eleições presidenciais bolivianas no primeiro turno, como indicam as pesquisas publicadas na noite de ontem na Bolívia. Se este resultado se confirmar nos resultados finais - que não serão conhecidos até terça-feira - representará uma vitória espetacular da esquerda boliviana e um momento importante do ciclo político latino-americano após anos de derrotas eleitorais, campanhas de criminalização e leves golpes contra partidos progressistas. | bit.ly/37kRuWP

The Washington Post, EUA | Socialistas reivindicam vitória massiva na Bolívia, um ano após terem sido afastados. Pesquisas de boca de urna divulgadas na manhã de segunda-feira mostraram socialistas da Bolívia assumindo uma liderança aparentemente intransponível na dura eleição presidencial do país, um resultado que, se confirmado pela contagem oficial, equivaleria a uma repreensão popular massiva das forças de direita que tirou a esquerda do poder há um ano. A eleição muito atrasada de domingo foi uma repetição da competição do ano passado. Essa votação terminou com o presidente socialista de longa data, Evo Morales, fugindo para o exílio, enquanto os oponentes alegavam fraude eleitoral e os apoiadores condenavam o "golpe". | wapo.st/2IKV9ms

La Diária, Uruguai | Quem é Luis Arce, o novo presidente da Bolívia? As ideias e a trajetória política do novo presidente boliviano. O Movimento ao Socialismo retorna à presidência da Bolívia, de acordo com os resultados preliminares divulgados esta meia-noite na Bolívia, após muitas horas de incerteza. O candidato do MAS, Luis Arce, obteve 52,4% dos votos, Carlos Mesa da Comunidad Ciudadana ficou em segundo lugar com 31,5% e Luis Fernando Camacho (acreditamos) de Santa Cruz em terceiro com 14,1%, segundo dados da consultoria. A presidente de fato, Jeanine Añez, reconheceu o triunfo do MAS e parabenizou a fórmula composta por Arce e David Choquehuanca. | bit.ly/359TsXa | bit.ly/3ofKVuG

L’Humanité, França | Luis Arce, novo presidente boliviano: "Vamos sair desta ditadura que não fala o seu nome". O candidato do movimento pelo socialismo e sucessor do ex-presidente Evo Morales, venceu a disputa presidencial na Bolívia no primeiro turno no domingo com 52,4% dos votos, de acordo com uma pesquisa eleitoral. Este resultado é uma verdadeira afronta para todos aqueles que trabalham há um ano para tirar a esquerda do poder. As prioridades do novo chefe de Estado: saúde, educação, emprego e restauração das políticas sociais conduzidas sob os mandatos de Evo Morales, destituído da presidência por um golpe de estado em novembro de 2019. | bit.ly/37i6zZ6

La Repubblica, Itália | Bolívia, o socialista Arce rumo à vitória: o futuro de Morales também está em jogo. O ex-ministro da Fazenda representa a alma esquerda do país, próxima ao ex-líder no exílio. As urnas dão a ele uma grande vantagem sobre o candidato de direita Carlos Mesa. | bit.ly/2FMvqcg

Tribune de Genève, Suíça | bit.ly/31CBGuX

El Periódico, Espanha | bit.ly/2FMvrgk

El Mundo, Espanha | bit.ly/3lYGzGe

The Wall Street Journal, EUA | on.wsj.com/37kRx4X

Les Echos, França | bit.ly/3m6XBCh

Le Monde, França | bit.ly/3kdhVkO

La Presse, Canadá | bit.ly/3o2n8Ox

La Croix, França | bit.ly/3o6VY9q

La Stampa, Itália | bit.ly/2FMvrwQ

Expresso, Portugal | bit.ly/2FEPNb4

Deutsche Welle, Alemanha | bit.ly/3dCDMj9

El Clarin, Argentina | bit.ly/37h9LnT

La Jornada, México | bit.ly/3dLvp4L

Diário Correo, Peru | bit.ly/37kO7PC

El Tiempo Argentino, Argentina | bit.ly/2FFy4jN

3 - ARTIGOS

Gustavo Veiga – Bolívia (Página 12, Argentina) | “Eleições da Bolívia 2020: Luis Arce, de arquiteto do milagre econômico boliviano a candidato do MAS” | bit.ly/2ILyeHF

Luis Alberto Arce Catacora – Bolívia (La Jornada, México) | “O futuro do déficit fiscal na Bolívia” | bit.ly/3j9NXNi

Kevin Cashman – Bolívia (Jacobin, EUA) | “A OEA ajudou a facilitar o golpe do ano passado contra Evo Morales. Agora está como observadora as eleições bolivianas de hoje.” | bit.ly/3m1KF0a

Olivia Arrigho-Stiles – Bolívia (Jacobin, EUA) | “Evo Morales foi o maior presidente das Américas” | bit.ly/3lSSxRM

Mercedes López San Miguel-_ Bolívia (Página 12, Argentina) | Eleições na Bolívia 2020: onze meses do Calvário com Áñez no poder. Desde o golpe de Estado ocorreram massacres e cerceamento dos direitos dos bolivianos, com o agravamento da crise provocada pela pandemia. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2IKV9CY

Oscar Guisoni – Bolívia (Página 12, Argentina) | “Bolívia: dois países diferentes, uma solução política complexa” | bit.ly/37xPWcb

4 - OUTRAS NOTÍCIAS DO MUNDO

CHINA/ECONOMIA. China se torna a primeira grande economia a se recuperar da pandemia de Covid-19 e deve ser a única economia do G20 a crescer este ano. A expansão ano a ano, embora ligeiramente inferior às expectativas dos analistas, representa uma reversão dramática. A economia chinesa cresceu 4,9% entre julho e setembro, de acordo com dados do governo, à medida que a China se torna a primeira grande economia a se recuperar da pandemia de Covid-19.. A economia global deve contrair 4,4%, de acordo com o Fundo Monetário Internacional, a maior desaceleração desde a Grande Depressão. (The Guardian, Inglaterra; The New York Times, EUA; The Wall Street Journal, EUA; Financial Times, EUA) | bit.ly/37jEKj2 | nyti.ms/3o4d5IT | on.wsj.com/3lYy8uA | on.ft.com/2T5meT5

CORONAVÍRUS/EUROPA. Os casos europeus aumentam 44% em uma semana. Milhões de europeus enfrentaram novas restrições ao coronavírus à medida que os governos intensificaram os esforços para desacelerar o aumento das infecções, depois que a Organização Mundial da Saúde relatou um aumento “muito preocupante” de 44% nos casos europeus em uma semana. Paris sob toque de recolher enquanto a Europa enfrenta um crescente número de casos; nove cidades francesas estão agora sob toque de recolher de um mês quando o país registrou outro recorde de novos casos, com mais de 32.000 registrados em 24 horas.; resistência a bloqueios no Reino Unido. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/37jHwop

CHILE. Uma semana do plebiscito constitucional. A Plaza “Dignidad” fica lotada em Santiago do Chile, comemorando um ano do surto. Há um ano teve início um movimento social sem precedentes na história recente do país transandino que, após a sangrenta repressão e a teimosia do governo Piñera, acabou levando a um referendo sobre a Carta Magna de Pinochet. No final da tarde, encapuzados começaram a armar barricadas e gerar desmandos sem a intervenção da polícia. (Página 12, Argentina; La Diária, Uruguai) | bit.ly/2T8xGNS | bit.ly/3j7AkOE

TAILÂNDIA. O movimento pró-democracia de volta às ruas. Apesar da proibição, os manifestantes voltaram às ruas de Bangkok no domingo para defender suas liberdades e exigir a reforma da monarquia. (Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/37jV4QR

FACEBOOK. O Facebook reduziu a visibilidade da mídia de esquerda, embora continue sendo criticado por ambos os lados. O não intervencionismo de 2016 acabou: Mark Zuckerberg tornou-se "um ator político", diz o "Wall Street Journal". Em detrimento da esquerda, segundo diversos meios de comunicação, e continua sendo criticado pelos dois lados. (Le Nouvel Observateur, França) | bit.ly/3o4o7O9

FRANÇA. Professor assassinado: França se levanta contra a barbárie. Os comícios aconteceram após a decapitação de um professor. Contra o islamismo radical, o executivo quer que se amplie o trabalho educacional. (Le Soir, Bélgica) | bit.ly/31CBOdV

5 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Simon Tisdall – EUA | Na era de Covid, as sanções contra "estados incômodos" apenas espalham a miséria. Medidas agressivas que afetam a Coreia do Norte, Irã e Venezuela apenas prejudicam os vulneráveis e as atitudes endurecem. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3o4ofgB

Frances Ryan – Desigualdade (The Guardian, Inglaterra) | “A desigualdade está aumentando sob a Covid e falar sobre isso é vital” | bit.ly/3dMvMMA

Eduardo Aliverti - Argentina (Página 12, Argentina) | “O 17 de outubro e a outra tela” | bit.ly/31iUajW

Andrés Asiain - Desigualdade (Página 12, Argentina) | “Meritocracia e capitalismo. O discurso justificativo da exclusão” | bit.ly/3lVA7Q8

Nancy Eisenbert – Discriminações (El Diário, Espanha) | “Escoria branca: os ignorados 400 anos de história das classes sociais nos EUA” | bit.ly/37h9DVr

Ronilso Pacheco, entrevista – Racismo (El Diário, Espanha) | “Os ataques contra as religiões de origem africana no Brasil são fruto do ambiente de violência criado por Bolsonaro” | bit.ly/3o6KjXV



Conteúdo Relacionado